Minha irmã Bruna inocente e eu malicioso

Autor

Eu e Bruna minha irmã gêmea, fomos separados aos 4 anos de idade, morávamos na zona sul de São Paulo, ela e minha mãe foram morar em Manaus, e eu fiquei com meu pai em São Paulo, pois eu tinha problema no pé e precisava de cirurgia e tratamento, minha avó tomava conta de mim, eu entrei na escola com 6 anos, já estava curado do problema no pé, meu pai que era um safado de mão cheia sempre levava muitas mulheres la em casa bebia e fazia muitas sacanagens, eu vi muitas vezes mulheres bêbadas chupando o pau dele, ele chupando bucetas, era uma putaria intensa, minha avó tentava me manter longe, mas eu sempre dava um jeito e olhava pelos buracos, pelas frestas, enfim a medida que ia me desenvolvendo aplicava tudo o que via, naescola me tornei o mais bagunceiro, passavaa mão nas meninas, mandava algumas vizinhas mais novinhas que iam sempre em minha casa para minha avó benzer, me chuparem, e as reclamações começaram a chegar, meu pai me batia muito, minha avó também, mas eu era sem correção, até que em 2008 eu com 12 anos, meu pai faleceu num acidente de carro e minha avó me mandou pra minha mãe, que eu nem lembrava, ela havia comprado uma casa em Contagem nas Minhas Gerais, e se mudou com minha irmã na mesma semana, chegando la eu fui bem recebido por elas, a casa era um sobrado enorme com 4 cômodos grandes eme baixo e 2 enorme quartos em cima que poderiam ser 4 quartos, havia banheiro nos quartos, eu fui fiquei com um quarto e minha irmã ficaria junto com minha mãe no mesmo quarto, depois de arrumar minhas coisas e instalar meu computador, meu vídeo game, tomei banho e fui dormir, minha mãe sairia cedo no dia seguinte pois era enfermeira e começaria cedo no hospital, eu e minha irmã eramos gêmeos indeticos, loiros, olhos claros, bem altos pra nossa idade, a diferença era só ela ser menina e cabelos cumpridos, e a criação, eu fui criado sem orientação, num ambiente puluido de promiscuidade, e minha irmã fui superprotegida por minha mãe, estudou num colégio de freiras em Manaus onde as recras eram rígidas e com baixa qualidade de ensino, além do mais minha irmã era tímida, e cheia de fobias, não sabia fazer nada, noentanto que no dia seguinte de madrugada minha mãe bateu na porta entrou me acordou e falou. Filho sua irmã esta dormindo, mas quando acordar ela vai chamar por mim, quero que vc ou traga pra ca, ou vai la ficar com ela ate ela acordar, pois ela medo deficar sozinha, e quero que vc de café a ela, tem comida pronta esquente no micro ondas, não use o fogão, ah vc tem que colocar almoço pra ela, ta bom? e eu vou deixar o portão trancado pois nem eu conheço a cidade, então vc será o homem da casa, posso contar com vc? Eu falei que tudo bem, ela me deu um beijo e foi trabalhar, eu dormi de novo, e acordo com os gritos de Bruna, acordo rápido e vou no quarto de minha mãe, lembrado que haviam 2 camas de casal em cada quarto, chegando la ela chorando, eu a abracei e fiquei ali com ela, que voltou a dormir de novo abraçada em mim, era tudo estranho, mas ela era minha irmã, ela magrinha eu meio fortinho, e acordamos la pelas 9 horas, acordamos ela foi ao banheiro e nem fechou a porta, abaixou a calcinha sentou no vaso e mijou, ai escovamos os dentes e descemos pra tomar café, eu meio que desnorteado, pois não via ela como irmã, mas evitava os pensamento errados, embora não consegui tirar os olhos da bucetinha dela, descemos fomos tomar café eu preparei pra ela, comemos e fomos pro quintal no sol, haviam duas bicicletas, a minha e a dela, mas ela não sabia andar de bicicleta e tínhamos um quintal enorme, eu comecei a ensina-la com todo o cuidado, mas ela não tinha jeito, então tivemos a ideia de ela sentar no meu colo e eu andar com ela pra ela pegar o jeito, ela sentou, pressionando a bunda contra meu pau, eu excitado, ela com um vestidinho curto, os cabelos no meu rosto, começamos a andar eu a ensinei a pedalar, depois ela foi guiando a bicicleta e assim eu fui ensinando ela, ela pediu pra ir ao banheiro mas me chamou pra ir com ela, pois não ficava sozinha de jeito nenhum, eu fui a ela desceu a calcinha sem se importar com minha presença, mijou, secou