Lucilene a puta casada

Autor

Ola galera é meu primeiro conto, eu me mudei pra São Paulo a trabalho, eu estava com 20 anos, aluguei um ap e trabalhava e estudava a noite, tudo estava normal, mas eu conheci Rafael na empresa, ele era chefe de outro departamento, e fizemos amizade, ele me ajudou a ser promovido, e tudo esta dando certo, mas certa vez ele me convidou pra jogar futebol num clube a noite, eu não teria aula naquele dia, fomos e nosso time ganhou, resolvemos dar uma esticada e fomos comemorar, ele ligou pra mulher dele, e tudo bem, eu estava com meu carro pois o carro dele estava na oficina, e ficou combinado de levar ele depois, tudo bem, bebemos algumas cervejas com os amigos, e depois eu fui leva-lo, quando chegamos em sua casa ele chamou a mulher pra me apresentar, e quando eu a vi, fiquei disfarcei, mas ela estava com uma calça jeans o zíper aberto, mostrando a calcinha, um blusa decotada com os peitos quase pulando, morena pele clara, olhos negros, muito linda apenas de meio cheinha, mas gostosa, então eu o deixei la e fui pra casa, no dia seguinte era um sábado eu fui a comprar algumas coisas no mercado e quando estou saindo vejo Lucilene a mulher de Rafael, ela fala. Oi tudo bem, vc é o Maranhão né? Eu, Sim, e o Rafael, ta legal, Ela. Sim esta ótimo ele foi a casa da mãe dele e só volta a noite, eu vim aqui fazer uma compra e depois vou buscar nossa filha no balé, Eu já tinha pago e ajudei ela a colocar as coisas no caixa e a empacotar as coisas, e colocar no carrinho do outro lado do caixa, ai fomos conversando até o carro dela, la ajudei ela a colocar as coisas no porta malas, e ficamos o tempo todo falando do trabalho que é puxado, coisas assim, ai quando tudo estava no porta malas, ela se despediu com um beijo no meu rosto, e foi, eu fui pro meu carro e coloquei as coisas e fui pra casa, em casa recebo uma ligação de um numero desconhecido em meu celular, era Lucilene, ela havia pego meu numero no celular do marido, ai ela fala. Oi tudo bem? nos vimos no mercado, eu peguei seu numero no celular do Rafael, e ai chegou bem? Eu. Sim cheguei bem sim. Estavamos sem saber o que dizer ficamos um pouco em silencio, pra quebrar o clima eu perguntei se o Rafael, já tinha chegado. ela disse que não, ele só voltaria a noite, ai ela me adicionou no zap, e ficamos conversando pelo zap, ela me mandou algumas musicas que ela gostava, ai disse que gostava de dançar, mas o Rafael não a levava pra sair, eu dizia que era um pena, pois ela era bonita e o Rafael deveria dar mais atenção a ela, ai ela me pediu pra dar umas dicas a ele, mas não falar de nossas conversas nem de que ela tinha meu contato, passamos a nos falar todos os dias pelo zap, ai certa vez ela me perguntou se eu poderia opinar numa roupa que ela comprou, ai ela fez uma ligação de vídeo, e mostrou a saia curta, com o top e perguntou se estava bom, eu notei que ela era mais gostosa do que eu imaginava, ai sempre que dava ela me ligava com vídeo perguntava se o baton estava bom, se a maquiagem estava boa, ai teve um vez que seria feriado prolongado, ela queria ir a praia, mas o Rafael naquele fim de semana iria participar de um congresso na empresa, e não poderia, ela falou que prometeu levar a filha, mas o Rafael de ultima hora não pode ir, ai ela disse que a mãe dela morava em Itanhaém, e ela iria pra la, ai fez uma ligação com vídeo e me perguntou se o biquíni ficava bom, meu eu quase gozei vendo ela com o biquíni todo atojado na bunda, ai ela entrava atraz de uma cortina meio que transparente trocava e perguntava se o outro estava bom, eu a elogiava, dizia que ficou fantástico, ai ela perguntou se eu iria trabalhar no feriado prolongado, eu disse que não, embora estava com muitos trabalhos de faculdade pra fazer, mas disse que estava livre, ela falou. Vamos, la nos encontramos, e tem uma colônia do sindicato de vcs ao lado a casa da minha mãe, vc pode ficar la, Eu. Na realidade eu nem sabia dessa colônia, mas ela disse que eu teria que falar com fulano de tal, la da empresa, pra ver se eu conseguia pegar a colônia, eu fui procurar a pessoa na empresa, e por sorte, só tinha uma vaga, pois já estava lotado, eu pedi pra reservar pra mim e combinei com ela e desci a serra, chegando la ela me liga e