,

Eu, Daiane e as gêmeas Larissa e Leticia de 11

Há 3 meses Por 39 ★ 4.78

Conheci Daiane naqueles dias em que você, sem nada pra fazer, entra na página da Uol de sua cidade pra tentar descolar uma bucetinha.
O grande problema que nesse chat o que mais ae tem e viado e mulher feia. As mulheres comiveis, geralmente, acrescentam o $ pra dizer que são garotas de programa.
Foi assim que conheci Daiane que usava um apelido comum "Moreninha $"e logo dei boa noite, perguntei se era da minha cidade e sua idade, pra finalizar pedindo o whatsapp.

Prontamente atendido, pedi algumas fotos e ao receberbvi que Daiane era uma moreninha demais gostosa, rostinho e corpinho de ninfeta, muito bonita.
Conversa vai, perguntei o valor do programa e ela disse 150. Valia? Sem dúvida! Mas como não curto pagar mulher pra comer inventei que era fim de mês, que estava com dinheiro contado, se ela não faria um "basicao" de oral e vaginal de 20 minutos no maximo.
Então ela diz que faz por R$100 e novamente reluto. Aí ela pergunta por quanto ela teris que sair comigo. Respondi: R$ 50.
– Mas por esse valor e so oral!
– Não, não tem que ter na bucetinha tbm.
– Está bem!
Daiane me diz o local onde devo pega-la, uma Praça onde se tinha esses ginásios feitos em bairros periféricos.

Meia hora depois ja estava em casa com Daiane, antes conversamos um pouco para depois eu leva-la ao quarto. Comecei a beija-la, peguei sua mao e direcionei pro rumo da minha jeba. Daiane começa a alisar. Forco ela pra baixo e ela sabia o que tinha que fazer. Tira minha bermuda e cueca libertando meus 20cm de rola grossa. Pela expressão Daiane se espanta mas logo começa a chupar. Percebi que ela tem certa dificuldade de colocar um pouco mais na boca, então consigo bombar bem de leve. Peço pra ela colocar o máximo que puder na boca, num pouco mais da metade ela está lagrimando, babando e se sufocando. Levanto Daiane e começo a despila. Nossa magrinha. Barriguinha pra dentro. Não era tanquinho mas quase zero de gordura. Um par de seios pequenos que jamais daria pra fazer uma espanhola. Mas o bumbum…esse sim era cheinho e durinho contrastando com a magreza de Daiane. Fiquei louco. A marca de calcinhas naquela pele morena me enlouquecia.

Posicionei Daiane pra um 69, e passei a chupa-la e ela me chupava de novo . Porem, era seu cuzinho o meu maior objeto de desejo. os gemidos dela aumentava toda vez que eu abria bem suas nadegas e literalmente metia a língua em seu cu ou levemente enfiava o dedo.

