# #

Estuprado por dois caipiras picudos

1504 palavras | 6 |4.03

O fato é verídico e aconteceu em 2005, quando eu tinha 13 anos, e fui passar um final de semana, no sítio onde meus avos moravam,numa região rural no interior do Rio.
No sábado , pela manhã, após o café, sem ter o q fazer, pedi meu avô, q deixasse eu dar uma caminhada pela região. Como não havia nenhum perigo, ali naquele fim de mundo, ele permitiu.
Calcei um tênis, vesti um short e como o calor era intenso, saí sem camisa, coisa q nunca tinha feito antes, pois eu tinha vergonha, além da bunda carnuda e volumosa, meus mamilos eram empedrados, duros e pontudos. Ali longe dos colegas e conhecidos, me encoragei a expor meu corpo muito branco e liso, ao sol.
Por meia hora subi o morro,pelo caminho extreito de terra batida e muitas pedras. Além de alguns sítios, só se via muito mato por todo lado. Logo me deu sede, e vi um córrego, dentro de um sítio. Subindo um pouco mais, vi dois homens, capinando dentro de um Bananal.
Ao me ver, um deles se aproximou da cerca, e me olhando com interesse, sorriu de forma simpática, e perguntou:
— o q um garotão lindo como vc tá fazendo perdido por essas bandas?

Sorri, envaidecido e aproveitei pra pedir água.
Ele me mostrou a porteira e me mandou entrar. Enquanto desciamos até o córrego, o coroa 50tao, tinha os olhos fixos nas minhas tetas, extranhamente, não me senti envergonhado.
Depois de beber água , o coroa me levou até um poço, feito com a água represada do riacho de água fria e limpinha. Depois de entrar na água, q batia na altura de sua cintura, ele me chamou pra me refrescar.
Sem pensar duas vezes, entrei na água, ele então, me puxou pela mão e me levou pra parte mais funda.sem saber nadar e com água no pescoço, me apoiei no pescoço dele, q aproveitou pra tocar no meu mamilo e roçar a pica dura na minha bunda.
— nossa, Garoto… Q bundinha macia e peitinho duro igual uma menininha!

Com o coração disparado, temoroso, tentei em vão me desvencilhar.
— me larga, deixa eu ir embora!

— calma aí,porra… Só quero brincar pouquinho!

Sua mão ,já dentro do meu short, catucando meu cuzinho com os dedos ágeis.

— o seu amigo pode ver a gente!— disse, já sentindo o dedo dentro do meu buraquinho

— fica tranquilo, ele tá trabalhando lá no Bananal!

Eu estava na ponta dos pés, com o corpo leve e indefeso.logo ele desceu meu short e senti, seu pau duro no meu reguinho.
Eu já tinha sentido aquela sensação antes , pois meu primo já tinha brincado algumas vzs na minha bundinha, e seu pinto fino já tinha penetrado meu cuzinho.
— vamos ali pro barracão— ele disse , já me puxando pelo braço.

Era um barraco grande, q servia pra estocar frutas e legumes, produzidos no sitio.
Assim q fechou a porta, o coroa me abraçou e começou a chupar meu mamilo duro e dolorido, ao mesmo tempo pegou minha mão e colocou sobre seu pau.
Era pouco maior e mais grosso q o pinto do meu primo.
Enquanto eu o punhetava, o coroa, metia o dedo no meu cu e chupava meu peitinho.
— chupa meu pau— ordenou, empurrando minha cabeça contra a pica.

Meu primo tbm já tinha me dado a pica pra mamar, e sabia bem como fazer.

— tu gosta né safadinho? Isso mama gostoso!

–ja deu esse cuzinho?

Sem tirar a pica da boca, menti, balançando a cabeça negativamente.

—- beleza, então vou tirar seu cabacinho!

Logo pegou uma lona e forrando o chão, ordenou:
— fica de quatro!.

Obedeci, olhando pra trás e vendo ele pegar um pote de vaselina, num pequeno armário de ferramentas.
Depois de untar a pica e meu cu, se ajoelhou atrás de mim, e pincelando a cabeça na portinha, avisou:
— relaxa pra não doer!

Sabia bem o q viria pela frente. Abri o cu com as duas mãos, e pedi:
— mete devagar!

A cabeça, entrou suave , queimando minha rosquinha.
— aaiiiii… hummmm…iiisssss

— gostou né safado?… Delícia de cuzinho chupeta empina mais essa bundinha.

Obedeci, sentindo meu cu abrindo a cada estocada. Logo o sacão do velho, estalava na minha bunda, a cada bombada.
Logo fui envolvido por um prazer imenso. Com a cabeça apoiada na lona, me peguei gemendo baixinho, com os olhos fechados, rebolando a bunda.
Foi nesse momento, q a porta se abriu, e o outro entrou de pau na mão.
—porra Juarez, tu é foda hein, nem me esperou!

