, ,

Fui Possuída por Vários

20-08-18 Por 1 ★ 4.33

Queridos, para não ficar muito tempo longe de vocês, resolvi colocar um conto ‘esquecido’ no meu notebook; Não esqueça de comentar, amados.
Queridos, aqui estou de volta, como prometido a alguns leitores com a parte 2 do meu conto ‘Possuída na Praia’…. (se você não leu, dá uma espiadinha lá e comente, viu?!)
Depois daquela aventura maravilhosa na praia com os rapazes naquele final de semana, durante semanas recebia vários e-mails deles, sempre elogiosos e as vezes safadinhos, relembrando aquela louca aventura. Como havíamos combinado de repetirmos a dose assim que surgisse uma oportunidade… eles estavam combinando se reunirem numa chácara, em um final de semana, para que pudéssemos reviver novamente aqueles momentos prazerosos e sensuais.
Havia um feriado numa sexta-feira, e recebi um e-mail de um deles perguntado se eu estaria ‘disposta’ a passar três dias de ‘festa’ com eles, pois todos estavam loucos de ‘tesão’ para me ‘terem’ novamente.
Mais que depressa, pedi o celular de um deles para que pudesse entrar em contato assim que possível. Armei todo o esquema para que pudesse adiantar todo o trabalho do escritório até mais tardar na quinta-feira.
No mesmo dia, liguei para A., falando para me mandarem o endereço da tal chácara, e que eu estaria de ‘prontidão’ para eles. A. me disse que estariam em uma cidade que fica a 2h da minha e a chácara ficaria há 40 minutos depois desta. Ele me esperaria na avenida central da tal cidade e me acompanharia até a chácara, apenas precisávamos marcar o horário de encontro.
Na quinta-feira, sai um pouco mais cedo e passei em casa apenas para pegar minha mala e rumei para a estrada, pois não gostava de viajar à noite. Vesti uma regata, uma mini-saia, pois estava muito calor. Marquei com A., me encontrar por volta das 20h em frente a um hotel.
Ao chegar na cidade, já na dita avenida avistei A. que imediatamente entrou no seu carro e deu sinal para que o seguisse. Trinta minutos após, ele adentrou em uma estrada de terra e continuei seguindo-o.
Parou o carro um pouco mais adiante, parei também, quando vi que ele estava acompanhado por R. (o rapaz musculoso, lembram?!). Eles vieram até meu carro abriram a porta, me puxaram para fora.
Os dois começaram a me beijar na boca e pescoço, enquanto suas mãos apalpavam meu corpo por todos os lugares.
– Que delicia você está, gostosa…. mais gostosa que da última vez, dizia R., que me abraçou por trás para apalpar meus seios e beijar meu pescoço.
A. estava de frente para mim beijava minha boca enquanto enfiava uma das mãos entre das minhas pernas.
Ficamos naquele amasso alguns longos minutos, só matando a saudade, mas eles disseram que estavam me ‘esquentando’ para o que estava por vir.
A. entrou novamente no carro e R. entrou no meu, enquanto estávamos na estrada, R. levantou um pouco minha saia, abaixou minha calcinha e deitou-se no meu colo tentando enfiar sua língua na minha xaninha.
Ele me falava que os outros 4 rapazes estavam ansiosos me esperando na chácara, que eu teria que ‘aguentar’ eles a noite toda, que não iam me dar um minuto de descanso.
Estava muito excitada naquele momento contando os segundos para poder finalmente repetir aquele gangbang de meses atrás.
A. parou em frente a um portão, e desceu do carro completamente nu… com o pênis todo ereto, abriu o portão e pediu para que eu passasse….. R. então dentro do meu carro, disse que também iria se preparar… tirou a camisa, a bermuda, cueca e ficou nu, com o pênis igualmente ereto.
Dei um sorriso malicioso para ele, enquanto observava seu pênis…. ele pediu que parasse o carro no estacionamento lateral.
Assim que parei, A. e R. me desceram do carro e cavalheiramente, me conduziram até a área da piscina que ficava mais nos fundos.
Quando chegamos, tive uma visão que elevou meu tesão aos limites. Os outros 4 rapazes estavam também nus, sentados numa mesa, jogando cartas, e abriram um enorme sorriso assim que me viram;
Todos vieram em minha direção e ganharam um beijo na boca cada um. Suas mãos, rapidamente, começaram a roçar sobre meu corpo. Seios, cintura, bunda, não tinha uma parte do meu corpo que não fora explorada pelas suas mãos.
Me levaram até um colchão inflável de casal, disposto especialmente, próximo à piscina.
Me fizeram ficar ajoelhada no meio deles, quando um dos rapazes, colocou seu pênis imediatamente na minha boca. Os outros, então começaram a bater seus pênis no meu rosto. Fiquei longos minutos me revezando um por um, deixando todos duros e lambuzados com minha saliva.
