#

Era para ser um simples café… mas acabou num delicoso boquete

2071 palavras | 4 |5.00
Por

Ola, já faz um tempo que estou fascinada na leitura dos contos aqui relatados. Muitos deles realmente me deixam em estado sublime de êxtase e excitação.

Em uma breve descrição sobre minha condição física: me chamo Mari, 49 anos, 1,68m, cabelos castanhos escuro e longos assim como os olhos. Faço Pilates, ando muito de bike e tenho uma alimentação bastante balanceada e saudável. Tudo isso me confere um corpo em plena forma e, modéstia a parte, uma pele linda e sedosa, levemente bronzeada e com as marquinhas típicas do biquini. Seios médios com bicos salientes quando estou com tesão ficam bem aparentes e uma buceta toda depiladinha.

Sou separada, mas tenho um parceiro com o qual compartilho vários contos e temos uma predileção por putarias de várias formas e tipos.
Ele um homem com seus 48 anos, charmoso, elegante, sério, mas por trás desses requisitos é um tarado, gostoso, pervertido e fode muito gostoso.

Mas hoje meu relato é sobre um homem de 35 anos moreno alto que conheci totalmente por acaso em minha cidade.

Estava passando pelo centro quando o vi pela primeira vez, atravessei uma ponte como era costume e percebi ao longe um movimento de alguns homens na calçada e, apesar de os demais direcionarem algum tipo de questionamento a ele, seu alvo passou a ser eu que, mesmo a uma certa distância conseguia uma visão mais aguçada sobre seu olhar e, digo logo, um tesão se apossou de mim quando ele fixou seus olhos no meu corpo o qual percorreu até meus olhos. Mas naquele momento fui discreta e passei e seguindo meu caminho sentindo aquele calor típico que o tesão provoca em uma mulher.

Devido aos compromissos que havia agendado e as compras já realizadas, voltei pelo mesmo caminho e de longe avistei aquele moreno que pareceu estar me aguardando, passei bem ao seu lado, olhei seus olhos bem de perto e senti aquela sensação incrível de tesão novamente só que ainda mais intensa. Respirei fundo seguindo adiante indo para casa.

Passados vários dias e, devido a necessidade de comprar algumas coisas, retornei ao centro da cidade e obviamente que lembrei daquele homem com olhar sedutor que me possuía inteira. Aproveitando a ocasião para passar pelo estabelecimento que ele trabalha e logo nos avistamos de longe. É claro que senti aquele tesão novamente e foi inevitável não passar pela sua frente o qual ele muito educadamente dirigiu um cumprimento genérico do qual retribui do mesmo modo educado. Sentindo aquele fogo entre as pernas, a buceta ficando molhadinha e os seios enrijecerem no ato.

Segui até o meu destino cumprindo com meus afazeres e retornei pelo mesmo caminho com a óbvia intenção de encontrá-lo novamente. Afinal aquela situação poderia gerar um algo mais.

Quando estava passando em frente ao estabelecimento em que ele trabalha, estava aquele homem alto e forte com um cartão na mão, se aproximando e indicando que caso precisasse dos serviços ofertados pelo estabelecimento, bastava ligar para o número indicado.

Correspondi ao seu sorriso e peguei o cartão agradecendo a oferta. Seguindo meu caminho posteriormente agora ainda mais maluca pois sua voz tinha me deixado ainda mais fogosa.

Depois de uns dias naquela apreensão entre ligar ou não para o número daquele homem forte, acabei cedendo a vontade e liguei solicitando falar com Tiago, nome que constava no cartão.

Sendo que o próprio foi quem atendeu, fez a lógica pergunta “o que deseja?”. Como minha imaginação é muito fértil, logo ocorreu de falar: “voce todinho”, mas me contive e fiz uma breve apresentação indicando que eu era a mulher ao qual ele tinha dado o cartão alguns dias antes. Pois o safado disse que já sabia quem era, pois, aquele cartão era novo e somente eu poderia ter ligado. Que havia aguardado ansioso pela ligação. Enquanto nos falávamos brevemente sentia minha bucetinha corresponder se contraindo de tesão.

Após algumas amenidades na nossa conversa ele já foi logo me convidando para um café próximo daquela região afim de conciliar o horário de saida do seu trabalho. Aceitei o convite de pronto e combinamos dia e horário.

