Jailda: nessa idade? Nuca imaginei…

Olá galera, me chamo lucas tenho 25 anos e hoje vou contar um fato que aconteceu comigo recentemente. Nunca pensei que um dia faria isso, logo eu que critico tanto atitudes como essas, mas existem situações que nos colocam contra a parede e o extinto fala mais alto que a moral.

Tudo começa com as amizades da faculdade. Já estou no meu segundo ano de faculdade, com isso fiz amizade com alguns colegas de sala. Somos um grupinho que reúne depois da aula p tomar umas cervejas de vez em quando, ficamos tocando ideia, alguns dos meninos fumam um back, mexemos com as meninas, damos um rolê de vez em quando em baladas, boates, e até em zona a gente já foi junto.

O alan é um desses colegas, 24 anos, fuma um back de vez em quando, um pouco playboyzinho.

Certo dia a rapaziada estava em um barzinho que tem perto da faculdade trocando ideia, o alan estava mais afastado conversando com o bruno que tem a minha idade. A maneira que os dois estavam conversando me chamou atenção, uma conversa cheia de segredos, entusiasmos e risinhos. Nos outros dias foi a mesma entre os dois durante a aula.

Quando foi quinta feira saímos da aula umas 22h. Eu e o alan sempre pegamos ônibus no mesmo ponto, mas dessa vez o bruno também foi.
Bruno- … vou dormir na casa do alan hoje… Explicou

Achei um pouco estranho, normalmente a gente dorme um na casa do outro assim quando chegamos tarde de balada ou coisa do tipo. Ou então quando é p pegar mulher, mas nesse caso eles me falariam, ou melhor, se gabariam. Não teve nem tempo de eu perguntar, pois tive que correr p pegar meu ônibus.

No outro dia, sexta feira a aula acabou mais cedo e fomos p bar. Alan e bruno de novo mais afastados e nos cochichos, resolvi aproximar.
“to estranhando vocês dois hein, só nos segredinhos… amorzinho… um dorme na casa do outro…. sei não hein… quem ta comendo quem” – zoei p começar interagir

Bruno- cai fora sô, é só uma vizinha do alan que ele me apresentou.
“e desde quando pegar mulher virou segredo” falei rindo
Alan- pode falar com ele vey, o lucas não é esparro não
Bruno- vc quem sabe… mas… num é nada de mais naõ, é só a filha da empregada do alan que a gente colocou p dar uma mamada. – ele falou com um sorriso debochado.

Não entendi o porquê eles falariam disso como segredo, mas já fiquei todo interessado.
“nó é mesmo? Me conta essa história direito aí alan”

Alan- é que no interior de onde minha família é tinha uma mulher que é a nossa empregada joana e seus filhos que o pessoal lá de casa levava roupa, essas coisas p eles. Cada filho da joana saiu de casa p poder trabalhar e estudar. Ficou só ela e a filha jailda, nessa minha mãe fez uma proposta de ela ir lá p casa trabalhar como doméstica. Daí ela aceitou e veio com a filha. Desde ai a jailda passa à noite no meu quarto p fazer uma gulosa KKKKKKK.

“mas me fala aí carai, você jogou ideia nela?? Como o bruno foi também??”
Alan- ah vey, um dia só ficou ela e eu em casa, ela veio me pedir um dinheiro p comer cachorro quente, aí falei com ela que se ela desse uma chupadinha eu dava. Aí ela aceitou, desde aí eu dou ela uns trocados p ela dar uma chupada hehe. O bruno foi a mesma coisa, joguei ideia nela antes de levar ele lá em casa e ela aceitou. Bruno deu ela 15 contos.

“ nossa vey, joga ideia nela p mim também”
Kkkkkkkkkkkkk- ois dois riram.
Bruno- sabia que você ia querer
Alan- uai demoro, mas ela vai querer grana.
“uai eu dou”
Alan- passa domingo la em casa que te apresento ela.

Quando fui embora fiquei pensando como tem cara sortudo. Na minha casa já teve algumas domésticas que deram faxina algumas vezes, mas nenhuma gostosa e nem com filha. Por 25 reais eu arranjava uma mulher gostosa na zona, mas não era a questão de ser gostosa ou não, era o fetiche de pegar a filha da empregada. Mas ainda assim não tinha entendido o porquê eles manter isso em segredo, será que a menina era feia (dragão)?

Quando foi no domingo umas 14h eu fui p casa do alan cheio de expectativas, mas quando entrei ele estava meio inseguro.
Alan- … noss vey, minha tia veio p cá e trouxe os filhos delas e outros primos também, a casa está cheia hoje… num sei se vai rolar não.
“ mas cadê eles, não to vendo ninguém”- perguntei enquanto subíamos p quarto dele.
Alan- foram na pracinha, já devem estar voltando. Mas vamos esperar. Quem sabe.

Ficamos trocando ideia sobre outros assuntos enquanto esperava.
Alan- eles estão vindo.- disse olhando pela janela.
Fui dar uma olhada também. Vi a mãe do alan, o pai do alan, duas mulheres que deviam ser a tia e a empregada, um mucado de crianças e três garotas, só podia ser uma das três. Uma um pouco gordinha que parecia ter uns 17 anos, a outra magrinha parecia ter uns 16. Mas minha intuição, confesso que foi até um pouco preconceituoso, estava me dizendo que era a mais escurinha a filha da empregada, parecia ter uns 17 também.

Alan- nó vey! Já sei! Vamos fazer assim: você fica aqui no meu quarto, eu desço e quando der eu jogo ideia nela p subir, porque ai não corre o risco de ninguém ver vocês dois saindo sozinhos. E se não der, eu subo e te falo.
Ele desceu e eu fiquei ali esperando. Ansioso… toda hora eu achava que tinha alguém subindo…. que palhaçada rsrsrs, que situação infantil….

