Esposa do corno de São Bernardo do Campo

Autor

Oi pessoal.

Vou relatar mais um caso que ocorreu comigo, são fatos reais que aconteceram ao longo do meu casamento que vou relatando, não omito nada, nome, cidade que moro e até mesmo o nome do meu marido, pelo motivo que já expliquei em outro conto, relembrando a todos, meu nome é Lucineide, Moro em São Bernardo do Campo, sou casada a 14 anos com meu marido que se chama Reginaldo e tenho 2 filhos que não são dele, e sim do meu ex namorado chamado Sandro.

Esse relato também é real, aconteceu a 6 anos, éramos sócios do clube dos Bancários, localizado no Riacho Brande, São Bernardo do Campo. Em um dia de férias, em uma terça feira, eu e meu marido fomos ao clube, meus filhos passaram o dia na casa da avó, adoramos jogar basquete na quadra, meu marido pegou a bola na administração e fomos jogar.

Nesse dia não estava usando sutiã para tentar provocar meu marido, mas como sempre nada adiantou, chegando na quadra começamos a jogar na cesta, percebi que cada vez que eu jogava a bola meus seios balançavam muito e chamavam atenção, logo algumas pessoas ficaram observando, não dei bola e continuei jogando.

Depois de algum tempo paramos e meu marido foi devolver a bola na administração, falei que iria ao banheiro e depois comprar um sorvete, combinamos de nos encontrar no quiosque que estavam nossas coisas. Estava andando próximo a piscina onde ficam os banheiros, apareceu um rapaz e parou na minha frente, sem camisa e de bermuda, admito que fiquei excitada, me elogiou, passou a mão no meu cabelo e me deu um belo de um beijo, me entreguei completamente, ele foi me beijando e me encaminhando a um quarto, parecia um depósito de materiais, tirou a minha camiseta e chupou os meus seios, tirou a minha bermuda junto com a calcinha e me deixou de quatro, com as mãos segurando um tipo de mesa, colocou tudo sem dó, no começo senti uma dor forte, mas logo essa dor se tornou um prazer indescritível, ficou bombando em mim sem parar.

De repente aparece um pinto enorme na minha cara e enfiou na minha boca, era outra pessoa que apareceu do nada, uma outra mão apertavam meus seios, quando percebi que todos se conheciam, eram quatro rapazes, me fodendo de todas as formas, depois de algum tempo o rapaz que estava me comendo foi parando aos poucos, pois acabava de gozar dentro de mim, logo outro começou em seu lugar, colocou e rapidamente gozou, o terceiro sem dó enfiou diretamente no meu cuzinho, fechei os olhos da dor que no momento sentia, mas o prazer que estava no momento fez logo essa dor virar excitação, quando de repente o rapaz que eu estava chupando deu um forte e quente jato de porra em minha boca, nunca vi tanto, mas a cada jato uma engolida, depois de terminar e engolir tudo percebi que pararam, apenas o rapaz que sem parar bombava meu cuzinho permanecia sem parar, depois de alguns minutos, diminui a quantidade de bombadas até que parou, pois também tinha gozado.

Quando levantei a cabeça, já não estava mais ninguém, rapidamente sumiram todos os rapazes, estava eu, toda gozada, escorrendo porra na minha vagina, no meu cu, na minha boca em todo corpo. Peguei um pano velho que estava em uma prateleira, limpei as minhas pernas e comecei a me vestir, coloquei a blusa, e procurei a minha calcinha, e não encontrei, certamente um dos rapazes levou como troféu do acontecido. Coloquei a minha bermuda e rapidamente fui em direção do banheiro que era bem perto, no caminho encontro meu marido, com cara de preocupado veio na minha direção perguntando onde eu estava e me de um grande beijo, mal sabia ele que minha boca estava sendo fodida e tinha acabado de levar fortes jatos quentes de porra e eu tinha engolido tudinho, naquele momento meu marido Reginaldo tinha acabado de chupar e levar uma gozada por tabela, rsrsrs…

Falei para ele que estava andando, pensando na vida, sinceramente foi o que veio na minha cabeça na hora, mas ele acreditou novamente, me abraçou e fomos em direção ao quiosque, mas sentia levemente escorrer em minhas pernas todas as porras que estavam dentro de mim, parei falei para ele que estava com cólicas e precisava ir ao banheiro novamente, dei outro beijo nele e sai correndo, quando entro no banheiro com as pernas novamente todas gozadas, tiro toda a roupa, sento no vaso sanitário e fico ali por minutos esperando sair toda a porra dentro de mim, acho que saiu copos de porra, impressionante, me limpo com água e me seco com os papeis toalha e saio para encontrar o meu marido no quiosque.

Pegamos nossas coisas e fomos embora, nunca mais vi esses rapazes, foi uma aventura inesquecível, mais uma de tantas que já fiz, meu marido que quase não me procura, levou mais um chifre, mas não me arrependo de nada, fiz e faria de novo, se ele não quer, tem quem queira.

Logo enviarei outras relatos verdadeiros que passei durante minha vida de casada.

Beijos a todos.
Lucineide.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,40 de 10 votos)
Loading...