# # #

Corrompendo Anjos. Estuprando minha mãe e conquistando Gael

2363 palavras | 5 |3.53
Por

Nesta parte conto sobre como transformei minha mãe em minha puta e como pedi Gael em namorico.

Leia o primeiro post pra entender. Vou contar da minha mãe e do meu filho-irmão e como arranquei as asinhas de Gael pra começar a transformação dele numa CDzinha.

Eu o vi saindo, passando a mão no melado do meu pré-gozo nas coxas grossinhas e na bundinha arrebitadinha e puxando a cuequinha que ficou enfiada no cuzinho. Ele ainda olhou pra trás e me fitou por 2x e sorria, dando uns pulinhos felizes como uma gazelinha bem cuidada. Entrou em uma casa azul há uns 100m da minha e era realmente meu vizinho. Fiquei perguntando que porra era aquela que eu nunca tinha visto aquele anjinho antes mas foda-se. Ví agora.

Gael tinha essa coisa de parar e te olhar nos olhos profundamente, como se estivesse investigando a alma com aqueles olhos azuis. Me peguei pensando no moleque e dei um tapa na minha cara. Tava xonando em um menino de 9 anos! Que porra era aquela, merda?

Fui pro canto cego da árvore e saquei minha rola que tava ardendo de tão dura e ficar presa na bermuda. Os calombos tavam inxados e fiz um movimento só pra começar a jorrar leite no pé da árvore! Pensei que ia nascer pé-de-pica e ri da minha besteira. Entrei e minha mãe logo veio saber pq eu parecia alegre e se eu tava ensinando o menino a ler. Tinha me visto com ele no colo, lendo alto o livro e brigou comigo, pra variar.

– Preto safado!!! Não vai se meter em besteira com aquele moleque. Ele era doente e só ficava em casa e começou a ir pra escola agora que sarou. Não tem amiguinhos e os outros zoam e mexem com ele. Eu vi ele encaixado no teu colo e sei que a pica do negão cresceu, mas não interrompi pq o menino não reclamou, tava todo felizinho e rebolando no “trono” e tava atento te ouvindo e relaxado ou teria te quebrado a cara na madeira! Trata aquele branquelo viadinho direito e não vai desgraçar tua vida de novo. Deve ser um viadinho pra ficar no colo de um preto que acabou de conhecer.. Família da porra a nossa, Afff sásenhora..

Minha mãe era uma negra muito gostosa. Tinha 30 anos, 1.60m, bunduda, coxuda, olhos castanhos, beiços largos e rosados e o cabelo black-power, mas tudo na medida certa, sem falta ou exagero, e não tinha mais contato comigo ou demonstração de carinho. Eu morria de tesão nela mas nem arriscava chegar perto, ainda mais depois do reformatório.

Ela saiu e foi ao banheiro tomar banho. Pensei: essa negrinha puta ficou é com ciúmes do filhão dela. Fiquei inspirado com a estória de me quebrar a cara na madeira. Cara de pau, cara de pau e foda-se. Ia voltar a curtir minha mãe e, quem sabe, voltar a ter intimidade com ela.

Arranquei minha roupa e entrei no banheiro pra ver aquela negrinha tomando banho de olhos fechados, batendo uma siririca. Abracei ela por trás e mandei continuar. Ela deu um berro do susto.
– Caralho, negro maldito!!! Sai dessa porra desse banheiro agora!!! Quem te mandou entrar aqui no meio do meu banho porra???
– Negrinha cheirosa! Continua que nem tô aqui! Vamos economizar água e deixa eu te cuidar, negrinha.. Chupei seu pescoço e a prendi contra a parede nos meus braços. Ela tentou me dar um tapa na cara, mas eu segurei sua mão e torci seu braço por trás das costas e segurei seu rosto contra a parede pelos cabelos.
– Aiiii porra! Vai quebrar o braço da tua mãe, preto sujo! Ainnn…
– Agora você é minha mãe, mas fez porra nenhuma contra o maldito padre mesmo sabendo que eu não tinha culpa. Ficou todo esse tempo sem me visitar uma única vez, sem me mandar roupa ou nada por 2 anos. DOIS ANOS!!! Me ignora desde que fiz 10 anos e nunca foi a reunião da escola, não foi em nenhum dos prêmios que eu recebi!! Você é só uma negra vagabunda que saiu dando no carnaval e pegou barriga por ser muito burra. Vai ser só mais uma puta negra de rua que é MINHA e se eu souber que vc tá fudendo com outro, te boto na rua sua vaca safada!…

Eu tava irado e com muito tesão e chutei seu pé pra ela abrir aquelas pernas e mostrar a bunda enquanto se contorcia. Dei um empurrão em sua cabeça que batetu contra a parede pra ela saber que eu estava falando sério e ela parou de gritar e começou a chorar.

Puxei seu quadril pra ela empinar aquele rabo preto delicioso e forcei a cabeça da minha rola grossa e inxada na bucetinha apertada dela. Ela abaixou a cabeça e se apoiou com as mãos na parede, se rendendo a mim e começou a falar baixo.

