,

Foi convencido a comer minha filha novinha 2

08-06-18 12 ★ 4.69

Continuação do conto: Foi convencido a comer minha filha novinha

No dia combinado levei Julia a casa de Seu Afonso. No meio do caminho, Julia perguntou se iríamos fazer novamente o que tinhas feito há dois dias. Expliquei que sim, mas se ela não quisesse não faríamos nada. Ela pensou um pouco e disse:
– Pai, eu quero! Mas não sei quero fazer com o Seu Afonso! Por que escutei vocês falando que seria a vez dele hoje.
Fiquei sem jeito de responder, pensando no que falar:
– Olha vamos lá e depois vamos embora. Se você quiser fazemos só nós dois em casa. O que acha?
Julia concorda e sorrir. Minha filha usava um vestidinho amarelo e alcinhas, um sutiã na mesma cor e uma calcinha de pano branca. Não parava de pensar em como seria ela novamente dando pra mim, mas tinha essa questão dela não querer fazer nada com ele.

Assim que chegamos a casa de Seu Afonso, somos atendido pela empregada que diz:
– Meu padrão mandou pedir desculpas, pois não poderá tirar as fotos de sua filha hoje por motivos familiares teve que viajar a Europa.
Agradeci pela informação e fomos embora. No caminho de volta para casa Julia olha pra mim e fala:
– Pai, quando a gente chegar em casa vamos fazer?
– Você quer?
– Quero pai!

Caminhamos lentamente até chegar em casa. Quando entramos ficou um clima meio estranho, por que eu não sabia como iniciar algo sexual com minha filha, que por sua vez esperava minha reação para começarmos a fazer sexo. Sentei no sofá e disse:
– Filha tira esse vestido!
Julia tirou ficando de calcinha e sutiã. Eu fiquei olhando seu corpinho seminu parado na minha frente.
– Pai quer que eu tire a calcinha e o sutiã?
Balancei a cabeça positivamente. Minha filha tirou tudo ficando totalmente nua. Pude prestar mais atenção ainda em seu corpo, seios com bicos rosados e auréolas bem clarinhas, uma testinha de xoxota linda com uma leve penugem lourinha. Fiquei admirando por alguns segundos quando sou interrompido por ela:
– Pai!
– Sim minha filha?
– O senhor não vai tirar também sua roupa?
Sem levantar tirei minha camisa e meu short junto com a cueca. Meu pau estava duro igual pedra. Julia olhou meu pau e soltou um sorrir maroto. Cuidadosamente puxei Julia para perto de mim e a fiz pegar no meu pau. Com minha sobre a sua iniciei um punheta. Ela punhetava meu pau com sua mãozinha com um sorriso de canto de boca. Tirei minha mão sobre a dela e suavemente alisei sua bucetinha, começando pela virilha ate chegar aos seus lábios. Julia abriu suas pernas instintivamente, sem que eu pedisse. Levei a minha mão a boca, molhei os dedos e voltei a alisar sua bucetinha, mas agora enfiando os dedos por dentro, passado pelo seu grelhinho. Julia estava ficando molhada e por vez mexia o quadril. Ela pra minha surpresa diz:
– Pai posso beijar seu pinto agora?
– Pode minha Julia!

Julia se abaixa e leva sua boca de encontro ao meu pau. Ela para e beija a cabeça. Olha pra mim em seguida abre sua boca colocando meu pau dentro dela. No primeiro momento minha chupa sem jeito, batendo com os dentes. Eu pensei como o Afonso agüentou sua chupada na primeira vez, sem reclamar. Pacientemente foi orientando sua chupada:
– Calma Julia! – passando a mão em sua cabeça, continuei – Minha filha pensa que estar chupando um sorvete, sem morder!
Ela vai pegando o jeito e a chupava vai ficando gostosa. Eu vou me soltando e falando sacanagens leves, sem nada chocante:
– Isso filhinha, chupa o pinto do papai,,,… que boquinha gostosa,,,.. passa o língua na cabeça do pinto do papai…ahhh ahhh.. chupaaaa,,,…

Julia para de chupar.
– O que foi filha? – pergunto com a voz ofegante
– Pai quando você vai colocar seu pinto dentro da minha perereca?
– Quer agora?
Ela balança a cabeça dizendo sim. Eu não queria comer ela logo e respondi:
– Pai pode chupar sua perereca antes?
– Pode!
Julia senta no sofá. Fico de joelhos abrindo suas pernas. Realmente aquele velho filho da puta tinha razão, a bucetinha da minha filha é grandinha para sua idade, por isso, agüentou minha rola inteira na primeira vez e agora iria agüentar novamente. Eu abro seus lábios deixando a mostra sua bucetinha rosadinha por dentro. Seu grelho saliente se exibe, como pedindo para ser chupado.

