, ,

Na praia com a mamãe

18-07-18 Por 2 ★ 4.44

Ola, meu nome José Henrique tenho 20 anos de idade e tenho uma vida extremamente normal. Faço faculdade de Ciencias Sociais e Direito, não costumo ir muito nas baladas das duas faculdades e moro com a minha mãe. Sempre fui muito familia, tive poucas namoradas e nunca dei muita bola de sair para ruas
Minha mãe chama Vânia e ela tem 35 anos de idade. Sim, ela teve eu muito cedo. Apesar de ser o unico filho dela, minha mãe é casada com um outro homem. Ela era uma mulher extramemente bonita. 1,75 de altura, cabelos longos preto até a cintura, peitos grande e durinho e bunda tambem grande e empinada.
Antes da viagem da praia, viviamos como uma familia normal. Nunca senti absolutamente nada pela minha mãe, muito menos passou na minha cabeça fazer nada com ela. Eramos uma familia que se respeitavamos demais um aos outros. Eramos dentro do padrão, tanto é que eu nunca imaginava que iria acontecer aquilo comigo e com a minha mãe
Eu acostumava ir muito a praia na casa da minha avó quando era criança. Quando ela morreu, eu tinha apenas 12 anos de idade e a casa que era da minha avó passou para o nome da minha mãe. Então eu continuei indo para a casa da praia, mesmo depois da morte da minha avó. Eu adoro aquele lugar, é relaxante, me trás boas lembranças da infancia e tem bastante coisa para fazer la
Depois da morte da minha avó, eu era parceiro de viagem da minha mãe para praia. Curiosamente, os namorados que ela teve nunca gostaram de ir para praia. Então coube sempre a mim acompanha – la. Minha mãe sentia muita falta da minha avó, pois ela foi a unica que ajudou quando ela mais precisou. Então assim como eu, ela sempre buscava refugio por la
Eu e a minha mãe nos programamos passar um final de semana na praia já faz algumas meses. Como nao tinha ninguem para ir junto com gente (normalmente eu e ela viajamos em companhia de alguma pessoa, seja parente ou amigo), achamos que nao teria nenhum problema em viajarmos juntos sozinhos. E assim, fizemos
Chegando lá, ocorreu uma enorme decepção. Estava chovendo e era praticamente impossivel de irmos para a praia. Chegamos la numa sexta a noite, com o clima ruim e no sabado o clima parece que estava piorando. Então resolvemos fazer algo para comer e beber algumas caipirinhas com as garrafas de vodka que haviamos comprados.
Começamos a beber e na quinta garrafa estavamos nos dois bebados. Foi então que a minha mãe fez um pedido no minimo diferente. Ela pediu que eu fizesse uma massagem nela. Então ela tirou a parte de cima do biquini dela e deitou de bruço, pra que eu pudesse fazer uma massagem nela. Passei a mão no seu corpo inteiro, deixando ela relaxada.
Foi então que ela virou e me puxou para cima dela, me dando um beijo de lingua e dizendo que ela era toda minha. Isso foi a deixa para que eu começasse a beijar os seus seios, chupando os seus mamilos. Aproveitei que tinha um pouco de vodka e coloquei entre os seus enormes peitos e comecei a beber, esfregando a minha cara naqueles enormes peitos da minha mãe. Depois disso comecei a chupar a sua barriga, ate chegar na sua buceta onde comecei a massagear o seu critoris com a lingua ate fazer com que ela gozasse.
Levantei e a minha mãe começou a beijar o meu corpo. Ela tirou a minha bermuda e começou a chupar o meu pau enloquecidamente. Minha mãe sabia chupar melhor do que outra garota qualquer. Ela enfia ele todo na boca, me masturbava, deixava eu dar tapinhas no seu rosto. Pedia para que eu a chingasse. Nem parecia a minha mãe.
Depois disso a minha mãe ficou de quatro no sofa que estavamos deitados. Penetrei o meu penis todo nela e ela começou a rebolar com a sua bunda imensa e empinada. A cada vez que ela mexia com os seus quadris, eu ficava ainda mais excitado. Parecia uma besta fera que nunca sabe o momento em parar de ter tesão. Depois disso, minha mãe abriu as pernas e eu comecei a meter na sua bucetinha até gozar dentro dela.
Depois disso, caimos no sono e fomos acordar somente a noite
Quando acordamos, procuramos algum lugar para jantar. Eu estava meio timido, nervoso com medo de que a minha mãe achasse ruim pelo o que aconteceu. Mas a reação da minha mãe foi bem diferente do que estava pensando. Sem tocar no assunto de hoje a tarde, minha mãe estava bastante comunicativa. Perguntava de tudo, faculdades, namorada, amigos e etc.
Fomos para a casa. Estavamos cansado e com um pouco de dor de cabeça. Na casa onde estavamos, só tinha uma cama e a minha mãe neste dia resolveu dormir com uma calcinha apertada e sem sutiã. Isso tirou meu sono, estava muito excitado em ver a minha mãe dormindo daquele jeito. Mas como nao queria acordar, nao fiz nada com ela
No dia seguinte logo de manha, minha mãe disse ainda na cama que ela queria que eu fizesse aquilo que eu tinha feito com ela durante a tarde do dia anterior. Nao excitei, subi em cima da minha mãe e comecei a beijar o seu pescoço. Desci um pouco o seu corpo e comecei a literalmente a mamar nos seus seios loucamente, puxando o bico dos seus mamilos fazendo com que ela se contorcesse toda. Desci mais um pouco cheguei na sua bucetinha, onde que novamente eu lambi ela, massageando o critoris com a lingua ate fazer com que minha mãe gozasse
Depois disso, levantei da cama. Minha mãe foi até a mim, pegou o meu pau e começou a fazer uma espanhola em mim até com que eu gozasse nos seus seios. Novamente, minha mãe começou a chupar o meu pau, me masturbando e colocando ele todo na sua boca carnuda. A cada chupada, eu ficava mais excitado e com vontade de gozar ainda mais. Percebendo isso, minha mãe pediu para que eu deitasse na cama e começou a chupar o meu pau, enquanto estava novamente chupando a sua buceta. Gozamos juntos e gozei dentro da sua boca. Ela engoliu a porra toda e deu ainda um sorrisinho.
Continuei deitando na cama, enquanto a minha mãe sentou com a sua bunda em cima de mim e começou a calvagar e rebolar com o meu pau dentro dela. Como estava bastante excitado e com vontade de gozar naquela bucetinha, deitei a minha mãe na cama e penetrei com muita força nela, fazendo com que ela gemesse alucinadamente. Novamente gozei dentro
Depois disso, fomos tomar banho e acabamos de transar mais um pouco. Nos arrumamos e fomos embora para a casa. A nossa vida depois deste passeio nunca mais foi normal. Sempre que o namorado dela estava fora, nos transavamos. De acordo com as suas palavras, nao era mais o seu filho, mas sim o seu amante

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,44 de 9 votos)
Loading...

Por , ,

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Eletrônico

    Vc estuda em duas faculdades?
    Alguma coisa está errada com o ensino no país!

  2. Aham

    Tomaram 5 garrafas de vodka…