Marcela Nudista – Parte 2

Autor

Chegou o final de semana, eu e a minha mãe estávamos planejando algo especial. Durante a semana, eu e Bryan demos uns amassos na escola, mas não passou disso. Como nós tinhamos feito amor na segunda-feira, eu estava louca de vontade de transar com o Bryan denovo, e comentei isso com a minha mãe:

"Mãe, hoje é sábado, queria chamar o Bryan pra vir pra cá, eu queria transar com ele."

"Pode chamar filha, porque num vamos a uma praia deserta? Tem uma praia que fica à uns 20 kilometros aqui de casa, lá da pra a gente ficar nua e vocês podem transar."

"Você é a melhor mãe do mundo"

"Vamos tomar um banho juntas filha, passa um zap pro Bryan fala pra ele vir."

Peguei meu celular, enviei uma mensagem pro Bryan e disse pra ele vir passar o final de semana comigo. Ele visualizou e respondeu de imediato, dizendo que tava vindo, que a mãe e a tia dele tinham ido viajar pra passar o final de semana fora, eu fiquei muito feliz.

Eu e minha mãe entramos no box, ligamos o chuveiro e minha mãe começou a me ensaboar. Depois eu virei, como minha mãe é bem mais alta que eu, os peitos dela ficaram na minha cara, eu comecei a chupar um dos peitos da minha mãe.

"Para de chupar meus peitos filha, isso me dá tesão"

Eu tava já babando nos peitos da minha mãe e respondi:

"Ah mãe, me lembra de como você me amamentava, e isso é gostoso"

"Eu sei filha, vira de costas, deixa mamãe lavar seu cabelo. Já depilou sua buceta?"

"Já mãe."

Minha mãe começou a lavar meu cabelo, que banho delicioso, mãe e filha nuas no box do banheiro, juntinhas, eu me sentia amada e protegida.

Terminamos nosso banho, eu comecei a me secar e ouvi a campainha tocar, pensei logo que deveria ser o Bryan, saí do banheiro pelada e fui até a porta. Era o Bryan.

"Oi amor, olha o que eu trouxe pra você"

Bryan trouxe pra mim uma caixinha de chocolates, achei muito fofo.

"Aiiii amooor, você é muito fofo, te amo. Entra."

Bryan veio entrando, minha mãe saiu do banho com a toalha enrolada no cabelo e veio recebe-lo.

"Oi Bryan, Marcela me disse que você veio passar o final de semana conosco. A gente tá querendo ir numa praia deserta, fica à uns 20 kilometros daqui, lá pode ficar sem roupa. Quer ir com a gente?"

"Quero sim, to animado pra ficar com voces"

"Entao, vai tirando seu short, cueca e camisa e deixa no quarto da Marcela, eu vou pegar a chave do carro pra a gente ir."

"Ué, mas nós vamos pelados daqui na praia?"

"Vamos sim, o carro tem Insulfilm e não tem como ninguém ver quem tá dentro."

Minha mãe sempre achou que o mundo seria melhor se as pessoas não usassem roupa pra nada, como nessa praia que nós vamos. Aí minha mãe disse:

"Lá só tem um quiosque, e a gente pode almoçar sem roupa. É o paraíso, vocês vão gostar."

"Mãe, posso fazer amor com o Bryan na praia?’"

"Pode, essa é a única praia que as pessoas transam na areia. Não tem ninguém pra incomodar, lá é permitido demonstrar afeto em público."

"Ahhh que bom!"

Minha mãe pegou a carteira, as chaves do carro, protetor solar e as toalhas eu fui levando. Fomos pro carro sem botar nem calcinha. Saímos de casa e pegamos a estrada.

35 minutos depois chegamos na praia, um pedaço de estrada de terra até chegar no estacionamento. Tinham algumas pessoas nuas desembarcando as coisas. Minha mãe parou o carro, calçamos o chinelo, descemos e começamos a caminhar em direção a praia. Passamos pelo quiosque, eram umas 10 da manhã, tava vazio, só tinha uma moça atendendo e ela tava pelada também.

Ao chegar na areia esticamos a toalha, e pedi pro Bryan passar protetor em mim. Minha mãe tava passando protetor pelo corpo todo e massageando seus proprios seios. Acho que ela tava com tesão.

Eu comecei a passar protetor no Bryan e vi seu pau durinho, era a emoção de poder fazer amor comigo, com certeza.

Deitamos nas toalhas um pouco pra aproveitar o sol, minha mãe deitou de bunda pra cima, eu queria tirar as poucas marcas de biquini que eu tinha, deitei com a minha xaninha e os meus peitinhos pra cima. Bryan virou pro meu lado e começou a me beijar. Eu virei pra ele retribuindo o beijo gostoso que ele tava me dando, e comecei a massagear o pinto dele.

Tava deserta a praia, não tinha quase ninguém. Somente o casal que nos vimos desembarcando no estacionamento. Mesmo se não pudesse fazer sexo aqui, ninguém ia nos ver.

Comecei a chupar o pau do Bryan com muita vontade, de fazer até barulho de tanta baba que deixei no pau dele. Levantei, ajeitei o pau dele na minha buceta e comecei a sentar. Minha mãe virou pra nós e começou a olhar, aí ela comentou:

"Filha, denovo sem camisinha. Você tá querendo engravidar?"

"To sim mãe, fazer amor com o Bryan é bom demais, se depender de mim vou encher aquela casa de filho" respondi ofegando, cavalgando no pau do Bryan.

"Já pensou no nome da criança pelo menos?"

"Ainda não mãe… aaahhhh iiisso vai amor, fode minha bucetinha novinha"

"Vou fuder sua bucetinha, vou gozar dentro dela e te dar quantos filhos voce quiser" respondeu Bryan todo animado.

"Então vai amor, goza pra mim, enche minha buceta com seu leite"

Bryan foi metendo com força, até que ele gemeu e eu senti ele gozando dentro de mim, puxou o pinto todo dentro da minha buceta. Eu me reclinei no corpo do Bryan e comecei a beijá-lo. Minha mãe falou:

"Agora vão pra água se refrescar, limpar esse esperma aí da sua buceta. E pro Bryan lavar o pinto dele também."

Eu e Bryan levantamos e fomos correndo pra água, começamos a brincar igual duas crianças. Minha mãe sentou-se na toalha e ficou olhando a gente.

Saímos da água e fomos nos secar. Olhei no meu celular já eram quase meio dia. Perguntei a minha mãe se poderíamos ir almoçar, ela disse que sim. Calçamos o chinelo e fomos pro quiosque. A moça veio nos atender:

"Olá sejam bem vindos, o que voces gostariam de comer?"

Minha mãe olhou no cardápio e respondeu:

"Risotto de camarão, pra nós três." Minha mãe respondeu.

A moça foi lá preparar o pedido, alguns minutos depois ela voltou ccom os pratos. Almoçamos todos nús, rindo e brincando. Minha mãe acho que estava gostando da ideia de eu fazer amor com o Bryan pra engravidar, ela tinha parado de reclamar. Meu pai quando se separou, deixou minha mãe numa situação muito boa, então não precisamos nos preocupar com dinheiro. Eu poderia ter quantos filhos eu quisesse, que nenhum deles passaria dificuldade.

Depois de tudo, voltamos pra casa, lanchamos, vimos um filme juntos à noite e fomos pra cama. Bryan e eu fizemos amor mais uma vez, sempre gozando dentro de mim. Depois do nosso orgasmo, nós relaxamos e dormimos nús, abraçadinhos.

Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,64 de 28 votos)
Loading...