CHEGOU O GRANDE DIA..

Chegando o dia combinado, me arrumei de forma diferente do habitual para os compromissos que tinha, coloquei um perfume bem gostoso, uma roupa própria para o compromisso porem mais sexy com uma calcinha minúscula, acentuando minhas curvas.

Quando cheguei seu primeiro comentário foi elogiando o aroma do perfume, indicando que perfumes com tendências adocicadas o excitavam.

Ele também se apresentou com um excelente perfume que logo ativou minha imaginação com as mais diversas situações e perversões em frações de segundos.

Aquela situação inusitada me deixava apreensiva, excitada, nervosa, mas não iria voltar atrás, mas o que me manteve centrada foi sua tranquilidade e educação.

Logo fomos atendidos e pedimos um café e iniciamos uma conversa amena sobre o dia-a-dia.

A conversa fluía muito mais da parte dele que da minha que com aquele perfume e proximidade já não conseguia mais raciocinar com minha buceta se contraindo e meu cuzinho “piscando” de vontade e, depois de alguns goles de café, não me contive e num ímpeto só o beijei, sendo por ele correspondida e, àquela altura já estava completamente insana querendo muito mais.

Foi então que após beijá-lo perguntei-lhe se gostaria de ir para uma local mais reservado como o seu carro.

Sua surpresa foi aparente, mas aceitou de imediato e, após pagar a conta nos dirigimos até o estacionamento e fomos para uma rua deserta que encontramos a fim de evitar gente próxima.

Chegando ao nosso destino depositei a bolsa no banco de trás e pedi que abaixasse o vidro do lado que eu sentava pois estava um pouco quente.

Tiago muito solicito indicou que havia um problema de mau contato e logo sobrepôs seu corpo por sobre o meu no intuito de alcançar o botão do vidro. Vidro entreaberto, ao voltar ao seu assento eu logo o beijei de forma ardente, um beijo de língua para sentir o quanto aquele macho poderia corresponder e fiquei ainda mais excitada pois foi um beijo gostoso, molhado e excitante onde nossas línguas se tocavam de forma profunda.

Ao se recostar no seu assento ainda permaneci grudada a sua boca quente e sua língua deliciosa e molhada, onde logo levei minha mão entre suas pernas com intuito de sentir aquele caralho e sentir seu tamanho. Nossa! Ele já estava a mil com o cacete duro como pedra e demonstrando sua vontade de me agarrar logo.

Quando parei de beijá-lo e olhei em seus olhos sem soltar aquele caralho gostoso, ele me pergunta: “Quer chupar?”.
Eu somente consegui dizer “sim” e logo fui soltando seu cinto, abrindo sua calça e logo um pau delicioso surgiu me deixando simplesmente maluca. Já não conseguia mais raciocinar e chupei aquele caralho bem gostoso, lambendo a cabeça e punhetando aquele pau com a mão, deixando-o ainda mais molhado e em seguida fui engolindo aquela tora todinha, fazendo uma “garganta profunda” do qual me especializei e, que me fazia sair lagrimas dos olhos mas era fabulosa aquela pica para não engolir tudo. Parando em alguns momentos passando só a língua naquele pauzão maravilhoso.

Ele gemia indicando que aquele momento, junto à sensação de ter seu cacete na minha boca estava sendo uma delícia. Segurava minha cabeça pelos cabelos que estava preso num “rabo de cavalo”, forçando que eu engolisse sua pica até a base entrando garganta adentro, deixando todo babado, e ainda batia uma punheta entre uma engolida e outra. Foram vários minutos e passei a perceber pelos seus gemidos que não demoraria a explodir um gozo com muita porra.

Não mais suportando ele enterrou o pau na minha boca, gemeu alto e gritou que iria gozar, gozou muito. Uma porra quente que encheu minha boca que até saia pelos cantos da boca pois não consegui engolir tudo.

Depois de me refazer ele me beijou novamente sentindo o gosto de sua própria porra em sua boca e se deliciou, passando a mão na minha buceta que já estava extremamente molhada, pois eu, que estava com uma legging, havia baixado para sentir sua mão, com seu dedo passeando dentro da buceta, de onde ele retirava e colocava na boca para sentir meu mel, comentando: “Nossa você é realmente muito mais deliciosa do que imaginava”. Me masturbando de forma intensa e forte.

