Sara minha filha minha amante

Há 3 meses Por 2 ★ 4.08

Divorciei-me tinha a Sara 10 anos, aos 16 anos, veio viver comigo por não querer emigrar com a mãe, e tive de alterar os meus hábitos de “solteiro”, que não vale a pena descrever.
A Sara não demorou a “impor” algumas regras e uma das ideias dela organizar um jantar temático em cada fim de semana, mexicano, tailandês, chinês…. É divertido, ela tem sentido organizativo e é uma forma de passarmos mais tempo juntos em vez do tradicional jantar de restaurante como eu habitualmente fazia.
Escolheu um jantar naturista, ao principio recusei, mas tanto insistiu herdou da mãe este espírito de persuasão que acedi.
Vou apenas relatar o depois do jantar
Sento-me no sofá e enquanto saboreio um cognac, Sara, regressa à sala aninha-se no meu colo.
Nunca vi nem me apresentaste nenhuma amiga ou namorada ou seja o que tu lhe chames, porquê ?
Demoro a responder, não é fácil dizer à nossa filha, que o meu relacionamento esfriou desde que ela mora comigo.
Não tenho ninguém Sara.
Hummmm… Não acredito, diz ela aninhando-se ainda mais de encontro ao meu corpo.
Instintivamente acaricio-lhe a cabeça, e ela solta um suspiro ao sentir a minha carícia.
Faz mais..gosto de miminhos, diz-me ela com voz melada e começa a brincar com os pelos do meu peito.
És peludo….
Rio-me para disfarçar a tensão que sinto, e respondo : Deito semente todos os dias..
Ela ri-se… Mentiroso..
Se eu fosse tua namorada o que é que fazias ?
Nada…. digo eu a rir
Mentiroso outra vez, responde ela e sem que eu espere, gira o corpo e senta-se virada para mim, as pernas dobradas, a bunda sobre a minha vara, passa os braços pelo meu pescoço e entrelaça as mãos na minha nuca, as maminhas roçam pelo meu peito e os biquinhos duros começam a mexer comigo, sinto a vara entesar não consigo evita-lo.
Ela sente a pressão da vara de encontro ás nádegas, olha para mim e num tom de voz suave pergunta-me : Não sentes falta de …. ?
De quê Sara ? A minha pergunta é desnecessária, mal consigo esconder a excitação que começa a tomar conta de mim.
Disto… Encosta os lábios dela nos meus, um pequeno selinho, olha de novo para mim, os olhos brilham de desejo, sinto-lhe a respiração acelerada.
Quero manter o controlo ou será tarde demais e abro a boca, mas só consigo dizer Sara..isso não…. Ela encosta os lábios de novo desta vez não os descola, roça-os de encontro aos meus, e deixo-me levar pelo desejo, beijo-a as nossas bocas abrem-se permitindo sentir aquela língua maravilhosa. Os meus dedos exploram o escaldante corpo, solto-lhe os cabelos e brinco com eles, espeta os seios bem na minha frente, não resisto e começo a chupar um , enquanto rodo o biquinho do outro, são firmes, as aréolas rosadas cabem inteiras na minha boca, ela estremece arrepiada, deixando-me mais excitado.
Faço uma pausa enquanto seguro um dos seios , com a outra mão seguro-a pelo queixo, e olho directamente nos seus olhos pergunto por puro descargo de consciência:
Tem certeza que é isso mesmo que queres ? Antes que ela responda digo-lhe ainda: Sara depois nada será como dantes, as nossas vidas vão dar uma volta completa.
Ela segura-me a cabeça e beija-me de novo de seguida olha para mim e com ar seguro diz-me : Não sou menina…. sei o que queremos. Aperta-se de encontro a mim e sussurra-me com voz macia e excitante: Leva-me para a cama.
Aquele “leva-me para a cama” deixa-me rendido e a tesão toma conta de mim, carrego-a até ao quarto coloco-a suavemente em cima da cama, olho o corpo dela, uma mulher jovem, corpo bem definido, linda e desejável, ajoelho-me no lado da cama, seguro-lhe um pé e levo-o aos meus lábios, beijo-o, troco de pé ,Sara suspira ao sentir o calor dos meus beijos vou subindo devagar beijo cada centímetro daquele corpo deliciosamente quente, chego ate as coxas onde demoro os meus beijos, abre as pernas literalmente, como que me dizendo onde quer que eu coloque a língua, os lábios vaginais abrem-se e mostra o grelinho lindo e saliente , que me deixa doido de tesão, beijo bem no meio dela é delicioso o cheiro da bucetinha, seguro os lábios com os dedos, e passo a lingua bem dentro dela ,o delicioso saborear da grutinha ,Sara geme baixinho, meto a ponta da língua , bem fundo, faço movimentos circulares com ela lá dentro, ela geme e estremece de prazer, lambo, chupo e engulo o néctar que brota da bucetinha, contorce o corpo numa excitante dança de prazer, empina-o na direcão da minha boca, seguro-a pelas nádegas e sinto-a tremer de excitação e desejo, não paro até ela retesar o corpo e num gemido profundo atingir o orgasmo em espasmos de puro prazer.
Deixo o seu corpo cair sobre a cama, deleitada e extenuada, sorri-me . Demais…
Pai….foi bommmm…gozei…gozei…
Ainda vais vais gozar mais querida, digo-lhe eu, enquanto meto a cabeça da vara na entrada da bucetinha encharcada.
Penetro-a, com pequenas estocadas, a vara escorrega dentro dela , Sara grita agora de prazer, puxa-me para ela e deixo-me ir, o contacto com o seu corpo suado é delicioso, penetro-a até o fundo, arrancando-lhe gemidos profundos, mantenho o movimento ritmado de penetração, Sara geme feito louca, sinto que vou esporrar e aumento o ritmo penetrando- a com fortes estocadas até me vir em jacto de porra quente.
Não pares…papá…não pares…mete …mete…continuo a bombar até ela retesar de novo o corpo, depois cruza as pernas sobre as minhas costas e goza como nunca gozou…
Vimmm…meus deus….que bommmmm…papiiiiiiiiiiii…gozeiiii de novoooo…
Depois… foi um duche e dormimos …
Sara mudou-se para o meu quarto….

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,08 de 25 votos)
Loading...

Por

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Hitualana23

    Ai vou gozar

  2. Russo

    Muito bom