A porta abriu e uma garota entrou.
Mas não era a garota, veio uma mais novinha, será q o alan não viu essa menina subindo? Ela vai atrapalhar.
Ela me olhou, entrou e fechou a porta.
Com ela fechando a porta e o fato de ela não estar surpresa de me ver ali só podia ser ela. Que tombo eu tomei. A menina era o oposto do que eu tinha imaginado. Mais nova, branquinha dos olhos claros, tinha o cabelo preso em um rabo de cavalo e usava um vestido

Jailda- ei!- ela falou com um sorriso
“ei como você chama, quantos anos vc tem”- tive que perguntar
Jailda- me chamo jailda, vou fazer 13 terça que vem rsrs- ela falou rindo, parecia estar entusiasmada, não parecia ter um pingo de vergonha, eu que estava parecendo um jacu na frente de uma garota de 12 anos.

CARALHO, 12 anos???? Isso não podia ser sério
“e… você tá aqui pra…?”- que estupidez da minha parte, mas eu queria saber se ela sabia o porquê tinha subido. Porque eu comecei a imaginar que poderia ser uma sacanagem dos meninos comigo… pela primeira vez ela deu sinal de timidez e falou olhando para os pés.

Jailda- uai…. pra… te chupar…- falou um pouco baixo, mas em seguida olhou p mim novamente e acrescentou animada-… ahh, o alan me falou que se eu te chupasse pelada você me daria 50 reais né?

Eu ainda não estava crendo. Até que ela pegou na barra do vestido e levantou para tira-lo pela cabeça… jogou o vestido p lado.
Estava sem sutiã, mas eram apenas limõezinhos nascendo com o bico rosinha. Usava uma calcinha que tinha um desenho na frente, começou a tira-la.

“não, calma… você é muito nova…. achei que era mais ve…”
Jailda- ah nãoo… por favor… eu já vou fazer 13 anos semana que vem- Ela insistiu. Queria dinheiro. Tirou a calcinha e chutou p lado.
A bucetinha era rosinha com uns pelinhos loirinhos e ralinhos.

Olhei p ela vidrado, era novinha… isso era errado… eu sabia… mas meu pau já estava quase estourando minha bermuda de tão duro que estava…. já que insiste…
“tranca a porta”
Quando ela virou p trancar a porta observei a sua bunda, foi aí que fiquei louco de tesão. Enquanto o peito era pequeno, a bunda dela era grandinha, empinadinha, redondinha e branquinha.

Tirei minha bermuda com cueca e tudo fazendo meu pau pular p fora e fiquei só de camisa.
Jailda- o seu é grande- falou um pouco abobada e em seguida deu um sorrisinho.
Ela ajoelhou e pegou no meu pau… a mão estava um pouco fria… olhou admirada por uns segundos… abriu a boca e começou a chupar…. a boca estava bem quente e molhada….estremeci..

Apesar de conseguir mamar só até a metade, o boquete dela estava excelente. Ela sabia o que estava fazendo e queria me agradar, passava a língua no meu pau…. chupava as bolas… e mamava… gulosinha demais… bati com meu pau na cara dela….

Pela nossa diferença de tamanho me senti um ogro perto dela. Com apenas uma mão consegui pegar a cabeça dela toda e segurei p poder meter na boca dela… Meti sem dó…. Ela engasgava… Fazia ânsia de vômito…. Mas eu estava me fudendo p ela…. No final vou te pagar o preço vadia…

Aquele rabo estava me chamando atenção demais. Peguei ela, deitei de costas na cama, coloquei ela por cima de mim na posição do 69. A primeira lambida que dei foi na xoxotinha.
Jailda- não, eu não posso…
“Não vou fazer nada demais. Continua mamando”

A bucetinha dela tava uma delícia, mas era o cuzinho que me deixava doido. Que cú perfeito, vermelhinho… fechadinho… No meio daquele rabão gostoso…
Eu poderia ter parado p gozar na boca dela e ver ela bebendo meu leite, mas aquela posição tava tão boa que gozei ali mesmo com o primeiro jato na boca dela e os demais p todo lado.

Quando levantamos, ela tinha porra por toda cara, e cuspia com nojo. Sentei p dar uma respirada com o pau babando e latejando ainda.
Eu nem acabei de me vestir e ela já me perguntou do dinheiro
Dei ela e falei com ela p descer.

Quando o alan subiu, já entrou com um sorriso
Alan- eae como é que foi?
“ Noss vey… Ela é muito novinha cara”
Alan- é mas vc pegou kkk… Do mesmo jeito sô, ela é pirainha, às vezes eu nem to querendo nada, ela que vem em me oferecendo fazer “aquele negócio”, só p ganhar uns trocados.
E era verdade, contei p ele como foi
“ …. Aí gozei vey…. Vc ainda não comeu ela por quê?”

Alan- vontade é o que não falta, mas ela disse que minha mãe fica olhando na ppk dela p ver se tá tudo bem. Se essa menina aparece sem o cabaço aí ela me entrega, nem rola.
“ é, aí é foda”

Demorou um pouquinho mas fui embora. Quando anoiteceu não tirava a garota da minha cabeça, por hora pensava “ não acredito que fiz isso com uma garota de 12 anos”, mas quando lembrava das cenas, meu pau endurecia…. Lembrava daquela bucetinha…. Daquele rabão…. Daquele cuzinho….

O CUZINHO… Como não pensei nisso antes?

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,58 de 45 votos)
Loading...