inicio com meu garoto

Há 3 meses Por 20 ★ 4.86

Tenho vários contos publicados neste site, e recebo solicitação para escrever causos de outras pessoas. Mais só escrevo o que parece real ou passível de acontecer, aparece cada coisa!, Vamos lá esse é de uma pessoa que a estória me parece real. Vou contar na primeira pessoa.

Sou empresário, autonomo, casado com uma mulher também autonoma profissional liberal. Temos um casal de filhos onde o garoto é mais velho que a garota três anos, os dois estudam na mesma escola e mesmo horário pela parte da manhã para facilitar, e a tarde eles ficam com a babá que toma conta deles até chegarmos no final da tarde.
Minha esposa é diferente de mim, gosto de tudo que me dá tesão, e ela é meio radical em alguns casos de sexualidade, é muito bonita e gostosa, chama muito a atenção.

Três casas depois da minha, tem um casal que somos muito amigos, ela uma gata gostosa, sempre na brincadeira e adora se exibir com roupas curtas e apertadas, destacando seu belo corpo, já me deu vontade de dar uma cantada, mais me contive. Eles também tem um casal de filhos, o menino tem a idade do meu e a menina dois anos mais velha, os meninos gostam de brincar juntos na minha casa, o meu filho tem mais brinquedos inclusive Elétronicos e os dois passam a tarde brincando.

Um certo dia era umas quinze horas, já tinha terminado uns assuntos que fui resolver na rua e decidi não voltar mais para o escritório, fui para casa.
Cheguei perguntei pelas crianças, e a babá falou:- seu Paulo a Rebeca está dormindo no quarto e o Flavinho estar brincando no dele com Julinho(filho do casal), com um ar de riso, a brincadeira deles deve ser muito boa, não se desgrudam, quando o Flavinho chega da aula logo chega o Julinho para brincar.
Disse que iria tomar banho e como não pretendia mais sair, lhe dispensei, já que tinha dias que ela saia depois do seu horário normal.

Tomei meu banho e fui a procura das crianças, pretendia fazer uma merenda para mim e fui ver se os dois queriam, mais antes passei no quarto da Rebeca e ala estava dormindo só de calcinha com as pernas abertas, por um momento fiquei admirando a minha filha com aquela calcinha apertada de bichinho e marcando a rachinha inchada, isso ela puxou a mãe, era uma miniatura dela, com suas pernas grossas e só o inchadinho daquilo que um dia será um par de seios.
Dei um sorriso por ter prestado atenção nisso, aqui é muito quente e sempre o ar tá ligado, e ela ainda estava sem roupas.
Fui a procura dos dois, a porta do quarto estava um pouco aberta e nenhum barulho, me chamou a atenção, dois meninos brincando sem barulho?, fui devagar e olhei pela brecha que ficou da porta não está fechada, os dois estavam sentados no chão um de frente para o outro fora da visão da porta, estavam brincando só de calção, eu via pelas costas do meu filho mais não dava para ver de que estavam brincando. Sem saber de que estavam brincando, e sem maldade, empurrei de vez a porta, os dois se assustaram, estavam com os pintos de fora e um pegando no do outro. O Julinho levantou rápido, disse eu já vou, e meu filho começou a chorar, tentei acalmar os dois, disse que o Julinho poderia ficar brincando, mais o susto foi grande, ele saiu correndo, e meu filho chorando.
Peguei meu filho no colo e sentei na beira da cama dele, enxuguei suas lágrimas, lhe tranquilizando e disse: filho, você pode continuar brincando com o Julinho, papai não vai brigar com você, na próxima vez, feiche a porta, já pensou se fosse sua mãe?, Você não pode deixar ninguém ver, ninguém mesmo, sua irmã, sua mãe e a babá!, Ele: de cabeça baixa, ela já viu!, eu:- o que ela disse?, Ele:- a mesma coisa que o Sr., Que ninguém poderia ver ou saber, até o sr.!
Eu:- e ela brinca com vocês? Põe sua irmã para brincar com vocês?.
Ele:- não, só disse que agente pode brincar assim com a irmã do Julinho, que ela vai ensinar agente.
Safada, ela já sabia, por isso que falou aquilo para mim, ela é um tesão, já comi bastante, ela fala que o marido não lhe satisfaz, apesar de ter trinta e seis anos, e ela vinte e sete.
Meu filho é lindo, fiquei reparando nele, cabelos lisos, um corpinho não gordo mais rechuchudo, perninhas grossas, e uma bundinha durinha e cheinha.
Dei um beijo no seu rosto e perguntei:- como vocês aprenderam a brincar assim?, Ele:- de cabeça baixa, ficou calado, eu:- filho, eu estou brigando com você? Ele:- não!, Eu:- então confi em mim, diga como vocês aprenderam essa brincadeira, vocês gostam de brincar assim? Ele:- é bom!, Eu:- então me diga como foi!
Ele:- foi o Julinho que começou, ele disse que o tio Marcos brinca com ele assim, eu já estava de pau muito duro, mais não podia espantar ele, tinha que descobri tudo.
Eu:- como é que eles brincam? Ele :- o Julinho diz que o tio Marcos fica pegando no piru dele e ele fica pegando no do tio Marcos. Eu:-o Marcos já chamou você para brincar?, Ele:- não, ele só perguntou se o Sr. brinca comigo assim! E eu disse que não.
O Marcos já tinha tentado falar do assunto comigo, entrado numa conversa sobre incesto quando estávamos tomando uma gelada juntos, como sempre fazemos, eu não dei muito ouvido .
Pensei, se ele brinca com o Julinho assim, deve já está brincando a muito tempo com a Juliana que é mais velha, e uma delícia, com os peitos apontando, como uns limãozinhos, pernas grossas, cabelos ondulados abaixo do ombro, bundinha arrebitada e um corpinho delicioso, sua mãe lhe veste como uma jovem bem mais velha que ela de salto e tudo.
Eu:- meu amor, você quer que o papai brinque com você assim?
Ele me olhou, deu um sorrisinho lindo para mim e perguntou :- o sr. Brinca comigo também?, Bejei o seu rosto novamente, meu amor se eu brincar com você assim, ninguém pode saber, nem sua mãe, se não a mamãe vai brigar comigo e não vai deixar nunca mais eu ver você!.
Ele:- papai, não vou contar pra ninguém, eu juro!

