La vem o negão

Há 4 meses Por 3 ★ 2.47

Na realidade meu nome é Petroneo sou negro, 1,93 de altura, sou musculoso, devido a academia de musculação, cabeça raspada, sempre gostei de andar na estica como se diz no Rio de Janeiro, eu trabalha como vendedor na Casa Bahia, e vendia muito, devido a inveja das pessoas acabaram me demitindo, eu aos 26 anos fiquei desempregado, isso foi a 3 anos atraz, mas 2 meses depois eu consegui emprego numa loja num shopping em Santo André, São Paulo, é uma loja de roupas femininas e só trabalhava mulher até eu entrar, no primeiro dia me senti mal devido ser o único homem do ambiente, ficava no estoque, e recebia mercadorias, na realidade me contrataram exatamente devido as mulher terem dificuldade de pegar as caixas pesadas, mas as meninas me receberam bem, todas eram 8 mulheres, a dona se chama Solange, ai tem a prima dela Soraya, e as vendedoras todas branca e bonitas, as vendedoras todas na faixa dos 20 a 28 anos, mas a dona e a prima dela já tinha uns 40 e poucos anos, eu era uma mosca no leite, o único homem e negro, mas elas faziam eu me sentir bem, e logo passei a ficar achegado a elas, e devido o fato de que eu sempre gostei de andar bem arrumado e cheiroso, elas ficavam falando de mim, bem é claro, mas naquele primeiro mês de trabalho eu já com certa liberdade, brincava com as meninas e estava tudo legal, ai Solange começou com um assunto de que negão era só aparência, podia ser grande na estatura mas o pau pequeno, aquilo virou brincadeira, era eu chegar e as meninas começavam a cantar, La vem o negão, Mas Solange depois falava. Do pinto pequeno, devagar devagar, Ela cantava no tom do samba, assim como as meninas também, eu brincava com elas começava a coçar o joelho e dizia que era a cabeça, ai Solange tirava uma com minha cara, dizendo, Hã precisa de um microscópio pra achar. E saia rindo, eu entrava na brincadeira e dizia, Aé se eu abrir o zíper derrubo 5 só com o movimento do Rodolfo, no caso era o nome que eu tinha inventado pro meu pau, mas Solange ficava sempre tirando uma chamando de Rodolfinho, as vendedoras ficavam. Ora vai deixar? Soca a rola nela bom a não ser que seja mesmo pequeno. Eu. Ah acho que é do tamanho normal, quem vai ver primeiro? Elas saiam dando risada, mas Solange ficava sempre tirando uma, até que eu falei, Olha se vc ver vai querer e não vai aguentar hein. As brincadeiras eram só nesse sentido, mas Solange era casada e mãe de 3 filhos, assim como algumas vendedoras também eram casadas e mãe, eu também chegava e perguntava pra Solange. Eai como vai a precheca? Ela. Ta aki babando me humidecendo a calcinha, esperando ser invadida, Eu. Mas o marido não te come não? Ela. Ah até que come, mas é difícil, poucas bem poucas vezes. Já estou na seca vai fazer um mês, Eu, Ah o Rodolfo tem que trabalhar direto, o bichinho fica até respirando fundo de tanto trabalhar. Ela. Porque vc mija muito? kkkkk. Eu. É ele mija sempre depois que termina. e Soraya também ficava me suando, eu também perguntava a ela se a buceta dela era raspada, depois que ela saia do banheiro eu perguntava se elas secaram a buceta, já estávamos nesse tom, mas ai tivemos que ir num domingo de feriado fazer um balanço da loja, então foi eu, Solange, Soraya e Sandra a vendedora que tinha mais tempo, Sandra tinha 32 anos, chegamos la e Solange já chegou falando. Bom dia sem pinto. Ai Soraya. Oi capado. E Sandra. Bom dia a língua é grande pelo menos? Todas ficaram tirando com minha cara, que não deixei passar e falei. Bom dia bucetas, estão na seca o Rodolfo chegou. As beijei no rosto e Solange falou que estava tudo fácil, seria bem rápido, e tomamos café na maior brincadeira, ai começamos o balanço e terminamos as 11 horas, eu falei. Bom deixa eu me mandar pois o Rodolfo quer expelir leite dentro da perseguida, Ai Sandra falou. Aki tem 3 perseguida. Soraya falou. Ah se ele vim na minha com a sede que eu