a bucetinha, eu quase pedi pra secar, mas quando ela saiu eu mijei peguei o papel que ela secou a bucetinha e cheirei, tentava evitar, mas era impossível, depois almoçamos eu lavei a louça e ensinei ela a secar e a guardar, e ela gostou de fazer, disse que nunca nossa mãe deixou ela fazer nada, eu aproveitei e ensinei ela a arrumar a cama, enquanto ela arrumava eu olhando a calcinha dela, depois fomos pro quintal ficamos brincando de bola, coisa que ela tinha mas nunca nem brincou, estávamos de feria, e iriamos começar juntos na mesma escola e na mesma sala, pois minha mãe já haviaj feito minha matricula, eu e Bruninha nos divertindo, depois tomamos um lanche da tarde e fomos mexer no computador, coisa que eu tive que ensinar ela, pois ela nunca havia tido contato, ficamos até nossa mãe chegar, as 17 horas, quando ela viu a casa arrumada, louça limpa cama arrumada ela até chorou me abraçou me beijou, mas era estranho eu não via ela como minha mãe, mas também como uma mulher gostosa, afinal só 32 anos, loira corpo escultural, olhos claros, eu tentava evitar a qualquer custo, minha irma disse que eu a ensinei secar e guardar a louça arrumar a cama, a andar de bicicleta, a jogar bola, mexer no computador e minha mãe mais uma vez me abraça e me beija no rosto, ai as 2 foram tomar banho eu fui tomar o meu, bati um bela punheta, minha mãe teve que sair, e eu fiquei em casa com Bruna, e ela ficou no computador navegando e ia sando ela levantou e não queria ficar ali sozinha, mas eu a acalmei dizendo que só iria no corredor, mas ela falou. Ta mais volta logo, Eu falei que qualqier coisa era só ela gritar e eu viria correndo, ai fui ao quarto de minha mãe entrei no banheiro e la estava a calcinha da minha mãe lavada, mas a de Bruna pendurada no box, peguei cheirei, lambi o fundo com um gostinho e xixi, mas voltei rápido pois ela gritou, minha mãe chegou com alguns presentes pra nós, e foi muito bom, jantamos e dormimos, na madrugada minha mãe me acorda e da o mesmo recado, mas mal ela sai Bruna grita, eu vou correndo e fico com ela, ela dormi de novo, ela estava com a camisolinha toda levantada, e a calcinha de fora, eu deitado ali com ela, passei a mão na bunda dela, mas ela se mexeu eu parei, acordamos as 9 horas, a mesma coisa tomamos café, fomos ao quintal andar de bicicleta, ela sentada em meu colo, eu excitado, depois ela foi mijar eu olhei, ai resolvi mijar também na frente dela, e tirei meu pau, ela olhou, e falou, Olha como homem é, Eu falei, É diferente, quer pegar? Ela pegou no meu pau, que gostoso, eu pedi pra ela mexer ela mexeu e foi gostoso, ela continuou mexendo me punhetando e eu gozei na mão dela, saindo um jato de porra que melou e mão dela, e pingou no chão, ela riu, e falou O que aconteceu, doeu? Eu falei. Não, foi muito bom, limpei a mão dela, o chão, ai mijei, limpei o pau e fomos pro quintal de novo ficamos la brincando ela antes não tinha televisão pois ficava só no colégio das freires, minha mãe trabalhava bem ao lado, mas agora ela estava com acesso a tudo, e nós 2 la brincando ela parou sentamos na sombra e ela me perguntou se eu já havia feito as coisas que as pessoas fazem nas novelas, no caso beijo na boca, eu falei que já, ela perguntou como era, eu falei, que não dava pra explicar, mas ai ela falou, a me beija só pra eu ver como é, e aproveitando eu colei meus lábios nos dela, e que beijo gostoso, e língua dela, uma delicia, ela me abraçou e depois fomos andar de bicicleta de novo eu segurando nas coxas dela, ela já pegando o jeito, ai depois paramos ela falou que não devíamos deixar ninguém saber do beijo, eu falei, sim ninguém precisa saber, ai ela me beijou de novo, eu a abracei, estávamos de pé, e eu levei a mão na bunda dela, levantando o vestido pegando na calcinha, ai entramos fomos pro computador, ela senetada mexendo e eu em pé, falei com ela. Bruna eu queria que vc fizesse uma coisa, mas se vc não quiser não faz, nem fale nada pra ninguém, Ela falou. Ah Bruno eu faço sim, o que é? Eu falei, pega no meu negocio de novo, Ela pegou, mexeu ai eu falei ,poe ele na boca e chupa, Ela. Ai Bruno, mas não é errado? Eu, Não é muito bom, depois eu faço em vc, e vai