Rapidinha na escada #1

Há 5 meses Por 2 ★ 3.26

Olá.
Esse é o primeiro conto que escrevo. Espero que gostem.
Os nomes e locais são fictícios.

Quando morava em outra cidade, eu tinha uma amizade colorida com uma menina, e volta e meia, depois do serviço, ela me escrevia dizendo que iria para a minha casa pra transarmos.
Eu morava no terceiro andar e desci para abrir a porta para a Cristina, que havia chegado. Ela estava vestida com uma saia e camiseta bem apertada, mostrando seus seios pequenos e apetitosos. Meu pau já estava meia bomba, feliz em ver a Cris. Ela estava subindo a escada na minha frente, e eu levantei a saia dela para ver qual calcinha ela estava usando. Era uma tanguinha vermelha, bem pequena, o fiozinho sumia no meio da bunda dela, nessa hora meu pau enrijeceu. Não ouvia nenhum barulho na escada, então, no impulso, agarrei ela, puxando seu corpo pequeno e gostoso junto ao meu. Ela não ofereceu resistência. Comei a beijar seu pescoço, e a acariciar sua buceta, enquanto falava que eu iria come-la ali mesmo, que ela me deixava louco de tesão, comecei a sentir a xota dela esquentar e meus dedos ficaram molhados. Passei meus dedos na boca dela, lambuzando bem seus lábios carnudos, e dizendo safadezas no seu ouvido,enquanto ela chupava meus dedos. Beijei ela enquanto meus dedos voltavam para sua xota que já estava pegando fogo. Passei novamente o caldinho dela na sua boca, enquanto com a outra mão abaixava minha bermuda (eu estava sem cueca). Seu gemidinhos me excitavam de uma maneira incrível, que meu pau já estava melado também. Disse no ouvido dela:
– Vou te fuder aqui mesmo, minha puta gostosa.
Ela gemeu consentindo. Meu pau entrou no meio das pernas dela, que estava lambuzada. Fiz movimentos de vai e vem esfregando na buceta dela. Nossa! Como estava gostoso. Não perdi mais tempo, e enfiei meu pau na xota dela. Vocês não tem ideia da sensação! Nunca tinha sentido algo daquele jeito. A xota dela sugou meu pau, que entrou e foi abraçado calorosamente, me causando uma sensação que tive que me conter para não gemer alto, coisa que a Cris não conseguiu fazer. Se tinha alguém perto, ouviu o gemido dela. Rapidamente pus a mão na boca dela para evitar que ela gemesse alto novamente. A buceta dela, normalmente é muito gotosa e molhada, mas nesse dia estava especial, deliciosa, super quente e molhada. Depois de alguns segundos, consegui me recompor e comecei no vai e vem. Ela gemia entre meus dedos, olhando pra trás, fazendo uma carinha de prazer que eu me lembro até hoje (cara de vadia, como ela mesmo dizia). Logo tive que parar e fazer uma tremenda força pra não gozar. Não sei como, mas consegui. Retomei os movimentos, mais lentos, pois a buceta dela parecia que ficava melhor a medida que era fudida. Eu gemia elogios nos ouvidos dela, como puta, vadia, gostosa do caralho, e ela gemia de volta.
Senti que a porra vinha chegando e não iria conseguir segurar dessa vez, então acelerei. Explodi dentro dela! Meu Deus! Foi uma gozada intensa, eu diria até libertadora hehehehe. Minhas pernas falsearam, senti uma fraqueza com sensação intensa e prazer, enquanto meu pau jorrava porra dentro da buceta. A Cris gemia, se não tivesse tapado a boca dela, o prédio inteiro ouviria. Ela me olhou de novo, como uma expressão um misto de cansada e felicidade (essas são imagens que eu nunca esquecerei). Ninguém disse nada naquele momento, porque não era necessário e ninguém iria conseguir falar mesmo :P. Fiquei alguns segundos dentro dela, respirando, retomando as energias.
Quando retirei meu pau, a porra escorreu pelas pernas dela. Minhas mãos estavam lambuzadas com uma mistura do caldinho delicioso da buceta dela com minha porra. Juntei mais um pouco de porra e coloquei na boca dela. Ela chupou meus dedos, fechou os olhos e emitiu um gemido de como se tivesse provado a melhor coisa do mundo (pra Cris, porra é a melhor coisa do mundo). Então olhou fixamente nos meus olhos e me beijou. Que beijo delicioso! Ela se agachou, chupou meu pau para sugar toda a porra que restava. Ela começou a subir as escadas na minha frente, erguendo a saia para me mostrar seu corpinho delicioso e a porra que escorria. Que foto daria aquela vista!

Bom, era isso. Resolvi escrever esse conto pois precisava compartilhar esse momento incrível.
Espero que gostem.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,26 de 19 votos)
Loading...

Por

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Psicopata

    Bom de mais

    • Guilherme S.

      A buceta da Cris e o boquete que ela faz são fantásticos. Fico duro só de pensar.