,

Fudi muito gostoso com meu irmão

14-09-18 Por 1 ★ 3.63

Meu marido viajara para o Nordeste a serviço. Com ele foi a Nanda, sua irmã e que trabalha com ele na mesma empresa.
Durante a viajem dos dois, chamei o marido de Nanda, o Igor, e passamos o final de semana inteiro fudendo, matando aquele desejo louco que sentíamos um pelo outro, desde muito tempo. Ele é um amante insaciável e me fez sentir orgasmos que me deixaram de pernas bambas. Além disso, era dotado de um pau sensacional que não ficava mole e era muito grande e grosso. Delirei quando senti aquela tora entrar em minha bucetinha, pela primeira vez. Qualquer hora conto tudo para vocês.
O Paul e eu temos um casamento aberto. Amamo-nos muito, mas se surgir alguma aventura que seja gostosa para ambos, temos a liberdade de irmos para a cama, desde que não haja envolvimento. É uma autorização somente para fuder. Em função disso, contamos tudo o que acontece conosco, até porque adoramos ouvir as aventuras do outro, principalmente o Paul que diz sempre que fica muito excitado quando algum homem me pega ou me olha!
Quando o Paul voltou de sua viagem não quis guardar segredo do que aconteceu entre o Igor e eu. Tinha certeza de que ele não ficaria brabo, já havia me falado que gostaria de me ver fudendo com ele.
– Nossa amorzinho que legal que isto tenha acontecido entre vocês dois. Tenho certeza que ambos devem ter aproveitado e fizeram tudo o que desejavam. Afinal não havia ninguém para atrapalhar.
– Sim amor, fudemos de todas as maneiras possíveis e matamos aquele desejo louco que estávamos sentindo há algum tempo. Por falar nisto, você e a Nanda também ficaram muito a vontade lá em Fortaleza. Aposto que ficaram no mesmo quarto.
– Bem amor, como somos irmãos, ficamos sim no mesmo apartamento. Havia duas camas de casal. Cada um ficou na sua. Falou Paul sem me olhar.
– Ah amor, assim não vale. Contei tudo o que aconteceu entre o Igor e eu. Agora quero também que me contes o que aconteceu entre vocês dois. Depois daquela noite que ficaram aqui em casa, quando dançamos com os casais trocados, tenho certeza que aconteceu alguma coisa boa entre vocês. Vamos amor, conte-me tudo!
– Prometes que não ficarás braba comigo?
– Prometo. Vamos, conte-me!
– Bem, quando viajamos já havíamos combinado que iríamos ficar juntos. Reservamos um apartamento com tudo que de bom existia no hotel. Depois do que aconteceu aqui em casa naquela noite, estávamos loucos para fazer tudo o que sempre quisemos fazer e nunca conseguimos fazer. Tudo foi assim:

"Chegamos ao hotel às 14:00 h. Arrumamos nossas roupas e fomos descansar. Senti que a Nanda estava a fim de me seduzir pois vestiu uma camisola tendo por baixo somente uma tanguinha que mostrava suas nádegas roliças como se estivesse nua. Deitou de bruços e dormiu.
Enquanto isso, ali do lado não conseguia controlar meu pau que logo ficou duro ao ver aquela bundinha redondinha. Virei-me de costas e comecei a pensar em outras coisas até que o sono me pegou.
Lá pelas 16:30 h acordei, totalmente descansado. Quando me virei para o lado dela, qual não foi a minha surpresa. A Nanda estava totalmente nua na sua cama, virada para mim, mostrando-me seus seios durinhos e uma bucetinha lisinha e fofinha. Nossa aquilo me fez ficar de olho arregalado e meu pau respondeu na hora.
– O que foi meu irmãozinho querido, nãos gostas de me ver assim? Falou ela toda sensual.
– Nanda, somos irmãos!
– E dai? Tudo o que já fizemos em nossas vidas, desde quando ainda éramos solteiros nos dá o direito de nos desejarmos como homem e mulher. Desde aquela noite lá na tua casa que estou louquinha para namorar contigo. Mesmo que o Igor tenha me comido antes de viajar, meus pensamentos sempre estavam voltados aqui para o hotel onde iríamos ficar hospedados. Nesses dias quero matar todo esse desejo que acumulei por todos esses anos. Sempre te desejei e quando éramos solteiros, muitas e muitas vezes eu te espiava e te via fazendo tuas masturbações. Não aguentava e também acabava me masturbando com muita intensidade. Lembras quando íamos aos bailes e dançávamos juntinhos? Esse pau gostava de me cutucar por cima de minha roupa. Algumas vezes a intensidade era tanta que acabava gozando.

