#

Exibicionista chantageada por um esquisito

2715 palavras | 1 |4.56
Por

chantagem, filmagem, novinha chantageada andando peladinha na rua

Me chamo Alessa moro sozinha numa cidade pequena do interior de São Paulo. Tenho 20 anos, 1,70 m, possuo seios médios, coxas grossas e bumbum empinado, com uma cinturinha fininha e uma bucetinha bem pequenininha. Tenho uma corpo atlético e bem durinho. Meu rosto é igual da atriz Camila Morrone, inclusive a boca, até parecemos gêmeas. Por essa razão os homens vivem me comendo com os olhos.

Os fatos abaixo aconteceram no final de fevereiro deste ano.

Eu sempre li contos eróticos e isso me deixa muito excitada. Estava lendo um conto erótico de uma garota que tinha vontade de andar nua na rua até que tomou coragem e realizou sua vontade. Isso despertou em mim uma vontade imensa de andar nuazinha na rua. Fiquei imaginando eu dando a volta no quarteirão do jeito que vim ao mundo e comecei a ficar muito excitada.

Com os dias passando a vontade de caminhar peladinha na rua foi aumentando cada vez mais. Comecei até fazer alguns ensaios indo até o portão totalmente nua e depois voltava correndo com medo de alguém me ver.

Certa noite sai até o portão totalmente peladinha até que um dia notei que a rua estava totalmente deserta por causa do coronavírus, e em razão disso fiquei uns dez minutos na frente de casa e não apareceu ninguém. Depois voltei pra dentro de casa e fiquei pensando:

— Não tem ninguém na rua, então porque não dou a volta no quarteirão e realizo logo essa fantasia e mato minha vontade, deve dar 1 km de caminhada? —

Já era bem tarde da noite quando sai novamente no portão sem nenhuma peça de roupa, olhei para os todos os lados e não vi ninguém. Tomei coragem e taquei um foda-se e sai peladinha na rua me sentindo linda e saltitante. Atravessei a rua e fui com toda coragem e vergonha do mundo, mas a excitação de dar de cara com alguém na rua me deixou com muito tesão e perdi completamente o juízo.

Depois de quase 1 km olhei pra traz e vi a roubada que tinha me enfiado, pois não estava nem na metade do quarteirão, então pensei:

— Puta merda, o que eu fiz, agora fudeu, não pensei que fosse tão longe, mas já que estou aqui vou dar a volta no quarteirão e entrar logo em casa.

Aquela caminhada parecia a mais longa que fiz na minha vida, pois cada passo que dava em direção a minha casa mais longe parecia que eu estava dela. Caramba, fiquei com um puta tesão e minha bucetinha estava toda encharcada até que não aguentei mais. Minhas pernas bambearam, sentei no chão, em frente de uma casa, pra não cair e bati uma siririca que foi a mais gostosa da minha vida, perdendo totalmente meus escrúpulos e tive o orgasmo mais sensacional da minha vida. Me recompus olhando para todos os lados, totalmente com vergonha me levantei e consegui chegar em casa sem encontrar ninguém na rua.

Coloquei um shortinho de lycra e uma camisetinha apertada e nada mais, e fui dormir.

No outro dia de manhã acordei com alguém tocando minha campainha de forma insistente.

Sai vestida com o shortinho e a camisetinha que mostrava todas as curvas das minhas coxas, bunda e seios e me deparei com um esquisito, baixinho e feio, que mora perto de casa, com um pen drive na mão dizendo que o que estava nele todos os meus vizinhos iriam receber uma cópia da aventura que eu fiz na noite passada.

Esse sujeitinho esquisito é marido da minha melhor amiga e sempre questionei o porquê que ela tinha casado com ele, já que ela é uma mulher muito atraente e não combina em nada com ele. Ela é uma quarentona de tirar o folego e ele aparenta ser bem mais velho. Mas cada um é cada um.

Corri pra dentro coloquei o pen drive no meu computador e assisti uma filmagem que mostrava eu caminhando peladinha pela rua e quando cheguei perto da casa onde ele morava me masturbei como nunca. Notei que o local que fiz isso ficava do outro lado da rua que o sujeito morava e eu nem sabia que tinha câmeras ali. também, nem percebi que estava em frente a casa dele por causa do tesão que estava sentindo. A filmagem realmente estava muito nítida.

Sem ação fui até o portão e vi que ele ainda estava lá. Totalmente tremula, com muita vergonha e com a voz embargada perguntei quanto ele queria pela filmagem. Como se eu tivesse dinheiro pra comprar o sigilo!!!

Então ele disse se poderia entrar pra fazer uma proposta ou ele faria ali mesmo no portão. Com muito medo de alguém ouvir levei ele pra dentro e perguntei o que ele queria e ele disse:

– Eu quero isso.

Aquele desgraçado me pegou pela minha bunda com uma força, por entre as minhas pernas, que chegou a me levantar do chão e já foi tentando me beijar.

Comecei a choramingar dizendo que não queria, pedindo por favor que parasse.

