Minha esposa tem um namorado

Autor

Continuação do conto "Marido dona de casa 2"
Minha esposa Fernanda (pele branquinha, olhos castanhos, corpo pequeno de adolescente toda empinada) durinha e deliciosa, professora de informática, matemática é muito focada no que faz e quando é época de prova na escala onde ela dá aula ou um outro evento importante ela não faz mais nada, com isso ela fica um mês sem fazer sexo, ou mais, no início do nosso casamento já era assim. Como um bom corno manso aprendi a cuida de sua saúde física e mental.
-Corninho coloca maçã no meu lanche amanhã, mas descascada e em tirinhas.
– Claro querida, quer que eu vá te buscar hoje?
-Não precisa! Hoje pela manhã tem uma reunião e o resto do dia eu estarei livre, mas só chegarei a noite.
Falou rindo, pensei, vai dar para seu Pedro o nosso vizinho negão que tirou a virgindade do cu dela.
-Você vai foder hoje com o seu Pedro? Querida quantas vezes por semana você tem saído com o seu amante?
-Por que você quer saber?
-Você não me conta mais nada nem parece que eu sou o seu esposo….
-Você é o meu corninho e dona de casa….
Falando assim segurou o meu queixo, beijou a minha boca e continuou.
-É você quem lava as minhas calcinhas e você sabe que amante para mim tem que ser totalmente confiável, eu gosto de sentir o esperma quente melando minha bucetinha e por mais que eu lave sempre escorre pra calcinha. Não sei acho que vou transar hoje sim, mais estou brigada com o meu salvador eu achei Viagra na casa dele. Ele mentiu para mim quando disse que não tomava.
-Você já deu para ele depois daquele dia que você confessou que é apaixonada por ele?
Rindo ela respondeu.
-Eu sou apaixonada por você meu maridinho lindo eu só falei aquilo para humilhar você, eu queria ver essa sua carinha de corno manso.
Quando ela falou isso meu pau que já estava dando sinal de vida endureceu de vez. Me empurro no sofá tirou minha roupa e com a mão direita começou uma lenta masturbação em mim, cuspiu no meu pau e enfiou dois dedos da mão esquerda de uma só vez no meu cu. Vi estrela, tentei levantar, mas ela não deixou cravando as unhas no meu pau.
-Quieto, quanto tempo o meu maridinho corno não goza…. Goza para mim….
-E você querida quanto tempo faz?
-Meu corninho quer ouvi a sua dona contar como que o macho negro fodeu ela.
Fernanda contou que saiu com o seu mocho negro duas vezes depois daquele dia, a primeira ela saiu mais sedo do trabalho e passou na casa dele, ele já esperava ela e abriu o portão só de sunga com o pau duro, ela agarrou ele ali mesmo e quase não deixou ele fechar o portão (o muro é alto)ela nem tirou a roupa o jogou na grama e chupou o piru dele. Ela disse ainda que estava de saia e chegou a calcinha para o lado e montou nele, só depois dela gozar e ele encher a buceta de porra que eles foram para cama. Na segunda ela falou para mim que tinha que chegar cedo na escola mais era mentira ela pegou no serviço a uma da tarde. Ela contou rindo que tomou café da manhã sentada no colo do seu amante com o piru preto grosso dele enfiado em seu cu ela falava e ria da minha cara de corno. Esporei sentido muita dor no cu porque ela masturbava meu pau e socava dois dedos com muita força. Espalhou a minha porra no meu rosto e enfiando os dedos em minha boca disse:
-Corno, Filha da puta, está com saudade desse gosto…. Corno, veadinho bebedor de porra….
Levei ela até o local do evento e no estacionamento, encontramos o magnífico reitor, fui apresentado a ele que disse:
-Fernanda fala muito bem de você e vejo que é tudo verdade…
Falou abraçando-a a cumprimentando com dois beijinhos.
-A que horas eu venho te buscar querida.
Ele respondeu.
-Fernanda nós vamos ficar juntos o dia todo, quando terminar eu te levo em casa.
Eles pegaram suas coisas no carro e foram, mas ela voltou beijou minha boca e disse:
-O evento acaba as onze e meia e depois do almoçar o reitor quer que eu o acompanhe em uma reunião chata, mas vou fugir com o meu namorado, vou passar a tarde com ele, não me liga porque eu vou estar ocupada o dia todo.
Alisando o meu pau por cima da calça discretamente.
As oito horas da noite Fernanda me liga para eu ir busca-la na escola, eles saíram juntos. Fiquei aliviado e contente, ela passou o dia trabalhando e está a meses sem foder hoje vou comer a bucetinha dela. No carro, paramos no sinal, Fernanda me agradeceu e disse que teve um dia maravilhoso.
-As reuniões foram chatas, mas a porra do meu namorado é deliciosa….
Falou esfregando a buceta por cima da calça.
-Não entendi, você ficou o dia todo trabalhando querida?
Beijou meu rosto.
-Eu disse que agora é diferente, eu vou dar para o meu namorado a hora que eu quiser! Corno, corno manso…
Tirou meu pau para fora da calça e começou a me masturbar, comigo dirigindo.
-Logo depois do almoço eu dei uma fugida com meu namorado! Fomos em um motel próximo do instituto…. Não tomei banho, gosto de senti a porra vazar do meu bucetão arrombado e ficar o dia todo com a calcinha melada…. O reitor nem percebeu que eu saí.
Pedi para ela parar de me masturbar e me contar quem é o namorado fixo dela e como foi a foda, mas ela continuou me masturbando e falou da felicidade de ter um macho de verdade para comer ela o dia que ela quiser. Falou ainda que seu bucetão está inchado com um buraco enorme que foi só pica na buceta, que ela nem chupou o pau do namorado. Parei o carro em casa Fernanda acelerou a masturbação e eu esporrei em cima da minha barriga.
-Pronto meu corninho também gozou! Eu gosto de gozar com um macho dentro de mim e sei que você gosta de gozar se masturbando eu só não vou narrar nem deixar meu corninho assistir…. Use a imaginação ou continue assistindo os filmes que você gravou de mim, com sua esposa perdendo a virgindade do cu para aqueles negros pirocudos. Passou a mão suja da minha porra no meu rosto e saiu batendo a porta do carro. No outro dia eu fui pegar as roupas sujas para lavar e lá estava a calcinha e a calça Jens com porra ainda um pouco úmida, então o que ela falou foi verdade ela tem um namorado fixo que eu não sei quem é.
Continua.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,50 de 8 votos)
Loading...