Ela desconfiou e aproveitou

Autor

Tonia estava nas nuvens, conversava de forma ousada com dois homens que lhe cobriam de atenção. Falava, bebia, brincava e ria muito. Ela tinha que ter jeito, a amiga deu um alerta, mas o tempo de amizade não poderia se perder. Marcio era separado, ferida que ele não gostava de comentar. se aproximou de nós a procura de segurança e ajuda e nós correspondemos. Mesmo com Tonia ele era reservado sobre isso. Numa das idas dele ao banheiro, ela indagou? Como chegar nele ? Eu disse, vai chegando, vai procurando uma entrada, faz o que ele gosta. Ele voltou, as horas passavam. Em dado momento ela falou, vou fazer uma lasanha. Marcio arregalou os olhos, é um convite, ela rindo claro, um prêmio aos meus queridos. Ela empolgada, toma um banho, coloca um short, dorme aí hoje. Ele não disse sim mas também não disse não. Eu ajudei, é mesmo, vamos bater um longo papo e Tonia eu até abro um vinho. Ela levantou, pegou-o pelo braço dizendo tá decidido e o levou pro banheiro. Pegou um short e entregou a ele. Foi pra cozinha começar a preparar e eu fui tomar banho. Quando voltei ele estava ajudando e ela falou pra eu pegar o vinho e colocar no freezer, coloquei três garrafas. Ela colocou no forno e foi tomar banho, recomendando ao Marcio, não vá deixar queimar. Voltamos a tomar cervejas, Tonia saiu do quarto, o perfume encheu a cozinha, uma blusinha de alças pequena e decote, barriguinha de fora, e uma mini saia vermelha. Sentou e falou e meu vinho. Marcio levantou como fosse uma ordem, pegou a garrafa, abriu, encheu a taça dela, incontinente ela reclamou e a sua taça? Ele encheu, erguemos o bebemos, eu cerveja. Mais um tempo e a garrafa secou. Ela foi ao forno, curvou o corpo, a sainha subiu, eu sentando observei ela tá sem calcinha. Ele, em pé, foi ajudá-la, deu de cara com a blusa deixando aparecer aqueles peitinhos lindos que ela tem e ela nem aí. Sentamos, ela nos serviu, sentou-se no canto de nova ao seu lado, enchia os copos deles de vinhos e toma conversa e mãos sutilmente sob a mesa. Acabou a segunda garrafa. Fomos para a sala. Tonia perguntou se tinha mais vinho, disse que sim, vocês aguentam? Ela rindo, hoje nós aguentamos tudo, não é Marcio. Ele já bem mais soltou riu e disse tudinho. Fui pegar, voltei, ela tinha jogado algumas almofada no chão, ele sentou-se numa delas ela sentou no sofá, de frente pra ele e do corredor notei suas aberturas e cruzadas de pernas. Entreguei a garrafa, ela pediu pra trocar as taças, fui dei um tempinho, quando cheguei no corredor ela estava com a perna direita no joelho dele, a saia acima da coxa, mostrando alguma coisa na canela. Claro que o panorama era outro. Liguei a tv dei um tempo junto, ela começou a ver a novela e eu pensei, tá na ora de sair, fui pro quarto assistir um filme. Num espaço de tempo, ela veio, sentou-se e falou acho que ele quer, como eu faço? Diz que eu dormi, deixa a porta encostada, apaga a luz e aumenta o volume da tv. O resto é contigo. Ela foi, ouvi ela falar ele estava tão alucinado que não viu mas nada. Ela apagou a luz, comandava e ele obedecia, deitou-o com a cabeça pro corredor pois sabia que eu iria olhar, baixou o short e caiu de boca. Mamou, mamou, ele gemia baixinho e ela mamando, mamando, quando levantou a cabeça, eu estava olhando, não se constrangeu, subiu até a cabeça dele, escancarou a boceta e falou me chupa, me chupa, olhou pra mim, botou o dedo nos lábios pedindo o meu silêncio. Em pouco tempo ela disse, ai gostoso vou gozar, vou gozar, ai, ai, ai, aaaaaaaaaiiiiiiiii. Mandou eu voltar, acenando com a mão. Dei um tempo, tornei a olhar, Tonia cavalgava com gosto, deitava o corpo sobre o dele e rebolava em cima, as vezes me olhava, rebolou, rebolou, aiiii gozou, deu uma parada falou no seu ouvido e voltou a rebolar, rebolou, rebolou, quicou em cima, espetou bem forte, aaiiiii que vara gostosa, que pica boa, olhou pra mim e mandou sair de novo. Fui pro quarto, deitei, luz apagada tv ligada, ela entrou fechou a porta. Foi no meu ouvido, amor que foda, que vara, o que você falou pra ele pra vir aqui perguntei ? Eu disse que veria se você estava dormindo. Vou aproveitar e levar um creme pra dar o cu pra ele. A vara vale o sacrifício, ele vai me dividir no meio, mas eu quero. Ele já gozou, perguntei? Ela, não ele disse quando goza acaba. Pegou o creme e saiu. Dei mais um tempo, dei uma olhada, a posição tinha mudado a mando dela, agora ela estava por baixo, ele em cima enrabando ela, com os pés pro corredor de forma que eu podia ver e ouvir, mete gostoso, mete, mete, mete, ele falou algo no ouvido dela e ela goza, goza, goza, ai, ai, aiiiii, tô gozando também, levantou as cadeiras com ele junto para ganhar mais alguns centímetros dentro, arfou um pouco e foi arriando devagar. Voltei ao quarto, deitei esperei um tempo, demorou um pouco. ela entrou, acendeu a luz, amor, amor, acorda, Marcio vai embora. Fingi acordar. Falei, cadê ele, não vai dormir aqui? Ela, não ele vai embora, ta se arrumando no banheiro. Ficamos na sala, ele apareceu, falei fica aí cara, dormi aí. Ele irredutível, não, não, tô indo. Consegue dirigir, perguntei? Ele, consigo sim. Levamos ao portão, nos despedimos e ele foi. Entramos, Tonia com uma alegria no rosto, me pegou pela mão, foi até a cozinha, botou cerveja pra mim e vinho pra ela e começou a falar como uma metralhadora. Ai amor que coisa gostosa, ele é fissurado em mim tem muito tempo, nunca achou que isso iria acontecer, falou que sou muito gostosa, que tem muito tempo não come um rabo, que eu não reclamei, perguntou se eu gozei mesmo pelo cu, isso nunca aconteceu com ele, que parecia que não iria parar de gozar, pediu pra não falar nada pra você e que me quer mais vezes. Bebi a cerveja, entreguei a taça de vinho pra ela, bebemos e eu falei, você quer o quê ? Ficar com vocês dois, posso? Sorri e continuamos a conversa, admirando sua excitação.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 4 votos)
Loading...