– Achas que não sentia quando isso acontecia? Dava para sentir que ficavas dura e colada contra o meu corpo. Uma vez não aguentei e gozei na cueca. Fiquei todo melecado. Naquela noite deu-me vontade de sair dali e te levar a um motel. Só não fiz porque eras virgem e não teria coragem.
– Vou deitar ai na tua cama. Olha só como estou louquinha pelos teus carinhos. Veja meu clitóris, está saindo para fora de meus lábios vaginais. Achas que não vi que estás de pau duro, louquinho para me pegar? Vamos, tira esse pijama que quero ver esse pau duro, me desejando.

Não aguentei e tirei tudo, mostrando-me totalmente nu para ela.
– Nossa irmãozinho querido, veja só como estás excitado só de me ver assim com minha bucetinha lisinha e molhadinha de desejos pelos teus carinhos.
Levantei-me e ela também. Colamos nossos corpos e meu pau férreo aninhou-se no meio de sua bucetinha. Nossas bocas buscaram-se num beijo louco. Nandaenfiou a língua na minha boca e nos beijamos como se fôssemos dois namorados apaixonados.
– Ai Paul, que bom que isto esteja acontecendo conosco! Como sonhei e fantasiei esse dia! Te desejo meu irmãozinho gostoso.

Minhas mãos passeavam pelas suas nádegas roliças e durinhas. Ela empurrava sua bucetinha de encontro ao meu pau e nossos beijos eram cada vez mais loucos.
Puxei-a para a cama e nos abraçamos como dois amantes loucos para se acariciarem com todo o desejo que cada um estava sentindo.
– Ai que coisa gostosa poder te beijar assim e sentir teus carinhos em minha bucetinha. Sente como meu clitóris está grande e durinho. Te desejo e quero que me beijes todinha. Quero sentir tua língua beijar e chupar minha buceta e fazê-la gozar como nunca gozou. Acho que hoje irás suplantar o Igor.

Meus beijos foram descendo para seu pescoço, arrancando-lhe arrepios. Dali fui para aqueles seios durinhos e com os biquinhos apontando para cima.
– Ai meu homem gostoso. Que língua lisinha que tens… aiiiii… que prazer estás me dando. Huummm, vou gozar assim! Aiiiii amorzinho estou gozando, te desejo, te quero meu irmãozinho gostoso!! Aiiiiiii que coisa boa sentir tua língua nos biquinhos dos meus seios!!

Desci para sua bucetinha. Estava molhadinha. Quando vi aquele clitóris enorme, apontando para fora de seus lábios vaginais, meu pau estremeceu e ficou mais duro.
Abocanhei aquele pauzinho. Nanda deu um pulo e um grito de prazer. Comecei a passar a língua com toda a velocidade e chupar aquela bucetinha. Bebi todo seu gozo.
– Ai meu homem gostoso. Que língua gostosa. Nem o Igor conseguiu me dar tanto prazer como estás me dando. AIIIII QUE COISA GOSTOSA!!!!! ESTOU LOUCA PARA BEIJAR TEU PAU!