Um deles, já havia deitado entre minhas pernas, fazendo um delicioso sexo oral. Um dos, rapazes arrancou minha blusa e como estavam sem sutiã, dois deles já atacaram meus seios, sugando-os intensamente e às vezes davam leves mordidas nos bicos;
Me fizeram levantar para que pudessem tirar minha saia, agora estava completamente nua, igualzinha a eles, preparada para receber aquelas ‘toras’ do jeito que eu gostava.
Me deitei sobre o colchão e abri as pernas para receber o primeiro deles. Um negro forte se colocou diante de mim com seu enorme pênis ereto. Colocou aquela cabeça vermelha enorme na entrada da minha xaninha e enterrou tudo dentro de mim. As estocadas de ele eram fortes e rápidas… gozei só de senti-lo dentro de mim…. Gemia desvairadamente…. tentava chupar outros pênis, enquanto segurava outros dois com minhas mãos.
Ele metia com vigor, quando levantou minhas pernas para o alto para que ele ficasse sobre mim…. as estocadas começaram a ficar mais fortes e rápidas… eu gritava de tesão, sentindo aquele deus do ébano me preenchendo toda, quando ele saiu de mim… e gozou seu ‘leite’ sobre meus seios….
O segundo deles me colocou de quatro de enfiou com força dentro de mim… embora seu pênis fosse menor, senti um pouco de dor… ele era mais vigoroso e metia com intensidade….não tinha mais como gemer, uma vez que a minha boca já estava sendo ocupada pelos pênis dos outros rapazes.
Ele dava tapas de leve na minha bunda, quando estocada ferozmente…. quando saiu de mim e deu lugar a R. , que me levantou e me levou até o chuveiro da piscina para que eu me lavasse.
Ele disse que se lembrava do nosso sexo embaixo do chuveiro na praia e queria repetir. Como estava toda suada e lambuzada, aquela água fria aliviou meu calor. Ele me colocou de costas para ele, abriu minhas pernas, e penetrou com tudo. Ele estava encoxado em mim metendo gostoso, outros rapazes entraram debaixo do chuveiro para que eu os masturbasse com as mãos.
Ele não aguentou aquele sexo selvagem e gozou dentro de mim depois de alguns minutos.
Outros dois vieram com um sabonete e disseram que teriam que me dar um banho para me limpar do esperma de R.
Agora dois machos, começaram a me ensaboar e enfiar dos dedos dentro da minha xaninha.
Um deles se segurou pelos cabelos, e me puxou para baixo para que sugasse seu pênis. O outro não aguentou e me penetrou por trás. Enquanto chupava um, ele penetrada pelo outro. Trocaram de lugar várias vezes gozando junto comigo no final.
Mas faltava A., que apenas assistia aquela maratona se sexo e sorria maliciosamente. Ele fechou o chuveiro, e cochichou no meu ouvido, que ele queria meu cuzinho.
Os rapazes fizeram um torneio de poker anteriormente, e o vencedor, teria o prazer se ser o primeiro a arrombar o meu cuzinho; Como ele havia ganho, teria a honra de me comer por trás.
Concordei por achar excitante ser disputada por tantos machos. Me deitei novamente sobre o colchão inflável exibindo minha bundinha. A. colocou duas almofadas embaixo da minha barriga para que meu quadril ficasse levantado.
Senti o lubrificante liquido sendo despejando no meu cuzinho e senti suas mãos abrindo minhas nádegas. Olhei para trás e percebi que havia esquecido que seu pênis era avantajado. Era grosso e seu via uma grande veia sobressalta sobre todo ele.
Fechei os olhos, quando senti a cabeça forçando a entrada do meu cuzinho; soltei um grito de dor quando a cabeça passou…. A. riu e disse que agora faltava o resto.
Ele enterrou de um só vez seu pau dentro do meu ânus…. gritei e arregalei os olhos na hora… tentei sair, mas ele me segurou pela cintura e começou a estocar com força.
Ao mesmo tempo que sentia a dor dilacerante do pênis dentro mim, também sentia um tesão inigualável… outros rapazes tentavam colocar o pênis na minha boca, mas como sentia muita dor, só podia gemer e gritar… e gozar.
Senti A. gozar seu líquido quente dentro de mim, ele gemia e tremia enquanto gozava. Ele desfaleceu sobre mim, e ficamos longos minutos deitados, com o peso dele sobre mim.
Estava exausta, os meninos me levaram até o chuveiro dentro da casa e mostraram o quarto que prepararam para mim e seria só meu.
Mas disseram que eu ficasse nua o resto da semana, pois aquilo era só o aperitivo do que estava para vir pelos próximos 3 dias.
Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,33 de 3 votos)

Por , ,

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. LILY

    Gostei