# #

O dia que transei com o meu enteado

1233 palavras | 0 |3.27
Por

Olá leitores eu voltei e desta vez vou conta um acontecimento uma transa bem gostoso com o meu enteado, e foi maravilhoso.

Bom como vocês viram eu estou namorado um homem maravilhoso nos conhecermos no shopping e assim começou um romance ele se chamar Evandro, ele tem 38 anos, magro, olhos castanhos, lábios carnudos, tem uma tatuagem no braço esquerdo, Evandro tem um casal a filha que se chama Flávia de 22 anos e o mais novo o Júnior ele tem 16 anos, olhos claros, magro, cabelo liso bem baixinho, uma pinta na bochecha esquerda.

Evandro é viúvo e sozinho cuidou dos filhos foi difícil eles aceitarem o nosso namoro mais a Flávia está sendo difícil pois ela não aceita o pai gay, tudo bem não me sentir ofendido pois nos dias de hoje tudo gera preconceito mais o Júnior aceitou numa boa e nos damos super bem, em um belo dia de sábado Evandro liga para mim.
– Oi amor tudo bem?
– tudo meu amor.
– então será que tem problema do Júnior ficar aí com você?
– Ah não nenhuma, pode mandar ele pra cá.
– é que quero que ele fique aí um pouquinho.
Mais nesse momento ouvir gritos da Flávia brigando com Júnior foi aí que percebe que a coisa é sério.
– tá acontecendo alguma coisa aí amor?
– não tá de boa amor, vou mandar ele aí beleza?
– beleza amor.
Fiquei preocupado pois a voz da Flávia estava alterada e acho que a coisa tava feia na casa do Evandro, decidir arruma a casa e espera o meu enteado.

Duas horas depois ouço a campainha da porta toca fui até lá e vir que Júnior tinha chegado pedir para que entrasse e ficasse a vontade Júnior já foi logo se instalado e perguntei o que tinha acontecido, ele começou a desabafa dizendo que sua irmã jamais iria aceita o nosso namoro ( geralmente são os filhos que não aceita, mais neste caso é a filha que não aceita, mundo complicado né), pedir para ele não se preocupar que tudo irá se resolver fui na cozinha e comecei a preparar o almoço, a tarde eu adoro pega um bronzeado no meu quintal só de calcinha para deixar a marca para o Evandro pois ele adora eu fui até o meu quarto e vesti a minha calcinha me cobrir com a toalha e falei para o Júnior.
– Júnior ficar a vontade tá.
– tá bom
– vou no quintal pega um bronzeado, espero que você não se importa.
– não pode ficar a vontade a casa é sua.
Fui até o quintal e deixei o Júnior assistindo tv.

Fiquei no quintal pegando um bronzeado com a bunda pra cima e sentir que alguém estava me olhando, levantei a cabeça olhei para o muro e não era o filho do vizinho como não vir nada fiquei de boa pegando o meu bronzeado, mais minutos depois eu viro o meu rosto para a porta do quintal e vir aquela cena maravilhoso o meu enteado mexendo na sua rola admirando a minha bundona, quando Júnior me viu ele saiu rápido como um foguete indo em direção a sala aquilo mexeu comigo e foi então que decidi que eu iria dar um maior prazer sexual que jamais ele iria esquecer, levantei do chão tirei a minha calcinha e me enrolei com a toalha fui em direção a sala, chegando lá vir que Júnior estava de Paula duro então comecei a puxar um assunto.
– oh Júnior você quer assistir um filme que eu comprei ontem.
– sim quero, qual é o filme?
– Alita anjos de combate.
Júnior se empolgou e disse que queria muito assistir esse filme, eu abaixei e foi quando ele viu que eu estava nu e para provoca ele deu aquela formosa piscada de cu acho que nesse momento Júnior enlouqueceu, eu agachei mais e mais e com isso meu cu ficou aberto e mais uma vez meu cu piscou para ele, então eu chamei.
– Júnior venha aqui e me ajudar.
Júnior se levanta e chega atrás de mim foi quando sentir sua rola muito grande aaaah meu cu piscou mais ainda enlouquecendo mais aquele jovem, eu coloquei a minha mão para trás e sentir aquela rola grande eu logo deixei a toalha cair e foi então que Júnior viu o quanto eu estava morrendo de tesão.
– eu vir seu safado, você olhando para minha bunda.
– é que sua bunda é tão gostosa.
– tá afim de comer?
– e o meu pai?
– relaxa, vai ser o nosso segredinho.
– tá bom então.
Comecei a chupar sua rola deliciosa sentir ele atolado dentro da minha garganta e Júnior empurrava a minha cabeça fazendo me engasga com a sua rola deliciosa, minutos depois Júnior se deitou no chão e fizermos um 69 maravilhoso ele chupava a minha rola e eu a dele, minutos depois de uma deliciosa 69 eu já não aguentava mais pois já queria logo sentir a sua rola dentro do meu cu, fiquei de 4 e disse.
– vem logo me comer caralho.
Júnior veio por trás de mim e viu que meu cu piscava sem parar e foi então que sentir a rola do meu enteado entra todinho dentro de mim.

Júnior socava e socava com tudo aquela rola deliciosa em mim, batia na minha bunda, puxava os meus cabelos e com a outra mão ele brincava com as minhas bolas, socava e socava fazendo me de puta, tapas na minhas bunda foram dadas em mim deixando meu pai duro como pedra, eu levantei e fiz ele senta no sofá e fui chegando nele de costas abri bem a minha bunda e sentei com tudo Júnior começou a gemer e grita de tesão, foi aí que comecei a pula como uma puta e com a sua mão fiz ele bate uma punheta na minha piroca minha bunda batia nas suas coxas fazendo aquele barulho bem delicioso que eu adoro, quando mais eu ouvia mais eu acelerava e os gemidos do Júnior aumentava mais e mais deixando o meu cu bem aberto todo esfolado aquele garoto comia bem gostoso, tapas, mordidas e puxões de cabelos adoro um sexo selvagem bem gostoso, eu pulei e pulei na pica o melhor é que ele me satisfazia também batendo uma punheta bem gostoso até que eu gozei jorrando porra pra todo lado, então eu fiz uma coisa que os homens enlouquece tranquei meu cu e pulei na hora Júnior endoidou e em questão de minutos meu enteado jorra seu leite precioso dentro do meu cu, que transa sensacional esse garoto está na lista número um das minhas melhores fodas.

Horas depois nos recuperamos e prometemos que ninguém iria sabe sobre isso e ele jurou que será o nosso segredo, e mais tarde nós dois transamos de novo e foi então que ele me confessou que tem vontade de transar com a sua irmã e comigo juntos, e uma outra é com a sua tia Joana ( nossa ele é bem pervertido), não sei se rolar isso KKK.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,27 de 37 votos)

Por # #

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos