Comendo a minha prima na casa da praia

Meu nome é Adalberto, tenho 30 anos e vim de uma familia muito proxima do interior de Minas Gerais. Minha mãe só tinha eu de filho e por conhecidencia, minha tia teve uma única filha. Seu nome é Lara, ela tem 15 anos. Lara era loira, olhos verdes, cabelo liso que vai até as costas, cintura fina e peitos e bunda grandes e bastante chamativos
Sempre quis ter uma irmã mais nova, mas depois da morte de meu pai nunca mais minha mãe resolveu ter um namorado. Quando Lara nasceu, fiquei bastante feliz. Sempre via minha prima como uma irmã mais nova e ela sempre me via como um irmão mais velho, daqueles que sempre dava conselhos, fazia brincadeiras e coisa do tipo
Minha mãe e minha tia sempre almoçaram juntas no domingo, o que ajudou a gente ser bastante proximos. Eramos praticamos vizinhos. Mesmo depois ter saido da casa da minha mãe, sempre frequentei a casa de minha tia e ela, junto com a minha prima Lara sempre frenquentou a minha casa
Certo dia eu queria ir para a casa da praia de minha mãe sozinho. Lara estava de ferias da escola e também queria ir para a praia, pois ela adorava muito o local. Depois de muita insistencia da minha mãe, levei a minha prima para passar uma semana comigo no Litoral. Mal sabia a dor de cabeça que iria causar pra mim
A casa realmente era bem simples, ela tinha dois quartos, onde eu ficava em um quarto e a Lara ficava em outro. Ela não tinha muito luxo, ficava no condominio bem simples no meio do mato. Tudo aparenta para ser uma semana normal como outra qualquer, mas o que iria acontecer na praia estava longe de ser normal
Tudo começou na nossa primeira ida a praia
Estava preparando ir para praia junto com a Lara, quando um frio na espinha passou nas minhas costas. Foi algo momentaneo. Foi quando eu vi Lara, com o biquini com a parte de cima meio tomara que caia e a parte de baixo bem pequininha. Fiquei de inicio bastante assustado, porque nunca tinha sentido algum tipo de atração por alguem que eu vi crescer
Lara pediu para que eu passasse protetor solar nela, então eu começei a passar em toda a suas costas. Depois ela levantou de frente, pegou a minha mão e disse que era pra passar protetor em seus seios. Fiquei meio assustado, mas fiquei de pau duro passando a mão nos seios da minha prima. Não satisfeita, ela pediu para que eu passasse protetor nas suas pernas e assim eu fiz.
Percebendo que eu estava exicitado, minha prima tirou a parte de cima do seu biquini e tirou a minnha sunga e começou a chupar o penis inteirinho, colocando ele todo na boca me fazendo gozar. Depois disso, Lara deitou em cima de mim e começou a chupar meu pau, enquanto eu me deliciava na buceta da minha prima novinha
Ela deitou no sofa e comecei a chupar o seu corpo. Começando no seu pescoço, beijando o seu queijo e fazendo cafune no seu cabelo. Lambi todo o seu seios, alpapando – os e chupando e passando a lingua em seu mamilos. Depois disso, eu desci a sua buceta e comecei a lamber seus critoris, segurando as suas pernas. Fiz ela gozar e senti que ela tremeu
Por fim eu deitei a minha prima em cima da mesa da sala. Ela disse que era louca que alguem penetrasse em seu anus e que ninguem nunca fez isso. Comecei, penetrando na sua bunda, indo devagar e depois aumentando a velocidade posteriormente. Depois, ela abriu suas pernas e penetrei na sua vagina, gozando junto com ela
Nos arrumos e fomos para praia. Chegando em casa, transamos novamente tomando banho e depois na hora de dormir
Na noite seguinte, minha prima estava com bastantes dores no ventre e com uma aparencia bastante deprimida. Dizia que iriamos morrer na viagem de volta, que sentia muita dor de cabeça e do nada abateu uma depressão que fazia com que ela perdesse a vontade de viver.
