O ex da minha mulher

Há 4 meses Por 4 ★ 3.31

Meu nome é Santana, quando conheci a Nina ela estava a pouco tempo separada e com uma filha pequena para cuidar sozinha, porque o ex-marido era muito irresponsável e mal dava a pensão da garota, e quando queria. Apesar de nós não precisarmos porque a Nina é uma excelente arquiteta e nunca falta trabalho e eu tenho um pequeno comercio, mas ele é o pai e tem que dividir a responsabilidade. Quando a Nina nos apresentou logo de cara gostei dele. Naldo, esse é o nome dele, um cara super simpático e alegre e muito irresponsável, mesmo assim nos tornamos muito amigos, mesmo a contra gosto da minha mulher, sempre que ele ia ver a filha, eu o convidava para tomar umas cerva comigo e muitas vezes chegava a dormir em nossa casa. Ele nunca faltou com respeito com a minha esposa, mesmo sabendo que por traz de toda antipatia que minha mulher mostrava ter por ele, ainda existia um grande amor recolhido por parte dela, da parte dele eu tenho certeza que não existe nem tesão. Em um dia de domingo enquanto eu estava colocando em ordem a minha caixa de ferramenta , minha mulher estava tomando banho de sol no quintal, como sempre, com a sua bucetinha exposta para o sol. Ai chega o Naldo, e nós começamos a conversar e a beber. Depois de algumas cerveja ele disse que estava com calor, e se podia usar o nosso chuveirão, disse que não tinha problema, só que eu esqueci que a Nina estava nuazinha tomando sol. Quando chego a minha mulher esta deitada com aquela bundona gostosa para cima, e ele parado admirando aquele rabo que ele meteu muita rola. Percebi que o volume da sua bermuda aumentou, e me deu um tesão danado, nesse momento ela percebe a nossa presença, ao levantar deixa a mostra a sua bucetinha por alguns minutos para o deleite do seu ex, pega uma toalha e cobre a parte de baixo, deixando só os peitões para o nosso deleite, meu pau ficou duro como pedra ao ver o seu ex desejando fuder aquela buceta. Quando o Naldo foi tomar uma chuveirada deu para perceber que ele estava com muito tesão, a sua rola quase saia da bermuda, dava para ver o desenho daquela rola grande e grossa. Não perdi tempo e fui também para o chuveirão, só que eu estava com um short transparente e folgado e sem cueca, quando sai do chuveiro o meu pau estava tão duro que parecia pau de barraca. A Nina perguntou por que nós estávamos daquele jeito, cheguei perto do Naldo e botei a rola dele para fora, fiz o mesmo com a minha, fiquei admirado com o tamanho e a grossura daquela rola, peguei ela com uma mão e a minha com a outra e perguntei para minha mulher qual das duas ela preferia, ele saiu chateada e foi para o quarto, enquanto eu e Naldo ficamos pelados tomando banho de sol regado a muita cerveja. O pau dele continuava duro como pedra, dava para sentir que ele ainda tinha tesão pela minha mulher. Comecei a comentar como ela trepava gostoso e que eu gostava mesmo era de comer o cuzinho dela alargado por sua pica grande e grossa, ele não aguentou e começou a bater uma punheta falando o nome dela, foi sensacional ver aquele macho gozando na minha frente fantasiando com a minha esposa, fiquei de frente para ele e comecei a me masturbar admirando a sua rola, gozei bem gostoso sem ele saber que era ele que eu estava desejando.
fomos tomar banho juntos, as vezes a rola dele ainda dura roçava na minha bunda, meu pau começou a ficar rígido novamente, perguntei se ele se incomodava de passar sabão nas minhas costas, ele respondeu que fazia com todo prazer. Ficamos um tempão se tocando como dois machos, um desejando o outro mas sem coragem para tomar iniciativa. A noite quando cheguei no quarto a minha mulher já estava com sua roupa para dormi, era um vestidinho bem curtinho e transparente, onde dava para ver a sombra de seu grelo carnudo. Ela queria saber o que eu e o seu ex tanto conversava e que brincadeira era aquela de oferecer a rola dele para ela? Falei que ele ainda sentia tesão por ela e que batemos uma punheta pensando no seu cuzinho, ela fez uma carinha de safada e me deu beijo e disse que queria que eu fudesse o seu cuzinho, ela empinou aquele rabão e mandou eu chupar o seu butão, quanto mais eu passava a língua mais ela gemia e pedia que eu enfiasse a minha rola todinha no seu rabo, coloquei a cabecinha e fui empurrando, ela rebolava e gemia de prazer e pedia mais pica, enquanto estava enfiado no cuzinho dela ficava pensando como ela aguentava aquela rola grande e grossa do Naldo, e comecei a fantasiar vendo ele chupando a sua bucetinha e alargando mais aquele cuzinho gostoso. Enquanto dava estocadas com mais força, comecei a bater uma ciririca na sua buceta que já estava toda ensopada de gozo. Comecei a falar o nome de seu ex, e a dizer que era ele quem estava arrobando o seu cu, e que estava doido para trazer ele para nossa cama, ao ouvir o nome dele ela começou a rebolar e a gritar que estava com saudade daquela rola grande e roliça dentro do seu rabinho e gozou como uma vadia, tirei o meu pau do seu cuzinho e botei na sua boca para ela beber o meu leite. Vou marcar para o próximo final de semana para dividir com o meu amigo e irmão a minha mulher, e de carona admirar aquela rola gostosa. Depois eu conto.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,31 de 13 votos)
Loading...

Por

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Adenia

    Sou bi e quero ter uma relação com um casal, se tu quer sigilo me liga

  2. dudu safado

    que tezão de conto, sim deixa o ex comer o cuzinho dela e depois você toma a porra dele..

  3. Tony Bahia

    Cara, que delicia de conto. Já fantasiei muito minha mulher com outro e eu chupando ela toda gozada. [email protected]

  4. Anônimo

    Que delícia! Amei!! Quero saber do próximo final de semana!