Eu começo a chupar e Julia vai ficando solta no sofá. Sua bucetinha tinha um sabor de suor, com um leve salgado de xixi. Quando passava a língua na entrada, ela tremia o corpo espontaneamente, como se estivesse sentindo nervoso. Sua lubrificação natural começa e escorrer, bem ralinha. Era ainda mais prazeroso chupá-la, sentindo o sabor de sua bucetinha. Comecei a tentar enfiar a língua dentro, nessa hora filha fala:
– Pai, coloca seu pinto dentro!
– Então deita direito no sofá!

Julia se ajeita, ficando deitada. Sem que pedisse abre as pernas, soltando um largo sorriso. Deito por cima do seu corpo acertando o pau na entrada, alisando a cabeça entre os lábios. Minha filha fala:
– Vai logo pai! Coloca dentro!
Confesso que não sabia se sua reação era inocente. Como de uma menina da sua idade, que apenas achava aquilo era uma brincadeira que dava uma sensação boa, e por não conhecer seu corpo apenas queria senti novamente. Ou era a menina que quando chegou em casa após sua primeira vez, agiu normalmente e quando tentei explicar que tínhamos feito disse: que sabia o que era.

Fui forçando a entrada. Sua bucetinha vai engolindo aos poucos a cabeça do meu pau. Julia vai fazendo cara de dor, sem reclamar. Sua respiração vai ficando espaçada, ofegante. Minha cabeça entrada toda. Vou tirando e botando ela, em um vai e vem suave. Cinto o corpo de minha filha relaxar. Era o momento ideal de enfiar tudo. Centímetro a centímetro vou enfiando meu pau em sua bucetinha. Julia solta um pequeno “ai”… quando meu pau entrada todo. Começo a comer a bucetinha de Julia em ritmo leve, sentindo como era apertada sua bucetinha ,que ia ficando cada vez mais molhada e relaxada. Volta a dizer sacanagens:
– Que perereca gostosa minha filha…ahhhh…. como é bom comer essa perereca… senti o pinto do papai dentro dessa perereca sua safada.. tá gostando sua safadinha??.. ahhh
Julia por sua vez escutando minhas sacanagens suaves reponde, me levando a gozar dentro, diz:
– Tô gostando pai! Coloca mais seu pinto dentro!..ai…ai
Eu goso dentro, enchendo sua bucetinha de porra… Julia fica parada sem saber o que ao certo estava acontecendo.

Se ela gozou ao certo não sei! Mas era evidente que havia gostado que estávamos fazendo.

Como disse ainda continuo comendo sua bucetinha quando estou em terra…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,69 de 35 votos)

,

12 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Carioca Safadinha

    Gozei gostoso

    • Picagostosa20

      Oi carioca safadinha faço vc goza gostoso te deixo louquinha Skype [email protected] chama lá

  2. Anônimo

    Cara, nego poderia deixar de falar que buceta de criança tá sempre fedida de xixi ou com sebinho. Puta coisa broxante! Parece que são todas porcas!

  3. Luis

    Sequencia muito boa. Conto bem elaborado, rico em detalhes como o primeiro . Fica essa duvida no ar se sua filha esta sendo um tanto ingênua e apenas gosta da sensação , ou se entende bem o que esta acontecendo e gostando de ser iniciada no sexo pelo pai em quem confia . De qualquer forma espero uma continuação a altura dos primeiros contos. [email protected]

  4. Joh

    Muito bom gozei muito lendo esse conto 😍😍😍😍😍😍😍

  5. Marco

    Tenho uma filha de 10 anos mais nunca toquei nela [email protected]

  6. Pachecao

    Continue o conto será que teremos uma dupla penetração com o papai e o Sr Afonso?? Estou super excitado e com o meu Pau hiper duro vou tocar uma Gostosa Punheta pensando em vocês.

  7. Max

    Muita tesão

  8. Anônimo

    Come o cuzinho da sua filha e continua o conto

  9. Japa

    Cara gostei, eu já tinha lido a primeira parte, esse segunda foi otina ,tem terceira parte ?

  10. Drdoug

    Estava ancioso por uma continuação