Eu, meu pai e minha prima

Autor

Eu, meu –pai e minha prima
Sou sara, filha da Carol e do Carlos, sempre adorei meu pai, inclusive minha mãe falou que ele era uma pessoa especial, e acabou me contando que ele a defendeu certa vez quando seu ex-marido tentou bater nela, acabou transando com ele e falou que até hoje não esquece cdomo foi bom, nunca tinha encontrado, apesar de não ser igual a minha tia que era ninfomaníaca bosexual e adorava sexo de todas maneiras.
Fomos eu, meu pai e minha prima para o sitio de um tio, que foi viajar, e quando fazia isso pedia para ficarmos tomando conta do mesmo. Lá podíamos aproveitar a piscina, já que o local é bem quente e podíamos ficar na mesma durante muito tempo. As empregadas arrumavam tuydo e no final de semana quando íamos para lá, estava tudo pronto e só tínhamos que nos preocupar com a comida. Notei certa liberdade entre meu pai e minha prima, inclusive fiquei sabendo que ele foi seu primeiro homem, que fez dela mulher como aconteceu comigo, mas não podia falar nada, pois senão todos iam ficar sabendo.
Notei que ela andava sempre sem roupa na presença do meu pai, e o mesmo sempre pelado,
– Nossa Sam ; como você tem coragem de ficar sem roupa na frente do seu tio?
– Ué! Qual o problema?
– Não é normal, né?
– Quando estou aqui ele quer que eu fique pelada, ou de fio dental, mas prefiro ficar sem roupa ..
– E você vê ele também pelado?
– Claro… E eu aprendi dormir sem roupa, foi com ele.
– Ele também dorme pelado?
– Dorme!…
Passei a ficar curiosa quando ia dormir , e a noite eu ficava imaginando meu pai pelado já tinha visto várias vezes mas tive que ficar de boca fechada. Certo dia após o almoço arrumamos tudo e vi quando Sam saia do quarto do meu pai. .
– Ela tá pelado?
– Tá sim… Quer ver?…
– Deus me livre!…
– Boba… Não tem problema nenhum de você ver.
– Não? Mas o pai pode não gostar.
– Hahahahaha… Lógico que ele vai gostar; entra lá pra você ver.
– Você entra comigo?
E Sam me pegando pela mão foi me puxando e empurrando a porta do quarto.
– Tio i? A Sara a quer lhe dar um beijo de boa noite.
– Pode chegar aqui Sara … Vem!…
Sentia minhas pernas tremendo um pouco vendo meu pai deitado de barriga pra cima com seu pênis começando a se mexer como se tivesse vida própria. Cheguei próximo da cama.
Minha vontade era cair de boca nele, e me deliciar, bebendo todo o leitinho que ele tinha armazenado, mas não podia deixar a Sam perceber.
– Pode sentar aqui… Não precisa ficar com medo.
Quando sentei, o pênis já estava reto pra cima e tinha um tamanho que me fazia gozar sempre que ele tinha vontade, apesar de não ser igual a minha mãe passei a gostar do seu pênis que estava sempre a minha disposição. Sentei e me reclinando dei um beijo no seu rosto saindo rapidamente do quarto e fui pro quarto da Sam que logo chegou atrás.
– Pô Sara… O pai ficou preocupado do jeito que você saiu do quarto.
– Está tudo bem… É que não estou acostumada com isso.
– Esta tudo bem mesmo? Você só não pode contar pra ninguém, tá?
Só que passei dias e dias pensando no pênis que tanta alegria me dava. Estava com vontade de revê-lo… Passei a ter vontade de me deliciar com ele novamente mas o receio da minha prima dar falar para alguém me impedia de chegar perto. Até que um dia, Sam foi pro quarto do meu pai deixando a porta aberta até pela metade. Fui me aproximando sorrateiramente, e logo que olhei pra dentro do quarto vi Sam ajoelhada ao lado do tio, reclinada e chupando o pênis dele… Fiquei com ciúmes da cena e queria estar no lugar dela para me deliciar com seu pênis. .
