Acabei iniciando meu filho – Parte 03

Autor

Beleza galera, tudo bem? Estou de volta, desculpem a demora na continuação – estava com uma correria aqui no trabalho. Para quem não sabe sobre a minha história, peço que leia: Acabei iniciando meu filho – Parte 02
Muito bem! Vou contar como foi que aconteceu depois daquele dia de descobertas. Depois de ler a mensagem do Dr. Lucas no meu celular, eu havia concluído que ele sabia muito bem o que estava planejando desde o início. Tratei de apagar a mensagem para não levantar nenhuma suspeita e juntamente com o Nicolas fui para a sala, aguardar a minha esposa chegar.
Naquela noite, transei como doido com Sarah. Fiz ela me mamar, chupar as minhas bolas, sentar no meu pau e ainda comi seu cuzinho… Deixei ela totalmente esgotada com a minha sede, mas eu sabia que, eu estava procurando algo que ela não podia me oferecer.
Após gozar, acabei dormindo feito pedra. Me acordei por volta das 02h da madrugada e fui pegar água na cozinha. Mas no retorno, a voz da tentação cochichou no meu ouvido, para que eu fosse ir ver meu filho. Dito e feito! Quando abri a porta do quarto dele, ele estava dormindo tranquilamente, com aquele rostinho inocente e aquele semblante angelical que me fazia ficar perdido em meio as fantasias que populavam a minha mente.
Eu estava realmente envolvido por ele, meu corpo parecia responder ao seu cheiro infantil, ao seu tom de pele, a sua inocência e a sua temperatura. Não demorou muitos minutos para que o meu pau começasse a dar sinal de vida. Eu não podia arriscar algo, pois minha esposa estava dormindo em nosso quarto, e Nicolas ainda estava sonhando… Então só deixei que o meu escapasse para fora da cueca (pelo buraco da perna mesmo), e comecei a bater uma punheta de leve. Não demorou muito para começar a sentir que eu iria gozar, como já havia gozado com a Sarah anteriormente, eu sabia que não teria uma grande quantidade de esperma, e acabei gozando na minha mão, e que por um impulso, levei o gozo até a boca de Nicolas. Ele ainda estava dormindo, e apenas utilizando os dedos, delicadamente coloquei em sua boca.
Não tive dificuldade de abrir a boca dele e fazer escorrer as poucas gotas de porra que eu havia produzido – naquele momento estava dando o leitinho a noite para o meu filho. Aquilo me deixou estasiado, eu estava fazendo meu filho tomar porra (mesmo que ainda dormindo). Após me recompor, voltei para a minha cama, sem acordar Nicolas e muito menos, a minha esposa.
Na manhã seguinte, avisei Sarah que precisava levar nosso filho ao médico, que ele havia solicitado uma reconsulta para avaliar o quadro e saber como estava a saúde do menino, sem nenhuma suspeita levantada, ela apenas pediu para que ele fizesse os temas de casa.
Quando Sarah saiu para o trabalho, Nicolas já estava acordado e havia terminado de escovar os dentes. Falei para ele que hoje ele não precisaria ir a escola, pois eu levaria ele para ver o médico e depois iríamos passear no meu trabalho. Como toda criança que conheço, ele ficou muito contente e foi logo desfazer de suas roupas escolares. Nesse momento eu liguei pro Dr. Lucas:
-Bom dia doutor, tudo bem? Recebia sua mensagem e queria marcar o horário da consulta.
Dr. Lucas foi rápido ao me responder:
-Olá Carlos, tudo bem? Certo! Se você puder vir durante a manhã, seria perfeito. Pois a minha primeira agenda é para as 13h.
Eu concordei, coloquei uma roupa, peguei Nicolas e fomos até o consultório. Chegando lá, fomos recebidos alegremente pelo Dr. Lucas que logo abraçou Nicolas e em seguida me cumprimentou.
Lucas pediu para que o Nicolas ficasse brincando com aqueles blocos de montagem, em uma mesinha localizada no canto da sala, afirmando que gostaria de conversar com o papai, (apontando para sua escrivaninha), solicitou que eu me sentasse. E foi nesse rápido momento, que pude perceber que o Dr. Lucas estava excitado, no momento que ele contornou sua mesa para sentar na sua cadeira, pude notar que o seu pau estava fazendo um volume, mesmo notável com o jaleco médico. Acredito que ele não tenha percebido que eu notei, mas nesse momento centenas de possibilidades já passavam pela minha cabeça.
