Vingança da Novinha 1

Autor

Olá,
Para quem ainda não leu meus outros dois contos (Aventura de Uma Novinha 1 e 2), vou me apresentar de novo:
Meu nome é Bianca, tenho 16 anos, sou baixinha, nem gorda e nem magra, seios médios, coxas grossas, bumbum arrebitado, pele levemente bronzeada, olhos castanhos e cabelos pretos. Perdi a virgindade no cuzinho com 14 anos e na buceta com 15 anos para meu namorado. Há um mês, em um churrasco em um sítio, em um momento de fraqueza, transei com um ex-ficante, meu namorado nos pegou no flagra e terminou comigo. Me arrependi, pedi perdão, tentei reatar o namoro mas não teve jeito, meu namorado não aceitou, me chamou de vagabunda pra todo mundo e eu resolvi me vingar, dando para o melhor amigo dele, o Anderson que também é amigo meu e sempre foi afim de mim. Anderson me comeu, disse que me amava e queria namorar comigo, mas eu não quis e para não deixá-lo muito triste dei o cú pra ele também e menti que ele era o primeiro a foder minha bundinha. Meu ex-namorado descobriu, me xingou mas agora quer voltar comigo de qualquer jeito. O fato é que mulher quando resolve se vingar, acaba é humilhando, então minha vingança começa aqui.
Meu ex continuava me ligando e pedindo pra voltar, dizendo que me amava, que estava disposto a me perdoar e queria voltar comigo. Graças a alguns comentários deixados por leitores em meu relato, decidi qual seria minha vingança e ontem, decidi aceitar um convite seu para ir conversar em sua casa. Marquei para chegar lá às 14h, mas cheguei às 13h de propósito, pois sabia que meu ex não estaria lá ainda, sua mãe estaria trabalhando e seu pai estaria em casa.
Meu sogro é um coroa bonito até, tem 52 anos e sempre soube que ele traía minha sogra, era um cara bem safado e desde sempre percebi que ele me olhava com cara de tarado. Estava frio, então infelizmente não pude colocar roupa curta, mas coloquei uma calcinha fio-dental, uma calça legging azul-clara que ficava mais justa que o normal e dividia bem a bucetinha, uma blusinha de alça decotada e que deixava a barriga à mostra e uma jaquetinha jeans, além de me perfumar toda.
Toquei a campainha e meu ex-sogro abriu, e ao me ver abriu um belo sorriso e uma bela olhada no decote e na buceta cuja calça dividia, não conseguiu disfarçar e me deu um abraço apertado e um beijo molhado na buchecha.
Oh meu anjo, que saudades…vocês terminaram e nem se despedir de nós você veio.
Desculpa sogrinho, tudo aconteceu muito rápido.
Entre, você veio nos visitar?
Na verdade vim conversar com o Cláudio, vamos tentar nos entender.
Ah que bom, tomara que vocês reatem o relacionamento.
Eu me sentei no sofá e ficamos conversando enquanto Cláudio não chegava. Contei a ele exatamente o motivo da separação e o quanto eu havia me arrependido. Ele se mostrou chateado, mas me entendeu, dizendo que não se deve fazer isso mas que é normal acontecer e que o importante era eu ter me arrependido. Hipócrita, filho da puta, safado…ele trai a mulher direto e quer me dar sermão.
De repente, ele começou a me perguntar detalhes do que aconteceu, e eu contei tudo e durante a conversa percebi que seu pau cresceu por baixo da bermuda e além disso ele não tirava os olhos da minha buceta. Eu deveria ser atriz porque no meio da conversa comecei a chorar de propósito pois sabia que ele viria me consolar, e veio. Sentou-se do meu lado e me abraçou, e passou a fazer carinho em meus cabelos e me consolar; pegou no meu queixo, levantou meu rosto e passou a fazer carinho no meu rosto:
Você é tão linda, não quero te ver chorando assim.
Me olhou bem nos olhos e foi aproximando o rosto, seus olhos passaram a fixar minha boca e quando estávamos quase nos beijando, a atriz agiu de novo:
Preciso ir ao banheiro. E me levantei.
Fui para o banheiro ainda tonta com o que tinha acontecido, uma mistura de medo e tesão e por segundos eu não deixei meu sogro me beijar. Sentei no vaso para urinar e pensei:
Que cara filha da puta, tentando beijar a própria nora.
