A neta da minha vizinha

11-07-18 Por 4 ★ 3.52

Olá a todos. Conheci esse site há dois anos atrás, no começo eu achava bizarro algumas coisas aqui, mas com o passar do tempo fui me acostumando e até me interessando. Às vezes me sinto nojento por pensar nesse assunto, mas o desejo sexual é mais forte. Não entendendo o porquê. Enfim, eu sou de Petrópolis – RJ, tenho 21 anos e tenho que contar uma coisa que aconteceu comigo umas semanas atrás. Não sabia se escreveria sobre isso, então se estiverem lendo isso, sabem que criei coragem. Tenho medo de acontecer algo comigo, mas não é uma coisa da qual me arrependo.

Sempre gostei muito de sexo, mas depois que comecei a ler os contos daqui sobre esse assunto, as coisas nunca mais foram tão excitantes pra mim como antes. Eu queria algo novo, já tinha lido muitos contos daqui sobre várias coisas e achava tudo tão bizarro, até experimentar. Enfim, cheguei da academia (eu era gordo, aí comecei a fazer academia e dieta, emagreci 43kg e ainda continuo, mas não faço muita musculação), estava cansado e suado, então ao chegar em casa, me deparei com minha vizinha na porta do meu apartamento com uma menina. É uma quarentona que é doida pra me dar, mas eu não gosto de mais velhas… Enfim, ela disse que estava indo mesmo no meu apartamento me pedir uma coisa urgente. Perguntei o que seria, então a mesma perguntou se eu poderia tomar conta da neta dela, Alice, por umas horas, ela precisava ir no hospital visitar uma amiga mas lá não podia entrar crianças. Eu não podia recusar, por mais que estivesse cansado, não consigo dizer não para as pessoas… Então disse que sim, mas perguntei que horas ela voltava, pois tinha que dormir cedo (mentira, eu que não queria ficar até tarde com uma menina desconhecida). A mulher me respondeu que voltaria até às 21:30 e então entrei em casa com a menina.

Alice tem 10 anos, liguei a televisão, disse pra ela ficar à vontade, porque eu iria tomar um banho pois tinha vindo da academia cansado. Fui então para o banheiro, tomei banho e coloquei uma calça moletom com uma camisa de manga longa. Quando cheguei na sala, perguntei se a menina tinha fome, ela respondeu que sim com a cabeça, meio tímida. Perguntei se a avó dela não tinha a alimentado, a mesma respondeu que não com a cabeça. Então preparei uma lasanha daquela de microondas, e dei a metade pra ela, eu não comia muito. Então, assim jantamos, e depois ficamos no sofá, ela assistindo televisão e eu no celular. Não lembro o que assistia, mas estava a ouvindo rir. Então em um momento, ela me pediu pra ir ao banheiro, então apontei a porta e ela foi. Sem mentir, eu tinha aberto o CNN no celular em guia anônima como sempre faço e comecei a ler algumas coisas. Eu estava lendo um chamado "Gaby, a garotinha ‘de não sei o que lá’" (não me recordo o nome), então eu já estava excitado com uns que eu estava lendo antes, logo já tinha esquecido que eu estava cuidando da menina, ela apareceu e eu levei um susto, porque eu estava todo aberto no sofá, com a barraca armada. Me endireitei, acho que ela não percebeu, ela tinha cara meio de lesada ou de tímida, não sei. Continuei lendo, até que abri um (não lembro o nome), mas era antigo que falava sobre o irmão comendo a irmã mais nova. Fiquei com um calor, a almofada no meu colo não conseguia disfarçar minha excitação, de relance olhei pra aquela menina parada assistindo TV no meu sofá, já comecei a olhar com outros olhos. Foi então que eu fiquei em uma guerra na minha cabeça se eu tentava alguma coisa ou não com ela. Um lado queria muito, o outro me mostrava o que aconteceria comigo se alguém descobrisse… Foi então que me controlei, fui lavar o rosto e beber água gelada. Quando voltei para o sofá, a menina me perguntou se eu não tinha nada pra jogarmos, falou tão baixo que mal consegui ouvir, mas eu respondi que tinha jogo de cartas e tabuleiro do meu sobrinho quando ia lá pra casa. Ela então me chamou pra jogar cartas, eu aceitei.

Nos sentamos de frente pro outro, e começamos a jogar. Em um momento reparei que ela estava de pernas cruzadas e o shorts que usava, era muito largo, então dava pra ver sua calcinha, aquilo foi me dando um efeito colateral que parecia que eu tinha tomado Viagra, o negócio não descia por nada, eu não conseguia nem me concentrar no jogo e estava perdendo pra ela que nem sabia jogar. Então eu não resisti, fui até o banheiro e comecei a bater uma punheta pensando na garota. Eu estava tão excitado que sujei a pia, o chão e a parede do banheiro todo, quando olhei para o lado a menina me observava. Imediatamente tentei disfarçar, mas acho que foi tarde demais. Ela perguntou se eu estava bem, porque achava que eu estava passando mal, então respondi que estava ótimo. Ela pela primeira vez sorriu e voltou para o sofá. Depois continuei jogando com ela, mais aliviado e percebi que Alice não fazia ideia do que eu tinha feito. Assim foi ótimo. Ainda tenho esperanças de conseguir alguma coisa com ela, mas depois daquele dia não tive mais oportunidade.

Se vocês conhecem outro site como o CNN que não tem aquela política de +18 ou algum fórum sobre esses assuntos, deixem aí nos comentários ou mande para meu e-mail: [email protected] (privado).
Se tiverem dicas, agradeceria que me mandassem também para que a garota não se assustasse ou ficasse de boca fechada.

Obrigado pela atenção, até algum dia.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,52 de 27 votos)

Por

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Eu tenho 3 filhas muito gosta.
    add Skype [email protected]
    Cadastro do Email Confirmado!
    Uma mensagem será enviada para [email protected] se o editor publicar conteúdo no dia. Caso não hava conteúdo novo, nenhum email será enviado para você.

  2. FelipePp

    Muito bom, espero que consigas alguma coisa com ela, espero ansioso para uma nova parte… Seja cuidadoso e paciente.

  3. Tiozão Pr

    Mano, ela já viu.. agora e continuar provocando ela.. 10 anos no dias de Hoje, não e mais inocente..

  4. Poderoso Castiga

    Vai tomá no cú gordo viado. Perdi meu tempo lendo essa bosta.