ser muito bom. Ela passou a língua, meio com nojo, mas eu tinha lavado, ai foi colocando a ponta da cabeça na boca e passou a língua bem na glande, eu fui ao delírio, ai continuou, eu empurrei um pouco mais, e entrou a cabeça do meu pau na boca dela, ela ficou lambendo e eu gozei gostoso, afastando o rosto dela, ela levantou e com a boca melada, falou. Foi bom Bruno? Eu. Ah Bruna foi muito bom, obrigado, ela me beijou na boca e falou, fica só entre nós, quando vc quiser eu faço de novo, ai ficamos la tomamos um lanche depois e fomos no ficamos na sala vendo algumas fotos dela, e ai voltamos a nos beijar, eu já com a mão nas coxas dela, ela falou. É gostoso Bruno, ai eu a puxei pra cima de mim e ficamos nos beijando eu com mão na bunda dela, ela riu, ai eu falei, deixa eu chupar sua vagina, ela falou. Vamos no quarto eu deito na cama, não é melhor? Eu falei. Sim, vamos, Chegando no quarto ela deitou tirou a calcinha eu peguei cheirei, lambi, e fui na bucetinha dela, lambi gostoso, bem na rachinha, era inchadinha salgadinha deliciosa, eu lambi tanto que fiquei com o pescoço doendo, ela falou. Bruno da uma coisa boa, mas lave o rosto pra me beijar depois, ai lavei o rosto nos beijamos e ela falou. Quer que eu chupe de novo? Eu. Quero sim. Ela ajoelhou no chão eu de pé e ela abaixou a bermuda e pegou meu pau colocou na boca e chupou gostoso passando língua eu gozeo de novo, muito gostoso, ai a ajudei a levantar ela já veio e me abraçou e me beijou gostoso, mas tarde minha mãe chegou, eu tomei banho elas tomaram, e minha mãe depois levou a gente pra fazer compras com ela, eu e Bruna no mercado escolhendo as coisas e Bruna sempre de Braço dado comigo, na volta estava calor ai ficamos no quintal andando de bicicleta a noite, mas eu não deixei ela sentar no meu colo, pois minha mãe podia achar ruim, ai depois tomamos banho de novo e fomos assistir filme, ficamos no meu quarto, assistimos até tarde eu sempre passando a mão nela, ela me chupou de novo, eu dei uma chupadinha nela, mas ficamos com medo de nossa mãe entrar, e assistimos até bem tarde, e ela dormiu no meu quarto eu a coloquei na cama e a cobri, minha mãe depois foi la ver e ela estava roncando, eu ainda acordado, ai minha mãe falou acho que vou deixa-la aqui também, me deu um beijo e foi dormir, na madrugada ela saiu e nem falou nada, mas deixou tudo pronto pra nós, ai depois que minha mãe saiu Bruno acordou e me acordou pra eu ficar de olho nela, ela foi ao banheiro, mijou e voltou pra minha cama, nos beijamos, e meio com sono ela pediu pra eu chupar sua bucetinha eu chupei gostoso, forcei na racinha que se abriu, eu enfiei a língua la dentro, ela ai que coisa boa, ficava meio que se mexendo, eu chupando ai um molhadinho gostoso, ela falou que tava bom, eu parei ela me fez lavar o rosto eu fui e quando voltei ela me chupou eu gozei ela tomou toda minha porra, e ficamos colados nos beijando, ela dormiu com as pernas enlaçadas em mim, ai acordamos la pelas 10 horas, descemos tomamos café ai ela falou. Bruno um dia eu vi perto do colégio de freira um cara colocando o negocio a vagina da mulher, vamos fazer também? Eu mais que depressa, falei. Vamos ai é gostosos demais, e fomos ao quarto ela deitou eu deitei em cima, mas ela não me aguentava, ai eu deitei ela veio em cima, mas ficava ruim, ai tivemos a ideia de ela sentar com as pernas aberta e eu ficar de pé ela sentou na cama que era na altura certa, inclinou pra traz eu fui colocando o pau na bucetinha dela, ela começou a respirar, mas estava cançando, ai tentamos ela deitar de lado inclinada pra frente e eu também de lado introduzir, e deu certo, eu coloquei bem devagar, ela respirando mexendo devagar, e falando. Bruno e gostoso, ficamos mexendo devagar e gozamos juntos, ficamos todos suado ela mijou no lençol, tive lavar, mas foi tao bom que ficamos até o meio dia ali, naquele dia fizemos mais umas duas vezes, e ela me chupou eu também a chupei, no inicio da noite nossa mãe chega, tomamos banho, minha mãe ve sangue na calcinha dela, e achava que ela estava menstruando, mas era porque ela perdeu a virgindade, mas na época não nos dávamos conta disso, e assim fazíamos todos os dias, fomos