Lucia a mãe de meu amigo

Autor

Ola galera meu primeiro conto, Eu moro na região do ABC paulista, moro com meus avóz, tenho 16 anos, vou contar como aconteceu tudo, eu estudo numa escola estadual, estou no terceiro ano do ensino médio, e estou fazendo um curso a noite a etec, então chego da escola e fico de boa em casa ou com os amigos, e a noite vou pra etec, tenho uma amigo que fomos criados juntos, Julio, que estuda na mesma classe que eu e faz também o mesmo curso na etec, porem ele a tarde frequenta um grupo de evangélicos onde ele toca violão, e eu só o vejo mesmo nas aulas, mas a mãe dele Lucia que alias me conhece desde pequeno, fica sempre sozinha em casa, ela é casada, mas o marido dela, no caso o pai de Julio é um bebum, so vive bêbado, embora seja funcionário de prefeitura, acontece que numa sexta feira eu cheguei da escola, e estava indo pra casa pra almoçar quando Lucia me chama, eu vou ver o que era, e ela me pede pra entrar e ajuda-la a trocar o botijão de gaz, eu vou la e troco, ela me chama pra almoçar, eu falo que minha avó estava me esperando, mas ela insisti dizendo que sempre almoçava sozinha, eu naquela semana estava numa segura, pois estava tudo bem puxado, na escola e no curso, eu já estava sem beijar a algum tempo, já não era mais virgem, e Lucia estava com uma calça legguing apertada, realçando bem a bucetona, e uma blusinha de alsinha, mostrando o pe da barriga, ela era meio gordinha, mas linda, cabelo preto liso, pele branca, baixinha, e já senhora, mas era comestível, como dizemos aki, eu aceitei, liguei pra minha avó pra ela não me esperar, ai almoçamos, ela perguntou como estava a escola, dizia que o Julio ficava muito bitolado na igreja, ela dizia que ele teria que ser igual eu, estudar e ficar de boa, pois o curso já era bem puxado, mas o cara era só igreja, embora ele era meu amigo, as vezes era chato conversar com ele, pois só o papo de crente, ai Lucia disse que ela ficava sozinha, o marido só voltava pra casa bêbado, o Julio nem ficava em casa, eu falei que eles deveriam dar mais atenção a ela, e ela concordou comigo, ai eu a elogiei, dizendo que ela era bonita, ela gostou muito, eu almocei depois fiquei la conversando com ela, sentado no sofá, ela se lamentando pois vivia solitária, ai ela começou a chorar e eu a abracei, ela com a cabeça em meu ombro, e eu tentando acalma-la, ela disse. Eu já estou velha, acabada, só queria ter a companhia da minha família, tua avó é feliz, pois vc sempre esta com ela. Ai eu falei, que iria la pra conversarmos mais, ela agradeceu e disse que era pra eu ir mesmo, e pediu pra eu não contar nada pro Julio, que ela chorou, as queixas dela, enfim, eu não falei nada, mas no sábado, eu acordei fiz alguns trabalhos escolares e do curso, e fui la na casa de Lucia as 13 horas, ela sozinha, toda melancólica, chorosa, eu perguntei do Julio ela disse, Hã, adivinha, e te dou um doce se vc adivinhar onde meu marido esta. Eu falei. Calma Lucia, eu fico aki com vc, assim vc não fica sozinha, ela estava com outra calça legging, laranja, apertadíssima, relaçando bem a buceta, e blusinha de alsinha, ela me abraçou eu entrei e ficamos no sofá conversando, ela me perguntou. Eu sou feia? Eu disse. Lucia é claro que não. vc é linda, já disse antes e digo agora, vc é linda, Ela sorriu mesmo com os olhos cheios de lagrimas, ai ela pegou o whatzap, e começamos a conversar pelo whatsap, pois naquele dia ela estava esperando uma mulher que iria fazer uma reunião pra vender lingerie na casa dela, eu fui pra casa, fiquei estudando, no domingo logo cedo ela me manda um sap dizendo que o Julio já havia saído e o marido também, era umas 8 horas da manha, eu acordei tomei banho café peguei a bicicleta e fui la, ela me chamou pra entrar, eu entrei ai ela só esperou eu colocar a bicicleta que alias era de Julio, mas estava comigo a algum tempo, ai ela me abraçou, Danilo só vc me entende, tenho idade pra ser sua mãe mas vc me faz bem, me sinto melhor com sua presença, vem entra aki. Fomos pra sala ela sentou eu também, ai ela falou. Danilo sei que é loucura, mas vc sabe, sou mulher, e vc um adolescente, acho que estou ficando maluca, mas estou gostando de vc. Eu falei. Também to gostando de vc, mas vc não é velha não, Ela sorriu, ai nos aproximamos e começamos a nos beijar, e que beijo gostoso, lábios carnudos, uma língua grande, envolvente, embora eu já tivesse beijado algumas garotas, mas Lucia estava melhor do que qualquer uma, ai ela fala. Sei que é loucura, mas vamos pra minha cama. Fomos até a cama dela, ela fecha a porta, meio sem jeito, ela tira e roupa, eu também tiro, ficamos nos beijando pelados, eu passando a mão na xana dela, bem cabeluda, nas coxas também peludas, enfiei o dedo, ai ela me faz deitar na cama ficamos deitados de lado um de frente pro outro, confesso que estava meio que perdido sem saber o que fazer além de passar a mão, mas ficamos la, ai ela deita com a barriga pra cima e eu vou em cima dela, direciono meu pau com certa dificuldade, pois estava sem jeito, mas começo a penetra-la bem devagar, como eu batia muita punheta eu conseguia controlar bem o gozo, mas comecei a introduzir o pau na xana dela, ela a começou a se mexer, bem lentamente, meio que desajeitados, mas continuamos, quando pegamos o embalo, começamos a aumentar a velocidade, das estocadas, ela transpirando, eu também, e derrepente ela começa a respirar muito forte, e goza bem gostoso, me afastando de cima dela, pois o calor tomou conta, eu com o pau todo molhado, escorrendo porra, embora eu não tinha gozado, ficamos ali nos pegando um pouco, ai ela foi ao banheiro eu também fui depois, voltamos ao quarto, ela deita de lado eu vou atraz, e consigo colocar meu pau na xana dela, começo a bombar, ela começa a chorar, dizendo que era uma vergonha ela uma velha dando pra um garoto, e eu nem dando importância só bombando, e gozei gostoso, depois ela vira pra mim e eu a beijo, mas ela pede pra parar, dizendo que era loucura demais, ai me pede pra eu me vestir e ir pra casa, eu faço o que ela pede, vou pra casa realizado, afinal pra um adolescente comer uma mulher de 52 anos, mas eu tento contato novamente, ela me bloqueia no sap, eu vou a casa dela no dia seguinte depois da aula, mas ela fala que tudo foi loucura, e seria um crime alguém descobrir, poderia dar problemas pra ela, eu insisti varias vezes mas ela não quis mais, e foi só aquela vez que fizemos, isso foi a 6 meses, hj ela nem mesmo quer mais falar do assunto, e tudo continua como sempre ela se queixa do filho e do marido, mas nada faz pra resolver, eu resolvi contar, embora acho que os contos aki são todos imaginários, pois são cada coisa que contam sem sentido, também não peço que acreditem no meu, pois também não acredito em muitos, mas tem alguns que parecem ser reais mesmo,

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,92 de 12 votos)
Loading...