Catálogo de roupas íntimas infantis 1

17-06-18 Por 6 ★ 3.52

Olá, meu nome é Camila e tenho 23 anos. Mas o meu relato era quando tinha apenas 11. Nessa época, meu sonho era ser modelo. Porém minha mãe fazia de tudo pra eu desistir dessa ideia pra não sofrer. Dizia que as crianças que se tornavam modelos eram ricas, e como nós morávamos na periferia, não tinha nenhuma indicação, era praticamente impossível. Mas um dia, uma coisa incrível aconteceu: passou uma Van anunciando pelas ruas que um estúdio iria realizar teste de fotografia com crianças da região para anúncios publicitários.
Anotei o endereço e o horário, minha mãe me levou. Eles haviam alugado uma grande loja, que ficou lotada. Parecia que toda a comunidade havia ido. Um rapaz explicou, no microfone, do que se tratava. Uma empresa que fabricava e vendia roupas íntimas, de natação e pijamas infantis via revista o contratou para selecionar modelos de 4 a 12 anos para serem fotografados usando seus produtos para serem expostos em revistas mensais com o catálogo para vendas. E as crianças interessadas deveriam ter disponibilidade pra trabalhar dois sábados por mês, não poderiam ser tímidas, pois tirariam fotos de roupas íntimas e trocariam de roupa frequentemente em público e deveriam ter autorização dos pais. Minha mãe e eu ficamos apreensivas quanto a trocar de roupa em público, mas em seguida, vieram as palavras mágicas no microfone: as crianças que se destacassem nas fotos seriam encaminhadas pra agência de modelos mirins.
Fiquei super empolgada. Mas minha mãe disse pra me controlar porque queria ver primeiro essa questão de trocar a roupa em público. O rapaz do microfone deu mais algumas orientações e perguntou se alguém tinha alguma dúvida. Muitos levantaram as mãos, inclusive minha mãe. Contudo, uma outra mulher fez a pergunta que minha mãe iria fazer: explique melhor essa parte da criança não ser tímida e trocar de roupa em público. Então o rapaz explicou: em ocasiões anteriores, houve crianças que iam bem, mas quando tinham que fazer os ensaios de calcinha junto com os meninos, choravam e desistinham. E como todas as fotos são tiradas em dois sábados por mês, em cada sessão a criança troca de roupa várias vezes, então fica inviável esperar cada criança ir no banheiro toda hora trocar de roupa, porque são várias crianças e cada uma faz inúmeras trocas. Então as crianças que quiserem participar devem estar cientes que não podem ter vergonha de se despir na frente de meninos e meninas. Neste momento outra mãe gritou lá do fundo: eu até deixo meu filho participar, mas quero ficar junto dele o tempo todo, não vou deixá-lo se trocar sozinho na frente de estranhos. Então o rapaz respondeu: quanto a isso, não há problema, os pais podem ficar presentes o tempo inteiro.
Minha mãe ficou bem mais tranquila ao saber que poderia ficar comigo durante as fotos e disse que permitiria, se eu quisesse. Mas eu fiquei em dúvida, tirar foto de calcinha, tudo bem, mas ter que ficar pelada na frente de meninos e dos pais deles me preocupava bastante. Mas minha mãe disse que não iria me pressionar, como era o meu sonho, e era uma coisa segura, já que os pais poderiam vigiar o trabalho, valeria a pena. Que até traria uma toalha e me ajudaria a me trocar sem me expor.
Por fim, ele pediu para os pais fazerem filas conforme a idade das crianças. Fomos para a fila de 10 a 12 anos. Estava num misto de ansiedade, alegria e constrangimento, pois na minha fila reconheci vários garotos da minha escola e até da minha rua, fiquei imaginando me trocar na frente deles… Enfim, era o meu sonho, minha oportunidade. Segui em frente. A seleção da minha faixa etária seria no dia seguinte, às 9h. Meu coração bateu forte. As orientações eram: fazer um lanche reforçado em casa, porque lá não poderia comer. Ir de banho tomado, cabelo limpo e solto. E dentes muito bem escovados. Roupas confortáveis e fáceis de serem trocadas.
À noite, mal dormia por conta da ansiedade. Minha mãe me acordou às 7h. Me deu um banho caprichado, esfregando bastante a bucha por todo meu corpo. Lavou meu cabelo. Na hora de escolhermos as roupas, me deu a minha melhor calcinha, um top e um vestido. Não queria o vestido, mas ela disse que era mais fácil pra tirar na hora das fotos. Tomamos o café, escovei os dentes e fomos. Era sábado, mas tinha tanta criança indo que parecia que teria aula.
Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,52 de 48 votos)

Por

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Maluzinha

    Que merda, só enrolação

  2. Zeca

    hummm que delicia

  3. Selo Kib-Ostha de Conto

    Caralho! Continua o que?
    SITE DE CONTOS ERÓTICOS!
    Quer falar da sua história de vida, vai pro Facebook porra!

  4. Inacinho

    continuaçao

  5. Pachecao

    Continue estou excitado imaginando o desfecho do seu conto…

  6. Anônimo

    Estou ansioso para ler a continuação.