A vizinha safadinha

Autor

Olá meninos e meninas, bom hoje vou contar como fui pegando a malicia sobre certas sacanagens, meu conto anterior se passou no ano de 2000 e nesse conto o ano é 2001, ano de casamento do meu tio. Para saber mais como descobri o sexo vocês conferem no meu primeiro conto

Vamos lá. Após assistir aquela fita com filme porno já fiquei todo excitado e pensando nas coisas que eu poderia fazer com minha prima safada do sítio, porém antes de voltar ao sítio eu conheci outra menina, nome dela é Ana, um ano mais nova que eu, na época eu estava com 10 ainda, devia ser por volta do mês de fevereiro ou março. Eu estava na casa de minha avó brincando sozinho próximo a uma pilha de tijolos, fiz tipo uma "casa" ali pra brincar e Ana era filha da vizinha da minha avó que tinham recentemente se mudado pra casa ao lado.

Estava brincando sozinho e essa vizinha chegou com a filha na casa da minha avó, menina branquinha, muito lindinha ela. Nos apresentamos e começamos a brincar juntos. Não lembro exatamente como era a brincadeira, porém lembro do que eu falei a ela, eramos amigos e ela veio a minha casa pra assistir filme de mulher pelada. Curiosa ela perguntou como era um filme desse e então fiz questão de mostrar. Pedi a ela para encostar no muro e abaixar o short, em seguida eu abaixei meu short, meu pau já estava duro e comecei a sarrar na bundinha dela com meu pau. Ela disse que já tinha visto isso escondido uma vez. enão ficamos ali durante um tempo, eu com meu pau encostando na bunda dela e ela falando que estava gostando. Ela me disse que nunca tinha brincado disso. Ana foi uma pessoa que fez parte também da minha infância, sempre que ficavamos sozinhos era sacanagem na certa. Depois de ficarmos ali atrás da pilha de tijolos no muro ela disse que ia pra casa e perguntou se eu queria ir também.
Não foi daquela vez que fui a casa dela.

Outro dia estava na minha avó e fui na vizinha para brincar com Ana porém ela não estava, fiquei triste né pois tinha ido pra lá para brincar com ela. Fiquei na minha avó brincando e a vi passando na rua junto com a mãe. Na hora fiquei morrendo de vontade de ir pra lá, perguntei a mãe dela se Ana podia brincar e ela disse que sim. Fui até a casa dela e ficamos na sala, Ana estava vestindo um shortinho frouxo e quando sentava no chão dava pra ver a calcinha dela. Quando ela notou que eu estava tendando ver mais ela fazia questão de ficar com a perna aberta, então ela deu a ideia pra gente ir até o fundo da casa dela. Atras de uma árvore que ficava nos fundos da casa dela, ficamos ali se esfregando um no outro, ela soltava pequenos gemidinhos e me olhava com cara de quem estava gostando. Ficamos ali cerda de uns 10 min, tinha perguntado se ela queria chupar meu pau mas ela negou na primeira vez, eu sem perder tempo de ajoelhei e lambi um pouco a bucetinha dela, bucetinha rosadinha mas em nenhum momento quis enfiar o dedo até porque eu não sabia onde colocava. De repente a mãe dela chegou e ficou espantada com o que aconteceu, todos ficaram parados, eu com meu pau duro e a Ana segurando meu pau com o short abaixado e a mãe dela horrorisada com a cena. Fim da brincadeira pensei, mas não foi bem assim que aconteceu. Fui embora pra minha avó já com o cu na mão com medo dela descobrir, fiquei sem aparecer lá durante uma semana por aí.

Quando finalmente vi que ninguém dali da minha familia tinha descobrido, voltei um dia na minha avó e fui até a vizinha atrás da Ana, a mãe dela estava sentada na frente conversando com a avó da Ana, eu cheguei na maior cara de pau perguntando na menina, a mãe dela me olhou da cabeça aos pés e disse que estava lá dentro. Quando encontrei Ana, começamos a conversar e assistir sessão da tarde, então tinha perguntado se a mãe dela tinha ficado brava com ela sobre o ocorrido, ela me falou que a mão não brigou mas também tinha hora e lugar pra fazer aquelas coisas. Ana me falou que aquilo só quem fosse namorados podia fazer e tinha gostado de fazer, a mãe dela não brigou mas incentivou a filha a fazer aquilo comigo pois a menina tava gostando e eu também. Os dias foram passando e eu notei que a mãe de Ana ficava andando de shortinho curto, saia, as vezes quando tava calor ficava de short e sutiã e eu já ficava de pau duro na hora mas tentava não demonstrar. Lembro que uma vez cheguei na casa dela pra fazer as sacanagens, eu bati na porta e a mãe dela abriu a porta pra mim, só de sutiã e shortinho e logo disse " a Ana está lá no quarto" eu fiquei sem entender mas tudo bem. Perguntei pra Ana se tava tudo bem e se a mãe dela sabia o que a gente fazia e a Ana disse que contava tudo pra mãe mas a mãe dela não ensinava nada a ela.

Fiquei brincando com ela durante uns 2 anos até que ela se mudou de cidade, eu e ela fomos damo e dama de honra no casamento do meu tio e depois que ela se mudou eu nunca mais a vi. Mas nunca me esqueço das coisas que fizemos. Até hoje as vezes eu bato uma punheta lembrando de todas as coisas.

Até o próximo conto galera.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,60 de 10 votos)
Loading...