fazendo novas posições, conforme pesquisávamos na internet, minha mãe achou estranho o sangue, sem ela menstruar, mas acho que nem deu bola, os dias foram passando e as aulas começaram, minha mãe me deu orientações pra eu cuidar de Bruna, na escola eu a coloquei sentada em minha frente, assim eu poderia ter a visão total dela, não havia como negar eramos indenticos, eela sempre andava junto comigo, eu incentivei ela a fazer amizade com uma menina que morava ao lado de nossa casa, e assim foi bom pois a menina ia sempre la fazer companhia pra Bruna, mas Bruna falava que não queria que ficasse longe, na escola essa menina ia com ela no banheiro ,e passou a cuidar dela também, e nós em casa fazendo sempre sexo adolescente, ela me cobrava, e gozava gostoso, era todos os dias, muitas vezes acordavamso no meio da noite ela me chamva pra cama dela e transavamos gostoso, a vizinha amiga dela que era mais tímida do que ela que já estava se soltando mais, ficava la em casa direto conosco, pois a mae dela trabalhava e ela ficava sozinha, mas conosco ali, ela ficava la, um pouquinho depois das aulas até a mãe dela chegar, ai ela ia embora e eu e Bruna íamos pra cama, estávamos viciados, não conseguíamos ficar sem, e o tempo foi passando chegamos no fim do ano, fomos aprovados, Bruna já era outra pessoa, nosso desejo era tão forte, passamos a fazer coisa como ela pegar um bombom passar na buceta e me dar pra comer passar cobertura de chocolate no meu pau e lamber, ela me mandava deitar no chão e sentava com a buceta na minha cara, eu empurrava a língua, mas finalmente ela menstrua, nossa mãe explicou a ela, e falou também de como as mulheres engravidam, e ficamos esperto pois tinha o risco, mas o desejo era mais forte, continuávamos a transar direto, os cabelos na buceta dela crescendo, no meu pau, e nossa relação intensa, aos 14 anos nós do mesmo jeito, com muita intensidade, eu nem me importava com as meninas na escola, algumas gostavam de mim, a vizinha inclusive, mas eu só pensava em Bruna e ela em mim, embora ela já bem mais descolada, com mais amigas na escola, mas nossa relação era só nossa, e ela muito linda, os caras babavam nela, trocávamos juras de amor, Bruna já prendada fazendo as coisas em casa é claro sempre com minha ajuda, mas bem diferente, já fazendo comida, receitas difíceis, o ano 2010 foi muito intenso nossa relação, e os tempo passou em 2012 com nossos 16 anos, nossa mãe vendeu a casa e comprou outra casa bem maior e melhor Botucatu, interior de São Paulo. onde eu e minha irma prestamos um prova do SENAi e entramos numa multinacional como aprendiz, ficamos trabalhando no mesmo setor ao lado um do outro, e fomos nos desenvolvendo mais, ela já bem esperta inteligente, sabíamos que nossa relação era errada, mas não conseguíamos parar, até tentamos, mas não tinha jeito, e foi la que num exame medico eu fiz um espermograma e descobri que era estéril, já não tinha o risco de engravidar minha irmã, ai terminamos o ensino médio e iniciamos na mesma faculdade de psicologia, na mesma sala, isso aos 17 anos, e na nova casa cada um tinha seu quarto, mas fugíamos a noite pro quarto um do outro, e quando minha mãe trabalha a noite, dormíamos juntos, quando atingimos a maioridade tiramos a habilitação e compramos um carro, onde íamos ao trabalho e depois pra faculdade, mas ficávamos com vontade de ir a um motel, mas eramos indenticos, e ficava estranho, então ela resolveu pintar o cabelo pra diferenciar um pouco, assim as vezes íamos a algum motel, fomos efetivados na empresa, ai depois prestamos um concurso e entramos num banco, o salario melhor, menos horas de trabalho e com nossa indepencia, resolvemos contar a nossa mãe, falamos da nossa relação incestuosa, ela não aceitou, e nem aceita ainda hoje, mas nunca disse nada a ninguém, eu e minha irmã que no caso hj e minha esposa estamos morando em São Paulo trabalhando no mesmo banco, adotamos um casal de gêmeos também, que minha mãe acha que é nosso também, devido as crianças serem loirinhas parecidas conosco, bom é isso o incesto começou assim e assim estamos até hj.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,55 de 29 votos)
Loading...