Percebi pela luz de fora que havia alguém na porta, do lado de fora e concluí que meu sogro estava me espiando pelo buraco da fechadura. Fingi que nem tinha percebido, terminei o que estava fazendo e voltei pra sala bem na hora que meu ex chegou.
Fomos para o quarto e começamos a conversar. A conversa estava demorando muito e eu resolvi abreviar porque além de estar com tesão e com saudade de foder com meu ex, eu precisava seguir em frente com o plano.
Lasquei logo um beijo na boca dele e ele correspondeu, e logo estávamos pelados na cama. Ele foi direto com a boca na minha buceta, me chupando e dedando ao mesmo tempo, me fazendo gemer e me contorcer toda, e eu gemia alto de propósito.
ahhhh chupa gostoso minha bucetinha, chupaaaaaa
Esse infeliz sabe me pegar de jeito, conhece todas as minhas preferências e só naquela chupada me fez gozar. Com a boca toda lambuzada da minha buceta ele me beijou e logo eu estava recuperada para continuar. Sentei na cara dele, caí de boca naquele pau que não é muito grande mas que eu adoro e começamos um 69 delicioso. Passei a língua naquela cabeça vermelha e inchada, depois coloquei ele todo na boca fazendo garganta profunda, punhetei, chupei as bolas…nossa que saudades eu estava daquele pau…e logo ele gozou, dentro da minha boca…engoli o que pude e o resto escorreu pelo canto da boca. Ele me puxou e beijou minha boca cheia de porra.
Fiquei punhetando seu pau até ficar duro de novo, e quando fiquei, me coloquei de quatro, empinei a bunda e pedi:
Vem amor, me fode assim…você sabe que é a posição que mais gosto.
Ele obedeceu e colocou tudo, até o fundo e apertando minha cintura começou a socar com vontade e bem rápido.
uhhhhh que delícia, me fode assim amor…com força ahhhhhhhhhhhhh que delíciaaaaaa.
Ele nunca tinha me comido com tanta força, que delícia que foi. Gozamos feito loucos a tarde toda. Ele pediu pra eu dormir lá, liguei para meus pais avisando e fiquei. Mais tarde minha sogra chegou, jantamos todos juntos e voltamos para o quarto onde voltamos a foder. Era madrugada, ele adormeceu e eu percebi que alguém estava assistindo TV na sala e logo imaginei que fosse o sogrinho. Resolvi ir tomar água na cozinha e para isso teria que passar na sala, então coloquei minha blusinha e a calcinha e fui, mas antes dei uma espiada no quarto dos pais dele para ter certeza que era ele quem estava na sala e ao ver a sogra dormindo, tive a certeza.
Passei pela sala de blusa e calcinha na maior cara de pau, fui na cozinha, tomei água e quando voltei dei de cara com ele sentado no sofá, parei e na maior naturalidade perguntei:
Assistindo o que, sogrinho?
Um filme de terror, quer assistir comigo?
Não, estou com sono.
Também né, deve estar cansada.
Ele disse isso dando um sorriso malicioso e me comendo com os olhos.
É, né! Respondi sorrindo.
Senta aqui meu anjo
Só pra provocar, sentei no colo dele e o abracei, ele também me abraçou e colocou a mão em minhas coxas.
Vocês se acertaram?
Acho que sim
Que bom, fico feliz. Meu filho tem sorte, você e linda demais.
Nisso, ele passou a mão no meu rosto, olhou nos meus olhos depois fixou o olhar em minha boca e veio chegando devagar. Meu Deus, o coroa era sedutor e se eu não estivesse firme em minha vingança, acho que o beijaria, mas ainda era cedo pra isso. Disfarcei, e disse:
Boa noite sogrinho vou dormir.
Vai dormir mesmo?
Quem sabe né!
Dei um beijo em seu rosto e levante. Para minha surpresa ele deu um tapinha na minha bunda e riu, eu olhei pra trás com cara de safada e dei uma piscada.
Ao sair, me escondi no cantinho da porta e vi quando o sogrinho tirou aquele pau enorme e duro da bermuda e começou a punheta. Minha vontade era voltar e ajudar ele na punheta, mas ainda era cedo pra isso…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,67 de 18 votos)
Loading...