# # #

Lembranças de uma infância 5 Mudanças.

4727 palavras | 1 |3.38
Por

Este relato serei breve como tenho sido. Em outros contos contando o que realmente marcou minhas lembranças. E vamos a evoluções e mudanças em minha vida.

Vamos a continuação.
Meu quinto conto, não sou letrado como muitos aqui,se gostarem bem se não gostarem não estou nem preocupado.
Conto pode ser real ou não,fica a critério de vocês.
Meu nome e Leonardo sou de Brasília.
Não sou pedófilo,apesar de fatos aqui narrados , tenho filhos e família.

Em meu último conto .
Finalmente comi a primeira bucetinha.
E ganhei mais duas bucetas de presente.
Sem falar na Bibizinha.
Mas vamos em frente.
Minha rotina estava muito perto de acabar
Com seus dez a meses.
Comendo a Madrinha de minha irmã , sempre que ela podia me buscava e claro
Eu estava disponível.

Mas eu estava mesma era viciado em chupar aquela buceta linda.
Vermelha e cheirosa.
Mesmo ela lavando roupa, louca lá estava eu embaixo dela.
Chupando a Beth.
Nossa viciei naquela buceta.
Mas meu pai deu um duro golpe e todos nós.
Com minha irmã crescendo.
Meu pai alugou outra casa em outra cidade satélite.
Isto mudou toda minha rotina.
Resultado só fazia sexo quando Beth buscava eu e minha irmã.
Aí me fartava,quando não era Beth era a Debinha.
Maricy se fudeu literalmente.
Engravidou do primeiro frango que comeu sua buceta.
E começou a princípio morar na casa em que nois vivíamos.
Daí pra frente não comia mais ela.

Nisto meu pai em seus dois anos mudou de novo.
Minha vida sexual praticamente acabou.

Beth e família foi se embora pra Minas gerais.
Maricy pro Tocantins.

Ainda bem que eu era uma criança,e uma criança mais esperta apenas.
Rolaram algumas aventuras mas nada que me marca-se.
E um ano e meio depois outra mudança.
Vamos ao final de minha infância e início de puberdade e aburrecencia.

E meu Pai ganhou uma Casa em Samambaia.
E pra fomos.
Depois de seis anos .
Minha Mãe engravidou de novo.
E minha vida mudou de novo.

Em nosso novo lar.
A rua tinha crianças eu já ia com meus 13 anos.
E pra variar eu cuidava de minhas irmãs.
Uma já com seus sete anos e a que nasceu.
E como sempre eu era o garoto responsável,educado o sonho de consumo de todas Mães.
A casa sempre tinha meninas e meninos.

Meu pai de novo deu na doida e mudou nossa vida de novo.
Cismou de trocar a casa que era normal por uma de esquina.
Nisto montou uma negócio próprio.

Aí que veio novas experiências.

O casal que trocou as casas.
Tinha dois filhos.
Vanderley de uns nove anos Vanessa de sete.
E nisto Gente sempre juntos.

Se não na casa deles na nossa.
Terminou que eu era a babá de todos minha irmãzinha já com seus quatro meses.
E eu acordei de novo a ter todas as chances de novo.
Vanessa sempre em meu colo sentia meu pau em sua bunda,sempre mechia mais e mais.
E no caso veio a cereja,o irmão tinha tendências a ser uma menina.

Mas eu resolvi quebrar minha curiosidade comer o menino.
Na rua eu era o mais inocente , a ponto de ainda brincar de carrinho e todas brincadeiras de crianças que existiam na época e muito esperto e brigão os maiores que tentaram abusar de min tentando encoxar ou querendo passar o pau em minha bunda.
Sempre deu briga ou eu pegava o que tinha no chão e partia pra cima.
Pau , pedra o garrafa tacavá pra arrebentar,ou batia ou apanhava mas não deixava barato mesmo que apanhasse.

