Brincadeiras Inocentes

Autor

Me chamo Eki tenho 25 anos, tive um relacionamento temporário que deu origem a um lindo casou de filhos, a menina chamada Vanessa de 10 anos e um filho chamado Marcelo de 11 anos. Normalmente eles vinham passar o final de semana e as férias comigo, agora eles estavam de férias de meio de ano, meu filho vivia brincando com a irmã, eram briguinhas, correrias, abraços… Eu percebi que havia segundas intenções por parte de Marcelo, já Vanessa na sua inocência não percebia as encoxadas, passadas de mãos etc. Por serem irmãos, eu nunca cheguei a brigar. Eles estavam na fase de descobertas, conhecendo seus corpos e era melhor que acontecesse um com o outro que na rua.
Percebendo que Marcelo não sabia bem o que fazer, resolvi ajudar. Ensinei varias brincadeiras em que ele podia se aproveitar de Vanessa; abaixar o short ou saia dela e sair correndo, invadi o banheiro para jogar água fria, apostar valendo ficar só de calcinha ou fazer uma dança sensual etc. Vanessa fazia tudo na maior inocência. Quando percebi que Marcelo já estava se divertindo bastante resolvi ajudar Vanessa a se vingar. Dai ela fazia as mesmas brincadeiras com seu irmão.
O clima estava ótimo em casa, achava o máximo eles se darem tão bem. Quando ambos estavam bem descontraídos resolvi entrar na brincadeira. Tinha vez que me unia a minha filha e tirava o short de Marcelo e saiamos correndo, outras vezes me juntava a Marcelo e tirávamos a saia de Vanessa e saiamos rindo. Eu sabia que cedo ou tarde eles se uniriam pra me atacar E ERA ISSO MESMO QUE EU QUERIA.
Percebi os dois tramando, mas fingi de bobo e eles pularam em cima de mim. Vanessa segurou meus braços e Marcelo tirou meu short e saíram correndo. Corri atrás deles fingindo esta com vergonha. Mas na verdade adorando tudo aquilo. Nos divertíamos muito sacaneando um ao outro.
Com o tempo alem de tirar o short começamos a tirar a cueca e calcinha também. Por ser novo o pinto de Marcelo era pequeno e meio fino e estava começando nascer pelos no saco dele o que deixou Vanessa muito curiosa. Já Vanessa pelada parecia uma princesinha, bumbum pequenininho e redondinho, peitinho minúsculo e uma bucetinha branquinha e praticamente sem pelos nenhum.
Umas 2 semanas depois do inicio dessas brincadeiras chegou a hora de tentar algo mais excitante. Era sábado à tarde e começamos a brincar. Tiramos a roupa de Vanessa, depois de Marcelo, mas não deixei eles tirarem meu short, eles tentavam me atacar e eu sempre me esquivava. Até que resolvi ir ao banheiro me preparar. Tirei minha cueca e fiquei apenas com o short de seda. Comecei então me masturbar, deixando meu pau super duro. Sai do banheiro me sentei no sofá. Não demorou muito e vi eles aparecerem. Eles estavam vestidos. Marcelo só de cueca preta foi para a cozinha e em seguida Vanessa vestida só de calcinha e topzinho branco cheio de coraçãozinhos também foi.
Fiquei ali sentado alisando meu pau por cima do short esperando o ataque. Segundos depois eles pularam em cima de mim. Marcelo segurou meus braços enquanto minha filha arrancava meu short. Eu fingia reagi, mas na verdade eu cheguei a erguer meu corpo pra facilitar o trabalho de Vanessa. Ela tirou meu short e meu pau pulou duraço pra fora. Vanessa tomou um susto e saiu correndo com meu short na mão, logo em seguida meu filho saiu correndo rindo atrás dela. Totalmente pelado corri atrás deles fingindo esta tentando tapar meu saco. Quando me viram, Vanessa meio envergonhada quis devolver meu short, mas Marcelo não deixou. Ficaram então um jogando pro outro e eu no meio fingindo esta tentando pegar.
– Vamos Vanessa devolve o short do papai, senão vou te pegar e dar uns cascudos. rsrs
– Devolve não Vanessa ele não pode fazer nada com você.