Pedi pra Daiane vir por cima e ela pergunta pela camisinha e digo que não tenho. Ela duvidou e eu realmente estava sem. Daiane não ia desperdiçar a chance de ganhar esses 50 e vagarosamente começou a sentar em minha rola. Apertadinha, quentinha, molhadinha. Percebo que ela está algum tempo sem fuder pois ela se incomoda primeiramente pra acomodar minha rola e depois se movimentar. Expressao de dor e gemidos tomam conta do quarto.
Aos poucos, Daiane começa a se movimentar mas sem colocar tudo. Sua buceta fica cada vez mais molhada com o tempo. Tiro Daiane de cima de mim, coloco ela de ladinho, enfio o dedo em sua buceta e conduzo o seu líquido até o cuzinho, enfio o dedo médio la dentro e ela suspira. Volto a meter em sua buceta que mais aberta faz com que meu pau entre quase todo.
Depois de um três, quatro minutos retiro ele. E começo alisa-lo no Rego molhadinha de Daiane. Imóvel, ela nada fala. Pincelo até alcançar o anelzinho fechadinho dela, la paro minha rola na entradinha. Daiane percebe minha intenção.
– Ahhh aí não!
– Deixa vai. Só um pouquinho
– Doi muito. Não tenho costume. Não aguento! Doi pra caralho!
– Prometo fazer bem devagar. Colocar de leve.
– Melhor não, por favor!
Apesar da negativa, continuei com meu pau entre as duas negadas, na verdade, a cabeça encostando seu cuzinho.
Começo a beija-la bem gostoso, de língua. Minhas maos alisam seu corpo todo. Não demorou muito meu pau arrebentava as pregas do cu de Daiane que chorosamente gritava que estava doendo que eu estava a matando. Metia e cada centímetro entrando Daiane gritava de dor, gemia, tremia. Era um cuzinho realmente apertado. Meu pau não entrava todo, estava muito gostoso e uns 10 minutos depois enchi o cuzinho dela de porra. Quando retirei meu pau bateu aquele cheirinho de coco e meu pai tinha pedacinhos de um cocô marrom quase amarelado. Daiane saiu pro banheiro e fui atrás, tomamos banho juntos, lavei bem minha jeba e Daiane o cu dela.
Depois voltamos pro quarto conversamos. Ela disse que fazia muito tempo que não dava atrás que doeu mas que foi a hora que ela gozou.
Duvidei dela ter gozado e ela disse que não precisava mentir e que ela não faria sexo desde que seu marido tinha morrido ha 11meses.
Quando fui deixa-la ela me disse que estava morando com a sogra com as filhas e que o clima na casa era difícil porque a avo de suas filhas poderia mante-las mas isso nao incluia Daiane.
Ela engravidou das gemeas aos dezesseis, e estava com 27 pra 28 anos.
Perguntei a idade das crianças e ela disse onze. Disse que o que estava fazendo era por elas, que estava com dificuldades de conseguir emprego e que com vergonha da sogra inventava desculpas pra não almoçar ou jantar, algumas vezes.
Comecei a conversar com Daiane mais vezes no whatsapp, e logicamente a come-la outras vezes. Sempre pagava 50, as vezes 60, outras vezes 30. Variava muito porque era duas vezes na semana. Daiane chegou a confessar que eu era o único cliente dela por isso cobrava esses valores.
Realmente, após fudermos a primeira vez nunca a encontrei na sala da Uol de minha cidade. Sempre as putinhas identificadas com $ passavam telefone que não batia com o de Daiane.
Conversávamos com frequência no whatsapp. Trocávamos nudes, ela mandava foto nua, eu mandava foto da minha rola. Percebi que estava começando a gostar de estar nessa relação com Daiane e ela também.
Certo sabado, ao ver o status de Daiane no whatsapp vi ela postando vídeos e fotos de suas filhas nessas banheiras plásticas mais para crianças. Estavam num quintal de uma amiga sua. Realmente as meninas eram lindas, DE biquíni então…barriguinhas zero, bandinhas cheinhas, a marca da bucetinha no biquini. As duas elas estavam superfelizes. Um dos vídeos me causou intriga. Daiane literalmente fala: "Veja como minhas filhas são gostosas, que tesão sao elas. São mais danadas que a mãe."
Fiquei a pensar se ela estava oferecendo as filhas ou era so elogios a beleza das mesmas. Numa das fotos das filhas no status escrevi: São suas filhas? Passados alguns minutos ela responde: sim!
-Lindas! Quantos anos elas tem?
– 11. Já disse. Eu bebo e você esquece e?
– Rsrsrs. Verdade. Está bebendo? Vou ai tbm.
– Sério? Quer vir? Está eu e uma amiga apenas. Mas tem que trazer cerveja. Aqui está acabando.