Beleza.
Nisto eu dei e sempre passar meu pau na bunda de Vander.
Já estava na puberdade.
Já tinha bigodinho e já nascia pelos pubianos e no saco.

Nisto Vander deixava eu fazer de quase tudo mas um dia agente brincando de esconde esconde
Ele veio se esconder junto comigo no mato e Vanessa veio junto.
Eu sempre era o último a ser achado.

E nisto eu coloquei ele de quatro com Vanessa na frente dele deitava no chão.
E a turma escondida e outro procurando.
E eu me coloquei atrás de Vander e fiquei roçando na bunda dele.
E nisto tirei meu pau.
Ele nem olhou ficou calado e coloquei por dentro do short dele e dei um jeito de puchar a cueca dele de ladinho.
E começei a encoxar ele.
E tentava acertar seu cuzinho.
E Vanessa olhava mas não entendia eu atrás do irmão dela.

Mas eu vi a turma a muito tempo atrás de nós e parei.
E saímos de mato dando a volta e no fim pegaram a Vanessa e o Vander ficamos salvos.
Nisto voltamos pra outro esconderijo.
Entre as casas que ainda não tinham muros.
E eu falei pra ele vêm comigo.
Ele veio.
E eu falei fica na minha frente encima desta pedra.
E fica de olho.
Me lembrei de quando fui encoxado.
E lá vai eu fica assim baixei um pouco seu shortinho e cueca.
E coloquei meu pau entre sua bundinha , começei a encochar ele.
E eu fechava suas pernas.
Pra apertar meu pau que ele ainda não tinha visto.
Eu falava vai sair melzinho e você vai sair todo melado.
Ele olhava meu pau por baixo dele saindo e voltando e já ficou com seu pau duro também,pois meu pau,passava em seus ovos e cuzinho.
E eu melava ele todo.

Ele perguntou por que seu pau e diferente.
Respondi que depois li conto mas
Fica assim e eu encoxando ele,ele gemendo baixinho e eu de olho e ouvidos atentos.
Senti que iria gozar e curvei ele um pouco e coloquei na portinha de seu cuzinho e , comecei a bater uma e gozei na portinha e eu já tirei e subi sua cuequinha ele ficou todo melado.

E falei baixa e abre a boca, ele ficou na minha frente eu falei limpa meu pau chupando vai.
Ele atendeu eu comecei a enfiar devagar não morde e coloquei meu pau em sua boca e falei engole meu pau e empurrei ele engasgou.
Ele fez que iria vomitar e não gostou .
Eu falei acostuma.
E eu já guardei meu pau e saí correndo deixei ele lá e fui me salvar.
Pra não dar na telha.
Ele saiu depois de uns quatro minutos e se salvou.
Só que a brincadeira parou nisto a Mãe deles chamou os dois.

No outro dia eu cheguei da escola fui pra casa tomei meu banho e fui estudar.
E a Mãe dele me chamou no portão,eu fui muito assustado com,medo de ter sido caguetado.
Ouviu merda me ferrei.

Ela pergunta se eu podia ficar com os dois filhos dela.
Minha irmã mais velha estudava a tarde.
E minha Mãe a tarde geralmente estava na mercearia.
Eu falei fala com minha Mãe ela está na loja que era separada da casa.
E lá foi ela.
Minha Mãe falou que tudo bem.
Leonardo pode ajudar.
Afinal ele está com a irmã.
Nisto ela volta trás os dois.