Virei-me num 69 e abocanhou meu pau, chupando como um bezerro desmamado. Enfiei até o fundo de sua garganta.
Depois de alguns MINUTOS NOS CHUPANDO GRITOU:
– Ai Paul, não aguento mais de desejos por este pau férreo. Vem meu homem. Quero fuder com este pau. Vem, ME FODE GOSTOSO QUE NÃO AGUENTO MAIS!!!!
Nanda abriu suas pernas e então me coloquei no meio delas, esfregando a cabeça de meu pau em sua bucetinha molhada.
– Minha irmãzinha gostosa, também estou louco para fuder esta buceta pequenina que tanta punheta me fez bater durante minha juventude. Vou enfiar tudo e te fuder com todo o desejo louco que estou sentindo por esta buceta.

Coloquei na sua entradinha e dei uma estocada forte, entrando tudo, até colarmos nossos corpos.
– AIIII meu homem …. Aiiiii que pauuu grande e grosso!!!! Estou tarada, louca para fuder muito contigo. VEM MEU MACHO GOSTOSO, ME FODE COM FORÇA!!!!
Comecei a entrar e sair daquela bucetinha apertadinha. Quantas vezes desejei fazer isto. Não demorou muito e ela acusou que iria gozar.
– Também não vou conseguir segurar. Vou gozar dentro desta buceta e inundá-la com minha porra. AIIII. Agora Nanda. Te desejo!!!! AHHHH!!!.
Explodimos num gozo fortíssimo. Despejei todo o meu desejo dentro dela. Nossos corpos se jogavam um de encontro ao outro.

Depois que nos acalmamos ficamos abraçados.
– Paul, que gostoso sentir teu pau duro dentro de minha bucetinha!!!

– Também adorei poder entrar fundo nesta bucetinha de guriazinha. Ela é tão apertadinha!!!! Deixou-me tarado!!!-
– Desde aquela noite lá na tua casa que aguardava este momento. Já sabia que iríamos viajar juntos, só nós dois. Quando soube, pensei comigo:
– É agora ou nunca. Só nós dois num lugar onde ninguém nos conhece. Se quisermos podemos falar que somos casados. Ninguém irá desconfiar de nada. Esses quinze dias vão ser de muita foda, de muita gozada reprimida durante todos esses anos. Não te preocupa que tomo pílula. Podemos fuder dia e noite!!!!
– Nossa Nanda, não imaginava que eras tão putinha!!!
– Ai Paul, que ofensa! Não sou uma puta. Apenas quero poder matar esse desejo louco que sempre senti por ti, desde a primeira vez que te vi no chuveiro com esse pau duro. Acho que tinhas uns 21 anos. Eu tinha 15 anos. Estava no auge de minhas fantasias e desejo de esfregar minha bucetinha a cada momento que me fosse dada a oportunidade. Quando vi teu pau duro e tocando uma punheta fiquei tarada por ele. Também comecei a me masturbar diariamente, à noite, principalmente, depois que todos estavam dormindo.
– Pois comigo também aconteceu o mesmo. Quando ias tomar banho e não havia ninguém em casa, corria para te ver ou no chuveiro ou no teu quarto. Pelo buraco da fechadura dava para te ver nuazinha e também quando começavas a te masturbar. Não aguentava e gozava sempre no meu quarto, fantasiando com esta bucetinha e com esta bundinha redondinha. Era muito gostoso poder fazer isto. Sentir todo esse desejo de te pegar.
– Ai Paul, quanta coisa gostosa já tivemos em nossa vida. O curioso é que somente agora, quando estás com 40 anos e eu com 34 que podemos matar todo esse desejo acumulado ao longo de todos esses anos.
– Durante todos esses anos só tive duas aventuras em minha vida. As duas foram com aquelas nossas amigas a Carla e a Marcela. Sabias que as duas gostavam de meninas? Falou Nanda um pouco envergonhada.

– Mas olha só! Sempre achei que tinham um jeito meio masculino de agir. Eram lindas, bem feitas de corpo, mas tinham uma força que pareciam guris. Mas como foi que isto aconteceu? Estou curioso para saber como a minha maninha foi pega por uma mulher macho!