E ele disse:

– O único acordo que quero pra não mostrar a filmagem pra todo mundo é meter a rola em você, sua boazuda, tô cansado de bater punheta por tua causa e hoje eu quero te fuder muito. Ou você me dá ou todo mundo vai te assistir, e vou por até na internet com o endereço da sua casa.

Sem saber o que fazer, com minhas pernas em volta da cintura dele enquanto ele me segurava com força a minha bunda, falei pra ele que não podia fazer isso comigo pois ele é casado e eu sou muito amiga da mulher dele. E de fato era, até na casa dele eu vou pra jogar conversa fora com a esposa dele, e sempre percebi que ele ficava me comendo em pensamento. E agora estava naquela situação. nas mãos dele e com muito medo do que ele poderia fazer com o filme.

E ele disse:

– Que se foda! Não vou abrir mão dessa chance que eu vou ter pra te chupar inteirinha e meter a rola nessa buceta.

O filho da puta foi tirando minha roupa enquanto me beijava eu não podia fazer nada além de chorar. Rasgou minha camisetinha, pois a todo momento que ele tentava tirá-la eu tentava impedi-lo. Fiquei com meus seios amostra enquanto ele os chupava ferozmente. E com uma força e violência, duma vez só ele tirou meu short e me jogou no sofá e disse pra eu ficar quietinha se não ele ía embora e iria distribuir as cópias e colocar na internet com meu endereço. Com medo fiquei ali no sofá peladinha com ele me admirando.

– Você tem o corpo mais lindo que eu já vi e hoje não vou desperdiçar minhas energias na punheta, vou gastar tudo com você.

Então ele começou a me chupar enquanto eu chorava e pedindo pra ele parar:

– Não, por favor, para, eu não quero.

Ele foi descendo pelo meu corpo enquanto me chupava e eu só chorava diante daquela situação. O filho da puta estava realizando suas fantasias que tinha comigo e eu não podia fazer nada além de choramingar e pedir pra parar. Ele desceu até a minha buceta e começou a chupar com gosto. Aquilo foi me deixando excitada e com raiva ao mesmo tempo, pois como podia estar tendo prazer de um cara feio e esquisito que estava abusando de mim. E pior, eu sendo amiga da esposa dele.

Depois de cinco minutos eu tive um orgasmo e não consegui segurar meus gemidos.

– Tá gostando né putinha, até gozou na minha boca, safada.

Chorei mais ainda, pois não estava acreditando que meu corpo tinha acabado de me trair. Ele continuou chupando minha bucetinha até que novamente gozei. Estava desfalecida no sofá e vi que ele tirando a roupa e notei que ele, apesar de baixinho, tinha um pau enorme. Depois ele colocou as minhas pernas em seu ombro, encostou aquele pau cabeçudo na entrada da minha bucetinha apertadinha e começou a forçar até que entrou a cabeça do pau. Chorei novamente e pedia pra ele parar e vi nada neste mundo iria impedi-lo de me possuir. Então disse a ele:

– Pelos menos põe a camisinha seu filho da puta!!!

– Nem pensar sua biscatinha. Carne de primeira a gente só come depois que tira da embalagem.

Nisso ele segurou minha cintura e enfiou aquele pau enorme com tanta força que cheguei a ver estrela. Senti a cabeça bater no meu hutero. Ele começou a meter com tanta vontade e paixão que eu podia ver uma ar de felicidade e realização em seu rosto.

– Seu filho da puta, tá doendo muiiiiitooo, AAAiiiiiiii, para, para, PAAARRRAA, TÁ DOENDO.

– Paro nada gostosa, toma rola nessa buceta gostosa, que novinha bozuda. Sabia que um dia iria te comer, putinha.

Com o tempo a dor foi transformando em um enorme prazer e comecei a gemer e ao mesmo tempo estava com muita raiva por ele estar me forçando a fazer sexo. Continuava pedindo pra ele parar, mas ele não estava nem aí.

Depois de uns 10 minutos gozei feito louca, e fiquei com muita raiva por causa disso, pois não podia acreditar que estava gozando diante daquela situação. Ele ficou com mais tesão ainda e começou a meter com mais força e eu continuava gemendo alto e sem parar. Fiquei hipnotizada com aquele pau entrando dentro da minha buceta com tanta força e rapidez, estava achando aquela visão maravilhosa.

Passados mais uns 10 minutos, ele enterrou forte seu pau bem no fundo no meu útero e gozou dentro de mim enquanto eu tinha outro orgasmo. Parecia que ele tinha gozado vários litros.

– DEESSGRAÇAAADOO! OLHA O QUE VOCE FEZ COMIGO, POR QUE NÃO GOZOU FORA!!!!! – Gritei

Nisso ele me colocou em cima dele e ficou me beijando, notei que seu pau ainda estava duro, pois ainda estava dento da minha menininha. Ele começou a meter devagarinho e comecei a sentir mais tesão ainda. Comecei a cavalga-lo o mais rápido que eu conseguia e cada vez mais sentia prazer.