diz que havia acabado de chegar, eu também tinha chegado, e combinamos de nos ver, eu nem me ajeitei no quarto e já fui ao encontro dela, ela disse que deu uma desculpa pra mãe e pra filha e ai ela me levou pra uma praça, pois ela já conhecia bem ali, eu era a primeira vez que tinha ido pra la, ai chegando nessa praça, sentamos num banco e ela já veio me beijando, ela dizia que estava super ansiosa pra me encontrar, dali já fomos pra um motel, chegando la, nem fizemos as preliminares, ela já tirou a roupa, eu tirei a minha ela me puxou pra cima dela, e eu meti gostoso, nem pensei em preservativo, só empurrei a rola, ela me puxava com rapidez e violência, eu segurei o gozo, o máximo que pude, mas gozei e ela continuou com o fogo, e gozou pouco depois, que mulher mais selvagem, ficamos nos beijando os dois molhados de suor, ai fomos tomar um banho frio pois estava calor, ai no banho ela fica de 4 e manda eu meter gostoso, ai gozo de novo e ela gozo pouco depois, ai saímos, ela me deixou na colônia, eu entrei almocei, e descancei um pouco, quando ela me liga e quer transar de novo, eu sai e fui ao encontro dela, pois a mãe dela morava na rua ao lado a colônia, e tinha uma esquina onde nos encontrávamos, dali já fomos pro motel, e transamos de novo, ai ela voltou pra casa, me deixou na colônia, e marcamos de nos encontrar a noite se tudo der certo, pois ela iria dar uma desculpa pra tentar sairmos, e la pelas 8 da noite ela me liga, e diz que estava indo pra colônia e que queria rola, falou com essas palavras, quando ela chegou eu aconvidei a entrar e no quarto ela já tirou a roupa e veio de boca no meu pau, chupou gostoso, e me fez gozar, ai ficamos conversando tomando umas cervejas, e quando eu me recompus ela já sem roupa me chamou pra cama, e metemos gostoso, ela sentou com tanta força no meu pau, que nem sei como não doeu a buceta dela, pois parecia que não tinha fundo, ficou cavalgando, e gozamos juntos, tomamos um banho e comemos alguma coisa, e começamos de novo, ela de 4 e eu em pé, metendo com força, ficamos o fim de semana inteiro nos encontrando, tinha vezes que a filha dela ligava na hora em que estávamos transando, as vezes a mãe dela, ou o pai, reclamando com ela que deixava a menina sozinha, ai terminávamos e ela saia correndo, dai combinávamos e as vezes tínhamos que ser mais rápidos, mas combinamos de quando subir, a gente se encontraria mais vezes secretamente pra transarmos, o fim de semana acabou, e subimos, no dia seguinte, ela foi a minha casa, e deixou na portaria um presente pra mim, camisas, um celular novo, teve um dia que ela deixou um tablete, zerado, as vezes que nos encontrávamos ela me dava algum dinheiro, coisa de 100 reais, as vezes 50, certa vez ela me deu um tênis de 300 reais, e eu terminei a faculdade raspando, pois tudo ficou difícil, dar atenção a ela, e a faculdade, eu ficava exausto, mas depois que terminei, Rafael, me ajudou a ser promovido de novo, eu consegui comprar o ap que estava alugando, consegui trocar de carro, e estou comendo Lucilene já a um ano e meio, ela sempre me da presentes, quando não é uma camisa, é uma calça, ou um tênis, ela me ajudou a pagar algumas prestações do meu ap, do carro, o interessante é que as ligações dela, é sempre com muita sedução, Oi meu roludo, vem me foder, quero dar a buceta, ou minha buceta esta piscando de tesão, teve uma vez que Rafael combinou com os amigos de jogar futebol, e eu não quis ir, inventei uma desculpa, mas Lucilene me convidou pra sair, ela disse que falou pro Rafael que ia sair com as amigas. mas antes fomos ao meu ap e la eu a comi gostoso, ai depois ela se encontrou com as amigas, naquele dia ela me deu 800 reais, estamos saindo escondidos, como já disse a um ano e meio, mas eu começou a ficar pensando, e se o Rafael descobrir, meu fico meio receoso, é bom demais, mas falando com outro amigo meu sobre o caso, mas sem dar nomes, ele disse que mulher casada cheira a terra de cemitério, mas na realidade nem sei como sair dela, mas estou agora tentando vender meu ap, se conseguir, e conseguir também que a empresa me transfira pra outro estado, é o que vou fazer. bom é isso. espero que gostem.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,82 de 11 votos)
Loading...