Era seu amigo,um negro 40tao, forte, muito feio e desdentado. Estava todo suado e seu picão preto era enorme, grossão e cabeçudo.
Com o susto tentei sair de baixo , mas fui segurado firme pela cintura, com a pica cravada até o talo.
— calma mulek, ninguém vai te machucar, a gente só quer fuder esse cuzinho— disse o negão sentando a minha frente.
Enquanto alisava meu rosto, pediu:
— da um beijinho na minha rola!

Minha mão não se fechava em torno do tarugão preto e quase desloquei o maxilar pra abocanhar a chapeletona babada, q fedia a sebo, mijo e suor.
Enquanto eu chupava e tomava no cu, o negão apressou o amigo.
— goza logo Juarez to loco pra fuder essa bundinha linda!

— ele é muito apertadinho rubem, não vai guentar sua pica!

— vai sim , né mozinho? Vou empurrar bem devagar— respondeu o negão, alisando minha bunda.

Minutos depois, Juarez, se retesou todo e cravando a pica até o talo, encheu meu cu de leite.
Assim q tirou a pica, a porra escorreu por minhas pernas, meu cu teimava em ficar aberto.
— deita de barriga pra cima bebê, quero te comer de frente!
Assim q me virei, ele levantou minhas pernas por sobre seus ombros, e aproveitando meu cu lambuzado com a gala do amigo ,foi empurrando devagar a chapeletona no meu cu recém arrombado. O forte cheiro de suor q pingava no meu rosto , me deixava excitado.
Quando o cabeção entrou rasgando as pregas ainda intactas, enlacei o grosso pescoço do negão.
—- hummmm… Fode devagar!

— calma mozinho… Faz força pra fora, mexe a bundinha!

O enorme cabeção pulsava dentro do meu cu arreganhado. Naquela posição, estava totalmente a mercê do macho q foi socando a pica, beijando meu rosto, pescoço e boca, me deixando todo arrepiado
Já não havia dor, e um indescritível prazer, tomou conta do meu corpo.
A cada estocada, meus tímidos gemidos ,foram se transformando em gritinhos histéricos .
— aaiiiii, q piruzão… hummmm… Gostoso!!!

— vou esfolar meu pau todo nesse cuzinho viado…toma rola no rabo, safadinho!

Juarez, sentado num caixote, assistia a tudo.
— caralho!…o mulek, guenta pica mesmo! Olha a carinha do viado. Ele tá adorando. Vai Rubem, soca tudo, rasga o cuzinho dele.

Cada vez mais rápido o picão entrava e saía do meu cu, num vai e vem frenético. Dava pra sentir a chapeletona socando meu estômago. Logo veio uma enorme vontade de cagar.
— hummmm, aí acaba logo… Quero ir no banheiro!

— sou q delícia de cu…iissss,pode cagar no meu pau ,viadinho!!!

Eu já não tinha mais controle, sobre minhas vontades, só me restou esperar q o negão gozasse. O q levou mais uns 3 minutos.
Só depois de esvaziar totalmente o saco, Rubem tirou a jeba do meu cu dilacerado. Logo o forte cheiro de merda e sêmen, impregnou o ambiente.
— porra, o mulek cagou seu pau todo—Juarez gritou, sorrindo, ao ver a pica do amigo lambuzada.

Corri até ao córrego, onde me agachei pra me aliviar, aos pedidos, expelindo uma gosma marron avermelhada, um misto de porra, fezes e sangue.
Mas tarde, de volta ao Barracão, começamos a conversar. Eles conheciam meus avós, e me fizeram prometer segredo, sobre o acontecido. Depois de convencê-los q não contaria nada pra ninguem, ficaram ainda mais amistosos. Me ofereceram frutas, e depois de comer bananas e mangas, Rubem, já de pau duro novamente, queria me comer .
Com a rosca ardida e esfolada, não tinha condição de receber aquele picão novamente. Compreensivo, ele deu a pica pra eu chupar. Assim , um após o outro gozaram na minha boca.(naquele dia descobri q leite comanga não faz mal).

Já era hora do almoço quando cheguei em casa, com o cu esfolado, escorrendo leite e a boca colando de tanta porra.
Só hoje, estou revelando este segredo.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,03 de 33 votos)

# #

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Anônimo

    Nossa eu queria ser essa caipira comer um viadinho de 13 aninhos imagina o cuzinho dele rosinha e pequeno

    • Putinho13

      Que delicia

  • Responder Crentelho Hipócrita

    Meu sonho, comer um moleque de 13 anos bem feminino!

    • passivo discreto de Recife

      queria encontrar aqui em Recife dois caipiras ativos desses para eu mamar gostoso suas picas e ser enrabado por eles, [email protected]

    • Anônimo

      idade boa de meter

    • Anônimo

      Delicia?