– Oh vou te contar tá bom? Mas é segredo hein?
Sam foi me contando que já fazia quase dois anos que eles dois faziam todo tipo de sexo, e quando perguntei que tipo ela rindo falou que deixava seu tio i meter até na sua bundinha e que adorava… Fiquei com tesão escutando ela me contando como tinha sido a primeira vez quando perdeu sua virgindade com seu tio, como tinha acontecido comigo e meu pai . Ela me contou que eles quando iam pro sítio praticamente ficavam sem roupas o dia inteiro… Principalmente na piscina e na sauna. Ela vendo que estava interessada nas suas histórias de sexo com o tio, me chamou pra ir com eles pro sítio.
– Vou ficar vendo vocês pelados, vou?
– Vai… Mas se você quiser ficar pelada também, pode!…
– Eu ficar pelada junto com vocês?
Foi quando a safada me falou que já tinha conversado com o tio, de ter vontade de assistir ele transando comigo.
– Vai a merda Sam… Ficou doida, é?
E a filha da puta me falou que a única que ela teria coragem de ver junto meu pai, além da minha esposa é claro. Mas sabia que ela transava com outros e que garanto que meu tio ia adorar ter nós duas na cama com ele, para aproveitarmos esse periodo de férias.– É? Meu Deus do Céu… Isso é uma loucura.
E Sam caindo na gargalhada.
– Mas deve ser uma loucura muito gostosa.
Resolvi colocar um bikini que Sam me emprestou, já que usava sempre maios que cobriam meu corpo. Fomos pára o quarto ela pelada me falou que ia voltar mais um pouco para a piscina. Meu pai também vai?
– Vai sim!…
– Pelado?…
– Peladão… Kkkkkkk!…
Coloquei meu biquíni e fui junto com ela. Logo apareceu meu pai com o pênis balançando no meio das pernas. Os dois ficaram num agarramento dentro da piscina, até saírem (ele de pênis) foram para a sauna, me convidaram, mas depois de uns cinco minutos resolvi também ir pra sauna. Ia abrir a porta quando comecei a ouvir Sam gemendo.
– Huuuuummmmm… Huuuuummmmm… Tô quase pai… Tô quaaaase!!!!
– Vai filha… Goza… Goza!…
– Tô gozando tio… Hhhhhhhaaaaaaa… Hhhhhhhaaaaaa!…
Estava ainda com a mão na maçaneta quando a porta se abriu subitamente aparecendo a figura domeu pai fui direto pra ducha abrindo-a e entrando debaixo.
– Você estava ai Sara?
– Cheguei agora pai!…
– Quer ficar na sauna?
– Quero!…
Ele terminando na ducha, chamou e logo apareceu a Samk toda sorriso… A filha da puta tinha acabado de dar pro seu pai ali mesmo dentro da sauna. E ela, ao invés de ficar comigo na sauna, saiu e me deixou sozinha com elei… Fiquei sem saber se voltava pra piscina ou se continuava ali sentada ao lado meu pai peladão… Acho que ele vendo minha indecisão.
– Fica tranquila Sara!…
– Estou tranquila pai!… (mentira).
– O bom da sauna é ficar sem roupa… Não quer tirar o biquíni?
– Hahm? Eu ficar pelada? Tenho vergonha!…
– Se quiser eu posso te ajudar a perder a vergonha.
– Como?…
– Posso tirar a parte de cima?
Deixei e logo estava com meus peitinhos soltos com meu pai olhando.
– São lindos Sara!…Estava com saudades, mas estava com receio da sua prima falar para alguém .
Fiquei calada.
– Não quer tirar a parte de baixo, também?…
Falei o senhor quer? Gosta de me ver sempre de fio dental, agora a Sam anda pelada e o senhor também. Fico com ciúmes, mas gosto muito dela somos muito amigas.
Ele olhava com prazer e me fazendo ficar molhadinha, ao mesmo tempo dizia, estava com saudades fica de pé um pouco, quero te admirar.