Não conseguindo me conter, gemia descaradamente e para não gritar de tanto tesão ele pediu que mordesse seu braço.

Eu não consigo me conter, porque admito e gosto: sou uma puta escandalosa, uma vagabunda que adora uma putaria e aquele momento estava me deixando alucinada e, não mais suportando gozei muito. Foi um orgasmo incrível e o Tiago não se fez de rogado e logo caiu de boca na minha buceta. Foi maravilhoso sentir aquela língua passeando no meu clitóris e sugando meu mel todinho.

Infelizmente a posição não permitia mais, porem minha vontade era sentar na cara dele e deixa-lo me fazer ir a loucura e ter vários orgasmos me fazendo gozar alucinadamente.

Tiago, na posição que estava não se conteve e logo enfiou um dedo no meu cuzinho de puta dizendo: “voce tem jeito de que gosta de dar esse cuzinho, não é?”. Eu revirando os olhos consenti dizendo que adorava levar uma pica com força no cuzinho.

Em alguns momentos eu percebia que passavam algumas pessoas do lado de fora, mas como o carro possuía uma película muito escura, não permitia ter uma visão do que estava ocorrendo dentro do carro. Mas aquilo também me excitava. Pessoas comuns lá fora e eu com uma língua me sugando todinha e sentindo seu dedo abrindo meu cuzinho. Ele puxou minha blusinha para cima revelando meus seios durinhos e logo caiu de boca onde gritei pra ele: “morde meus seios de vadia, de vagabunda”. E ele assim o fez me deixando com mais vontade ainda.

Eu queria mesmo era empinar minha bunda e sentar naquele caralho e sentir deslizar inteiro dentro do meu cuzinho, cavalgar e sentir a força daquele macho me fazendo mulher, puta, vadia.

Com as pessoas passando assim como o tempo, vagarosamente ele foi diminuindo suas dedadas no meu cuzinho, me deu um outro beijo molhado e nos recostamos no assento do carro.

Ele esboçou vontade de continuar indicando querer meu cuzinho na sua pica majestosa, mas naquele momento eu me contive e consegui segurar a onda pois tenho um parceiro do qual compartilha das minhas loucuras e fantasias e que me apoia no limite de alguns pontos e, sendo assim iremos fazer um ménage junto com Tiago quando o momento for apropriado.

Conseguimos respirar, nos recompusemos colocando nossas roupas e logo saímos daquele local.

Fomos conversando e ele me deixou em um local próximo da nossa origem, mas não sem antes me dar um beijo longo e delicioso e questionando: “Vamos terminar o que foi começado?”.

E eu agora já mais centrada porem não totalmente saciada lhe respondi um “Talvez, quem sabe?”. Deixando no ar este próximo acontecimento. Desci do carro e provocativamente sai andando e rebolando minha bunda para ele que percebi que ficou tarando.

Estou louca para que este próximo encontro ocorra logo para poder descrever para vocês cada detalhe de uma putaria que eu adoro.

Estejam certos de que havendo uma boa visualização deste conto, este ménage que iremos fazer assim como diversas outras loucuras serão frutos de relatos que iremos registrar aqui para vocês se deliciarem.

Espero que tenham gostado e caso alguém de SC tenha interesse em iniciar uma conversa e quem sabe ate algo mais, deixem seu email para que possamos entrar em contato de forma privada.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 6 votos)

Por #

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Guilherme S.

    Eu tinha uma amizade colorida que era tão puta como você. Fizemos muitas loucuras em vários lugares, mas o q a puta mais gostava era a sensação de foder em local público, aquele risco de ser pego no flagra, isso deixava ela muito vadia e molhada. Foi com essa puta com quem eu tive as melhores e mais inesquecíveis fodas da minha vida, que eu lembro até hoje. Por isso que eu acredito q vc deve ser tão gostosa de foder como ela. Vc é uma puta safada vadia gostosa, sabe disso, e gosta, não é mesmo?

  • Responder OlhosAzuisBnu

    [email protected]

  • Responder Yare

    Conte mais com o seu marido ou até mesmo suas fodas mais antigas.

  • Responder Carlos

    Sou de SP, mas vou com frequência a SC, entre em contato

    [email protected]