Eu fiquei brincando com as crianças.
E a minha irmã durmia e Vanessinha terminou durmindo.
Vander quase pega no sono.
Eu já cheguei junto virei ele de bruço e falei.
Agora fica assim que vou brincar com você.
Ele não sabia o que eu faria,eu levantei e fui na loja e vi minha Mãe com uma das vizinhas e fazendo crochet.
Voltei pra casa e puchei ele pra rede que tinha nos fundos da casa.
Coloquei ele de quatro na rede ele todo assustado.
Falei baixa o shortinho e a cueca igual fez ontem.
Ele não sabia o que eu faria.
Eu peguei olhei aquele bundinha branca aquele cuzinho rosa e dei lhe uma lambida.
E comecei a chupar seu cuzinho ele segurava pra não gemer.
Eu fui na cozinha peguei um pouco de manteiga e comecei a passar em seu anelzinho,e enfiei o dedo.
Ele engulir seco.
E eu começei a fazer o movimento e rodava o dedo dentro do cuzinho dele,e enfiei o segundo dedo e falei fica assim e fui na frente dele meu pau duro apontando pra cima aquela cabecinha.
E falei chupa ele relutou eu falei se você não chupar eu não te faço menina hoje.
Ele abriu a boca eu falei chupa igual a um pirulito.
Ele atendeu de pronto.
E eu comecei a tentar enfiar mais e mais.
Senti que iria gozar e tirei da boca dele ele todo babado..
E falei baixa coloca o rosto na rede e abre sua bundinha.
Ensinei a ele,vi aquele cuzinho rosa piscando e falei agora aguente que vai doer,mas aguenta que vou colocar devagar.
E começei a passar a cabeça de meu pirulito em seu anelzinho precioso.
E tentei empurrar ele fugiu pra frente.
Eu segurei ele de novo e coloquei no centro de novo.
E ele foi pra sair,eu falei se continuar eu vou parar e vou brincar com Vanessinha .
Ele já respondeu , não eu paro.
E falei segura a bundinha então.
Fui pincelando e começei a forçar ele segurava seu gemido.
E forcei meu pau bem melado junto com a margarina e entrou a cabeça de uma vez.
Ele gritou para,tira tá doendo.
Eu falei que doeria.
Nisto eu parei e tirei fiquei com medo de minha mãe ter ouvido.
E fui olhar ele saiu da rede.
Eu vi que minha Mãe já estava atendendo as pessoas.
E falei vêm cá encosta na parede anda.
Ele veio e eu falei coloca este pano na boca .
Agora abre a bundinha , vai doer mas vai parar de doer tá.
Ele ficou do jeito que eu queria em pé na parede,em silêncio e eu recomecei a tentar enfiar e fui cutucando seu anelzinho.
E eu falava vou entrar aguenta, que vai ser bom.
E fui sentindo a cabeça entrando o cuzinho dele dilatando e entrou de novo mas agora mais macio ele gemendo abafado.
E eu já empurrando quando senti a metade dentro esperei um pouco.
E fui movimentando pra frente pra traz bem devagar.
E de repente parei e empurrei de uma vez.
Todo pau ele pulou e saiu o aiiiiiiiiii,dói para, abafado pelo pano.
Eu nem na hora e entendi mas sei que comecei a estocar firme puxava até sentir a cabeça no anel por dentro e empurrava de novo.
Ele lacrimejava e eu empurrava.
Eu olhava e via a mancha do sangue já descendo em meu pau e mesmo assim eu empurrava ele apenas gemia.
Chega o momento de gozar eu empurrei mais forte e olhei vi saindo mel do pau dele ele gozou e eu vendo e sentido seu cuzinho mordendo meu pau gozei fundo no rabo dele.
E segurei lá dentro um pouco e puchei de uma vez ele deu uma gemida mais forte e se abaixou de còrcoras.
Meu pau saiu com sangue e cagado .
Eu virei peguei um pano que tirei de sua boca e fui limpar meu pau.
E terminei botando ele pra chupar meu pau ainda com gosto do cu dele.
E ele subiu o short dele. E fui pra dentro de casa e ele veio atrás.
Todo duro.
Sentou todo doído.
E no sofá ficou e eu no quarto.

Deitei ao lado da Vanessinha e começei a passar a mão em sua bundinha.
E senti ela em seu short de Lycra que está ela estava a sem a calcinha.

E eu coloquei o dedo no cós do shortinho dela e olhei ela estava sem a calcinha.
Eu olhei aquele bundinha branquinha.
E pensei o que vou fazer.