Pedi para ele esperar um pouco que eu iria ver se a Rebeca ainda estava dormindo, quando levantei ele grudou o olho no volume que fazia no meu short apertado, eu estava sem cuecas, é assim que fico em casa, só uso mesmo para sair, e as vezes.
Fui e ela continuava dormindo, só tinha mudado de posição, agora estava de lado, com uma perna esticada e a outro encolhida, sua bundinha estava mais exposta naquela calcinha, e sua bucetinha estava mais aparente entre as pernas, parecia mais inchada da pressão das coxas.

Quando cheguei ele continuou olhando para a minha pica. Eu:- o que você está olhando filho?, Ele:- pai! O que está tufando seu short?, Eu:- filho é o piru do papai que está querendo sair!, assim que chamamos para ele a pica.
Ele:- então deixa ele sair!, Eu:- você quer que eu solte ele?, Ele:- quero!, Eu:- então vem soltar ele pro papai!.
Ele levantou da cama, meio com vergonha, e veio para o meu lado.
Eu passei a mão na sua cabeça e disse:- baixa o short do papai para ele se soltar!,
Ele pegou nas laterais do meu short e foi arriando devagar, baixou a parte de trás e a frente ficou presa na minha pica que estava extremamente dura, serviu de cabide, segurando o short, ele continuou a puxar e ela depois de aparecer a metade se soltou dando uma estilingada para cima e ficou balançando, ele se assustou e soltou meu short se afastando de mim, e ficou olhando adimirado.
Eu estiquei a mão para ele e chamei para perto de mim, filho não fique com medo, venha tocar nele, você não gosta de pegar no do Julinho?
Ele:- gosto, mais o seu é grandão!
O meu pau tem em torno de 21cm e com uma grossura respeitável.
Eu:- venha põe a mão nele.
Ele veio e primeiro apertou com o dedo, sentiu a textura, e ficou cutucando, eu:- amor segura na pica do papai!, Ele, o nome do seu é pica?, Eu expliquei os nomes que ele tinha para ele começar a se familiarizar com a coisa.
Pega filho, segura e aperta ele. como um bom aprendiz, segurou pelo meio e dava pequenos apertões com a sua mãozinha infantil, estava me dando um tesão indiscritivel, era muito bom aquele contato, e ainda por cima meu filho.
Ele:- pai não dar para segurar direito, minha mão na segura toda( ele queria dizer que não abarcava) pela grossura e a sua mãozinha era pequena, eu:- filho segura com as duas mãos! Ele segurou, a cabeça do meu pau ficava próximo do seu queixo, ele ficou com os olhos muito perto da cabeça, mandei ele apertar, ele fez, empurrei para a frente mostrando a cabeça melada, ele ficou imprecionado, passou o dedinho na babá e falou:- pai porque tá melado assim? O meu não fica assim!
Eu fui lhe explicar todo o processo, porque o meu ficava e o dele não.

Ele papai, o do tio Marcos é grandão assim também?, Eu:- porque você está perguntando isso,? Ele:- é que o Juninho falou, que o tio Marcos passou uma pomada na sua bunda e o tio tentou colocar o piru dele, posso chamar de pica? Eu pode filho, pode chamar de pica também!, E aí? O Julinho falou que doeu muito, ele não aguentou e o tio parou.
Tudo isso sem soltar a minha pica um só segundo, estava estasiado em segurar na minha pica.
Comecei a ensinar ele a bater uma gostosa punheta para mim.
Ele ficou movimentando as mãozinhas para cima e para baixo, ele gostava de ver a cabeça sumir quando ele puxava para cima e aparecer quando puxava para baixo, as vezes ele puxava para baixo até doer, só para ver a cabeçona aparecer melada, estava muito gostoso tudo aquilo.
Eu, filho vou ensinar uma nova brincadeira, ele, tá bom!, Eu lhe deitei na cama e lhe tirei o calção, deixando ele nuzinho e com a piquinha muito dura, era maior que o meu dedo mindinho, mais para a sua idade estava ótimo o tamanho.
Punhetando ele, falei:- filho papai vai chupar a sua pica, tá bom? Vai ser muito gostoso!
Coloquei toda na minha boca e fiquei chupando devagar, ele se contorcia todo, perguntei se estava gostoso, ele respondeu que sim.
Coloquei os ovinhos na boca, passei a ponta da língua no seu cuzinho que travou e deu um suspiro forte,
Ao mesmo tempo que eu chupava seu pau, passava a ponta do dedo no seu cuzinho, ele só gemia, não sei o que realmente ele estava sentindo, só sei que era gostoso, para ele tudo aquilo era muito novo, o que fazíamos, e o que sentia.

Depois de chupar bastante aquela piquinha e aquele cuzinho, falei:- filho agora é a sua vez de fazer no papai!. Fiquei em pé e coloquei ele sentadinho na beira da cama, e devagar fui aproximando minha pica da sua boca, mandei ele abrir, ele fez, coloquei a ponta da cabeça e disse, :- filho tenta chupar como um pirulito, ele tentou, falou:- pai não cabe na minha boca!, Eu filho tenta, abre bem a boca!, Ele fez e eu consegui colocar toda a cabeça, e fiquei fudendo a sua boquinha, a babá caia da sua boca nos seus peitos, quando estava para gozar tirei da sua boca, não queria assustar e gozei na minha mão, ele, papai o que
é isso?, Eu:- é o leite de pica do papai!,ele:- é leite? Disse que sim, ele:- então me dar, eu quero!
Peguei o dedo sujo e passei na sua boca, ele provou e perguntei se era bom, ele disse que tinha gosto esquisito passando a costa da mão na boca, falei:- sua mãe adora beber, ele disse que então queria beber também, e disse, porque o senhor não dar para a Rebeca?, ela gosta muito de leite, falei que iria dar também para ela, mais não agora porque meu leite era só dele e da mãe dele, ele ficou todo feliz.
Deitei na cama e coloquei ele deitado sobre o meu peito, fiquei lhe fazendo carinho no seu corpinho gostoso, alisava a sua costa até a bundinha durinha e ficava apertando, abria de leve e passava a ponta do dedo no seu cuzinho, quando tentava empurrar o dedo, ele travava, mais não dizia nada, eu chupava meu dedo colocando saliva e ia tentar novamente depois de muito carinho, ele não reclamava, mais travava, não deixava eu enfiar. Fiquei brincando assim!
Falei:- filho, o Julinho já te falou se o Marcos brinca com a Juliana também?, Ele:- brinca pai!o tio coloca a pica dele na ppk dela, Eu:- e ela não chora?, Ele:- o Julinho falou que quando ela era mais nova, o tio Já brincava com ele, mandou o Julinho para o quarto dele e esperar que ele ia brincar com ele. O Julinho ficou mexendo no celular quando ouviu a Ju chorar, ele pensou que ela estava dormindo, ele foi ver o que ela estava sentindo, quando chegou no corredor viu que ela estava no quarto do tio, ele foi lá, quando chegou, a Ju estava deitada com a cabeça nas pernas da tia Júlia e o tio estava colocando a pica dele na ppk da Ju, tava a metade dentro, quando eles viram ele mandaram ele ir para o quarto que o tio já ia brincar com ele.
Ele diz que agora eles brincam com ela na frente dele, e que o tio coloca quase tudo dentro da ppk dela e ela não chora mais.
Com toda essa conversa, meu pau já estava duraço, coloquei no meio de suas coxas e mandei ele apertar, estava muito gostoso, a minha pica saia na sua bundinha, quando passava a mão, sentia a cabeça, e eu sentia seu paizinho cutucando minha barriga.
Com toda essa brincadeira e bolando como participar da brincadeira deles, eu sabia que a Júlia era safada, mais nem tanto .
Fiquei fudendo nas coxas dele até gozar novamente e espalhar a minha porra por toda a sua bundinha é cuzinho.

