# #

Transando com o colega de trabalho

606 palavras | 0 |2.71
Por

Em meus contos anteriores relatei o inicio da minha vida sexual com meu irmão e depois com minha irmã, mas o tempo passa e algumas coisas precisam ser resolvidas.

Depois de toda minhas descobertas na infância, minha e adolescência e vida adulta foram normais, nada de extraordinário até que arrumei uma namorada fixa deixando as peguetes de lado.
Paula, como a chamarei aqui, era mais velha que eu 3 anos e bastante fogosa. Nossos encontros sempre terminavam em sacanagem. Com o passar do tempo conheci um casal amigo de Paula, Bia e Pedro. Pedro era estudante de medicina e sua relação com Bia era um tanto estranha pois frequentemente nos convidavam para sair com eles, chegando a ser todo final de semana, e com isso a sacanagem com Paula acabou esfriando, mas não afetou tanto nosso relacionamento.
Pedro passou a frequentar minha casa e ficou amigo dos meus pais, e com isso a sua presença era sempre constante na minha casa.
O tempo passou e um determinado dia Pedro e Bia terminaram o namoro, e nesse dia Paula estava viajando, cabendo a mim ajudar o casal, mas como Bia não queria conversa fui conversar com Pedro, quando acabamos indo para a casa dele.
Ficamos conversando por várias horas e durante a conversa Pedro deixou claro em suas falas que era Gay e que se eu tentasse alguma coisa com ele certamente ele cederia. Mas como nessa época eu era hetero convícto deixei de lado.
O tempo passou, eu me casei com uma outra namorada e no meu serviço conheci um colega do trabalho, gay declarado, chamado Joaquim muito sorridente e simpático, que desde o primeiro dia não perdeu tempo em fazer suas investidas, se oferecendo pra chupar meu pau, pedindo pra eu comer sua bunda e coisas assim.
Em um determinado final de semana, estávamos fazendo manutenção nas máquinas da empresa, Joaquim fez todo o seu trabalho bem rápido e me ajudou com o meu, e com isso terminamos mais cedo o serviço. Mas ao finalizar minha parte, Joaquim olha pra mim e diz …”Hoje vou dar minha bunda pra você”. Falou e imediatamente abaixou sua calça e cueca e começou a exibir sua bunda, que era muito gostosa, lisinha e exalava um perfume maravilhoso. Enquanto eu me recuperava do susto e admirava aquela bunda, ele ja colocou a mão dentro da minha roupa e segurou meu pau, que deu sinal de vida de imediato …foi o suficiente. Joaquim tirou meu pau pra fora e começou a chupar bem gostoso. Passava a língua dos lados, na cabeça, engolia todo meu pau, chupava minhas bolas, e aquilo foi me deixando com muito tesão.
Quando ele percebeu que eu estava quase gozando, parou de me chupar e com muito carinho colocou uma camisinha no meu pau, virou e bem delicadamente foi encaixando o cu na cabeça do meu pau, que não é pequena, e com um pouco de dificuldade entrou. Ficamos parado pra ele se acostumar com o tamanho da cabeça e enquanto isso eu batia uma punheta bem devagar pra ele. Joaquim tinha o pau cumprido, uns 18 centímetros, mas era fino com a cabeça pequena. Acredito que se eu deixasse ele me comer naquele dia seria bem mais fácil do que foi pra ele.
Ficamos num vai e vem ritmado durante alguns minutos e não podíamos demorar porque estávamos na empresa, e logo gozamos juntos. Enchi a camisinha de porra enquanto Joaquim gozava no chão.
Foi uma transa relativamente rápida e doida, pois aconteceu de forma inesperada, mas foi muito boa e foi o melhor cu que eu já transei na minha vida.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,71 de 7 votos)

Por # #

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos