Aos meus 12 anos fui trabalhar na casa de um Libanês

01-08-18 3 ★ 4.25

Ola meu nome e Otávio, vou compartilhar com vocês uma historia da minha vida, aos meus 12 anos minha mãe me levou para trabalhar na casa de um comerciante da Cidade, um Libanês, eu varria o quintal, o quintal era muito grande cheio de árvores, eu catava as folhagens, depois eu ia para o colégio, ele tinha um filho que na época tinha uns 16 anos, fiz uma amizade com ele, o pessoal era muito bom, me tratavam muito bem, um dia o Paulo o filho do meu patrão me chamou para ir na casa dele na parte da tarde, eu sai do colégio as 17 horas, e fui para lá, ele estava sozinho, ficamos conversando ate que ele pegou umas revistas de sexo explícito, uns homens com uns pauzão, fodia as mulheres, de depois ele mostrou uma onde dois homens um metia no outro, e começou mexendo no meu pinto, eu tinha e tenho ate hoje um pinto pequeno, na época provavelmente uns 12 cm, ele tirou a roupa nossa ele tinha um pinto grande, grosso, mandou eu segurar, eu segurei, e bati uma punheta para ele, no dia seguinte ele fez eu sentar no colo dele ele gozou no meio das minha pernas, ate que devagarinho, e com muita paciência ele conseguiu meter aquilo na minha bunda, nossa doeu muito, mais depois gostei, ai era quasse todos os dias, ele me fodia, eu adorava, ficamos um bom tempo transando.

Ate que um dia ele foi para um outro Estado estudar, fez medicina, e eu nunca mais tive contato com ela, e claro que depois consegui uma outra pica, adorei, o tempo passou uns 25 anos, eu já com meus 37 anos, ele mais ou menos uns 41 anos, acabamos nos encontrando, seu pai havia falecido ele então teve que voltar para assumir a loja, filho único, conversamos ele pediu aparace ai lá pelas 18 horas, eu fui, e acabamos relembrando os velhos tempo, não sei se impressão minha mais parecia que a rola dele cresceu mais e engrossou, nossa uma coisa maluca, grossa mesmo, eu já estava com saudades daquela rola, e fodemos gostoso, ai sempre que dava eu ia na loja, sabe como eu já casado, fazia as coisas enrustida, acabei perdendo o emprego fiquei desempregado, ele me convidou para ser gerente da loja, eu aceitei e claro.

Ai a gente fodia quasse todos os dias, ele não conhecia a minha mulher, minha mulher e linda, na época 32 anos, com tudo em cima, umas pernas grossa, uma bunda carnuda saliente, corpo branquinho dourado de sol, coisa linda mesmo, e muito fogosa, adora vestir roupas curtas, se mostrando mesmo, um dia ela no centro passou na loja para pegar um dinheiro, eu apresentei a ele, a noite em quanto ele metia na minha bunda falava da minha mulher que ela era muito gostosa, e perguntou se ela gostava de dar o cu, eu disse que ela adora, ele então dizia já pensou minha rola na bunda dela, aquilo me deu tesão, quando ia saindo da loja acabei encontrando a minha mulher, e eu estava com o cabelo molhado, ela perguntou você tomou banho, eu disse não só molhei o cabelo, você estava lá dentro com o Turcão o nome dele e Pedro, mais apelidado de Turcão, fiquei meio sem jeito mais tive que inventar uma historia, ela não acreditou muito não.

Normalmente a gente costuma principalmente nos Sábados beber umas cervejas e beliscar uns petiscos antes de fechar a loja, falei para ela que depois eu fico para arrumar as coisas, por este o motivo de estar fechado com ele lá dentro, mais explica mais não justifica, a pulga foi plantada.

A semana foi de perguntas, quando foi na sexta feira ela perguntou se ela não poderia ir tomar uma junto, e comentou o Turcão e bonitão, bem simpático, perguntou será que ele vai ficar chateado, eu respondi chateado não, mais ele bebe fica assanhado, pode quer se insinuar para você, ela disse esta com ciumes, eu disse não é ciumes, você pode não gostar, ela respondeu que nada, eu brinquei disse e ele pode querer te agarrar, e ele tem uma pica grossa vai te arrombar todinha, você não vai aguentar, fiquei surpreso ela me respondeu quem sabe assim experimento uma rola grossa, eu então perguntei tu tem coragem, ele adora um cu, ela me respondeu eu já sabia que ele adora um cu, e deu risada, e disse posso ou não posso ir, eu disse vai, eu então disse vai lá pelas 17,30.

Eu avisei o Turcão que ela havia visto eu sair de lá e estava desconfiada de alguma coisa, e disse que viria tomar uma com a gente, ele disse tudo bem, assim a gente fode os três e deu risada, eu como já estava enroscado, disse tudo bem se ela quiser dar tudo bem.

Já estava enrolado dando o cu para ele, quando foi 17:30 ela chegou, já peguei umas cervejas, ela adora Wuisq com guarana ele colocou e começaram a beber, eu atendia os fregueses, deixava os dois sozinhos, teve uma hora que ele me perguntou se eu ficaria chateado se ela fosse com ele lá para dentro, eu respondi tu e quem sabe quer ir vai, fui fechar a loja quando eu olho os dois já não estava mais na loja, fechei e entrei, nossa ela gemia tanto, ele chupava ela, ela chupava ele, quando ele a penetrou nossa como gemeu reclamou, mais foi tudo, ele meteu muito com ela ate encher a boceta dela de porra, ele levantou foi se lavar eu cai de boca na boceta dela chupei aquela porra todinha, deixei ela limpinha, ele voltou, eu deixei os dois sozinhos eles ficaram brincando ele beijava ela na boca, ate que começou a querer meter no cu dela, ela não queria deixar, pois a rola dele e muito grossa mesmo, mais com jeito ele conseguiu meter entrou tudo, nossa ela gritava, mais acabou gozando com aquela rola no cu, nossa foi maravilhoso, ele gozou, saiu, ela disse caralho que rola grossa, tu já aguentou tudo isso, eu perguntei que conversa e esta, ela disse não precisa mentir, ele disse que o meu cuzinho e mais gostoso, e sinal que ele já fodeu o seu também, e assim ela foi tomar banho e fomos embora, ela voltou no Sábado e foi outra seção de foda, ela já sabia que ele metia em mim, acabei contado a historia toda para ela, ai passamos se amantes, muito bom,.

Depois eu conto o resto.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,25 de 12 votos)
Loading...

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Anônimo

    Anônimo, parabéns, bom observador, leitor acido, faz tempo em, mais eu me exito quando lembro desta passagem, foi o tempo melhor da minha vida.

  2. John Deere,Matador de Veados

    Né veado,além de estar e ficar na veadagem desde cedo,ainda por cima é corno aff
    Pois então,veado chifrudo,pára com a veadagem,estou pelas ruas,tua veadagem ababa,cuidado veado…

  3. Anônimo

    Conto antigo só modificou alguma coisas.