# #

Faculdade do sexo

968 palavras | 0 |5.00
Por

Sou morador da cidade de Campinas, interior de SP. Empresário e descobri esse site por acaso, graças a Pandemia.
Vou contar algumas das minhas aventuras e peripécias sexuais.
Tenho 50 anos bem vividos e acumulo muitas transas fantásticas com mulheres lindas e outras muito especiais, que me fizeram crescer emocionalmente.
Sempre frequentei boas escolas, Tênis Clube, as melhores academias, enfim vida de burguês. Sou filho de pais classe média alta, viagens internacionais nas férias, carro zero e quando ingressei na faculdade nos anos 90, época do Collor, com abertura da importação, meu presente de faculdade foi uma BMW 325. No meu roll de amigos, carros assim era comum. Muitos tinham casa no Guarujá. Casa em Campos e frequentemente fazíamos viagens nos feriados prolongados e nas férias, certa vez fizemos um tour pela França.
Episódio 1
No terceiro ano da faculdade, conheci uma professora recém separada, ainda sofrendo com os motivos da separação. No final do semestre, era uma tarde fria e de chuva, pediu que os alunos que desejassem, poderiam retirar com ela o trabalho e que faria uma breve avaliação oral. Porém não foi ninguém, com exceção de mim. Ficamos conversando por algum tempo e ela meio inquieta começou a me contar sua triste história. Como pode uma mulher nos tempos de hoje, salário ótimo, com mestrado e doutorado assim aceitar tamanhas humilhações. Ela trajava uma lindo Tailleur preto risca de giz, óculos com armação preta e cabelos presos. Eu de calça jeans, blusa polo manga comprida, casado de couro e tênis. Disse lhe, solta os cabelos, comece a viver. Ela soltou e disse, nossa viu como você é bonita!! Ela pegou um espelho na bolsa e nessa hora, vi um pouco mais de suas coxas sob a meia calça. Continuamos a conversar e ela toda inquieta na cadeira, cruzando e descruzando as pernas, até que em dado momento, coloquei minhas mãos nas coxas dela e disse, não tenha medo ou receio, nada farei que você não goste ou queira. Ela toda vermelha de vergonha, devido a minha ousadia, mas como ela estava carente demais, não me reprimiu e em atitude seguinte, enfiei minhas mãos até seu interior das coxas, obrigando a abri-las. Pude sentir seu calor e tudo molhado. Nessa hora ela retesou se na cadeira, mordeu os lábios e depois fiquei sabendo que gozara. Fustiguei com vontade sua buceta, escondida pelo tecido da meia calça, e fiquei encantado quando a rasguei, não encontrando sua calcinha. Não a uso com meia calça. Seus densos pelos estavam encharcados, sua buceta de lábios grandes eram massageados por mi. Soquei com vontade, fazendo ela suspirar fort. Falei, me chupa que vou te comer agora. Ela pegou no pau e pos na boca. Levantamos e contra a parede enfiei na buceta, poucas estocadas a fizeram gozar novamente. Senti meu pau lavado de porra dela. Ela me olhou nos olhos e falou vamos embora. Falei vamos no motel acabar o que começamos. Ela abaixou e com os dedos dentro da buceta, chupou meu cacete pedindo para levar porra na cara e boca. fiz, melando seus óculo, cabelo, rosto e tudo mais. Fomos no carro comigo dirigindo até o Motel LE TOUQUET, Rua Jasmim. Kkk. Deixei meu carro na Pucc. No caminho, mais uma vez ela gozou e já tinha os peitos acarinhados. Entramos assim mesmo, ela só virou o rosto e cobriu os seios com soutian.
Espero que você goste e não me recrimine como meu ex. Lúcia, estamos somente eu e você. Para mim, quanto mais puta melhor. Você gosta de Nelson Rodrigues? Ah, sim e rimos. Subi sua saia e ela ainda de sapatos teve a buceta toda chupada por mim, ainda de 4. Tapas foram dados naquela bunda branca e cada vez era um gemido e grito de tesão. Vem me come, me fode como puta de zona. Como pau duro para fora, ajeitei e crau na buceta novamente. Parecia febril, um verdadeiro pântano. Meti por uns bons 30 minutos como ela uivando, gemendo e gritando de tesão. Gozou mais e mais até eu encher sua buceta de porra. Caímos exaustos e saciados na cama. Ela rindo, nossa que loucura, mas estou feliz. Eu vc é um mulherão maravilhoso. Você não vergonha de eu gemer e gritar? Claro que não Lu, adoro, vc tem que se soltar. Sabia que você é meu segundo homem e o primeiro que chupou minha vagina? Falei, olha isso aqui é cacete, caralho, pau, pica e você tem buceta, xoxota, perereca. Vagina vc deixa nos livros.
Beijos e abraços foram trocados até nossa segunda sessão de sexo, quando ela pediu para comer seu traseiro. Já rindo, falou: – come meu cu!!
Falei, sim vou te foder o rabo, puta safada, arrombar tuas pregas. Foi mais um tesão, comer aquela mulher madura, meter no cu como fosse buceta. Gozamos mais uma vez e voltamos para pegar o carro. Sabe, Mark meu ex, metia pouco em mim, sempre bêbado. Mas ele adora enfiar um consolo no meu rabo, por isso aprendi a gostar e gozar muito. Ela tinha um tesão enorme nos seios. Durante a separação, ela aprendeu alguns palavrões com uma amiga e o que fazer com os homens
Durante as férias, eu a comi todos os dias, até em sua casa em silêncio, enquanto suas filhas dormiam.
Porém, nossa diferença de idade, não a permitiu continuar nosso romance, mantivemos a amizade por muitos anos, eventualmente saímos, mas ela casou se e deve estar feliz, mas tenho certeza que nunca me esquecerá.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 2 votos)

Por # #

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos