Esposa Fiel recatada e desiludida

Bem meu nome e Clarice, sou casada a 25 anos, sempre fui uma esposa dedicada, honesta, nunca traí meu marido, sou bem desinibida, extrovertida, gosto de vestir meio extravagante, adoro, fico exitada quando vejo os homens me comendo com os olhos, sou morena tipicamente brasileira, umas pernas grossas, uma bunda saliente um tanto avantajada, me sinto uma mulher gostosa, adoro sexo, meu marido me viciou no sexo anal, faço tudo, ele adora, na hora do sexo me chama de vagabunda, de puta, safada, que fico mostrando a bunda para os machos, isso me exita eu adoro, ele não e nada dotado tem o pau pequeno 16 cm mais grossinho, estas coisas foi acontecendo cada vez com mais freguência, eu ate incentivava mais nunca saiu disso.

Um Sábado saímos como de costume para se distrair e beber, ele me levou numa festa, eu perguntei o que era ele disse e uma reunião de amigos, dizem que é legal, realmente esta bonito, uma mulher bem produzidas, umas ate vulgarmente vestida, parecia mesmo umas putas, eu como sempre também estava vestida com um vestido curto, degotado, mostrava bem o volume dos meus seios que são médios, e em especial a minha bunda, que eu sentia que estava cobiçando, começamos a beber, num determinado momento, comecei a perceber que a coisa era mais putaria, era um encocha em encocha, só, chamei meu marido num canto e disse amor e melhor a gente ir embora, ele perguntou porque, eu respondi isso aqui e uma putaria, os caras estão passando a mão na minha bunda, vai acabar dando confusão, ele respondeu não da confusão não são todos legais, casais, casados como nos, fica a vontade relaxa, aquilo não me suou bem nos ouvidos.

Comecei a beber, puta da vida, acabou que chegou uma mulher bonita, puxou conversa comigo e que fiquei sabendo que se tratava de casa de Swing, troca de casais, homens sozinhos, e que era tudo liberado, mulher com mulher, homem com homem, era para soltar a franga mesmo, eu não acreditei que meu marido havia me levado num lugar daquele.

Chamei ele novamente e indaguei, ele novamente já meio alcoolizado disse não se estressa, curte a festa, eu fiquei puta da vida, comecei a beber, a mulher que estava conversando comigo voltou e com ela o seu marido, nossa quando eu vi não acreditei, um cara lindo bem mais novo que eu, fiquei abobada, e já com efeito do álcool, a mulher perguntou se eu não gostaria de conhecer a casa, eu aceitei, ele me levou para um lugar meio escuro e sem eu esperar ele começou a fazer carinho em mim, olha na verdade eu nunca tinha nem imaginado ter algum relacionamento com outra mulher, mais a danada soube me conduzir quando atinei eu estava com ela num reservado já completamente nua, ela me chupando, nossa me entreguei totalmente aquilo, logo apareceu o marido dela, com uma rola que me deu ate medo, grossa, mal cabia na minha boca, uma cabeça, e bem maior do que a do meu marido deveria ter uns 22 cm, eu chupando aquilo e a mulher chupando a minha xereca, eu nem sei quantas vezes eu gozei, o cara me deu uma bebida que depois descobri ser piper, uma delicia mais sobe que nem louco, a mulher dele dizia vem a mor mete nesta xereca, aqui vai poe tudo, eu com um pouco de medo, pois a rola dele era muito grossa, e eu não estava acostumado pedi devagar, ele foi e introduziu todinha la dentro, nossa que delicia aquilo, gozei que nem louca, já no desespero no auge da empolgação, acostumada com meu marido comecei pedir para ele foder meu cuzinho, dizia fode o cuzinho da sua putinha, me virei a mulher dele se colocou embaixo começou a chupar minha xereca e ele metendo no meu cu, nossa doeu para caralho mais eu queria, entrei em transe, acho que desmaie, quando me despertei eles não estavam mais, mais tinha um cara com uma outra rola também bem tratada, um rolão, nem pensei abocanhei chupei, logo percebi que era um negrão, nossa este cara me judiou meteu de todas as formas, fiquei toda dolorida, esta com o cu doendo, então resolvi colocar minha roupa e procurar meu marido.

Rodei o salão depois de um tempo achei ele, ele quis brigar, eu disse não vem não você me trouxe aqui agora não reclama, ele então disse não estou reclamando eu queria ver você sumiu, bebemos mais eu na verdade já estava para lá de pague da, então já cheia de coragem, avistei o negrão que havia metido em mim, e disse ao meu marido você quer ver então fica esperto você vai ver, sai e acabei dando de encontro a negro, ele muito esperto me perguntou quer mais, vamos no reservado, eu respondi vamos, lá eu disse não fecha a porta tirei a roupa e deixei o negrão fazer o que quisesse , nossa novamente ele alargou o meu cuzinho, minha xereca, e quando foi gozar tirou a camisinha e esporrou na minha boca, nossa nunca havia feito aquilo, nem com meu marido, imagine com um negrão e desconhecido, fui obrigada a engolir parte da porra, o negrão saiu, meu marido entrou meteu na minha xereca e num beijo alucinante chupava a minha boca ainda com sobre da porra do negrão, eu gozei novamente, ai eu já não aguentava mais fomos embora.

A caminho de casa eu retruquei, eu não acredito que você me trouxe num lugar deste, ele então perguntou mais você gostou, eu disse sim não vou dizer que não não, nunca meti tanto num só dia com rolas diferentes, e disse tu viu o tamanho da rola do negrão, e disse também ele gozou na minha boca, ele me respondeu eu sei, eu então perguntei tu gosta de chupar uma porra, ele disse gosto, eu disse na próxima vez eu vou mandar ele gozar na sua boca, ele disse este cara você não vê mais, só que ele se enganou o cara deixou um cartão, mais esta e uma outra historia, de esposa recatada agora quero ser puta mesmo.

Espero que tenha curtido, na próxima eu conto uma outra historia pois eu voltei lá novamente, agora sou fregues.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,42 de 24 votos)
Loading...