# #

Eu e minhas duas sobrinhas

1579 palavras | 7 |4.15
Por

Olá a todos! O que irei descrever aqui aconteceu há um tempo atrás entre eu e minhas 02 sobrinhas e é um conto verdadeiro, porém somente vou mudar os nomes para preservar nossa integridade.
Bom… vamos lá.
Me chamo Fernando, sou o filho mais novo de minha casa, meu pai me fez já com idade bem avançada, com 50 anos e minha mãe já tinha 41 quando eu nasci, somos em 07 irmãos na minha casa, 04 mulheres e 03 homens. Desta forma a diferença de idade dos mais velhos é considerável a minha que sou o caçula.
Da minha família alguns irmãos moram no interior de SP e outros na Capital, eu na época morava no interior com meus pais. Sempre ficava na casa da minha irmã mais velha pois gostava de sair e por conta de meus pais serem rígidos eu preferia sempre estar lá ou dormir na casa dela para poder chegar mais tarde, ou ficar mais tranquilo.
Minha irmã tem uma filha que vou chamar aqui de Camila, crescemos juntos, praticamente como irmãos, nossa diferença de idade é de 03 anos, ela tinha na época 13 anos e eu 16. Até então não tinha nenhuma atração por ela, sempre dormia lá e nunca tivemos nenhum contato diferente, porém isso foi mudando, eu estudava pela manhã e ela de manhã e a tarde, minha irmã trabalhava o dia todo e estudava a noite. Meu cunhado é caminhoneiro e sempre estava fora, então quase sempre nas noites minha sobrinha ficava sozinha em casa, eu sempre estava por lá.
Ela sempre levava amigas e ficava lá entre elas, eu como já estava bem grandinho, sempre ia até lá para ficar entre as meninas, cheguei a ficar com algumas amiguinhas dela, mas só de beijo mesmo e passadas de mão. Era sempre uma frescura e fogo quando estavam juntas, ficavam rindo a toa, e eu sabia que sempre estavam aprontando e falando sobre besteiras.
Um dia cheguei lá e apareci na janela da cozinha, estava ela e algumas outras amigas, olhei e elas estavam comparando os seios. Fiquei louco, vi aqueles seios durinhos com pontas em formação ainda, mas fiquei sério a princípio e fingi não ter visto muita coisa, porém fiquei com aquilo na cabeça, entrei, elas ficaram meio ressabiadas e eu desconversei. Disse – Estão aprontando né?
Elas ficaram desconfiadas e eu após isso dei um sorriso e disse, não vi nada.
Neste dia ficou por isso, mas a imagem não saia da minha cabeça, estavam aprontando e eu sabia que minha sobrinha tinha muitas curiosidades, comecei a ir com mais frequência e com intenções de algo entre nós.
Comecei a me aproximar a ela em conversas, mas tinha medo de forçar e ela não gostar, papo vai papo vem, até que ela começou a me perguntar sobre beijar, como era… princípio eu fiquei até com vergonha, mas o tesão falando sempre mais alto, falei para ela que não tinha como falar assim, porque teria que saber e fazer. Perguntei se ela não tinha nenhum garoto que tinha interesse, ela disse que até tinha, mas tinha vergonha por ser BV.
Ela perguntou – Sua primeira vez foi estranha?
Eu disse – Não foi normal, beijei mas fui aprendendo com o tempo.
Eu sabia que ela queria algo mais, até que tive a iniciativa em perguntar – Se quiser aprender posso te ensinar, mas não pode falar pra ninguém.
Ela olhou e fez um pouco de doce, mas aceitou.
Fui até ela e beijei aquela boquinha deliciosa, meu pau na hora quase explodindo de tesão, ficamos nos beijando por um longo tempo, a partir deste dia, sempre que eu ia lá nós beijávamos.
Com o beijo as coisas foram se acalorando, um outro dia que eu estava lá, começamos a nos beijar na sala, e ela se esfregando em mim, fui subindo minha mão e peguei naqueles seios lindos durinhos, comecei a massagear, puxei a camisa dela e quando olhei lindos, ela me olhava somente quieta, comecei a chupar e ela com tesão que não aguentava ficar parada, ficava se esfregando sem cima de mim.
Falei pra ela, quer ver o estou aqui?
Ela disse somente balançou a cabeça que sim, eu peguei a mão dela e coloquei em cima da minha calça, ela apertou tanto que vi que realmente aquele tesão era algo diferente e nossa química era grande.
Tirei pra fora e ela começou a bater pra mim, virei ela, e comecei a chupar ela também, foi uma loucura, quando desci e vi aquela bucetinha linda toda fechadinha me enlouqueci ainda mais, cai de boca, ela se remexia na cama e eu cada vez mais cheio de tesão.
Após esse dia sempre que estávamos a sós fazíamos sacanagem, cheguei até tentar a penetrar nela, porém ela falava que sentia dor, eu tinha medo de machucar ela.
Vivemos assim durante 03 anos aproximadamente, até que eu me mudei para SP para procurar trabalho. Vim morar com minha outra irmã no apartamento dela, eu já tinha 19 para 20 anos, por ser pequeno o apartamento ela colocou uma beliche no quarto da minha sobrinha e me instalei na casa dela. Essa minha outra irmã tem um filho e uma filha, um o menino com 02 anos João e a menina com 15 Luana. Ela é separada, descobriu que meu cunhado traia ela na gravidez, fiquei morando com ela durante uns 05 anos, neste tempo eu já sentia tesão em pegar familiar, mas não dava em cima da minha outra sobrinha porque não sabia a reação.
Com mais ou menos 04 meses que eu morava lá, em uma tarde minha irmã trabalhando, eu e ela sozinhos assistindo filme, vi que minha sobrinha estava estranha, ela me olhava diferente, porém não dava indícios, eu e ela no mesmo sofá, ela jogava as pernas em cima de mim, em cima do meu pau, acho que ela sentia que ficava duro, mas eu ficava bem na minha e ela fingia que não estava acontecendo nada. Começou no filme aparecer cenas mas fortes, mas nada demais. Eu fiquei com um pouco de vergonha, e disse quer mudar? Ela – Não até parece que você não sabe o que é isso, e disse em seguida, eu não sou tão boba assim, sei de coisas que já fez…
Eu na hora fiquei mudo, não sabia oque falar, esperei alguns minutos e tomei coragem e perguntei, oque ela sabia.
Ela – Eu sei oque já fez com a Camila, e me contou…
Eu na hora fiquei todo sem graça, e perguntei desde quando ela sabia disso.
Ela – Falou relaxa que faz tempo que sei e não vou contar para ninguém…
Eu confesso que me bateu medo, mas sabia que ela queria algo a mais.
Após este dia vi que ela mudou comigo, sempre antes de dormir ficava puxando conversa, descia da beliche e ia tomar água ou ir ao banheiro só para me provocar de shortinho e camiseta e algumas vezes até de calcinha.
Um dia eu me trocando, ela abriu a porta do quarto de uma vez, me viu pelado, ela olhou, pediu desculpas e saiu, mas vi aquela carinha de que foi de propósito. No mesmo dia ela saiu de toalha em direção ao banheiro e vi que estava meio aberta a toalha na frente, consegui ver um pouco da bucetinha dela, mas foi rápido, e vi que ela tinha me visto.
Após isso fiquei morrendo de tesão, fiquei esperando a oportunidade, até que em uma noite, ela conversando comigo, eu falei que estava carente, que não tinha pego ninguém aqui em SP.
Falei que as vezes tinha que me aliviar, ela perguntou como… Eu chamei ela e mostrei, ela viu meu pau bem duro e eu batendo uma punheta e ficou admirando.
Chamei ela para descer e ver mais de perto, quando ela veio, pegou e começou a alisar ele, na mesma hora peguei ela e comecei a beijar o corpo dela, chupar, ela me chupou, vi que já tinha experiencia e que sabia chupar.
Peguei ela, tirei a camisa dela e estava só de calcinha e sem sutiã, puxei a calcinha e comecei a passar meu pau nela, até que não resisti e coloquei, devagar, ela foi gemendo baixinho e passamos uma longa noite transando.
Gozei dentro dela, foi ótimo, ela parecia que já tinha tanta experiencia que me fazia delirar.
Viramos namorados ocultos, sempre que entrava a madrugada acordávamos para transar, isso se passou durante todo tempo que eu morei lá, sempre comia ela.
Hoje sou casado e ela também, porém mesmo depois desse tempo eu e ela transamos, hoje trocamos mensagens e sempre que dá marcamos e vamos ao motel, somos amantes e nosso tesão é muito grande um pelo outro, por nossa vontade estávamos juntos hoje, porém sabemos que a sociedade não aceita, por isso mantemos em sigilo.
Bom… espero que tenham gostado, como disse essa história é verídica, se quiserem trocar experiencias ou saber mais, estarei a disposição.
Fernando.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,15 de 47 votos)

