Por causa do meus contos ajudei um pai a comer sua filha

09-08-18 Por 7 ★ 4.93

Olá, meu nome é Gabi Cristina e eu faço contos e muito deles envolve incesto. Goste de conversar com alguns dos meus leitores, trocar experiências e desejos. E por causa de um dos meus contos um dos meus leitores veio entrar em contato comigo para falar do desejo dele de comer sua filha. Ele entrou em contato comigo por causa de um contos “ajudando meu namorado a comer a irmãzinha” que ele tinha gostado muito e o queria conversar. Falamos sobre incesto e nos tara por novinha/o sobre com era excitante o proibido e como queríamos experimentar. O seu nome era Roberto e ele contou que sempre teve essa tara por novinha/o que já tinha tido duas experiências no passado, a primeira na adolescência com a irmãzinha do amigo que ele abusou dela enquanto dormia e outro anos depois com seu primo fazendo ele o chupar. Agora ele tinha casado e tinha uma filha Angélica ele tinha um desejo muito grande de comer a filha mas nunca tinha tentado nada.
Descobri que ele também era da mesma cidade e resolvemos nos encontrar, confessa que fiquei um pouco com medo dele estar mentindo e não ser quem ele dizia. Combinamos de nos encontrar no shopping na praça de alimentação. Assim que cheguei vi ele sentado e foi me sentar com ele. Roberto me recebeu com um abraço e ele me pagou um lanche no fast-food. Enquanto comíamos conversamos sobre sua filha e então falávamos ele ficou a acariciar minhas partes íntimas, foi de vestido de propósito para isso, tbm fiquei a tocar o seu pau por cima da roupa. Ele me falou que quando leu meu contos o deixou completamente duro e imaginado eu o ajudando a comer a sua filha. Um dos motivos dele e querer me encontrar era para ver se o ajudava a ficar com a filha. Ele já tinha tentado a abusar dela enquanto dormia mas a menina tinha um sono leve e não conseguiu. Perguntei se a menina era magrinha e tinha dificuldades para comer pois tinha um remédio que eu tomei quando criança que me fazia desmaiar. O pai gostou da ideia e resolver tentar. Fomos na farmácia e compramos camisinha e o remédio, saímos de shopping e fomos para um motel. Eu sempre aparentei ser mais nova que sou muita gente diz que tenho 14 anos e isso o excitou muito. No motel fantasiamos que eu era a sua filhinha. Ele me colocou no colo e foi acariciar minha pernas e subindo até chegar na minha calcinha, foi tirando ela e dizendo que iria fazer um carinho do papai. Ele ficou massageando minha bucetinha que já estava bastante molhada.
Ele me tirou do seu colo e foi tirando suas calças e disse que a bebê tinha que mamar na mamadeira do papi, passai a chupar o seu pau ele gemia me chamava de filhinha safada e gozou na minha boca. Roberto me colocou em seu colo de novo e fez eu montar em seu pau, fiquei cavalgando e chamando ele de papi que o papi estava fazendo eu uma menina safadinha que eu ia gozar.
Ele me deixou em casa e combinamos de manter contato e saber o que aconteceria com sua filha. Três dias depois ele mandou uma mensagem contando que deu o remédio para filha e por causa disso ela estava dormindo muito pesado e ele pode tirar a roupinha da menina e abuso do corpinho dela, ele lambeu todo o seu corpinho e chupou a becetinha que ele tanto sonhava, ele não tentou penetrar ela mas ficou pincelando o seu pau na vagina infantil dela. Roberto estava dando todo dia o remédio para a filha, mas também começou a fazer uns carinhos diferentes na filha acordada. Como dando selinho na sua boca e fazendo ela sentar no seu colo e dando carinho da barriga dela. Roberto fazia cócegas com a boca na barriga dela e ia descendo a boca aos poucos até chegar bem perto da xaninha da Angélica. Ele ficou esperando que com essa brincadeira a menina peça por mais e ele possa avançar, mas por enquanto iria só se apresentar dela dormindo. Eu fiquei curiosa e pedir para me encontrar com eles para ver se podia ajudar mais um pouco .
Nos encontramos de novo no shopping ele me apresentou com a filha de um amigo do trabalho eu lanchei com os dois e conversamos eu tentei ficar amiga da menina e Angélica era uma garota legal espertar. Seu pai deu uma desculpa de ter que sair e fiquei sozinha com a menina. Ficamos conversando mais um pouco e chegou o momento que eu comecei a falar de quando era criança que era bastante esperta já sabia de muitas coisas que os adultos não sabiam. Falei que os adultos subestimavam muitas crianças achando que não sabíamos de nada mas éramos muito esperto e apreciamos fácil. Perguntei para a menina se ela também era assim que se tinha um segredo, a Angélica a acabou confessando que as vezes brincava com sua vagina que acha gostoso se tocar e que as vezes usava os brinquedos para esfregar a bucetinha. Falei que era normal o que ela fazia, mas era importante pedir a ajuda pra um adulto, talvez o seu pai que ele entenderia e a ajudaria, mas era melhor guardar segredo dos outros pq poderia entender errado. A levei no banheiro e confirir se tinha ninguém, entrei com ela na cabine e pedir para ela me mostrar como ela se tocava, a menina muito tímida tirou a saia e a calcinha e com os dedinhos começou a se tocar dava para ver que ela não sabia muito bem oq estava fazendo e eu coloquei a minha mão no meio de suas pernas e comecei a mastubala o corpinho dela começou a tremer de prazer e foi explicado de como a gente se sente muito bem quando alguém toca na gente. Deixamos o banheiro e encontrarmos com seu pai.
Me despedir deles e voltei para casa. No dia seguinte o seu pai tinha me mandado um mensagem que a sua filha tinha pedido para ajudar ela a brincar com sua bucetinha e na quela noite ele pela primeira vez tocou na vagina da filha com ela acordado. A menina parece ter gostado muito do pai a mastubando pois pedio para ele fazer de novo essa manhã. Ele estava completamente feliz que enquanto enviava essa mensagem estava com a filha no colo e a mastubando.
Ficamos essa semana trocando mensagens dele relatando que a Angélica ficava toda hora pedindo carinho do papai, ele estava cada vez mais avançado que já estava chupando a menina e iria logo apresentar ela o seu pau. Falei que estava com muita esperança que logo fosse chamada para participar dessas brincadeiras. E Roberto falou que seria maravilhoso minha presença lá

(Gente vou terminar por aqui espero que tenham gostado. Me sigam no insta lolipop2.1_)

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,93 de 27 votos)
Loading...

Por

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Eletrônico

    Os caras lêem o “conto” até o fim, já sabendo o que vai acontecer, batem uma punheta pensando ser eles no lugar, e depois vem com essa conversa mole pensando que as pessoas não sabem que são uns tremendos pedófilos, devem serem frustados por não conseguirem ainda concretizar os seus sonhos.

  2. Anônimo

    Você sabe fantasiar muito bem, e elabora seu conto de forma direta ficando assim, Muito bom e excitante !!!! Espero que tenha continuação , das conversas narradas entre você e o pai e a menina.

  3. Júlio de Sousa campos

    Grande filho da puta e está vagabundos pior ainda este filho da puta merece uma bala isto merece ser internado ou manicômio isto não existe polícia neles

  4. Anónimo

    Eitaaa

  5. anonimo

    Pai faz isso tem parafusso solto cabeca

  6. Chacal2832

    Muito feliz que vc voltou a escrever. Vc é uma das minhas escritoras favoritas. Continue assim.
    Ps: Muita inveja desse cara que te comeu e ainda ta pegando a filha.

  7. cristiano

    Nojenta.