Eu e minha esposa fomos acampar com um amigo

Bem o que vou relatar já aconteceu a algum tempo atrás, sou casado, minha mulher uma morena bonita, umas pernas grossas, e uma bunda tipicamente brasileira, rebitada durinha sem silicone, natureza mesmo, seios médios, muito gostosa, adora sexo, eu tenho o pinto pequeno mais grossinho, 16 cm, sempre fodo o cuzinho dela, um dia em conversa acabamos fantasiando um dia ir acampar, só que não tínhamos nenhum apetrechos para acampar, tipo barraca e outros, e são objetos caros, a coisa foi esfriando.

Um dia acabei conhecendo o Valdir, numa roda de amigos, e em conversa ele dizia que sempre acampava, que era maravilhoso, que ele tem uma barraca Bangaló, de dois quartos, só que ele tirou o divisão ficou um vão maior, que cabia de 4 a 6 pessoas, eu expus a minha vontade de acampar, ele me convidou, só que teria um problema como minha mulher não conhece o cara ela dizia não se sentir bem dormindo juntos no mesmo local, eu tratei de programar um encontro para tomarmos umas cervejas e se apresentar, no primeiro dia minha mulher colocou uma calça de laycra super justa, que mostrava bem a bunda dela, o Valdir comeu ela com os olhos, saímos umas duas ou três vezes, se aproximava um feriado prolongado ele convidou para irmos a campar, ela aceitou topou.

No dia marcado Sábado fomos cedo ele disse que teríamos que ir bem cedo para poder pegar um local bom, minha mulher vestida com um shortinho branco um blusinha bem a vontade, nossa o Valdir olhou com um olhos de cobiça, eu fiquei ate exitado, minha mulher disse baixinho o seu amigo me olha com uma cara de tarado, eu respondi também você com esta roupa provocante deixa o cara tarado mesmo, ela riu, e disse tu não se importa mesmo não é, eu respondi deixa para lá, vamos nos divertir, assim chegamos, montamos a barraca logo de manha e fizemos uma café, ficamos perto dos chuveiros e ´piscina um local maravilho, arrumamos tudo, o Valdir disse que iria buscar uma carne para fazermos um churrasco, havíamos levado cervejas e bebida mais forte, fizemos batidas, e começamos a beber, logo o sol apareceu e esquentou, minha mulher disse amor vou colocar um biquine e vou ate a piscina, nisso eu e o Valdir colocamos a sunga, quando o Valdir foi colocar a sunga nossa uma caçeta enorme, cabeçuda, mole, fiquei imaginando aquilo duro, fiquei exitado, minha mulher apareceu só de biquine, e que biquine com a bunda toda aparente, deu uma golada na batida e foi para a piscina, o Valdir disse sua esposa e bem desinibida, eu respondi mais ou menos, ela na praia costuma ir assim, com a bunda aparente fio dental, o Valdir respondeu também com uma bunda dessa, com todo respeito, como já havíamos bebido umas já bem descontraídos, eu disse e assim mesmo com todo respeito mulher de amigo meu para mim é homem, eu só fodo a bundinha, e rimos, e ele aproveitou e fez a pergunta ela deixa meter naquela bundinha, eu respondi eu fodo a bundinha dela sempre ela adora, ele disse que delicia , dou uma olhadinha discreta e vejo o vergalhão que se formou na sunga dele.

