# #

Papai e titio revezaram minha xaninha

1305 palavras | 3 |4.21
Por

Papai havia viajado por conta do trabalho, por isso mandava eu tirar foto da minha buceta e do meu rabinho pra ele quase todo dia. Ele também mandava eu dar pros machos e mandar foto da minha bucetinha com porra pra ele se masturbar. Durante 15 dias foram assim e ele combinou de chegar em casa quando a mamãe não tivesse, para matar a saudade. Fiquei ansiosa esperando o dia da sua volta e o recebi contente – Que saudade, papai – O abracei e ele se agarrou em meu corpinho – Você se comportou? – O safado já foi passando as mãos na minha bunda – Uhum – Respondi sentindo sua língua deslizar em meu pescoço – Você trouxe presente – Perguntei baixinho – Trouxe e trouxe dinheiro também – Falou puxando meu vestidinho pra cima. Eu já sabia o que tinha que fazer pra ganhar agrados do papai e logo levantei os braços pra cima. Então ele tirou meu vestido e sentou na beira da cama. Fiquei paradinha em sua frente – Que corpinho lindo, você está cada dia mais gostosa – Apertou minha cintura – É verdade? – Perguntei safadinha e ele chupou os biquinhos do meu peito – Claro filhinha…por isso que você tem que dar essa bucetinha, isso que te deixa gostosa – Lambeu minha barriguinha – Tá bom, pode comer ela – Falei com meu corpinho arrepiado e ele logo me jogou na cama. Abri as perninhas e comecei a gemer enquanto papai chupava meu grelinho. Eu sabia que ia levar muita pirocada, ele voltava louco pra fuder, toda vez que viaja. Por isso lambia bastante minha xaninha pra deixar ela prontinha pra aguentar – Alguém fudeu essa bucetinha enquanto eu não tava? – Perguntou dedando meu buraquinho – Ahh, o titio… – Arreganhei mais as perninhas – E quem mais? – Chupou meu grelinho e gritei de tesão – Seu amigo papai… Ele fudeu meu cuzinho também – Falei me contorcendo. Papai ficava louco ao ouvir e devorava minha xaninha ainda mais, ele cuspia e deixava ela escorrendo. Ele segurou minhas coxas e me virou de ladinho. Segurei minha bundinha aberta e fiquei gemendo enquanto ele metia a lingua no meu cuzinho – Ahhh papai, que gostoso – Quase chorei de tesão. Tava molinha na boca no meu pai. Depois de me deixar toda gozada, ele subiu no meu corpinho e começou a mamar minhas tetinhas. Aquele velho não cansava, mamava forte, parecia que ia arrancar meus peitinhos – Mexe na minha rola – Mandou e cuspi na minha mão e comecei a massagear aquele caralho grosso, cheio de leite – Punheta pro papai, que você vai ganhar dinheirinho – Falava safado e eu mexia gostoso naquela rola. Papai ajoelhou entre minhas perninhas e encaixou aquela vara quente no meio da minha rachinha e socou de uma vez. Dei um grito quando senti encostar no meu útero. Ele tirou e socou de novo – Ahhhh papai – Eu apertava os lençóis – Bucetinha de puta – Apoiou as mãos em meus peitos e ficou esmagando os dois enquanto me fodia. O safado gemia e parecia um tarado em cima de mim. Minha xaninha tava escorrendo e meu buraquinho engolia aquela piroca toda – Putinha do papai – Bateu no meu rosto – Dá essa bucetinha já que sua mãe não dá – Bateu do outro lado. Isso me deixava louquinha. Papai me girou por cima dele e comecei a pular naquela vara grande – Arromba minha bucetinha papai, eu quero leitinho na bucetinha – Eu pedia desesperada e meu pai delirava me dando tapas nas coxas. O tarado me virou de quatro e montou no meu corpo e tive que aguentar ele regassar minha entradinha. Ele fodia com tanta força que eu gritava, minha buceta apanhou daquela vara até gozar. E quando me deixou fraca, logo meteu no meu cu. Papai adorava meter na minha bundinha e como uma boa