, ,

Tirei a virgindade da minha filha aos treze

01-06-18 Por 11 ★ 3.04

Fui casado com uma mulher linda, mas ela só casou comigo por interesse financeiro, porém, me deu um casal de filhos lindos iguais a ela. Meus filhos ainda pequenos, necessitando de cuidados, ela decidiu terminar tudo. Saiu de casa com meus dois filhos. Só que se envolveu com um vereador da cidade e teve mais um casal de filhos. As coisas ficaram difíceis pra ela, veio pedir minha ajuda com os filhos que tínhamos. Meus filhos não eram bem cuidados, tinham piolhos, eram magros, estavam maltratados mesmo. Ao invés de aumentar a pensão deles, resolvi pegá-los pra criar. Então eu tinha uma namorada que passou a morar comigo e me dá uma força com eles. Só que depois ela passou a não gostar deles, a implicar por ciúme e tudo. O meu filho José Pedro sempre foi um garoto mais fechado, raivoso, estranho… A minha filha Ana Luíza sempre foi doce, amável, comportada e educada. Minha vida era muito corrida, estudava a noite psicologia, tirava serviço no quartel e fora outras coisinhas pessoais. Recebi uma proposta de mudar de estado, fiz uma análise, se eu mudasse com a família toda, eu ganhava hospedagem, combustível, e um salário gordo. Topei! Vendi todos os móveis, vendi meu carro… Chegando na tal cidade, comprei tudo de segunda mão, inclusive uma caminhonete. Tudo que eu havia conquistado, pus no nome da minha filha. Casei com a Eva, porém, não confiava nela. As vezes parecia me amar, as vezes parecia que só queria meus bens. Pois ele nunca contribua com nada, tudo era do meu bolso. Minha filha tava ficando mocinha, meu filho era um garoto estranho que certamente não saberia cuia e de tudo que suei pra conquistar. A minha filha se tornava a minha amiga, eu desabafava com ela, passei a contar tudo. Inclusive que já não sentia tesao pela Eva, pois ela estava uma hipopótamo de gorda. Falei que eu estava saindo com garotas interesseiras, pelo menos eram gostosas. E era bom porque eu fiz vasectomia e nao corro risco de sofrer golpe do baú. Minha filha sempre me ouvia e ria, não argumentava nada. Aí um dia cheguei do quartel exausto e fui em seu quarto pra conversar, ela estava se trocando. Nunca tinha visto minha filha pelada desde que se tornara moça. Peitinho empinado, rosinha, toda perfeita, cintura fina, barriga chapada, alta, cabelos lisos, longos, meio loiros. Pernas torneadas, grossas, bundinha empinada. Toda linda. Foi questão de segundos pra ter decorado tudo e pedi desculpas, saindo dali meio sem jeito com vergonha. Sentei no sofá da sala e fiquei com a imagem na cabeça durante dias. Não queria acreditar que estava pensando essas coisas por minha própria filha. Então todas as vezes que eu olhava pra ela, eu não conseguia não imaginar o que havia dentro de suas roupas. Eu amava sair com ela por aí, eu morria de ciúme, porque ela era linda e parecia que tava com um coroa granado. Eu me sentia mais o macho dela do que o pai. Me sentia sortudo de ter uma novinha do lado. Então as fantasias começaram. O tempo passava e meu tesao aumentava. Então a minha esposa viajou pra nossa cidade Natal de férias, meu filho também havia viajado, pois sentia mais falta da mãe do que a menina. E ela ficou comigo porque não quis me deixar sozinho. Eu bebia todo final de semana, era rotina comprar carne pra assar, tomar minhas cervejas e ouvir sofrencia. Ela ali me acompanhando me observando, me ouvindo. Eu não tinha coragem de dá em cima dela. Mas eu já não era mais o mesmo, e às coisas estavam me deixando louco. Comprei um remédio para dormir, ele deixa a pessoa praticamente desmaiada pus no suco da jarra e deixei lá. Eu não tomei, quis que ela tomasse. Não via outra saída de acabar com aquela loucura. Então ela tomou no almoço, depois decidiu tirar um cochilo ao invés de ir lá me acompanhar como se rotina. Eu estava ansioso demais. Fui mó quarto dela e já estava dormindo. Parecia exausta. Chamei, balancei e nada. Então decidi agir. Tranquei as janelas, apsguei as luzes, era dia ainda… Mas ficou um pouco escuro. Deitei do seu lado e não sabia por onde começar… Fui em cima, beijando seu colo, seu pescoço… Baixando a alcunha da sua blusa… E vi aqueles seios durinhos, lindos, parecia um sonho… Eram