Começamos a assar a carne, logo já estávamos comendo um churrasquinho, minha mulher então veio para a barraca, pensei que fosse colocar uma toalha, que nada ficou assim mesmo, e toma batida, teve umas vezes que percebi o Valdir passando por trás dela encostava a caçeta nela, ela fazia que não percebia, teve uma hora que eu disse a ela já viu o vergalhão da sunga dele, ela riu não respondeu nada, e comendo e bebendo, voltou a piscina , as horas foi passando já passava das 20 horas, no Camping, não tinha nada para se fazer a noite era só churrasco e beber, acabamos fazendo amizade com uns outros caras que eram conhecidos do Valdir, todos muito bacana, outras meninas, minha mulher continuava só de biquine, eu sei que era mais ou menos uma meia noite, ela foi tomar banho para deitar já estava bebinha, o Camping, tinha pouca iluminação era meio escuro, minha mulher veio só de saída de banho, uma saída de banho que parecia um vestidinho curto, meio transparente, tomou mais algumas e foi deitar-se, eu aproveitei e fui tomar banho, quando voltei o Valdir foi também tomar banho, me deitei, do lado, ela me disse o Valdir pensou que eu estava desmaiada passou a mão em mim, eu fiz que estava dormindo, ela perguntou ele vai deitar aqui do outro lado, eu respondi acho que sim, ele vai preferir ficar ai do seu lado, ela respondeu amor não vai prestar, eu não estou aguentando de tanto tesão, estou toda molhadinha, fui passar a mão ela estava sem calcinha, eu disse pó sua vagabunda já deitou sem calcinha esta querendo rola mesmo, eu disse tu já viu o tamanho da coisa, ela respondeu do jeito que estou deixou ele meter tudo, eu perguntei no cu também, ela respondeu também, quero tudo, nisso o Valdir chegou, entrou na barraca e disse vamos matar esta batida para não jogar fora, ela rapidinho, se virou pegou o copo e deu uma golada, assim mostrou bem a suas coxas, eu dei uma golada, o Valdir perguntou tem problema eu ficar de cuecas, ela respondeu primeiro que eu, claro que não, e deitamos, ela colocou uma das pernas sobre o meu corpo, curvando uma das pernas, o Valdir se deitou-se e encostou nela, viu que ela não saiu fora, percebi que ele tirou a cueca, e devagarinho foi chegando, metendo a caçeta no meio das pernas dela, comecei sentir o respiração dela ofegante, ela veio com a mão e pegou no meu pau, que já estava duro ficou alisando, a respiração foi ficando mais difícil, ate que ela deu um gritinho, ai,ai, devagar, e aumentando mais o ai ai ai, escutei o Valdir perguntar esta doendo quer que eu tire, ela respondeu não quero tudo lá dentro, me arromba, ai o Valdir socou tudo ela gritou, ela e meio escandalosa, ela foi se abaixando e abocanhou o meu pau, e ficou chupando, não sei se devido a bebida demoramos para gozar, ate que o Valdir anunciou que iria gozar, se poderia gozar dentro ela disse pode, e gozamos os três, eu na boca dela, ficamos um pouco assim ela se virou e começou a chupar a rola do Valdir deixando limpinha e dura de novo, ela foi e deitou=se de bruço com a bunda para cima, como eu já havia dito que ela gosta ele nem perguntou deitou sobre seu corpo, e foi cutucando, ela perguntou não tem lubrificante ele pegou lambuzou e começou, nossa ela gritava, rebolava, eu dizia, não grita tem gente ao lado, ela respondia que se foda esta doendo, e assim ele ficou de joelhos no colchonete sobre as pernas dela e socou tudo ate o saco, ela empurrava a bunda para trás ele socava tudo, ela rebolava ele dizia nossa que cu delicioso, só que falava alto também, ela respondia isso seu filho da puta arromba meu cu arromba, e ele socava, demorou para caralho para gozar, ate que gozamos, desmaiamos, só fomos acordar já era umas 9 horas.

Ela foi tomar um banho, nos também, quando chegamos minha mulher ficou toda envergonhada, uma mulher que estava na barraca ao lado disse nossa a festa foi boa, em, o Valdir judiou de você, e os caras também pagando sapo, dizendo a noitada foi boa, depois do café fomos andar um pouco pela local, minha me disse amor foi maravilhoso, ele tem uma rola grossa me arrombou todinha, o Valdir havia comentado comigo que tem um amigo dele um mulato que tem uma caçeta maior que a dele, e que provavelmente viria a noite beber umas, eu comentei com ela o Valdir disse que tem um amigo dele que vai vir a noite, que tem uma caçeta mais grossa do que a dele, ela riu e disse que delicia, passeamos voltamos para a barraca começamos a beber, ela foi para piscina, ficou eu e o Valdir bebendo e fazendo um churrasco, chegou uns caras que ficou ali conversando, umas meninas bonitas gostosa, logo minha mulher apareceu, eu percebi um cara se encostando na minha mulher, logo ele foram embora, ficou só nós três, estava muito calor, e bebemos muito, muita batida, já era umas 18 horas minha esposa voltou para a piscina, ficou lá um tempinho, apareceu o cara que o Valdir falou, ele me apresentou, ficamos conversando, eu de sunga, o Valdir de sunga ele de bermuda, nisso minha mulher chegou, já era umas 19 horas, já estava meio escuro, só mesmo a luminosidade dos lampiões, minha mulher já havia bebido bastante,, só de biquine, já tinha fodido com o Valdir, já estava bem soltinha, o Valdir foi e deu um beijo na boca dela, abraçados, nossa fiquei ate sem jeito, mas sabe como é estava na chuva, o Valdir passava a mão na bunda dela, o cara tirou a caçeta para fora nossa era um cavalo, enorme, grossa, o cara foi por trás e colocou a rola no meio das pernas dela, ela se abriu, o Valdir puxou ela fez ela chupar a caçeta dele que se sentou num banco, o cara foi metendo, caralho ela resmungava, e empurrava a bunda para trás, ele socou tudo lá dentro ela deu um grito, pediu tira tira estado machucando, o cara respondeu deixa assim e começou a bombar tirava e metia devagarinho,, ela saiu da rola do cara e sentou na caçeta do Valdir que escorregou para dentro, o cara passou lubrificante e foi tentando introduzir aquilo dentro, devagarinho, já estava arrombado mesmo, o Valdir já havia arrombado aos poucos foi entrando ela gemendo e beijando o Valdir recebeu aquela rola todinha lá dentro, os dois gozaram, dentro, eu acabei gozando na punheta, o cara acabou indo embora, ela foi tomar banho, voltou fomos para dentro da barraca e voltamos a foder, eu desta vez chupei a boceta dela melada de porra, e ate a caçeta do Valdir eu chupei, gozamos gostoso, fodemos ate quasse 3 da manha, adormecemos, pela manha o Valdir ainda fodeu o cu dela, levantamos ela foi tomar banho desmontamos a barraca e viemos embora, assim foi o nosso melhor acampamento da nossa vida, já fomos outras vezes, e fodemos muito, ate no mato fodemos mais esta e uma outra historia.

Espero que tenham gostado.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,67 de 18 votos)
Loading...