– O lance delas era convidar as gurias para passarem o final de semana em suas casas, normalmente quando seus pais viajavam. Quem fosse lá era certo que seriam comidas por elas. Lógico que cada uma na sua respectiva casa. Eu tinha 16 anos e estava no auge de minha sensualidade. Exalava sexo pelos poros. Sempre fui muito fogosa. A Carla deve ter sentido isto e certa vez me convidou para passar o final de semana em sua casa, pois iria ficar sozinha e dizia que tinha medo. Falou com nossa mãe e ela deixou-me ir.

Tudo aconteceu quando fomos tomar banho para dormir. Carla falou:
– Nanda, vamos tomar banho na banheira de meus pais. Lá é muito gostoso ficar embaixo da água morna. Hoje iremos dormir na cama de casal de meus pais.

Até ai nada de mal. Fiquei de soutien e de calcinha e fui para o banheiro. Qual não foi o meu espanto quando cheguei lá ao encontrar a Carla totalmente nua e com sua bucetinha lisinha, sem nenhum pelo.
– Ora Nanda, é só o que faltava tomar banho com a roupa que estavas usando. Vamos, tira tudo e fica nua como eu. Ordenou Carla.

Fiquei meio sem jeito, lembrei-me que minha bucetinha não era lisinha como a dela. Tinha pelos.
– Acho que tenho vergonha de ficar nua na tua frente! Falei olhando para aquele corpinho lindo. Seus seios eram pontudinhos e pequeninos. Sua bundinha era redondinha e lisinha.

– Ora Nanda, é só o que falta ter vergonha de mim que sou mulher. Se fosse um homem até que seria correto, mas só nós duas aqui no banheiro. Vamos, tiro para ti.

Dizendo isto já abriu meu soutien e meus seios durinhos apareceram ante seus olhos que brilharam ao vê-los. Passou as mãos neles e acariciou meus biquinhos que logo responderam ao toque macio de suas mãos, ficando duros que chegou a doer. Mas ao mesmo tempo senti um prazer gostoso quando me tocou.
Em seguida desceu minha calcinha e qual não foi sua surpresa ao ver minha bucetinha coberta por aqueles pelos pretos.
– Nossa Nanda! Não sabes te depilar? Hoje em dia as mulheres são todas lisinhas, sem esses pelos. Até os homens já andam tirando tudo.

– Não vou deixar andares por ai com esses pelos. Senta ali no vaso que vou pegar meu aparelho de barba e te deixar lisinha igual a uma guriazinha. Primeiro vamos no chuveiro passar uma água quente para amolecer a raiz. Enquanto isto preparo a espuma para não irritar.
Feito isto mandou que ficasse de pé e com as pernas abertas.
Quando começou a passar aquela espuma quentinha em meus pelos, senti um prazer muito grande. A seguir, raspou tudo, deixando-me assim como estou até hoje.

Depois disso fomos para a banheira que já estava quase cheia. Ficamos um tempo de molho relaxando
De repente, Carla veio para ficar ao meu lado corpos coladinhos e falou:

– Hoje vou te lavar Não diga que não. Depois me lavas.
Logo suas mãos começaram a passar nos meus seios, deixando-me muito excitada.
– Nossa Nanda como teus biquinhos estão durinhos!!! Deixa-me dar um beijinho neles.
Logo começou a beijar e chupar meus biquinhos bem de leve. Minha respiração começou a acelerar. Sentia um prazer muito gostoso. De repente senti suas mãos no meio de minhas pernas e seus dedos passando por cima de meu clitóris. Não aguentei e dei um grito de prazer e atingi um orgasmo como nunca tinha acontecido.

– Ai Carla, o que estás fazendo em mim? Aiiii que coisa gostosa estou sentindo. Continue me beijando e tocando em minha bucetinha. Aiiiiiii… estou gozandoooo!!!!

Carla não aguentou e começou a me beijar, enfiando sua língua dentro de minha boca.
– Nanda querida, que bom que conseguiste te largar. Vamos para nossa cama. Hoje vou te ensinar umas coisas muito lindas e gostosas. Tenho certeza que irás adorar.