Me levantei e chamei o Vander.
Deita aqui na frente de sua irmã ele deitou.
E eu arrumei ela de ladinho.
E deitei atrás dela.
E começei a esfregar na bundinha dela.
Ela num sono pesado eu falei . Vou comer a sua irmã também.
Ele ficou calado.
E eu levantei e saí deixando os dois juntos

Fui pra banheiro lavar meu Pau.
Terminou que deixei kieto.

Mais tarde.
A mãe deles foi buscá-los Vander saiu ainda meio duro com as pregas doendo.
E eu já imaginando como faria com Vanessinha.
E no dia seguinte, cheguei corri pra casa deles.
E lá chegando a Mãe deles estava terminando o almoço e chamei Vanessinha perto do Banheiro com o Vander.
E falei Vander chupa meu Pau puchei a lateral de meu short pra cima e botei meu pau pra fora Vanessinha não tirou o olho.
E ele abaixo e começou a me chupar.

Eu deixei ele lambendo e chupando minhas bolas.
Peguei Vanessinha e coloquei a mão dela no meu pau e comecei a ensinar ela a bater punheta.
Ela achou estranho meu pau não tinha a pele da cabeça igual a do Vender.
Ela ainda sem jeito.
Foi puxando eu parei pois a Mãe deles estava perto mas já foi o início
Do que eu queria os dois calados , já podia confiar.
Que eles não contavam.
Voltando a Brincar eu claro.
Sempre dava um jeito de esfregar meu pau atrás dos dois.
O almoço saiu.
Eu fui pra, casa pois falei que já iria almoçar também.
Quando chegou no fim da tarde.
A Mulecada se juntou
Eu,já comandava a turma toda já começamos a brincar de , carniça, cai no poço polícia e ladrão e finalmente pique esconde.
Como sempre fizemos a contagem e já logo de cara deu o Vander pego.
E turma livre eu já corri e levei a Vanessa junto comigo.
Ela sempre usava um short de Lycra muito apertado sem calcinha..
E Vander já sabia onde era , mas ele foi em busca da outras turma.
E eu levei Vanessinha pro lugar entre as casas e novamente coloquei ela pra bater punheta.
E voltei a ensinar e falei meu pau era circuncidado,e era mais limpo e melhor e fui ensinando ela a bater a punheta,apertar meu pau e a usar o líquido que saia dele com a Mão pra ficar mais escorregadio na mão dela.
O que me fez pedir pra ela subir na pedra quando que tinha no local e ela subiu.
Mas eu fui olhar e lá vinha o Vander eu já catei ela pela mão e dei no Pinote.
Com ela e nos salvamos.

Na próxima partida, eu falei vamos pro mato
Na outra nois três livres.
Mas eu falei Vanessinha você está sem calcinha vai vestir uma calcinha .
E ela saiu com o Vander e falou pra turma que iria no banheiro e pediu licença.
E foi pra casa demorou um pouco pra voltar pois tinha de disfarsar pra não os pais não perceberem
Muito menos a turma.

E nisto eu levei o Vander pra uma obra mais longe e lá tentei já tentei comer ele de novo mas ele pediu pra não meter ainda estava machucado com as pregas machucadas e dois demais pra cagar imagina meter.
Eu apenas dei uma bela encoxada nele.

Saímos Vanessinha voltou levei os dois pro mato.
E lá tinha uma pista Pondé era mais baixo,e lá pedi pra Vanessinha Bater a punheta de novo me coloquei na frente dela em pé e ela começou a bater, Vander vigiava.
Eu falei Vanessa fica de costa e abaixei o shortinho dela e vi ela com uma calcinha bem colocada na bundinha e eu achei muito gostosinha,ela era a falsa magra com a bundinha grande perninhas grossas e baixei sua calcinha.
Vi seu cuzinho rosa como o do irmão,e a bundinha apesar da idade já era bem carnuda e grande , eu não fiz nada demais.
Me coloquei em pé atrás dela com a calcinha um pouco baixei abri minhas pernas me abaixei pra ficar da altura dela e comecei a encochar ela.
O Vander não sabia de vigiava ou olhava sua irmãzinha gemendo.
Eu muito excitado ainda não tinha gozado e esfregava meu pau,pra minha era mais difícil gozar por causa da cabeça era mais seca e não tinha a pele que a envolvia.