Deu pra sacar que Daiane estava meio bêbada por isso as palavras no vídeo.
Confirmei que iria peguei umas cervejas 15 longneck da Budweiser que estava na geladeira coloquei na termica e fui ao endereço que Daiane me passou.
Ela me apresentou sua amiga Ana que não era nada atraente e suas filhas Larissa e Leticia.
Nossa! Que princesas. Se em fotos e videos eram lindas e gostosinhas, pessoalmente eram muito mais.
Enquanto bebiamos e degustavamos uma carne assada, as meninas se deliciavam com a piscina. Ora ou outra vinham até a mesa beber coca-cola e beliscar um pedaço de carne. Quando chegavam via que na parte da frente seus minúsculos biquínis mal davam pra cobrir totalmente suas bucetinhas, quase dava pra ver suas rachinhas. Quando partiam vi a parte de trás atoladas em seus rabinhos.
Ainda sóbrio comecei a refletir que estava por ali não pela Daiane mas por aquelas filhinhas da puta.
Bebemos a tarde até início da noite. Deixei Daiane e suas filhas na casa de sua sogra e nos despedimos dela dizendo que precisaríamos marcar algo de novo. As meninas me deram tchau e seguir viagem pra minha casa.
Pensei como poderia trazer Daiane e suas filhas pra minha casa.
Moro em apartamento num condomínio fechado de classe média. Tem uma piscina lindona e churrasqueiras ao entorno dela. Seria uma ótima.
Imediatamente mandei mensagem.
– Daiane, venha pra ca com as meninas pra gente curtir o domingo na piscina!
Passado alguns minutos, ela responde:
– Sério, que horas ? Pode ser após o almoço?
– perfeito! As 13:30 vou busca-las ai.
– Combinado. Vou lavar o biquíni delas e por pra secar.
Plano quase funcionando. Coloco umas dez cerveja artesanal na geladeira com o teor alcolico maior pra deixar Daiane bêbada logo e uma fanta laranja de dois litros. Meu plano era deixar Daiane bêbada pra fazer ela dormir aqui com as filhas.
Chegada o domingo e a hora de pega-las, la vem Daiane e suas duas princesas. As meninas vem DE shortinhos e blusinha que deixa a barriguinha amostra com óculos escuro desse de camelo. Daiane vem com esses vestidos de praia.
A ida da casa da sogra de Daiane até o meu residencial da uns dez minutos, tempo que procurei me enturmar com Larissa e Leticia.
As meninas estavam super empolgadas e ficaram mais ainda quando se depararam com uma piscina que não era de plasticos. Fiquei louco ao ver mae e filhas so de biquíni. Daiane atraia olhares DE outros machos, tinha ate casados com esposa e tudo. Meu olhar era so pra gêmeas de onze aninhos.

Eu e Daiane começamos a beber e tirar o gosto com uns petiscos de queijo e azeitona e linguiça frita enquanto as meninas ja estavam enturmadas com outras meninas de sua idade. Estava bem movimentada a piscina.

Daiane começou a ficar alterada com a cerveja, começou a falar da dificuldade de convivência com a sogra, depois que o pai das gêmeas morreu e que estava desesperada por emprego.
Prometi a ela que procuraria uns amigos que tem empresas pra ver algo com ela.
Ela ficou super feliz e me abraçou, começou a me beijar e me levou até a piscina.
Daiane ai da não estava totalmente bebada mas o suficiente pra nós fazermos uma putaris tímida.
As meninas ao verem a mãe na água se aproximam ficam felizes. Começo a me excitar. Estou de bermuda dessas estilo surfista. Pra provocar saio da piscina tiro a bermuda e fico so de sunga preta e com meu pau fazendo enorme volume nela. Daiane da um sorrisinho bem safado, Larissa olha admirada e Leticia não está olhando.
Volto pra piscina e começo a encostar levemente meu pau na bunda de Daiane. Letícia logo pergunta
– Vocês tão namorando e ?
Daiane responde:
– Sim. Não e um gato o namorado da mamae?
– E sim mamãe! Respondeu, Letícia.
– Ele e legal e na casa dele tem essa piscina! Disse Larissa.
Brincamos um pouco na água mas nada que pudesse fazer com que eu encoxasse as meninas.

Eu e Daiane voltamos pra nossa mesa e continuamos a beber ate umas 18 horas enquanto as meninas continuavam na água.
Sugiro pra mãe delas pra subirmos e as meninas tomarem um banho la pra trocarem a roupa. Meio a contragosto do pedido da mãe falo que tem bolo e sorvete la em cima.
Pegamos nossas coisas e subimos.
Moro no último andar . Cada bloco do residencial tem dez andares. As meninas se encantaram com a altura assim que chegamos.
Sua mãe chamou a atenção pra elas não molharem o apartamento e que era pra elas tomarem banho juntas.
Enquanto elas entravam no banheiro, na sala mesmo Daiane tira minha bermuda e comeca a me chupar.
– Você e louca? Suas filhas podem aparecer!
– o que que tem. Elas vao ver que a mãe dela esta trepabdo com o namorado.
– Mas não é bem assim…
– Além do mais sei que você tem tesão por elas. Pensa que não reparei como olha pra elas. Se você tiver uma chance as comeria porque você e safado.
– Elas são bonitas mas são bem novinhas.
– Perdi meu cabaço com 13 aos 15 estava grávida delas. Acho que meu corpo era igual ao delas na minha primeira vez.
– Hummm…sério? Que sorte de quem tirou esse cabacinho.
– Quer tirar os delas?
– O que?
– Sério. Espera!

