Como minha filha virou a minha amante

Autor

Meu nome é Jorge, tenho 42 anos de idade e sou casado e tenho uma filha. Trabalho num escritorio de advocacia, sou reconhecido pelo meu trabalho e muito apegado aos valores conservadores. Sou do tipo aqueles que vai todo final de semana a missa, que reclama da promiscuidade do mundo. Mas eu nunca pensei que eu ia acontecer algo que iria mudar a minha vida
Minha filha se chama Cecilia e tem 15 anos de anos de idade. 1,59 de altura, magra, peitos e bunda não muito grande, cabelo loiros ate a cintura, Cecilia foi adquirindo um corpo de mulher rapidamente. Minha filha tambem esta naquele periodo em que esta se descobrindo sexualmente, ainda que ela nao fale isso pra ninguem da familia por medo de sofrer alguma repressão.
O fato da minha filha estar crescendo, me fez eu reparar bastante ela e mais, me fez começar a desejar alguem que em tese nao poderia estar desejando. Isso me fez bastante mal, pois afinal eu estava desejando a Cecilia e um pai que tem desejos sexuais com a sua propria filha vai de contra de tudo o que eu acreditava na vida.
Comecei ver a minha filha. Ver ela esfregando os seus peitinhos me deixou bastante excitado. O meu pau quase pulou pra fora calça. Em varios momentos em que via a minha filha, sentia vontade de punheta e em muitos momentos eu fiz isso de fato. Isso me deixava cada vez mais pertubado, porque eu via que chegaria uma hora que eu comenteria uma besteira e transaria com a minha filha
Certo dia, fui mexer nas coisas da minha filha e encontrei um monte de coisas sobre incestos, de pai transando com a filha, mãe transando com o filho e irmão transando com a irmã. Olhei e fiz de conta que nao tinha visto nada demais. Eu tinha encontrado uma brecha para conseguir o que eu tanto queria, que era transar com a minha filha
Mesmo sendo um conservador, eu iria fazer o que sempre mais repudiei, um ato de promiscuidade que seria muito bem repudiavel nos meios que eu frequento. Estava me sentindo um verdadeiro canalha, mas no fundo eu achava que um homem tinha que fazer de tudo para satisfazer seus desejos. Independente com quem faça isso
Minha esposa costuma viajar muito e me deixa sozinho com a minha filha. Quando era convicto em relação aos meus valores, não acontecia nada em relação a gente. Era uma relação de respeito, como uma relaçao que todo pai deveria ter com a filha. Mas como as coisas estavam mudando, eu senti que algo poderia acontecer com a gente
Minha filha acabou de sair do banho e pediu para que eu passasse o seu creme relaxante nela. Esperto, pedi para que ela sentasse no meu colo para poder passar o seu creme. Quando ela sentou no meu colo, ela sentiu que o meu penis ereto. Ela tocou nele disfarçadamente e deu uma risadinha pra mim e perguntou o que estava acontecendo. Então eu abri o jogo para a minha filha e em vez de reagir mal, ela disse que nao tinha problema nenhum fazer isso
Então, minha filha saiu do sofa agaixou e eu tirei as calças e a cueca. Ela pegou no meu e começou me masturbar, colocando o meu pau na boca, lambendo e passando a sua boquinha nele. Ela lambia o meu penis inteirinho. Estava bastante excitado. Então, eu resolvi bater uma punheta em seu rosto e deixei a sua cara toda gozada. Ela deu uma risadinha pra mim, com cara de quem gostou
Ela deitou no sofa e eu comecei a chupar os seus peitinhos, pegando ele e lambendo com a minhai lingua a ponta de seus mamilos. Fui beijando o seu corpo lentamente ate chegar na sua bucetinha. Beijei as suas pernas e comecei a lamber o seu critoris e colocando os meus dedos la tambem, masturbando ela ate fazer com que ela gozasse
Depois ela ficou de bruço na cama e eu comecei a dar estocadas no seu cuzinho, em seguida de tapas na sua bunda deixando ela bastante vermelhinha. Como ela era virgem, no inicio tive alguma dificuldade de penetrar, mas eu forcei e ela deu um imenso de um grito e começou a gemer de tesão. Depois disso, ela abriu as pernas e eu comecei a meter na sua bucetinha. Assim como o seu cuzinho, la tambem é bastante apertadinha. Fui forçando ate entrar com meu pau la dentro, fazendo com que ela gemesse de tanto tesão.
Nos beijamos no final da transa e ela disse que gostaria de transar comigo mais vezes. Como estava muito tempo na seca com a minha mulher, a solução era transar com a minha filha.
Aquela primeira transa minha com a minha filha, mexeu comigo completamente. Estava literalmente apaixonado pela aquela menina, algo que nao senti nem mesmo com a minha mulher. Minha filha era doce, nao tinha vergonha de revelar as suas famtasias e conseguia me satisfazer na cama completamente.
Minha filha tinha costume de tomar banho de porta aberta. Ela meio desatenta com as coisas, mas desta vez ela tinha feito isso de proposito. Quando ela estava tomando banho, entrei lá e comecei a bater uma punheta olhando ela se esfregar o sabonete em seu corpinho. Quando ela me viu, prontamente ela me chamou para tomar banho com ela.
Tirei a minha roupa e entrei no chuveiro junto com ela. Eu peguei o sabonete, agarrei ela por tras e com uma mão passava o sabonete no seu corpo, com a outra eu masturbava a sua vagina. Enquanto isso, ela pegava no meu pau e me masturbava lentamente. Depois disso, eu agaixei e comecei a chupar a sua bucetinha, passando a lingua no seu critoris fazendo ela gritar de tanto tesão . Depois disso, fui passando a lingua em seu corpinho, ate chegar nos seus peitos, onde eu mamei neles feito louco, alem de encher de beijos e lamber seu mamilo. Enquanto eu desfrutava do corpo de minha filha, dava pra sentir seu corpo estremecer de tanto tesão
Então ela resolveu agaixar e iniciou uma boquete deliciosa, chupando o meu pau inteirinho, fazendo garganta profunda e passando a sua boquinha inteirinha nela. Comecei a bater o meu pau no seu rosto, porque ela tinha pedido fazer isso nela. Novamente ela iniciou uma boquete em mim, me fazendo gozar dentro da sua boca.
Depois eu sentei no box e ela sentou em cima de mim, encaixando a minha bunda em cima do meu pau e começando a subir e descer, gemendo muito alto mesmo. Enquanto ela fazia isso, eu novamente chupava os seus peitinhos, fazendo ela deliriar. Depois eu e ela levantamos, agarrei ela de frente e comecei a meter na sua vagina, enfiando com força meu cacete la dentro dela. Como ja estava bastante excitado, eu gozei dentro dela
Depois disso, saimos do chuveiro e fomos almoçar num restaurante que fica perto de casa. Eu perguntei se ela queria ser minha amante, ela disse que toparia. Então toda vez que a minha mulher saia de casa, eu sempre transava com a minha filha. Ela é demais

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,88 de 26 votos)
Loading...