– Linda! Linda!…
Olhei vendo que ele já estava de pênis duro mesmo tendo acabado de transar com a Sam.
– Quer sentar no meu colo um pouco?
– A Sam ela pode entrar!…
– Se ela entrar, não vai ter nenhum problema!…
Lembrando da conversa que tive com a filha da puta, sentei em uma das coxas do meu pai que abriu as pernas pra que eu pudesse me acomodar. Ele passando a mão na minha perna.
– Você não pode falar nunca sobre o que acontece entre eu e a Sam, ok?
– Lógico pai… Jamais vou falar, senão ela poderá falar sobre nós.
Senti sua mão chegando na minha bucetinha.
– Estou adorando você no meu colo.
– Eu também pai!… Estava coin saudades, mas com medo da Sam dar com a língua nos dentes.
Ele passando o dedo e dando chupadinhas alternadas nos meus peitos.
– Você não gosta de sexo, gosta?…
– Bem pai… Gosto, ué!…Mas com o senhor, com o avô aconteceu não sei como, mas foi muito bom.
Ele pegando minha mão e colocando-a no seu pênis duro. Eu que não estava acostumada com sauna fui ficando com meu corpo muito quente transpirando em bicas. Pai acho melhor eu tomar uma ducha. Eu debaixo do chuveiro e ele do meu lado, por minha própria vontade voltei a segurar seu pênis que continuava duríssimo. Foi quando ele me fez reclinar apoiando minhas mãos na parede pedindo pra abrir minhas pernas. Eu que já tinha meu coração batendo forte, passou a disparar num ritmo anormal. Senti algo encostando na minha bucetinha e quando começou a entrar passei a me concentrar somente em deixar ele me foder… Seu pênis entrou alargando minha bucetinha e senti novamente o pênis querido entrando na minha bucetinha que estava molhada de tanto tesão que eu estava tendo, quando ele passou a socar fazendo vai e vem cada vez com mais força fui rapidamente tendo o melhor orgasmo da minha vida.
– Ai pai … Ai… Ai… Hhhhuuuuummmm… Hhhhhhuuuummmm… Ooooohhhhhh!!!!!!
Meu pai me segurava pela cintura continuou socando por mais alguns minutos antes de tirar pra gozar muito no chão fazendo sua porra ir escorrendo pelo ralo. Quando me virei, fiquei olhando seu pênis ainda duro, não resisti cai de boca sentindo o resto do seu gozo na minha boca, adorava, até que ele me levantou e me beijou, uma delicia de beijo de macho gostoso.
– Se você não gostar de alguma coisa, é só falar, tá bom?
Fiquei com meu rosto pra cima, pra que ele me desse mais beijos.
– Mas estou adorando pai!…
E ele me fez voltar pra piscina sem vestir meu biquíni. Lógico que Sam percebeu que tinha acontecido alguma coisa, e parecendo que ela sabia exatamente o que tinha sido, logo que cheguei ao seu lado.
– E aí, gostou?…
– Nossa, foi bom demais, hehehehehe!…
E a sem vergonha.
– Legal, agora o tio vai ter duas bucetinhas pra ele meter… Kakakakakaka!
Ficamos ainda algum tempo na piscina com meu pai beijando muito nossas bocas., além de ficar passsando sua mão em nossas bucetinhas e bundas. Acabei vendo ele colocando no cuzinho da Sam via seu pênis entrando e saindo ela gemia e sorria ao mesmo tempo, rebolando feito uma puta, ajoelhada na escada da piscina. Até que gozou e encheu o cuzinho da Sam de leite. Naquela mesma noite eu e Sam peladinhas, fomos pro quarto do pai que antes de meter muito nas nossas xoxotas, nos deu uma gostosa chupada deixando nós duas com muito tesão. Por meia hora ele socou muito nas duas xoxotas fazendo que tivéssemos pelo menos dois orgasmos cada uma. Não sabia como meu pai agüentava aquilo tudo, duas meninas novas com tesão. Adorei pois pude novamente transar com meu pai, o que adoro fazer.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,09 de 11 votos)
Loading...