Chuvia muito e trovejava muito neste dia. Confesso que tinha tido premoniçoes na noite que eu transei com a minha prima Lara. Sonhei que ia ser pai do filho que nasceria em seu ventre, mas o que sairia de seu ventre não seria um humano, mas sim um cachorro que devorava todo dentro de seu corpo, levando a morte
Quando estava pensando no meu sonho, apareceu um Pastor Alemão selvagem que estava toda a hora querendo invadir a casa em que estavamos. Por um momento, senti que a porta se abriu e um barulho de um animal estava caminhando na sala. Tranquei Lara no quarto e fui ver o que era. Era o cachorro que estava tentando entrar. Peguei um pedaço de madeira e um só golpe acertei o cachorro, fazendo com que ele fugisse
Dei um remedio para dormir para Lara e ela não teve mais suas crises. Contudo foi a minha vez de ficar assustado. Sonhei que eu e Lara tinhamos sofrido um acidente por causa de uma coalizão. No sonho, meu corpo estava destroçado dentro do caminhão e o corpo de Sara estava decapitado no meio da estrada
No dia seguinte não resolvemos ir para praia. Ficamos tentando alcamar um ao outro. Contudo, esta situação assustadora que passamos fez com que ficasse um tanto apaixonado pela minha prima. Senti tambem que o carinho da minha prima por mim aumentou, pois fui eu que garanti que ela não sofresse riscos maiores
Depois eu percebi que sim, ela estava apaixonada por mim
No final da tarde do pesadelo que vivemos, encontrei minha prima sozinha em um dos quartos, sentado numa cama enrolada numa pequena. Ela tinha ficado com bastante medo do ocorrido, pois ela era muito nova e tinha bastante futuro pela frente. Ela me pediu para que eu cuidasse dela e pra que nao deixasse nada de mal acontecer
Sentei na cama junto com ela e fiquei abraçado durante um periodo com ela. De repente, senti o mesmo frio na espinha que senti pela primeira vez que senti quando transei com a Lara. Senti o corpo quente dela e isso me deixava bastante exicitado. Quando eu tentava me controlar do que estava sentido, ela deitou na cama me dizendo me ame como uma mulher
Tirei a roupa da minha prima e novamente comecei a encher ela de beijos. Lambi lentamente todo o seu seios, chupando e puxando os seus mamilos, fazendo com que ela se contorcesse de tanto tesão. Depois passei a lingua na sua barriga, até chegar na sua buceta. Chegando em seu critoris, comecei a lamber, ate fazer com que ela gozasse.
Ela sentou na cama e tirou a minha. Começou a chupar meu penis, me fazendo com que eu gozasse dentro da sua boca. Depois ela pegou meu pau, colocou entre os seios fazendo me masturbar, enquanto ela lambinha a cabecinha. Gozei em seus seios. Depois disso, ela deitou em cima do meu corpo e novamente chupou meu penis, enquanto eu lambia a sua vagina
Ela deitou de costas na cama e subi nela, penetrando em seu anus e puxando o bico de seus peitos fazendo com que ela se contorcesse de tanto tesão. Gozei dentro dela. Depois disso, penetrei na sua vagina até ela gozar. Quando gozei, tinha gozado dentro. Ela ficou preocupada, mas logo tratei de acalmar ela
Fomos para o banheiro tomar banho, transamos de novo. Dormimos e a tensão que ela estava sentindo, parecia que tinha sumido
Quando fomos embora, Lara começou a ter uma crise de ansiedade, panico, choro e também voltou a ter fortes dores em seu ventre. Fomos ao medico antes de embora e ele disse que a minha prima nao tinha absolutamente nada. Lara viajou para a cidade de Minas Gerais, com fortes dores e com forte alucinaçoes
Quando Lara estava no carro, parecia que cada carro que passava o acidente estava se aproximando. Cada carro que passava, ela tirava a minha concentraçao gritanto, enquanto eu tentava manter a minha atenção no volante para que nenhum acidente nao acontecesse. A Estrada que tinhamos que passar era bastante perigosa e conhecida por ter inumeros acidentes fatais
Paramos um pouco para almoçar. Lara estava com medo e pediu para que não pediu para que a viagem não prosseguisse. Cada minutos que se passava, ela sentia que o seu fim se aproximando. Sentia que nao tinha nenhuma outra alternativa, a não ser contenter com a morte que realmente estava aproximando.
Passamos por um caminhão, ela deu um grito imenso que me fez desviar do veiculo, mas quando isso aconteceu o carro arrebentou com a proteção que ficava no canto da estrada, fazendo com que o carro caisse, ocasionando uma grande explosão. O nosso medo se tornou a realidade, nos iriamos morrer em um acidente de carro.
Chegando no inferno, eu estava ainda bastante apaixonado pela minha prima. O demonio deu um castigo para mim: Ficar sem ver Lara por 2000 anos, até que eu aprendesse com meus erros. 2000 anos duraram a eternidade e pude finalmente ver minha prima. O resultado disso tudo é que eu e ela ficamos morando a eternidade no inferno, como um casal apaixonado. Nada podia perturbar ela, muito menos nada podia separar a gente, nem mesmo a morte … pois ja estavamos mortos

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,20 de 15 votos)
Loading...