Obs.: Tentei descrever o mais real possível, com o vocabulário do Flavinho.
Se gostaram, deixem seus comentários.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,86 de 44 votos)
Loading...

Por

20 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Eletrônico

    Obrigado pelos comentários.

  2. Lucas

    Amei o conto , Sou lucas tenho 17 anos , Já tentei escrever contos no site , mas nunca consigo , são com kids pequenos , acho que e por causa da idade , então quem quiser trocar experiências ou fantasias deixem contato que eu chamooo . Bjos estou ansioso 😗😈😈

    • oclaidiosu

      Telegram: oclaidiosu

  3. Anônimo

    Sou lucas tenho 17 anos , amo kids , quem quiser conversar e trocar experiências e fantasias

    • Anónimo

      Deixem contatoo

  4. Luutleizz

    Adorei, escreve mais com meninos menores com 6 ou 7 anos

  5. Lucas

    Sou lucas , tenho 17 amos , amei seu conto , cria mais , vc escreve tão bem , coloca com meninos menores , tipo 6 ou 7 . Muito bom 👏👏👏 quem quiser trocar experiências ou fantasias deixem o zap que eu chamoo . Bjosss

    • Marcel

      Lucas…vc tem skype?

    • Lucas

      Naooo

  6. Anônimo

    Muito bom
    Conta sobre sua conversa com o Marcos e vcs dois e seus filhos juntos!!! E depois um outro conto só com suas filhas
    Amei♥️

  7. John Deere,Matador de Veados

    Leiam minha história e vocês entenderão porque às vezes tenho raiva de veados. Porque eu sou um, mas não consigo me aceitar. Eu sofro todas as vezes que dou o cu. Depois que me fodem, que os machos arrebentam meu rabo, eu sinto raiva e nojo de mim mesmo, mas no outro dia já estou de novo nas ruas caçando homem pra rasgar meu cu. Adoro sentir os homens metendo bem fundo no meu rabo e me enchendo de porra quente. Quero aproveitar todas as picas que poder antes do bicho da goiaba acabar com a minha vida imunda de veado porco.

  8. John Deere,Matador de Veados

    https://contoseroticoscnn.com/2018/07/john-deere-viado-desde-crianca/

    Leiam minha história e vocês entenderão porque às vezes tenho raiva de veados. Porque eu sou um, mas não consigo me aceitar. Eu sofro todas as vezes que dou o cu. Depois que me fodem, que os machos arrebentam meu rabo, eu sinto raiva e nojo de mim mesmo, mas no outro dia já estou de novo nas ruas caçando homem pra rasgar meu cu. Adoro sentir os homens metendo bem fundo no meu rabo e me enchendo de porra quente. Quero aproveitar todas as picas que poder antes do bicho da goiaba acabar com a minha vida imunda de veado porco.

  9. Edmilson

    John Deere quando você vai postar mais contos das suas veadagens? Sabia que você era viado boqueteiro do cu arrombado.

  10. Daniel Coimbra

    https://contoseroticoscnn.com/2018/07/john-deere-viado-desde-crianca/

    Leiam como o VEADÃO JOHN DEERE começou a dar o cu desde criança.

  11. Eletrônico

    Daniel vc tem razão, a pior merda é viado indeciso, mau resolvido.
    Te liga mané!

  12. John Deere,Matador de Veados

    Né veado,sai por aí ouvindo relatos da veadada pra escrever aqui,sei..
    Eu monitoro a atividade homossexual neste site,não adianta dizer que escreve o que mandam pra você,se tá falando de veadagem é veado também,e sendo veado,é meu dever dar um jeito em você!

    • John Deere,Matador de Veados

      Mas confesso que fico com o cuzinho piscando quando leio esses relatos. Preciso parar de ter raiva da veadagem gostosa e assumir de vez que não há nada melhor que uma pica dura enfiada no meu cu. Lembro com saudades de quando era criança e os machos me fodiam sem pena lá no brega onde eu morava com mimha mãe aidética.

    • Daniel Coimbra

      Esse tal John tem que se decidir,ou assume que é viado que nem eu,ou pára de perseguir a gente,se gostamos de macho e pau nas nossas bundas o problema é nosso meu
      Que cara chato!

    • Eletrônico

      Daniel vc tem razão, a pior merda é viado indeciso, mau resolvido.
      Te liga mané!

  13. Sk Caio

    Muito legal, conta mais e se possível, não demora.