Viadinho do parque – Lek delicioso

Autor

Olá leitores,
Conheci este site a pouco tempo e já li dezenas de contos deliciosos. Resolvi contar um pouco das minhas aventuras, espero que curtam.
No passado eu já tive experiência com meninos e meninas. Ainda no começo da adolescência eu ficava sozinho em casa e sempre procurava uma bundinha ou bucetinha para brincar.
Meus amigos também me ajudavam e sempre traziam algum kids para brincarmos.
Isto me fez ter desejos até hoje por novinhos e novinhas.
O que vou narrar agora são fatos reais e aconteceram este ano mesmo. Vamos lá:
Eu estava de férias e aproveitei para fazer exercícios em um parque público aqui na minha cidade. Corri uns 5 kmts e parei em uma área que tem equipamentos para exercícios físicos e brinquedos para os pequenos.
Sentei em um banco e reparei que próximo estava um grupinho de 5 meninos. Fiquei disfarçando olhando o celular, mas estava de olho neles. Logo vi que um deles colocou um funk no celular e estavam pedindo para um deles dançar.
Um menino (o menor) começou a dançar e rebolar. Parecia uma menininha. Bundinha redondinha e empinada. Os outros riam e passavam a mão nele. Tocaram umas 3 músicas e o menino lá rebolando para eles. Até que pararam as músicas e começaram a sair todos juntos caminhando para o sentido oposto a saída do parque. Na hora me liguei e vi que iriam comer a bundinha do pequeno.
Esperei um pouco e fui atrás deles. Deixei irem bem a frente.
Vi 4 meninos entraram no banheiro e um ficou do lado de fora vigiando. Passei por ele e segui enfrente. Estava evidente que estavam comendo o menorzinho.
Voltei e já tinha outro menino na porta. Pensei: estão revezando o cuzinho do lek.
Fiquei com muito tesão e resolvi dar a volta no banheiro e me aproximar para tentar ver ou ouvir algo. Minha estratégia deu certo. Pelos fundos do banheiro eu ouvi palavras como chupa tudo, mete no cú dele e fode logo.
Resolvi entrar no banheiro. O menino que estava na porta gritou para os outros: Sujou, Sujou…
Entrei com tudo no banheiro e foi uma correia só, os meninos subindo as bermudas e escondendo as pirocas. Saíram correndo. Ficando apenas o menorzinho que estava completamente peladinho. O muleke estava até roxo de tanta vergonha.
Vi seu pintinho durinho (uns 8 cmts apenas), sem nenhum pêlinho no saco. Bundinha branca e redondinha. Uma delicia de garoto. Os outros já estavam longe. Até que falei:
– Muito bem eihmmm garoto. Dando o cú pros colegas né viadinho.
Ele só abaixou a cabeça e foi vestir a cueca.
– Calma aí … não veste não – falei.
Ele me olhou e fez cara de desententido.
Tirei meu pau já duro e mostrei para ele:
– Tem este aqui que quer você
O garoto abaixou a cabeça e notei que estava com medo.
Peguei sua mão e coloquei no meu pau. Pedi para ele bater para mim.
O garoto segurou, olhou e começou a punhetar.
Nossa que tesão ver a carinha dele. Parecia uma menina no cio.
Menino bem viadinho.
Ficou alguns segundos punhetando até que pedi:
– Chupa
Ele olhou, apertou e colocou na boca. Ficou poucos segundos até que ouvi os meninos chamando por ele.
Nos vestimos e saímos.
Apenas 2 dos meninos estavam do lado de fora esperando o menor. Quando me viram saíram correndo.
Levei o viadinho até um banco e pedi para ele sentar para conversar comigo:
– Sabe garoto, você é muito bonito.
– Obrigado.
– Eu quero brincar com você !!!
Ele ficou de cabeça baixa e eu fui conversando:
– Quanto você quer ganhar para me dar seu cuzinho ?
Ele só deu os ombros meio que sem saber o que falar.
Peguei uma nota de R$ 50 e mostrei para ele.
Ele de cabeça baixa falou:
– Tio eu faço, mas tenho medo de alguém ver que nem o senhor viu os meninos fazendo comigo no banheiro.
– Mas não vamos fazer aqui meu amorzinho. Vou te levar para minha casa.
Ainda de cabeça baixa ele falou:
– O senhor mora onde ?