Após ele me pegou pela bunda e me virou com muita força e me colocou de quatro e começou a me fuder com força novamente enquanto enchia minha bunda de tapa com toda força que conseguia bater. Comecei a sentir tanto tesão que esqueci da situação de chantagem que eu me encontrava. Parei de chorar e não pedia mais pra ele parar e comecei a perder o controle:

– ME FODE VAI, METE COM FORÇA NA MINHA BUCETA, METE, METE, BOTA COM MAIS FORÇA, BATE NA MINHA BUNDA ATÉ FICAR VERMELHA. ME FOOOOODDDEEEE.

Minhas palavras o deixou alucinado, tanto que ele começou a meter com tanta violência que parecia que eu ía virar do avesso.

– Nossa que bunda perfeita. – dizia ele – e que cinturinha, você é gostosa pra caraio, to realizando meu sonho de consumo. Como é bom meter a rola nessa bucetinha apertada. Como é bom fuder uma novinha boazuda. Fico imaginando quem foi o sortudo que comeu o seu cabaço, vadia. Agora a putinha fica andando pelada na rua e batendo siririca na frente da minha casa. Tá necessitada, então toma rola, sua gostosa.

Depois de um tempo acabei tendo o melhor orgasmo da minha vida, foi melhor até do que aquela siririca que eu bati no meio da rua. Logo em seguida ele inundou minha bucetinha com seu leitinho novamente. Só que dessa vez fiquei feliz e com um belo sorriso no meu rosto e bem satisfeita.

Acabei quase desmaiando no sofá e ele deitou em cima de mim com o pau ainda dentro da minha bucetinha.

Nunca pensei que existisse um homem que fudesse tanto uma mulher daquele jeito.

Tinha acabado de descobrir porque minha amiga tinha casado com ele. Foi amor a primeira rola.

Quando acordei ele já tinha ido embora, fui tomar banho e notei que tinha muita porra saindo de dentro da minha bucetinha. Enquanto eu tomava banho ficava só pensando:

– E agora, o que será que ele vai fazer. Será que ele me enganou e vai mostrar pra todo mundo! To fudida, todo mundo vai ficar sabendo. Ele vai colocar na internet com meu endereço. To fudida, to fudida, o que eu faço???

Ao anoitecer alguém começou a tocar minha campainha. Saí lá fora e vi que era ele:

– O que você quer?

– Só conversar.

Puxei ele pra dentro de casa e ele me jurou que apagou a gravação da filmagem e que não tinha nenhuma cópia mais. Me pediu desculpas pelo que tinha feito, mas que era um sonho dele me comer, pois toda vez que ele me via dentro da casa dele conversando com sua esposa, ficava imaginando como era comer uma novinha tão gostosa quanto eu. Então, com um trunfo na mão ele não podia desperdiçar a chance de me foder bem gostoso. E que se pudesse voltar atrás faria tudo de novo.

E eu perguntei:

– E como eu posso ter certeza que você realmente apagou e que não tem nenhuma cópia.

– Por que se eu tivesse eu estaria usando pra te fuder de novo agora, já que você me mostrou ser uma novinha bem gostosa.

Levantei e fiquei na frente dele e pedi pra ele ir embora apontando o dedo em direção a porta. Ele disse que tudo bem que iria embora. Então ele se levantou e de propósito ficou a poucos centímetros de mim, segurou minha cabeça com força e me lascou um beijo. No susto, tentei impedi-lo colocando minhas mãos em seu peito e comecei a empurrá-lo. Ele me abraçou forte, passando a mão em todo meu corpo enquanto beijava meu pescoço. Tirei minhas mãos de seu peito e o abracei e comecei a beijá-lo com muita vontade.

Depois ele me pegou no colo, me levou para meu quarto e me fudeu de todas as formas.

Teve até um dia que estava indo na casa dele pra bater papo com minha amiga e a encontrei saindo no portão. Ela me viu e disse que estava indo no mercadinho comprar algumas coisas e como era um pouquinho longe eu disse que voltaria de pois. E ela simpática como sempre disse:

– Que nada, entra em casa e me espera, o Zé te faz companhia.

Confesso que senti um calor na minha bucetinha e não pensei duas vezes.

– Tá bom. Eu fico aqui com o Zé esperando você voltar.

Fiquei espiando ela sumir no horizonte e quando me virei o Zé estava parado atrás de mim e me perguntou:

– Ela já foi?

– Sim. – disse pra ele.

Ele me puxou pelo braço e me levou pro quarto e ele me fudeu gostoso na cama de casal deles.

Quando ela retornou eu estava sentada no sofá toda descabelada e ela perguntou.

– O que aconteceu com você menina?

Fiz uma cara de interrogação e respondi?

– Nada, por que?

– Sei lá. Não notei que você tinha vindo aqui sem pentear o cabelo.

Rimos muito e começamos a jogar conversa fora como de costume.

Isso aconteceu no final de fevereiro deste ano, e agora estamos em maio. E até hoje ele me fode a hora que ele quer. E se depender de mim sempre vai me comer.

Pelo jeito, assim como minha amiga, me apaixonei pela rola dele.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,56 de 9 votos)

Por #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos