,

Virgem porém assanhada

23-08-18 5 ★ 4.46

Com 16 anos e prestes a completar 17 eu era a única virgem das minhas amigas de colégio e apesar de todo o tesão que deixava meu corpo quente e minha xoxotinha toda meladinha achava que se me mantivesse virgem talvez conseguise me casar com um homem que tivesse uma situação financeira tranquila que pudesse me proporcionar uma vida boa como nunca tive até aquela data.

Meu pai trabalhava no serviço de limpeza municipal da cidade e minha mãe como auxiliar de cozinha em uma marmitaria e era aquela vidinha sem graça com muitas privações e pra tentar dar uma melhorada consegui um emprego de atendende em um disque pizza não muito distante de casa.

Eu tenho uma voz bonita ao telefone e como sei conversar bem sendo bastante educada fui contratada por esse motivo.

Poder ter minha própria grana aumentou minha auto-estima e também o meu tesão no meio das pernas que não era pouco e me acabava nas siriricas, meus dedinhos já tinham até criado calos nas pontas de tanto que viviam esfregando meu grelo tesudinho constantemente inchado.

Apesar de cabaço tanto na frente quanto atrás na minha boquinha gulosa de lábios grossos já tinha entrado dentro dela meia dúzia de rolas e todas tinham gozado gostoso e engoli tudo sem desperdiçar uma gotinha de porra quentinha.

Era incrível o prazer que eu sentia fazendo boquete nos rapazes com aquelas rolas duras completamente babadas chegando ao fundo da garganta. Quando sentia o primeiro jato forte de porra eu esfregava meu grelo bem forte e gozava junto com eles.

Nunca tirei a calcinha ou deixei nenhum rapaz fazer isso porque eu sabia que se isso acontecesse nem ia dar trabalho ser deflorada tanto na xoxotinha quanto no cuzinho de tão taradinha que era.

Apesar de todo esse tesão e adorar safadeza sempre mantive a linha de mocinha direita e recatada, só liberava mesmo quando ficava no escurinho sem ninguém por perto pra ver e depois ficar fofocando.

Minhas leituras constantes eram os contos eróticos e filmes pornôs de todos os tipos que me deixavam ainda mais safadinha.

Dois meses antes de completar 17 rolou um lance bem maluco que sempre me provoca arrepios ao me lembrar do ocorrido.

Sempre fui bem peludinha na xoxota e achava que não devia me depilar, de vez em quando pegava uma tesoura e dava umas aparadas nos pelinhos mais rebeldes e então uma amiga me chamou pra ir junto com ela em uma mulher que trabalhava como depiladora em um salão de beleza e que nas horas vagas também atendia em sua própria casa cobrando bem mais barato e resolvi acompanhá-la.

Sou Mariana, morena de cabelos negros lisos até o meio das costas, 1.73m, rostinho de menina ingênua com lábios grossos, seios médios de bicos grandes sempre duros espetando a camiseta, cintura fina, coxas roliças e um bumbum de brasileira empinado e durinho.

Jussara era o nome da depiladora, tinha 26 anos e era uma mulata com um corpo espetacular e uns lábios bem mais grossos que os meus e estava vestida com uma minissaia jeans curtinha e um top que mal cobria os seus seios enormes. Enquanto ela depilava minha amiga fiquei sentada do lado batendo papo e fofocando sobre tudo. Ela era profissional e rapidinho terminou a depilação e foi então que o celular da amiga tocou e era o namorado da safadinha e saiu da sala indo pro corredor pra conversar sem ser ouvida por nos e então Jussara perguntou por que nunca tinha depilado minha xaninha e então brinquei dizendo que só havia pensado em fazer isso depois que perdesse o cabaço e ela caiu em risos dizendo:

-opa… faz um bom tempo que não vejo nenhuma garota com praticamente 17 anos dizer que ainda é cabaço… com certeza os rapazes que você arrumou devem ser um bando de frouxos porque do jeito que você é gata Marina… já devia ta levando rola faz tempo… mas… andar com a xaninha sem nenhum pelinho é tudo de bom… principalmente pra quando a gente ta brincando com dedinhos… lingua… labios… etc… etc… etc!

Foi minha vez de dar gargalhadas dizendo:

-Jussara… até que já peguei vários rapazes bem assanhados… mas… só fiz boquete neles… mas… tenho que me controlar porque senão quem estupra eles sou eu… tenho tesão demais… realmente quero continuar cabaço… quem sabe consigo um cara rico que queira uma virgem na xoxota e no cuzinho pra casar… vai que me aparece um príncipe desses!

Minha amiga surgiu na porta e sorrindo toda safada disse:

-Marina… meu namorado ta vindo me buscar de moto… você não se importa de ir sozinha pra casa né… por favor, amiga… desculpa tá!

Fiquei de boa e então pedi a Jussara um copo de água gelada e quando ela se levantou da banqueta que estava sentada vi que ela não estava usando calcinha e sua xoxotona quase negra se mostrou inteirinha e assim que ela voltou com uma garrafa d’agua e dois copos se sentou novamente e se mostrou todinha e depois de tomar uns goles a mulata sorrindo disse:

-Marina… deixa-me ver sua xaninha peludinha… faz tempo que não vejo um matagal… pelo jeito a tua deve ser assim né?

Jussara era muito brincalhona e apesar de tê-la conhecido naquela tarde gostei do jeito alegre dela e disse:

-não vale falar mal hein… senão perde a cliente… quando eu resolver deixar minha xoxotinha virgem bem lisinha!

-deixa de bobagem garota… fiquei curiosa… do jeito que você é uma gata… mesmo com um matagal no meio das pernas você é linda garota! Tira esse short logo vai… mostra pra mim!

Me levantei e comecei a abaixar meu short coladinho no corpo e a calcinha saiu junto e fiquei de pé bem pertinho do rosto de Jussara dizendo:

-pronto… tá ai minha peludinha… é bem peludinha mesmo… nunca nem raspei… é virgem até de Gilette! RSS.

Jussara levou a mão e passando os dedos sobre os pelos sorriu dizendo:

-é… se você ta dizendo tenho que acreditar… mas acho que você devia dar uma aparada pelo menos… quer que eu faça isso pra você… de grátis… com certeza sua xaninha vai ficar muito mais lindinha e mais gostosa… pra você brincar… prometo!

Aceitei sua sugestão e me sentei na cadeira de depilação arreganhando as pernas ficando toda exposta e Jussara se sentado na banqueta diante de mim também ficou com as pernas arreganhada e sua xoxotona se mostrou em detalhes e brinquei dizendo:

-Jussara… ta dando pra ver que sua xoxota é bem grande né… precisa de um pintão pra dar conta dela né?

A mulata abriu ainda mais as coxas de passando os dedos entre os lábios de sua xoxotona quase negra lisinha disse:

-é… ela é grande por fora… mas é bem apertadinha… mesmo quando ta bem molhadinha… e ela sempre fica ensopadinha… também sou tarada garota!

Com uma maquina de cortar cabelo aparou todos meus pelos deixando bem rente e em seguida passou cera quente nas virilhas e foi tirando as beiradas deixando um belo triangulo isso foi feito com uma rapidez incrível e então me fez levantar e me sentar em um lavatório e passou a jogar água frio pra deixar tudo bem limpinho.

O jato do chuveirinho bem em cima do meu grelinho sensível fez com que parecesse que estava tendo choquinhos e brinquei dizendo:

-Jussara sua maluca… esse chuveirinho é muito safado… ta me provocando um monte de arrepios… socorro!

A mulata deu um sorriso bem sacana e levando sua mão na minha xoxota com seu dedão esperto começou a bolinar meu grelo e bem safada disse:

-então acho que você vai gostar mais dos meus dedos e da minha boca sua taradinha virgem deliciosa… quero sentir você se arrepiar por inteira!

Nem tive tempo de esboçar nenhuma reação porque em segundos aquela boca quente enorme colou na minha xoxotinha virgem e começou a me lamber e sugar meu grelo tesudo e não demorou mais que 2 minutos pra que eu começasse a tremer e rebolar que nem uma doida e dando um gemido alto gozei copiosamente. Jussara continuou lambendo e sugando meu grelo sem dar tréguas e os gozos chegaram em sequencia. Quando me dei conta tinha dois dedos socados no meu cuzinho e a mulata tarada apertava os bicos dos meus seios me levando à loucura. Perdi a conta de quantos orgasmos tive rebolando naqueles lábios grossos que sabiam como dar um trato em uma xoxota virgem sedenta de prazer.

Quando comecei a me acalmar Jussara tomada pelo tesão me fez trocar de lugar com ela e só levantado a saia abriu totalmente as coxas e me pegando pelos cabelos sussurrou:

-gozou gostoso né sua putinha virgem… agora é a sua vez… lambe minha xana preta sua taradinha… quero gozar nessa boquinha de puta safada… chupa sua cadelinha… eu sei que você sabe como fazer… se chupa pau… sabe chupar xana… me lambe todinha sua boqueteira safada!