– É aqui perto e vamos de carro. Fique tranqüilo não vou te machucar, só quero brincar um pouco com você, vamos ?
Ele só respondeu com a cabeça dizendo sim.
Levantei e pedi para ele me seguir, andando a uns 10 metros atrás para ninguém perceber. Disse que iria esperar no meu carro. Andei apressado e ele me seguia. Não vi nem sinal dos outros meninos. Eu estava me tremendo todo de tanto tesão e medo de algo dar errado.
Entrei no carro e vi o garotinho chegando. Abri a porta e ele entrou. Ainda ajudei ele a colocar o cinto de segurança.
Ao chegar no meu apartamento ficamos na sala liguei a TV deixando com o som mais alto. Durante a semana no meu condomínio tem pouco movimento de vizinhos. Todos trabalham.
Fechei as cortinas e me sentei no sofá. Deixei o garotinho em pé. Abracei ele e passei a mão na sua bundinha. Apertei ele mais forte e fui colocando minha mão por dentro da cuequinha. Senti que estava melada. Algum garoto tinha gozado ali.
Tirei a roupa do lek e a minha. Meu pau muito duro apontando para o garotinho.
Levei ele até o banheiro e liguei o chuveiro.
Com muito carinho lavei o bumbunzinho e o pintinho. Me sentei no chão do Box e chupei um pouco o pintinho. Que delicia de pauzinho. Bem infantil, lisinho e mesmo pequeno estava bem durinho. Abri a bundinha e coloquei um dedo na entrada do cuzinho. Enfiei um dedo com carinho. Entrou o dedo todo. Que delicia chupar a piroquinha e enfiar o dedo no cuzinho apertado dele.
O muleke estava gostando e eu estava quase gozando.
Fiquei de pé e pedi para ele me chupar. Meu amigos, muitas mulheres já chuparam meu pau, mas nada se compara ao garotinho chupando. Ele colocou só a cabeça do meu pau na boquinha. Senti sua lingüinha passando na minha glande. Explodi num gozo delicioso. Foram vários jatos de porra. Segurei sua cabeça e falei: Engole, engole, engole…
O menino engoliu quase toda a porra e ainda chupou mais um pouco.
Terminamos o banho. Me sequei primeiro depois enrolei ele na toalha.
Levei para meu quarto e terminei de secá-lo. O boyzinho é lindo demais. Branquinho, cabelos tipo tigelinha, magro e muito carinhoso.
Beijei a boca dele e mesmo sem muita prática ele retribuía meus beijos. Senti sua lingüinha na minha boca. Logo meu pau estava duro novamente.
Coloquei ele deitado de bruços na cama. Tentei penetrar. Mas ele reclamou.
Peguei um tubo de KY e passei no cuzinho. Coloquei meu dedo inteiro nele.
Coloquei então na posição de frango assado. Pincelei meu pau no cuzinho e fui forçando até ver meu pau entrando:
– Ai tio… ai… ai… ai tio… vai devagar… está doendo… tira tira tira
Empurrei mais um pouco e fiquei parado. Pedi para ele se acalmar que logo a dor ia passar.
Fiquei alguns segundo parado com meu pau cravado nele.
Lentamente fui enfiando mais e tirava um pouco, voltava a enfiar bem devagar.
Cada vez que eu enfiava mais forte ele falava baixinho: aiii..aiii de um jeito bem viadinho.
Vendo aquele minúsculo corpinho e a carinha bem infantil eu não resisti por muito tempo, senti que ia gozar e avisei para ele.
– Vai tio goza logo, goza vai… goza
Enchi o cuzinho dele de porra. Foram tantos jatos que achei que eu ia passar mal.
Tirei meu pau e vi a porra escorrendo do cuzinho rosinha dele.
Me deixei e ficamos de conchinha. Segurei seu pintinho durinho e fiquei punhetando com muito carinho.
Nos beijamos e ele me pediu para ir embora. Estava preocupado com os colegas que podiam contar algo para a mãe dele.
Eu nem queria que ele fosse embora, mas acabei levanto ele de volta para o parque.
Dei o dinheiro e pedi para ele voltar no dia seguinte.
Estamos juntos há quase 3 meses. Neste período eu até conheci a mãe e os irmãos dele.
O garoto é um sonho de qualquer um.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,95 de 37 votos)
Loading...