Filhas da inquilina – parte 2

12-09-18 Por 5 ★ 4.71

Confesso que quando a Julia foi para a casa dela, me deu um enorme peso na consciência. Me senti muito mal por ter feito aquilo com uma menina tão nova.
Tomei umas doses de whisk até dormir.
Acordei no dia seguinte e saí cedo para trabalhar. Mal conseguia me concentrar nas minhas tarefas. Até que umas 16:00 eu saí e fui direto para minha casa.
Queria muito saber se a Julia tinha falado algo para a mãe ou para a irmã.
Ao chegar eu notei que estava tudo muito calmo. A Vanessa por certo estava trabalhado e as meninas deviam estar dormindo ou vendo TV. Sem fazer nenhum barulho eu fui até a casinha delas e o que vi me deixou com muito tesão.
O primo delas (menino que tem entre 13 e 14 anos) estava transando com a Renata. Eles me viram e o menino saiu correndo. A Renata estava nua da cintura para baixo, logo se cobriu com um lençol.
– Safados… vocês estão transando na frente da Julia
– Calma tio… calma tio.. calma tio – A Renata estava quase chorando.
Mandei ela se vestir e peguei as duas e levei para minha casa. O menino sumiu para a rua.
Preparei um lanche para elas. E a Julia pediu para tomar banho. Deixei ela no chuveiro e fiquei na sala conversando com a Renata. Fui direto e objetivo:
– Renata, você é muito linda
– Sou não tio.
– Você transa há quanto tempo ?
– aiii tio eu tenho vergonha de ficar falando estas coisas….
– Tem vergonha de falar, mas não tem de fazer… relaxa Renata, todo mundo transa.
– Eu sei, mas tenho vergonha de falar.
– OK… se não quer falar tudo bem. Mas vou falar uma coisa para você, meu maior sonho é fazer com uma menina novinha igual a você. Eu daria qualquer coisa para transar com você
Ela só abaixou a cabeça e ficou calada.
Fui até o banheiro e sequei a Julia. Deixei ela enrolada na toalha e mandei a Renata ir tomar banho.
Como é a Renata: Ela é branca, magra, cabelos castalho e lisos na altura dos ombros, não tem seios ainda. É bem menininha.
Ela entrou no banheiro e fechou a porta.
Abracei a Julia e pedi um beijo. Com jeitinho dela, nos beijamos. Beijei seu corpinho inteiro e chupei sua bocetinha. Sem eu falar nada ela segurou meu pau e colocou na boca… que tesão senti. Deixei ela chupando por uns 5 minutos até gozar. Ela engoliu tudo.
Eu ainda estava de pau duro quando notei que a Renata tinha desligado o chuveiro.
Pedi para a Julia não falar nada.
Ficamos na sala vendo desenhos na TV. A Renata estava vestindo um shorts e uma camiseta. Seu cabelo molhado e o cheiro de sabonete estavam me deixando maluco de tesão.
Lentamente fui abraçando a Renata. Até sentir que ela encostou em mim e ficou ali paradinha.
Coloquei minha mão na sua perninha e fui fazendo carinhos.
Pedi para a Julia pegar um lençol na minha cama e nos cobrimos. Coloquei minha mão bem em cima da bocetinha da Renata. Desci meus dedos por dentro do shorts e senti sua calcinha. Ela ficou o tempo todo calada. Senti nos meus dedos a fenda da sua bocetinha. Fiquei ali mexendo os dedos por cima da calcinha. Aos poucos ela foi cedendo. Timidamente ela foi abrindo as perninhas. Pela lateral da calcinha eu consegui colocar meus dedos na sua bocetinha. Estava bom demais aquela brincadeira.
Até que a Julia interrompeu pedindo para ir buscar o tablet na casinha delas. Mandei ela ir.
A menina mal saiu e eu pedi:
– Renata, deixa eu fazer com você ?
– aiii tio não sei.
– Deixa eu ver aqui (falei apontando sua bocetinha).
A menina só levantou o lençol e vi ela tirando seu shorts. Calcinha azul clarinha. Até que ela abaixou a calcinha. Boceta linda, pequena e infantil. Lisinha. Nenhum pêlo.
– Aiiii que linda Renata… você é toda linda.
A menina nada falou.
Logo a Julia chegou com o tablet. O aparelho estava sem bateria. Dei o carregador para ela e fui para meu quarto. Fiz sinal chamando a Renata, mas ela não foi.
Me deitei na minha cama e fiquei esperando. Sabia que a qualquer momento uma delas ia vir deitar comigo. Só não sabia qual.
Adivinhem quem apareceu no meu quarto ?
A pequena Julia.
A menina já chegou pulando na cama. Ela se deitou comigo e eu a cobri.
Encostei meu pau duro nela e perguntei:
– Julia, deixa eu colocar ele aqui dentro (falei colocando meu dedo em cima da bocetinha).
– Aiii tio isto vai doer.
– Não dói não amor.
– Dói sim…a Renata falou que doeu muito quando ela fez
– Mas ela fez com um menino que não sabe fazer direito. Seu primo é muito novo, ele deve ter feito errado, por isto que doeu.
– Não tio… a Renata falou que fez com o Guilherme.
– Quem é este Guilherme ?
– Era o namorado da minha mãe. Antes da gente vir morar aqui.
Nesta conversa a Julia me contou que a irmã transava com o namorado da mãe, e a Vanessa ficou sabendo e nada fez.
Meu caminho estava aberto para comer a Renata. Era questão de convencer a menina. E a oportunidade surgiu logo. E me custou um celular novinho.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,71 de 42 votos)

Por

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Desejos proibidos

    Que tesão muito bom continuação

  2. Pedro Paulo Duro

    Adorei este relato, nossa adorei este conto queria ler as outras parte dele ,

    [email protected]

  3. Gal

    Continuaa

  4. Beto

    Continua .k tesao

  5. Japa

    Cara muito bom mesmo, continua ai
    Se tiver mas contos pode enviar pra mim, [email protected]