Meus lábios pousaram um pouco tímidos naquela xoxotona preta… mas em segundos percebi que não tinha muita coisa de diferente de uma rola e fiz o que a putona tarada esperava e logo a safada rebolava e gemia que nem uma louca na minha língua gozando gostoso. Jussara segurava minha cabeça pelos cabelos esfregando com força aquela xoxotona na minha cara e como ela tinha feito comigo soquei 2 dedinhos no rabo da safada e ela gozou mais gostoso ainda.

Que tesão louco eu havia sentido com aquela mulata tarada e depois que nos acalmamos Jussara me confidenciou que adorava chupar garotas brancas novinhas do meu tipo e quando me viu chegando com minha amiga ficou louca pra me pegar e como dei mole foi facinho me pegar e tinha adorado e quando quisesse repetir a safadeza e também aparar a xoxotinha virgem era só vir visitá-la novamente.

Pelo menos duas vezes por semana passei a visitar e transar com aquela mulata tarada da boca gostosa que me fazia gozar deliciosamente.

Na semana anterior do meu aniversário estava trabalhando quando atendi a ligação de um homem pedindo pra preparar uma pizza gigante que dentro de meia hora passaria para buscá-la e antes de desligar agradeceu minha atenção e como acontecia com alguns clientes também elogiou minha voz.

Quando aquele cliente veio buscar a pizza perguntou quem atendia ao telefone a outra garota apontou o dedo pra mim e ele então veio até o banquinho onde estava sentada e sorrindo disse que além da voz bonita era muito linda e além de pagar me deixou uma boa “caixinha”.

Ele era um coroa bonitão e dava pra ver que estava com dois rapazes dentro de uma caminhonete novinha parada em frente da pizzaria e antes de sair disse que ia virar freguês assíduo e foi embora.

Passados 3 dias o coroa bonitão voltou e pediu uma pizza pequena pra comer no local e não tirava os olhos de cima de mim, as duas outras garotas que trabalhavam comigo ficaram me zoando dizendo que o “tio” tava querendo pegar a sobrinha e depois que ele comeu e tomou um suco veio até o caixa pagar e então me entregou um cartão com um telefone celular pedindo pra não deixar de ligar e assim que terminou meu horário e sai da pizzaria resolvi ligar, afinal não tinha nada demais, apesar de nunca ter saído com nenhum homem daquela idade, sempre com rapazes bem jovens.

Assim que ele atendeu o celular percebi que ele ficou todo contente e já perguntou se podia me buscar pra batermos um papo em algum lugar.

Na hora decidi que ia botar os pingos nos “is” com aquele coroa assanhado que com certeza estava pensando em me levar pra algum motel, apesar de novinha sabia como me impor, no bairro onde morava tinha vários coroas que viviam me assediando e apesar de levar numa boa quando algum ficava mais atrevido o colocava no seu devido lugar no ato e então abri o jogo dizendo que se ele estava pensando que eu era alguma putinha fácil estava totalmente enganado e era melhor nem perder tempo comigo.

Jaime era o nome do coroa bonitão e ele então disse que tinha ficado encantado comigo e que apenas queria me conhecer melhor e que podia confiar nele e escolher o lugar pra comer um lanche ou sorvete e batermos um papo descontraído sem segundas intenções.

Claro que o safado tinha segundas e terceiras intenções, mas decidi arriscar pra ver qual era a do coroa bonitão que tinha uma virtude que não passava despercebido que eram suas roupas e a caminhonete de luxo novinha que estava usando, com certeza parecia ter grana.

Eu estava com um dos meus shortinhos curtinhos e socados no rabo com uma camiseta de malha colada na pele e por não usar sutiã os bicos grandes dos meus seios viviam espetando o tecido fino e eu fazia isso mesmo de safadeza, eu gostava de sentir os olhares cheios de desejos dos rapazes no meu corpo.

Não precisei esperar muito tempo pra que a caminhonete do coroa bonitão chegasse pra me pegar na esquina de cima da pizzaria e ninguém me visse entrando no carro e assim que me sentei naquele banco de couro deu pra sentir o cheirinho de novo dentro dele e ele me cumprimentou com dois beijinhos no rosto e sorrindo perguntou onde eu gostaria de ir e então disse que desde que não fosse pra nenhum motel ele poderia me levar em qualquer lugar que tivesse coisas gostosas pra comer desde que não fosse pizza.

Ele caiu em risos com minha observação e comentou que apesar de parecer ser uma garota “brava” eu tinha um belo senso de humor e quando entramos no estacionamento de um restaurante oriental antes de descermos perguntou se gostava daquele tipo de comida e disse que sim.