estou ele vai ficar sem o couro. E Solange falou. Mas homem aguenta, afinal o Rodolfo é uma rola ou um saco de batata? kkkk. Ai Sandra toda fogosa veio e falou. Ah chega de enrolação quero ser fodida agora. E já foi levantando a saia, e abaixando a calcinha mostrando a buceta raspada, eu já fui com a mão direto na buceta dela, meu pau ficou duro e Solange falou. Rodolfo acordou. Eu tirei o Rodolfo pra fora e as mulheres vieram em cima, pegando, Solange já beijou a cabeça do meu pau, Soraya também, ai Sandra veio a colocou a cabeça do meu pau na boca e me levou ao delírio. chupou bem gostoso meu pau, ai tiraram ela do meu pau, e depois disputaram pra saber quem eu iria comer primeiro, tiraram 2 ou 1 e Solange foi a primeira, ela já tirou a roupa e ficou pelada, inclinou na mesa e mandou eu meter gostoso, eu coloquei um camisinha e empurrei gostoso, gozamos muito, ao pedi um tempo, até me recompor pra comer as outras, mas Sandra falou. Ah então chupa minha buceta. ela sentou na mesa com as pernas abertas, eu peguei um cadeira sentei e mandei língua pra dentro, a chupei muito ela até deitou com as costas na mesa, e eu a chupei até ela gozar em minha boca, Soraya também pediu e eu mandei língua pra dentro. que logo gozou também, depois fomos almoçar e voltamos a loja e começamos de novo. Soraya ficou de 4 e eu meti gostoso, ai Sandra falou me chupa mais, eu a chupei, e chupei também Solange que gozaram muito na minha boca. ficamos a tarde ali na maior putaria, depois meti em Sandra também, e la pelas 17 horas cada um foi pra sua casa, na segunda feira, eu cheguei la, Solange falou. É me deixou dolorida, mas foi bom vamos ter que repetir sempre, Ai as vezes eu entrava na salinha que guardávamos os cartazes, e as coisas das vitrines e Sandra ou Solange ou Soraya entrava, e eu comia elas, fazíamos todos os dias, mas as outras vendedoras já estavam desconfiadas pois as brincadeiras diminuíram um pouco em relação ao tamnho do Rodolfo, começaram a perguntar pra Solange, que acabou contanto o que aconteceu e o que estava acontecendo, mas das 7 vendedoras restantes só 2 delas que eram casadas quiseram e eu as comi, por um tempo, as outras preferiram não se envolverem com a fudeção, era todos os dias, varias vezes ao dia, eu chegava em casa exausto, Solange me pagava bem, eu comprei carro, comprei casa só com 1 ano e meio de trabalho, mas ainda estou pagando a casa, mas já estou no fim, ai aconteceu que eu conheci Pamela em março desse ano, Pamela loira, alta, 18 aninhos, comportada, moça de família, nunca havia beijado, totalmente virgem, olhos verdes, muito linda, mas tímida, e do jeito que eu gosto, ela estava no shopping andando na hora do meu almoço, eu estava também andando e ela desmaiou, eu a socorri, e ela estava ali a procura de emprego, a levei na enfermaria, verificaram os sinais vitais dela, e ela disse que é pq já estava a muitas horas sem comer, ai ela foi liberada eu paguei almoço a ela, e ficamos la conversando. ela me encantou, gostou de mim e eu dela, ai marcamos encontro e estamos namorando, Solange assim que soube falou com as meninas que brigaram comigo insistiram pre eu terminar com Pamela, mas eu gostei muito dela, ai Solange me demitiu, eu sai mas já arrumei outro emprego e agora estou namorando com Pamela, troquei as mulheres casadas pra ficar com uma solteira e pura. bem espero que gostem é isso

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,47 de 19 votos)
Loading...

Por

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Me passa o nome de loja kkkk

  2. conto lixo

    Péssimo conto, deve ser um adolescente emocionalmente frágil que precisa sustentar seu ego escrevendo bobagens e achando que todo mundo vai adorar

  3. Silva

    Trocar uma vida boa um bom emprego muitas mulheres algumas casadas que partilhavam tua rola trocalas por uma de 18 é ser burro bem mereces ser encornado e chifrado pela Pamela.