Daiane sai em direção a banheiro tirando o que ainda tinha de roupa.
– Larissa, Letícia, abre aqui. Vou tomar banho com vocês.!
A porta e aberta e Daiane me chama dois minutos depois.
-Amor, vem tomar banho com a gente
Quando ouvi isso meu coração acelerou. Um misto de desejo e medo tomou conta de mim.
Quando adentrei a porta vejo Daiane sorrindo safadamente e os rostinhos de Larissa e Leticia tapando com mais e braços seus peitinhos e bucetinhas.
Daiane, peladinha bem em minha direção e no meu ouvido antes de tirar minha sunga e chupar meu pai diz.
– Quero que seja o primeiro delas . Quero ver vc tirar a virgindade das minhas filhas. Seja cuidadoso com elas! Muito cuifado pra essa pica enorme não machuca-las!

As meninas veem assustadas a mãe me chupando.
Olho pra elas, ainda tapando bucetinha e peitinhos elas ficam atentas. Começo a movimentar levemente a cabeça de Daiane pra frente e pra trás enquanto ela tenta engolir o que pode.
Ela olha pra trás vai até a direção de Larissa a trás até mim e diz.
– Filha, faz o que a mamãe faz!
– Mas mamãe…
– Lembre o que a mamãe disse!
Tá, mamãe! Responde, Larissa.

Ao sentir a pequena Larissa pegando meu pau com sua mãozinha e colocando a cabeça na sua minúscula boquinha quase eu gozo. Comecei a alisar seu cabelinho molhado. Larissa não consegue se quer colocar a cabeça toda em sua boquinha e passa a língua e beija a glande, obedecendo o que a mãe ordenava.
Letícia se aproximou sem que a mãe mandasse. Ja não cobria mais peitinhos, que nem existiam praticamente, e bucetinha.
– Filha, beija o namorado do papai na boca!
E senti aquela boquinha de anjinha em minha boca, enquanto sentia a minuscula boquinha de Larissa tentando engolir a cabeça do meu pau.

Daiane tira Larissa do meu pau e traz Leticia e comeca a ensinar a outra filha.
Dessa vez ela faz com a língua. Língua na cabeça na glande, mas bolas. Daiane engole minhas bolas…
– Quero que faça isso filha.
E foi a vez de Letícia de me chupar gostoso. Tentava obedecer o que a mãe ensinou. Quando colocava a cabecinha na boca raspava os dentes e uma mistura de dor e prazer me consumia.
Daiane pede pra que eu chupasse os peitinhos de Larissa, peitinhos de uma menina magrinha que mais parecem ferradas de abelha…
– Isso amor, seja bem carinhoso com elas! Elas são minha vida!

Daiane e Leticia se revezam na Chupada…Daiane pega a cabecinha de leticia e comeca a movimentar. A filha começa a se sufocar com o vai e vem. Letícia tira a boquinha. Daiane e quem chupa.
– Larissa ajoelha, quero que vocês duas experimente o leite do namorado da mamae!

-Larissa me chupa. Daiane movimenta a cabeça dela. Meu pau esta pulsante.

– Daiane estou quase gozando…vou gozar!
– Isso, amor! Goza na boquinha delas.
Daiane comeca a batee uma levando meu pau a boca das suas filhas…

– Vou gozar…vou gozar…tô gozandooo…

Daiane, Letícia e Larissa melam boca e rostos. As duas se espantaram mas depois sorriem. Boquinhas e rostos lambuzados. Que cena linda. Daiane me beija. Bem gostoso e diz:

– Vamos todos tomar banho que iremos pra cama. Lá será melhor ainda.

Estão gostando? Fica a critério de vocês acreditarem ou não na veracidade desse conto. Cada um tem sua consciência.

Como ja vai começar França e Croácia e continuarei o conto a depender dos comentários e das notas de vocês.
Vocês querem ler como Larissa e Leticia choraram em minha rola enquanto Daiane ficava extremamente excitada vendo o sangue da virgindade de suas filhas no lençol da minha cama?
Comentem ai.
Agora, verei a grande final.da Copa do Mundo

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,78 de 92 votos)
Loading...

Por ,

39 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. William Dhonson

    Fantastic, magnífico, meu sonho é encontrar uma mamãe assim, pena que é raridade….

  2. Anônimo

    Excelente conto tem fotos delas?
    [email protected]

Ver mais comentarios