Assim que entramos deu pra ver que o lugar era bem sofisticado e até achei que minha roupa não estava condizente com o lugar e quando comentei isso com o coroa ele sorrindo disse:

-garota… desde que a gente tenha dinheiro pra pagar… acho que a roupa não importa… se fosse numa festa ou recepção tudo bem… pra mim você esta ótima… linda e perfeita… alias… agora que te vi sem aquele uniforme da pizzaria deu pra ver que você é muito mais gata… vestida assim!

Realmente Jaime era um homem que gostava de elogiar as mulheres e me senti a vontade com ele no restaurante e logo percebi que varias pessoas passaram ao lado de nossa mesa e o cumprimentavam e era bem conhecido de muitas pessoas e ele então me contou rapidamente sobre sua vida dizendo que tinha 42 anos, dois filhos com 21 e 20 anos que eram os rapazes que estavam na caminhonete na primeira vez que foi na pizzaria, era divorciado e era proprietário de uma construtora na cidade.

Quando o coroa quis saber de mim, comentei sobre minha família pobre, que trabalhava na pizzaria pra ganhar minha própria grana e poder comprar minhas coisas e resolvi me valorizar dizendo que apesar de não ser uma garota bobinha eu era cabacinho total, tive alguns namoradinhos, mas nunca passou de beijos na boca, logicamente que omiti a minha “virtude” de boqueteira gulosa e resolvi ser bem direta dizendo que apesar de achar que ele era um homem muito charmoso e simpático se estava querendo uma garota novinha pra transar devia procurar outra porque na minha cabecinha queria continuar virgem até me casar e também comentei que faltavam 4 dias pra completar 17 aninhos!

A conversa foi interrompida pelo garçon servindo nossos pratos e em seguida Jaime sorrindo disse:

-Marina… lógico que só um louco pra olhar pra você e não querer algo mais que apenas uns beijos… mas… pode ter certeza que vou continuar te convidando pra sairmos juntos, bater papo, jantar, frequantar alguma boate no fim de semana… prometo que não vou avançar o sinal com você… se um dia você disser que não quer mais ver a minha cara… não vou ficar pegando no teu pé… juro!

Depois do jantar fomos dar uma volta de carro pela avenida e apesar de me sentar bem comportadinha no banco de couro daquela linda caminhonete senti uma coceirinha entre as pernas, eu estava querendo ser beijada por aquele coroa charmoso, mas me mantive firme sem dar bandeira, mas logo percebi que o safado também não conseguia disfarçar seu tesão olhando pras minhas coxas e para os bicos dos meus seios durinhos querendo furar o tecido da camiseta e reparei que a frente de sua calça estava estufada e dava pra notar que não era muito grande e então pedi que ele me levasse pra casa e Jaime fez o que pedi e quando estava chegando em casa pedi pra ele parar na pracinha antes de casa por causa dos vizinhos e desligando a caminhonete o coroa se inclinou sobre mim pra dar beijinhos de despedidas e claro que deixei nos lábios se tocarem e quando isso aconteceu deixei a coisa rolar e nossas bocas se colaram e nossas línguas se enroscaram em um beijo quente e cheio de volúpia.

O beijo durou o tempo suficiente pra me deixar toda melada, minha xoxotinha pulsava forte de tesão e então abri a porta pra descer e Jaime então todo carinhoso disse que era pra ligar pra ele novamente quando quisesse pra podermos passear novamente e dando um sorriso fui pra casa e fui direto pro meu quarto e de bruços na cama enfiei os dedos na minha rachinha virgem e bolinei meu grelo sensível gozando que nem uma cadela no cio
Continua…?
Adiciona no face se quiser algum tipo de putaria mas só se eu permitir
Sem mandar foto da rola sem minha permissão
Se não bloqueio na hora

https://m.me/Mari.albuquerque52056

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,46 de 13 votos)

,

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. loi

    https://chat.whatsapp.com/6JyPihlwHmoAKBLnQPctpz

  2. Pachecao

    Amei menina Gostosinha fiquei com o meu Pau hiper duro pensando em você. Vou tocar uma Gostosa Punheta pensando em ti… Vou te enviar uma solicitação no Facebook…

  3. Edilson

    Amei Mari vou te add tá delicia teu conto vamos conversar sim discretamente e se gostar de mim vamos nos dar prazer adorei te conhecer…..

  4. denilson

    deliciaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa quero ser seu amigo no face pra converamos deliciaaa me adc,,,

  5. Grafit 22

    Muito excitante gostei continúa podemos ser bons amigos..