Foi quando Lucas me perguntou se eu havia conseguido realizar o procedimento que ele havia indicado. Eu não conseguia falar, então apenas fiz sinal positivo com a cabeça. Em seguida, ele afirmou que logo Nicolas iria estar bem e conseguiria ir ao banheiro normalmente. me deixando com um semblante mais tranquilo, até que ele me perguntou:
-Papai, gostaria que me contasse exatamente como fez, para que eu tenha certeza que não está fazendo nada de errado.
Nesses momentos minhas mãos já estavam trêmulas e minha atenção estava focada no volume de Lucas, eu queria saber se ele realmente estava excitado ou era apenas volume falso da calça ou do jaleco. Eu tentei me acalmar e disse que havia feito no banho, e com ele de cócoras, havia feito exatamente como ele havia orientado. Quando terminei de contar, sem nenhum pudor, Lucas olhando nos meus olhos, perguntou:
– E você ficou excitado?
Eu comecei a engasgar e não conseguia responder com nenhuma palavra. Até que ele colocou as duas mãos sobre a mesa, com os dedos entrelaçados disse:
– Calma papai, isso é muito comum… Eu mesmo fico excitado quando tenho que fazer esses procedimentos aqui no consultório, mesmo com meninos novinhos e delicados, assim como o Nicolas.
Realmente estava se consumando o que estava desconfiando, Dr. Lucas se aproveitava dos seus pacientes, mesmo que ainda tão novinhos como meu filho. Eu tinha tudo para sair dali indignado e denunciar aquele local, mas não consegui levantar. Eu estava totalmente envolvido por aquela situação que se revelava na minha frente. Foi quando Lucas se levantou, contornou sua mesa e veio para perto da minha cadeira, chamando Nicolas.
Meu filho veio até próximo de nós, ainda carregando um bloquinho nas mãos. O Dr. Lucas passou a mão em seu cabelo e perguntou:
-Nico, papai fez a massagem em você, quando você estava tomando banho?
Meu filho ficou um pouco sem jeito e respondeu:
-Fez sim, e colocou remedinho lá dentro, igual o senhor colocou naquele dia que eu vim aqui com a mamãe.
Com um ar de “sem vergonha”, o Dr. Lucas pegou no pau por cima da calça e sorriu pra mim, e disse:
-Viu só papai, ele gosta de colocar remedinho na bundinha…
Eu estava anestesiado, estava ouvindo meu filho confessar que havia dado o cuzinho para o pediatra e que ainda achava tudo isso normal. Minha cabeça estava alucinada, mas meu pau já era deles, pois apontada para cima, duro feito uma tora.
Foi quando Lucas se aproximou invadindo o meu espaço natural, ou seja, àqueles 15cm distante do contato físico e pegou no meu pau, olhando pro meu filho, disse:
-Olha… Acho que o papai tem mais remedinho para você! Vamos pegar mais remedinho?
Meu pau pulsava na mão do médico, e certamente ele estava percebendo. Nicolas soltou o bloquinho que segurava e baixou suas calças. O Dr. abriu meu zíper e puxou meu pau para fora da cueca, deixando-o livre, apontando para o teto da sala.
Nesse momento, Nicolas nem olhou para mim, simplesmente pegou no meu pau, abriu a boca e começou a chupar a cabeça do meu pau. Enquanto meu filho estava me chupando, Lucas tirou o jaleco e abriu suas calças, vindo em direção ao meu rosto. Eu estava completamente estático, mal conseguia mover meus olhos. Lucas abriu minha boca, afastando com a mão, o meu maxilar inferior e colocou o seu pau pousado na minha língua dizendo:
– Vamos papai, você também está precisando de remedinho…
Eu estava sendo mamado pelo meu filho, com o meu pau pulsando incontrolavelmente e o Dr. Lucas começava a foder a minha boca.
Eu deixei a situação acontecer sem nenhuma reação, enquanto o médico começava a confessar situações que já havia vivenciado…

Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 24 votos)
Loading...