Secamo-nos rapidamente e corremos nuas para aquela cama enorme.
Logo me abraçou e colocou sua coxa no meio de minhas pernas, tocando bem em cima de minha bucetinha. Aquele contato me dava prazer.

A seguir começou a me beijar e passar seus dedos em minha bucetinha, deixando-a doida e louca para ser acariciada.
Seus beijos foram descendo… descendo… até que chegou na minha bucetinha… Logo senti aquela língua quentinha e lisa passar em cima de meu clitóris. Chupava minha buceta e me levava até as nuvens de tanto prazer que estava sentindo. De repente comecei a sentir que iria gozar. Um orgasmo fortíssimo tomou conta de meu cérebro e explodi num gozo forte que me fez gritar e pedir que continuasse com seus carinhos e que enfiasse sua língua bem fundo dentro de minha buceta.
Aquilo me deu coragem para tomar a iniciativa e fazer nela tudo aquilo que me fizera.
Carla não aguentou e gozou fortíssimo em minha cara, esfregando sua bucetinha na minha boca, pedindo que não parasse e que fizesse ela gozar bastante.

– Mas nossa Nanda, esta bucetinha então já conhece homem e mulher. E daí, gostaste de ser beijada e chupada por outra mulher?
– Adorei! A gente goza um monte e é uma coisa tão suave e gostosa. O bom é que fazemos uma na outra e cada uma sabe onde acariciar, onde lhe dá mais prazer. Falou toda entusiasmada.

– Olha, vou te contar um segredo, mas nunca vais falar nada para ela. A Tati tem um desejo secreto pelo teu corpinho. Antes de viajarmos, logo depois daquela noite inesquecível, confessou-me que te acha linda !
– Nossa, fico lisonjeada. Na volta vou tentar seduzir aquele mulherão. Ela é muito gostosa e deve ser um furacão na cama!
– E como! Adora fuder e está sempre disposta.

– Pois agora também vou te confessar uma coisa. O Igor é tarado pela tua mulherzinha. Quando estamos fudendo, fica falando de vocês e sinto que quando fala dela seu pau parece que fica mais duro e e me fode com mais intensidade. Olha, acho que logo serás corninho.

– Bem se isto acontecer estaremos quites pois também estou fudendo contigo. Já que os quatro se desejam, qualquer dia teremos que fazer uma reunião lá em casa, com troca de casais. Eu toparia. Aceitarias fuder comigo na frente do Igor? Quanto a mim, não teria impedimento nenhum de ver aquele pau enorme do Igor satisfazer a minha mulherzinha. Tenho certeza que aceitará.

– Eu fuderia contigo na frente do Igor. Acho que isto nos dará mais prazer ainda. Quanto a ele, sacana como é, não tenho nenhuma dúvida que enfiará aquele enorme pau naquela bucetinha lisinha da Tati.
– Como sabe que ela é lisinha?
– Já trocamos de roupa uma na frente da outra.
– Nossa Nanda, veja como está meu pau depois de todas essas conversas. Quero te fuder agora. Vem que vou enfiar esse pau nesta buceta e te fazer gritar de tanto gozo. Agora que gozei a primeira vez te prepara que ficarei um tempão te fudendo. Demoro bastante para dar a segunda gozada. A Tati adora pois consegue gozar um monte.
– Vem meu irmãozinho gostoso, me fode gostoso, também estou louca para gozar com este pau férreo. ENFIA TUDO AMORZINHO E ME FAZ SENTIR AQUELE PRAZER LOUCO QUE SÓ TU SABES ME FAZER. – Nem o Igor consegue?
– Nem ele! Isto é uma tara gostosa que tenho e que somente este pau consegue me fazer atingir o auge. Subir nas nuvens.
Coloquei-a de quatro e entrei até o fim para dentro daquela buceta insaciável e louca para fuder.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,63 de 8 votos)

Por ,

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Junior pervertido

    Amo incesto