Mas eu já tinha encoxado o Vander e não tinha gozado.
Eu comecei a melar ela bem a gemendo mais forte e ela meter em estocadas e já está a apertando as pernas dela e sentia como se fosse dentro de uma bucetinha, bem molhada e quando senti que iria gozar coloquei bem no meio de sua bundinha e enchi sua bundinha e bucetinha de muita pohha,ela ali toda espohhada eu subi sua calcinha e falei não limpa fica assim até chegar em casa.

E pedi pro Vander limpar meu pau com a boca ele já veio e chupou meu pau todo babado da pohha e dela toda molhadinha.
E falei Vanessinha chupa também ela colocou o pau na cabeça quando ela colocou vi que alguém chegava e já nos. Já tirei e nos abaixamos fomos pegos os três mas ainda bem que ninguém viu.
E quando chegamos o Pai da Vanessa saiu e chamou eles.
Eu que merda.

Acabou por hoje.
Mas continuei com a Mulecada.
No outro dia minha Mãe tinha de sair e levaria minhas irmãs pro médico junto com meu Pai eu teria de ficar na Mercearia.
E eu lá de boa.
Tinha uma vizinha que ela tinha três filhas e um filho.

O caçula este , com seus sete anos.
Muleki chato,os mulekis nem davam idéia os dentes emcavalados pois não deixava , arrancar a voz fina e como a de uma menina ou melhor como se fosse um viado,eu já sabia que era igual o Vander queria ser menina.
Eu mala já que tinha uma lata cheia de bolinhas de gude,conhecidas também como bílocas e na frente da mercearia eu chamei ele dei um bubaloo.

E chamei pra fora pra gente brincar de bílocas.
Ele veio todo alegre, ninguém brincava com ele.
Ele eu não tenho bílocas , eu falei vamos fazer assim,eu te dou cinco bílocas se eu acertar os buracos e virar o Matão e ganhar você perde bílocas ,claro que limpei ele, ele ficou triste e eu falei quer mais?
Lê sim mas não tenho como pagar eu falei tem um jeito mas tem de ficar calado e não contar a ninguém ele tudo bem o que tenho de fazer eu falei logo e assim já viu eu e Vanessinha ele sim você vai sentar no meu colo igual a Vanessa.
E eu faço o mesmo,jogo e você pode escolher mais bílocas te dois dez das bílocas são , suas bílocas,ele escolheu as mais bonitas e o catoião a maior bolinha.

Ele todo animado,aceitou eu falei beleza cara a cada bílocas que eu ganhava eu falava uma 1,2,3,4,5 sentadas e saia contando.
E seguia pra dentro da mercearia atrás do balcão e ele sem saber de nada sentava no meu colo na primeira eu falei senta ele sentou e sentiu meu pau duro e se assustou eu falei é normal senta e ele sentou e eu levantei ele com as mãos e contava como fiz quando tecava a bíloca dele.
Ele aceitou .

E deu a conta e tirava ele do colo.
E saíamos de novo.

Ele não sabia jogar,eu de novo ganhei voltamos e a cada partida isto acontecia de novo.
Só que ele começou a gostar.
Eu falei quer fazer ficar melhor ele como a cada agora vamos fazer assim ele como?
A Mãe dele vendo eu brincando com ele achou ótimo fora as irmãs ninguém brincava com ele.
E olhava sem saber de nada.
E gritou vêm pra casa ele deixa eu brincar Mãe.
Ela falou para de atrapalhar o Leonardo.
Eu nada está de boa estou sozinho mesmo era cedo umas 9 da manhã.
Ela tá então brinca aí.