filha, fiquei empinadinha dando o cu pra ele comer, aquelas bolas batiam forte em mim em cada socada. Meu anelzinho também ficou ardido e papai logo encheu ele de porra. Fiquei largadinha na cama e papai encheu minhas costas de beijos. Depois o safado caiu ofegante do meu lado e dormimos cansados. Nem sei quanto tempo se passou, mas acordei sentindo uma mão na minha xaninha e outra no meu peitinho – Seu pai nem me esperou? Me chamou pra brincar e já te comeu? – Era meu tio, ele começou a meter a língua na minha boquinha e me puxou pra cima dele – Minha bucetinha tá ardendo tio, o papai já fudeu – Falei dengosa e ele tirou a rola pra fora do short – Deixa o tio, fazer carinho nela – Sussurrou esfregando a cabeça da pica no meu grelo – Ahh tio – Apoiei as mãos em seu peitoral e meu pai acordou com meus gemidos – Você fudeu nossa bebezinha sem mim? – Titio perguntou -Nao resisti… – Papai respondeu – Pega um lubrificante, você deixou a putinha de xaninha ardendo – Falou safado. Papai trouxe o gelzinho e titio comecou a esfregar ele na minha xotinha inchada. Deitei de barriga pra cima e cada um mamou um peitinho. Enquanto eu punhetava as duas pirocas. Minhas perninhas estavam arreganhadas e um dedava meu cuzinho e o outro minha xaninha. Os dois ajoelharam perto do meu rosto e começaram a enfiar piroca na minha boca. Eu mamava cada uma e os tarados tentavam enfiar as duas de uma vez na minha boca. Chupei tanto que eles quase gozaram – Isso, boa menina – Titio me puxou pelo cabelo – Vem na vara do tio, vem… – Me sentou no seu colinho e comecei e rebolar a buceta melada na rola dele – Hummm – Sentei gostoso e fiquei sentindo aquele caralho pulsar dentro de mim. Papai veio por trás e começou a enfiar junto – Ahhh papai assim não – Choraminguei quando ele forçou a rola junto com a do meu tio – Calma princesinha, vai caber, só relaxa essa bucetinha – Papai enfiou dois dedos no meu cu e enquanto meu tio mamava meus peitinhos continharam forçando duas rolas no mesmo buraco. Tavam rasgando minha xaninha. Ardia mas também era gostoso. Eles deixavam minha cinturinha firme e faziam movimentos juntos. Revirava os olhos sentindo as duas picas roçando dentro de mim – Brincaram muito no meu buraquinho e depois trocamos de lugar. Sentei com a xana na rola do meu pai e ele abriu minha bundinha pro meu tio fuder. Ai que gangbang gostoso. Adorava tomar no cu e na buceta ao mesmo tempo. Eu gritava igual uma cadelinha. E eles ficavam revezando meus buraquinhos. Depois de um tempo me jogaram de ladinho e levantaram minha perna e cada um socava de um lado. Levava tanta pirocada no fundo da buceta e ao mesmo tempo no fundo do cuzinho, que já nem tinha nem forças. Virava meu rosto pra um e beijava depois o outro puxava meu queixo e me beijava também. Acabei essa foda com minha xana derramando porra do meu pai e o cuzinho porra do meu tio. Eles gozaram muito e me deixaram jogada na cama. Nem sei como meu corpinho pequeno aguentava esses machos famintos, só sei que adorava abrir as pernas pra satisfazer os machos da minha família. Eles fugiram do meu quarto as pressas quando ouviram barulho de alguém chegando e fui tomar banho com meu corpinho dolorido. O dia inteiro eu fiquei de calcinha suja porque a cada passo que eu dava, escorria mais porra desses velhos.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,21 de 39 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Betejaja ID:7xcdrlid9di

    Amei essa história. Fiquei super excitada

  • Responder Novinha ID:r7bi849kl

    Deveria ter engravidado essa putinha

  • Responder MAX ID:6su1t9kb0k4

    engravida logo essa putinha