Por fim tirei as mãos do meu saco e deixei meu pau duro balançando ao ar livre. Dava pra ver um misto de curiosidade e de satisfação na cara deles de me ver pela 1ª vez pelado.
Eles achavam que estavam me fazendo de bobo, sem perceber que eu estava adorando tudo aquilo, alias por varias vezes eu esbarrava com meu pau neles. Fingia que era um acidente e continuava "tentando" agarrar meu short.
Num certo momento agarrei minha filha por trás, cai de costas no chão fazendo meu pau ficar esfregando na bunda dela. Em seguida gritei pro Marcelo tirar a roupa dela:
– Vem Marcelo me ajude a me vingar tire a calcinha dela.
Ele não perdeu a oportunidade e veio correndo e puxou a calcinha dela. Eu aproveitei e segurei as 2 perninhas dela bem abertas dando a meu filho uma vista perfeita da bucetinha de Vanessa arreganhada e do meu pau esbarrando nela. Tirei tambem o top dela e em seguida a soltei.
Vanessa ria muito e queria vingança.
– Isso não vai ficar assim viu Marcelo? Voce me paga. Pisquei pra Vanessa e fomos pra cima de Marcelo e tiramos a roupa dele. Marcelo excitado saiu correndo atrás da gente. Agora a festa estava completa todo mundo pelado. Corríamos, fazíamos cócegas, pegávamos lutinha… Sempre aproveitando pra tocar no sexo um dos outros. Vanessa era a maior "vitima" se corria do Marcelo dava de cara comigo com o pau duro balançando na cara dela, se fugia de mim Marcelo agarrava ela e metia a mão na bunda dela…
– Vamos pegar o papai Vanessa.
– Vamos Marcelo, eu seguro e voce faz cocegas nele.
Eles me derrubaram no chão e ficaram me fazendo cocegas, se aproveitavam pra passar a mão em todo meu corpo. Cheguei a sentir uma mão segurando meu pau, mas na bagunça não pude identificar quem foi.
É claro que eu me aproveitava da situação pra tirar uma casquinha tambem. Num momento de distração peguei Vanessa e coloquei no meu ombro e fiquei carregando ela enquando minha mão alisava sua bunda. Joguei ela no sofa e me vinguei das cocegas, Marcelo segurou os braços de Vanessa enquanto eu com uma mão fazia cocegas na sua barriga e seios e a outra brincava com sua bunda e xoxota.
Apos horas dessas brincadeiras fomos tomar banho juntos. Meu pau já estava meio mole por isso Vanessa achou que escaparia intacta, mas se enganou. Enquanto tomávamos banho ao ver o corpo nú e molhado de Vanessa fui ficando excitado de novo. Ambos ficaram admirando meu pau crescer pouco a pouco ate ficar totalmente ereto. Comecei esbarrar meu pau em Vanessa, comecei pelo braço, depois pescoço, orelha, bochecha, e por fim na sua boca. Sem jeito porque Marcelo ficava olhando ela tentava desviar. Então aproveitei enquanto Marcelo lavava os cabelos com shampoo e encostei meu pau no rosto de Vanessa. Ela sem saber o que fazer olhou pra mim. Fiz sinal pra ela abrir a boca e ela obedeceu. Meti meu caralho na boca dela. Ela tentou tirar, mas não deixei e ao poucos ela foi cedendo. Segurei seu rabo de cavalo e fui puxando sua boca em direção ao meu pau. Fiz alguns vai e vem e ela entendeu o que deveria fazer. Soltei sua cabeça e ela continuou me chupando.
Apos Marcelo acabar de enxaguar os cabelos ele abriu os olhos e tomou um susto ao ver sua irmãzinha chupando um pau. Ele me olhou assustado e eu apenas sorri pra ele.
Continuei fodendo a boquinha da minha filha, enfiava o máximo que ela agüentava depois tirava, dava estocadas lentas e ia acelerando ate ela quase sufocar. Após uns 10 minutos chamei meu filho pra brincadeira perguntei se ele queria que Vanessa chupasse ele. Meio sem graça ele aceitou.