Por # #

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Tio Ivan

    Tenho quatro sobrinhas, uma de 23 anos, as gêmeas de 21, e a caçula com 19.
    Acreditem, tirei o cabacinho de três.
    A mais velha estava com 13 anos qdo trepei com ela, já tinha dado para um professor, meses antes. As gêmeas, tinham 10a. Primeiro foi a Léia, e doze dias depois, a Lílian. A caçula tinha sete, e eu a buscava na escola. Nas férias, ela ficava em casa, pq minha tia trabalhava fora. Ela me “ajudava”, e eu a recompensava com bitocas na boca. E assim a porta se abriu. Das bitocas aos amassos, foi um pulinho. Foram quatro meses de brincadeiras até consumar o ato. Foi numa sexta-feira, seis dias após ela ter completado oito. Sozinhos em casa, começamos as “nossas” brincadeiras, e assim tirei o cabacinho dela. De todas, com ela durou mais tempo, fou sexo direto até os 15a. Com as outras era esporadico.
    Meu sonho era fazer uma suruba elas, mas só consegui fazer com as gêmeas. Ainda brinco com elas, não como antes, mas qdo pinta um clima, matamos a saudades.

    • A

      Sortudo !

  • Responder Edilson

    Kamilinha qual seu email vc deve ser um tesãozinho né

  • Responder Kamilinha

    Telegram: @sanasbaby

    • Vani

      Fake…
      Não existe esse nick no Telegran

  • Responder Rafael Eros

    gostei muito

  • Responder Lua

    sei nao rick