Eu fui lá ganhei de novo pra variar nesta eu dei uns cinquenta tecos.
Eu entrei pra traz do Balcão e falei você vai fazer algo diferente tá você me devi, cinquenta bílocas.
Ele tá bom,eu falei se contar pra alguém ninguém brinca com você.
Ele tá bom,eu promete ele prometo eu dei o dedo e fiz o trato quem passou por esta fase sabe que trato é trato.

Vêm a nova brincadeira .
Sentei no banco abri minha perna guiei ele ficou de frente comigo e tirei meu pau.
Ele não tinha visto ainda meu pau,mas já tinha visto de outros mulekis e o dele .
Achou o meu diferente tinha a cicatriz da circuncisão e não tinha pele que envolvia.

Mas babava todo e peguei sua mão suja ainda de terra e coloquei no meu pau que já estava duraço.
Eu fexa a mão e ensinei ele bater a punheta e comecei a contar cada pichada que ele dava.
E peguei a mão dele dei uma cuspida nela, ele ficou com nojinho e coloquei no meu pau de novo e ele subia e descia mãozinha.
Até que deu as 50 .
E voltamos prós buracos.
Eu ensinava ele a jogar fazer os buracos mas teria de pagar um preço pra aprender.
E ele de quatro eu olhava em seu shortinho,marcava sua cuequinha no short apertado tipo aqueles shorts feito de uma calça social bege.
Cia aquela cuequinha antiga a da janelinha do passarinho onde saia as duas janelinhas da cuequinha.
Ele tá bom,mas claro eu sempre dava um jeito de ganhar dele.
Numa ele chegou no quarto buraco e eu virei o jogo de dei uns 100 tecos.
Eu já iria com cobrar dele a Mãe dele chamou ele e saiu correndo.
Eu que merda , mas ele ficou me devendo.

Ali fechou minha sacanagemzinha.
Fui no banheiro e bati uma pra gozar pois doeu até meus ovos de tanta pohha que veio na punheta era pra ele tirar.
E claro fiquei puto.

E a tarde a rotina de sempre.
Fui de novo pra casa de Vander e Vanessinha.
Cheguei la sò estava o Pai deles e a Vanessinha a Mãe tinha saído pra comprar um tênis pro Vander.
O pai deitado e eu fui brincar com Vanessa.
E quando meu pai reformou a casa mudou a forma os quartos ficava isolados da sala ninguém via da sala pros quartos e Vice e versa.
Eu deitava a Vanessa e ficava encima dela de bruço esfregando meu pau em sua bunda.
Sentava ficava esfregando meu pau na sua bundinha.
Nisto ela com o shortinho vermelho e vi que ela estava toda meladinha já está a se molhando que lindo.
Ficava aquela mancha na rachada certinho.
Eu passava a mão e ficava masturbando ela por cima do shortinho dela.
Ela ta fazendo cócegas na minha pepekinha diferente.
Já estáva com uns seis minutos.
Eu forçava meu dedo na raxinha dela.

Eu sabia o que fazia.
E derrepente ela travou e vi ela ficando dura.
E e vi que ela iria gozar,eu já coloquei a mão esquerda na boca dela pois ela iria gritar ou gemer mais alto.
E continuei com a mão direita masturbando ela.
Dito e feito ela gozou endureceu a bunda eu sentia ela contraindo a bunda ficando dura.
Primeira vez que ela gozou.

Quando olhei eu falei fudeu ela com a mancha no shortinho dela vermelho.
Eu não sabia o que fazer o pai iria ver.
Pensei vai dar merda.
E falei mais alto vish Vanessa você se mijou.
O pai dela o que foi lá do quarto eu Seu João ela se mijou,o infeliz era preguiça pura gritou vai tomar banho Vanessa e Hugo vai pra casa anda.
Eu fui saindo e chamei ela corre pro banheiro nem tira o short toma banho com short e tudo.
E dei no Pinote de novo sem gozar.
Pohha pensei hoje não é meu dia.
Lá vai eu bater uma de novo.