Devido ao nervosismo demorou um tempinho ate ele ficar com o pinto duro. Vanessa se abaixou e abocanhou o pinto do seu irmão. Com sua pré experiência Vanessa começou chupando muito bem e por o pau dele ser bem menor que o meu, ela não teve dificuldade de colocá-lo todinho na boca. Eu fui dando uma de professor ensinava como Marcelo devia fazer, como segurar os cabelos e como se movimentar. Mandava Vanessa chupar todo o pinto, a passar a língua nas bolinhas de seu irmão, dar beijinhos, a punheta-lo e a não ir muito rápido senão ele iria gozar rápido e acabar com a diversão.
Chegou a hora de também dar prazer para Vanessa. Me abaixei atrás dela e comecei a lamber seu cuzinho e sua bucetinha, metia a língua o mais fundo possível, arrancando suspirou e gemidos dela. Ela rebolava na minha cara, arfava, se contorcia toda. Eu suguei tanto aquele grelinho que o deixei vermelho. Em seguida chamei meu filho pra fazer o mesmo. Segurei a perna esquerda de Vanessa no ar e mandei meu filho chupá-la. Embora nova ela teve pelo menos uns 2 orgasmos. Em seguida fui atrás dela e fui esfregando meu pau no seu bumbum. Instintivamente Vanessa foi empinando a bunda para facilitar a penetração. O corpo frágil e pequeno de Vanessa parecia uma boneca em comparação com o meu tamanho. Encaixei meu pau no seu reguinho e fiquei dando umas cutucadas no cuzinho da minha filha. Quando meu pau entrava um pouco mais Vanessa dava uns gemidos deliciosos. A posição atrapalhava a penetração por isso só fiquei brincando na portinha do rabo da minha filha enquanto ela chupava meu filho novamente. De repente percebi que Marcelo iria gozar. Preparei minha princesa para experimentar porra pela 1ª vez. Ela agachou no chão e acelerou a chupada, Marcelo se contorceu todo, gemeu alto e começou gozar. Vanessa se assustou com os primeiros jatos, mas os restantes ela aproveitou bem e bebeu tudinho.
Deixei saboreando sua sobremesa e depois fui completar o serviço. Coloquei Vanessa de 4 no chão peguei o condicionador lambuzei toda sua bundinha, seu cuzinho e buceta. Cheguei ate enfiar um dedo no cu dela para abrir caminho. Lambuzei também meu pau e fui em frente. A cabeça do meu pau demorou um tempinho até entrar, mas quando entrou foi demais. Se antes o cuzinho dela tentava expulsar meu pau, agora ele sugava-o. Tive que ate me segurar pra não entrar tudo de uma vez, pois Vanessa estava gemendo muito e tive medo de machucá-la. Quando entrou tudo quase gozei de tanta felicidade. Não pensei que minha princesa aguentaria tudo no seu rabinho logo na primeira vez, pois nem sua mãe era tão forte na hora do sexo anal. Se visse ela ficaria com inveja da nossa princesa. Iniciei o vai e vem, eram estocadas longas e suaves. Vanessa mordia o lábio de dor e prazer. Mandei Marcelo fazer uma siririca em Vanessa pra ajudá-la a relaxar. Quando senti que estava mais fácil a penetração fui acelerando os movimentos. Sentia aquele cuzinho apertando meu pau. Comecei a bater meu saco na sua xotinha fazendo gemer alto. Socava fundo e sem dó. Vanessa delirava, berrava, gemia, arfava… Quando senti que iria gozar acelerei ainda mais os movimento e explodi em gozo, minha porra explodia dentro do cu de Vanessa enchendo aquele buraquinho quente e apertado com meu leitinho. Quando tirei meu pau, veio aquele monte de porra grossa e branca escorrendo do cu dela, passava pela buceta, pelas coxas indo ate o chão.
Vanessa deitou-se no chão quase desmaiada. Esperei ela se recuperar e em seguida fui dar um banho nela. Lavei todo seu corpinho com calma. Fui dando nela vários beijinhos e dizendo o quanto eu a amava. Ela sorriu pra mim me beijou e disse que também me amava, em seguida beijou Marcelo. Nos abraçamos e prometemos que sempre brincaríamos juntos de novo.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,69 de 45 votos)
Loading...