– Isso não é verdade… Snif… Snif… Você quer a verdade, eu vou te falar ela… Ainnn… Eu era virgem quando teu pai me enganou falando que só ia passar a cabecinha e me enfiou de uma vez e me rasgou. Eu não queria e nem sabia o que tava fazendo e ele me seduziu e me comeu e gozou dentro. Eu só transei uma vez com ele e fui expulsa de casa qdo viram que eu tava grávida de vc… Ain.. Humm… Você tá tão maior que teu pai… Hum… Eu me ressentia dele em vc por isso nunca consegui te dar amor de mãe… Snif.. Snif.. Eu sabia que ia ter que pagar pelo meu pecado com ele, mas o que eu fiz contigo foi muito pior.. O padre me ameaçou de expulsar da igreja se eu fosse te ver e eu não tinha ninguém mais na minha vida senão os da paróquia… Humm… Hummm.. Você saiu de cesária e eu só dei aquela vez… Ain… Ammm… Snif… Snif…
– Puta negra mentirosa!!! E o que é aquele monte de supositório anti-concepcional então, caralho? Berrei no ouvido dela! – Sempre foi uma puta mentirosa e tá inventando isso agora pra fugir da minha rola, mas tua corda acabou hj sua vagabunda!!!

Segurei seu quadril e dei uma estocada forte que a tirou do chão e entrou metade da minha rola de uma vez, até entrar o calombo do lado! Ela perdeu as forças e só berrou como uma vaca morrendo.

– AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII!!!! TÁAAAHHHH MEEEE RASGANDOOOOOOOOOOO!!!!!!!! FILHOOOOOOO DUMAAAAAAAAAAA PUTAAAAAAAAAAAA!!!!!

Vi escorrer sangue na hora e a vadia era mesmo muito apertada que parecia ser até cabaço. Meu cacete é em forma de cone e eu queria enfiar até o final e arregaçar aquela buceta. Segurei firme de novo e dei nova estocada, segurando ela no ar até sentir a buceta rasgar e abrir e grudar nos meus pelos .

– CARALHOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!! VOOUUUUU MORREERRRRRRRRRRRR!!!!!! TÁAAAA ME MATANDOOOOOOOOOOOOOOOOO!!! E caiu nos meus braços só chorando e rendida. Eu a segurei pelos peitos e besliquei forte seus mamilos e comecei a chupar seu pescoço e sua nuca, mantendo a penetração até seu útero que bateu na cabeça do meu pau. Estava feito!

Quando ela voltou, me olhou nos olhos chorando e ficou fitando eles… Ela suspirava e voltou sua força, mas ela empinou mais a bunda e apertou minha rola com a buceta. Eu nunca tinha notado, mas minha mãe sempre foi alegre com os outros e trazia luz ao ambiente.

Ela era uma anjinha também, com sua luz interna própria, que foi se apagando e sumindo conforme ela me olhava e modificava sua expressão pra tesão. Eu acabei de corromper aquela anjinha e me deu um sentimento de vingança bem sucedida! Olhei pro chão e ví muito sangue saindo dela e me deu tesão em destruir aquela mulher e comer ela bem forte pra ela nunca mais se esquecer!

– Aquilo não é anti-concepcional… Snif… Snif.. Anhêeeeee… Fiz tratamento de hormônio feminino por ter ficado doente e parei há 2 meses… Tô sem nada e você enfiou tudo na minha florzinha… Vc me arrombou, seu preto maldito… Ain… Hum… Hummm… Tô rasgada e teus calombo tá me deixando louca… Sh… Shhh.. Hum… Só não goza dentro que vô engravidar seu puto… Hum… Ainnn… Me fez de negra puta agora, safado roludo… Hum… Hummm… Shhh…

Puxei a rola pra fora cheia de sangue e enfiei de uma vez inteiro naquela buceta que eu tava rasgando.

– Toma puta!! Toma!! TOMA!! TOMA!!!! Vai ser desse banheiro minha puta e com um buraco na buceta, vagabunda!!! E meti muito, tirando até o final e enfiando até o fundo e socava aquele útero que me carregou um dia. Não tinha remorso, só tesão, e nem me lembrei que ela falou pra eu não gozar dentro.

Sentia meu saco cheio e pesado e continuei socando nela até enfiar até as bolas e segurar ela no ar!

– AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!! TOMA LEITE PRETA PUTAAAAAAAAAAAAAAAA!!!! E jorrei forte dentro dela, não deixando ela fazer nada, se mexer, só espetada no meu caralho!

– FILAAAAA DA PUTAAAAAAAAAAAA!!!! TÁAAAA ME ENXENDO DE PORRAAAAAAA!!!! Vai me engravidar seu desgraçado!!!!!! AINNNNNNNNNNNNNNN!!!!! E começou a gozar descontrolada no meu caralho!

Mantive ela erguida até sentir que enxi a piranha e sai do banheiro engatado naquela buceta arrombada e larga até o quarto! Joguei ela na cama comigo em cima e voltei a meter de novo naquela buceta gostosa até gozar de novo no fundo do seu útero!

– AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!! TESAOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!! Que caralho de buceta apertada!!!!!!!!!!!! Toma mais leite no útero, vadia vagabunda!!!!!!!! Desabei sobre ela e deixei o pau sair sozinho.

– AIÊEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE!!!!! TÁ GOZANDOOOOOO..DE.. NOVOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!! TÔ TODA FUDIDAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!! VOU GOZARRRRRRRR MAIS UMA VEZZZZZZZZZZZZZZZZZ!!!!! E senti seu corpo tremer e pular com uma faca enfiada no seu útero!!!

– Goza gostoso, negrinha puta… Gozaaaa forte… Agora em diante vc é minha vagabunda e vou te comer qdo quiser… Tu é meu déposito de porra e vai me ajudar a criar aquele viadinho pra ser uma menina putinha!!…

Sai de cima dela e olhei a buceta aberta babando minha porra. Me lavei e deixei ela lá e me senti meio culpado de ter fudido minha mãe, gozado dentro e tals mas foda-se!! A dívida tava paga! Saí, fui pro quintal, fumei um baseado, voltei pro quarto e ela tava na mesma posição. Soquei a rola de novo naquela mulher.

– Aiiiiiiihnnnnnnn… Tá machucando demais… AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH.. Negro puto tá me viciando nessa rola… Anhêeeeee…

Soquei até gozar de novo e sai do quarto mais uma vez. Voltei ao quarto mais 4x só pra encher ela de porra e sair, deixando aquele traste na mesma posição, com um buraco entre as pernas que ela chamava de buceta. Dessa vez, sem remorsos!

No começo da noite eu tava satisfeito. Minha mãe tava largada na cama e nem se mexia, ficando como eu a deixei. Do nada, senti uma puta engústia em me lembrar quando vi e senti a luz saindo de dentro dela e comecei a chorar como um moleque idiota!

PQP!!! O que eu tinha feito???? ESTUPREI MINHA PROGENITORA e gozei no útero que me trouxe ao mundo por 6x!!! Caralho! Que monstro eu tinha me tornado???? E se a puta pegasse filho meu? Ia nascer outro preto defeituoso??? Que porra eu fiz???

No que eu tô sentado na mesma árvore chorando, ouço uma vozinha doce:

– Oi Guel… Tá triste?… Por que tá chorando?… Era Gael!

Olhei para ele e só o peguei e coloquei no meu colo de frente pra mim. Coloquei suas pernas abertas do lado e o abracei como se minha vida dependesse daquilo e abracei sua cabecinha no meu peito, beijando seus cabelos e o afagando no meu peito.

– Tava com saudades.. Por que tá triste Guel?.. Fica não que tô aqui com vc tá?… Falou segurando meu rosto e socando aqueles olhinhos azuis nos meus. Do nada, me deu um selinho na boca e beijou minha cicatriz e se deitou no meu peito de novo.

Eu o abracei e desci a mão na sua bundinha, fazendo carinho naquele cuzinho gostoso, trazendo seu corpinho mais pra mim e passei a beijar aquele menino. Puxei seu cabelinho para trás e olhei em seus olhos atentos e meio assustados.

– Minha namoradinha voltou.. Saudades que o negão tava de vc, coisinha linda..
– Mas sou menino Guel.. Não dá pra ser tua namoradinha.. Mamãe não deixa e não sou menina.. Se eu fosse, ia querer namorar você mas não sou, poxa.. Fazendo biquinho e carinha triste.
– Não é menino não Gaelzinho.. É minha Gaelzinha.. Quer que eu te transforme na minha namoradinha ou vai deixar o teu negão chorar sozinho? Fala anjinho rosadinho que eu amo tanto, fala.. E beijei sua boquinha pela primeira vez..
– Não vou te deixar sozinho tá?.. Não vou deixar vc chorando.. Vai doer eu virar menina pra ficar com vc?… E colocou os olhos nos meus, fazendo meu choro parar e ver aquele rostinho inocente querendo me cuidar.
– Só um pouquinho anjinha.. Só um pouquinho.. Mas vou sempre te proteger e te cuidar okay?..
– Vc vai ficar comigo depois de eu virar menina ou vai me deixar como papai deixou mamãe Guel?..
– Nunca vou te deixar, anjinho.. Enquanto a gte estiver juntos, vou sempre te cuidar e ficar com vc okay?.. Fica calminha e para de tremer, Gaelzinha.. Xiii.. Deita e relaxa no peito do teu negão.. Xiii…

Ele relaxou e ele mesmo foi procurando com a bundinha sentir meu cacete e ficar se esfregando no meu corpo.

Pronto: tinha acabado de conquistar minha primeira namoradinha e arrancado as asinhas daquele anjinho!

(Continua)

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,53 de 19 votos)

Por # # #

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder A

    Foca no gael

  • Responder Jefin

    Caralho nem da pra ler tudo, você é um doente velho

  • Responder Sabrina

    Acho que pela forma que você escreve que sua sanidade mental tem danos irreparáveis.

    • Miguel

      “Acho que pela forma que você escreve que sua…” Quantos “que”! HAHAHAHAHAH! Nossa sanidade, Sabrina, nossa insanidade! Beijo

    • Giulianno

      Caralho que doente mano, vai se tratar fdp