Quando deu umas quatro horas eu estava cuidando de minha irmãzinha.
Minha mãe na Mercearia.
Chega a Vanessa e o Vander com seu Tennis novo pra me mostrar.
Eles entraram.
Eu entreguei minha irmã pro Vander e falei cuida dela e puchei Vanessa pro banheiro.
Já coloquei ela no vaso em pé.
Abaixei seu short e coloquei a calcinha
de lado este short era preto.
Abaixei meti minha cara naquela bundinha comecei a chupar Vanessa dei logo a primeira linguada em seu cuzinho.
Ela deu um grito e puchou pra frente.
Vander se assustou e veio ver o que estáva acontecendo.
E lá estava eu com a cara socada na bunda dela chupando o cuzinho dela.
E ele vendo travou e eu percebi vai ficar no sofá e cuidar da minha irmã anda Jajá e sua vez.
E voltei a socar minha cara na bundinha da Vanessinha.
E novamente ela gozou.
Eu sentindo seus espasmos me levantei , levei ela na sala e no sofá mesmo virei o Vander de costas no sofá.
E baixei seus short e cueca meu pau babando de melado.
Vanessinha ainda não tinha visto uma penetração anal eu nem chupei o Vander.
Sou passei meu pau,do o líquido lubrificante.
Soquei meu pau de uma vez.
Ele deu o grito para tá doendo,para devagar e enfiava a mão tentando me empurrar.
Eu já seco já tinha me ferrado duas vezes .
Vanessa já assustada e eu metis forte Vander começou a chorar e eu a próxima e você Vanessinha.
E eu metendo que estalava meu corpo na sua bundinha dele.
Vanessa já pedia pra min parar.
E eu olhava pra ela aqueles olhinhos azuis me olhando.
Eu não aguentei, Vander chorando no pau, Vanessinha com minha irmã os três já chorando.
Eu comecei a gozar dentro do cu do Vander.
Eu levantei falei Vanessa abre a boca anda.
Ela abriu eu falei senti o gosto de seu irmão.
Pau todo melado de pohha a aquele gosto de cu enfiei na boca dela e mandei ela lamber.
Ela inclinada o Vander parado na mesma posição se recompondo,eu não tinha reparado ainda ele gozou de novo tava com a cueca toda melada.
Tirei minha irmã botei no carrinho dela e mandei Vanessa chupar sentir o gosto do irmão.
E ela começou a chupar fez menção de vômito umas três vezes eu parei meu pau subiu de novo.
Vander ainda a mesma posição eu peguei soquei meu pau de novo no rabo dele.
Ele gemeu e comecei de novo o vai e vem.
Ele começou a gemer já estava mais dilatado.
Eu falei Vanessa fica aqui do lado abaxa o short EA calcinha vai.
Ela abaixou, eu tirei meu pau do cu dele novo e comecei a encoxar Vanessa de novo.
E sentido que iria gozar.
Alinhei meu pau no cuzinho dela e comecei o vai e vem sem penetrar.
E comecei a gozar na porta do cuzinho dela de novo.
Subi sua calcinha e short deixei ela meladinha de porra de novo.
E levantei o Vander e mandei ele se vestir de novo.
Dei lhe um beijo na boca e outro na Vanessinha.
E falei que em breve a Vanessinha seria a próxima.
E que eu amava os dois Demais
Fiquei como se nada tivesse acontecido.

Aqui fecho a fase infância. No próximo conto já vem com Outro título lembranças de uma aborrecente e juventude predadora.
Obrigado pela atenção.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,38 de 24 votos)

Por # # #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Anônimo

    eu nao ia comentar mas,no fundo torcia pra voce colocar suas irmas no jogo