idênticos aos de sua mãe naquela época que nós éramos namorados. Dei umas lambidas, cada chutada que eu dava, sentia um arrepio no corpo inteiro, meu pau já estava pra varar a cueca de tão duro. Mamei bastante os dois seios. Tirei sua roupa toda…. Beijei seu corpo, lambi seus pés…beijei sua barriga… Ia descendo devagar, eu queria ser devagar, mas eu tava tão alucinado que parecia que eh ia gozar de tão tarado. Quando tirei a calcinha, me deparei com a buceta branquelas, e dentro beeem rosinha, tudo perfeito… Eu fiquei mais louco. Eu abrir as beirinhas dos grandes lábios da buceta dela… E leti a língua, chupe seu grelo… Fiquei ali roçando a língua… E punhetando meu pau. Resolvi meter. Não queria entrar a pica de jeito nenhum, estava com medo de forçar e ela acordar, sei lá… Não. Sabia se o efeito do remédio era tão bom. Mas o tesao era maior que tudo. Dei uma cutucada profunda quando a cabeça entrou, aproveitei de socar mais… Então senti ultrapassando uma barreira. Vi o sangue escorrer pelo meu pau e continuei bombando… Eu gemia sentindo aquele branquinho apertando meu pau, contraindo tudo.. Parecia que eu tava sendo espremido dentro dela. Fiquei quase meia hora metendo nela… Já estava ofegante demais… E meu mau vermelho de sangue, ele se mexia de tão duro… Gozei. Gozei dentro… E peguei lenços humidecidos e limpei a buceta dela… E chupe de novo. A vestir e fui lá pro quintal beber. Ela não acordou pra jantar, levou direto. No outro dia fui pro quartel e passei na escola pra buscar ela, ela não tinha ido… Fiquei com medo e nervoso, queria fingir nada ter acontecido. Chegando em casa ela estava assistindo TV… Perguntei se tinha comigo algo e ela nem me olhou, disse que não. Fiz o almoço e comigo sozinho, ela não tava muito agradável. E eu nervoso de perguntar as coisas. Aí ela disse que não estava bem, que queria ir ao médico. Fiquei ali pensando no que dizer… Queria dizer que o que ela sentia era normal depois da foda que tivemos, porém, eu não seria louco. Perguntei o que ela sentia, ela disse que um desconforto no útero. Ela pediu que eu marcasse consulta ginecológica. Fiquei mais com medo porque iam falar que ela não era virgem, sendo que ela sabia que ela era e só havia ela e eu naquela casa. Não sabia como falar pra ela não querer se consultar. 13 anos de idade e super esperta. Sabia de. Tudo, sabia até que era ginecologista que cuidava dessa parte. A noite eu deixei meu notebook aberto enquanto saí, ela amava acessar MSN, então ela deve ter visto a aba que deixei abertonjm vídeo porno com título “pai e filha”. E quando cheguei, a aba estava fechada. Ela havia mechido e parecia mais estranha, se afastando de mim. Criei coragem e falei a gente precisava falar sobre sexo, pois ela já tinha idade pra saber das coisas. Pra resumir…eu conclui que era justo eu tirar o cabaço dela, pois eu que pus ela no mundo, me consumi com ela.. Falo tudo por ela, e eu não engravido mulher, ela ficou meio. Aterrorizada. Porém, pessoal… Nada que as tentativas não ajudem… Falei que eu descobri um método dela não sentir dor a primeira vez, que ela sabia que eu tinha comido ela… Então não ia mais doer, que podíamos foder a vontade. Bom, ela sempre foi obediente, doce, como falei… Então ela aceitou. E até hoje, ela é minha molher. Separei da Eva, meu filho foi morar com a mãe… E a minha filha entra na minha pica rodo dia. Até menstruada eu como ela. Eu não tenho do que reclamar, tenho uma princesa em casa, gostosa, linda, perfeita!! Único pau que ela conhece é o meu. Grande e grosso, ela já acostumou.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,04 de 46 votos)
Loading...

Por , ,

11 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Andressa

    [email protected]
    Adoro sexos com bastante violência.

  2. Moacir

    Legal gostei

  3. Renan

    Bom seu conto enviá fotos dela [email protected]…..

  4. Marcos

    Manda foto dela..

    [email protected]

  5. sua miga

    Precisa aprender a separar paragrafos. Irrita ler assim

  6. Anônimo

    So quem for de recife

  7. Anônimo

    Tenho filha manda o facebook

  8. Gla24

    Contínua a história sua com sua filha

  9. Drear

    É bom, mas podia ser melhor.

  10. Carlos

    Muito bom, parabéns.