Aventura de Uma Novinha 2

Autor

Olá,
No meu último conto eu relatei uma aventura que tive com um ex e que acabou fazendo com que meu namorado terminasse comigo. Algumas pessoas me condenaram e me criticaram, inclusive alguns que leram o conto, mas também teve aqueles que me entenderam e apoiaram. O fato é que mesmo sendo novinha (16 anos) e inexperiente, eu sei que errei feio e estava muito arrependida pelo que fiz. Tentei durante um tempo reatar meu namoro, pedi perdão diversas vezes mas não teve jeito, ele estava irredutível.
Nós tínhamos um amigo em comum, que na verdade era o melhor amigo dele, mas antes de começarmos a namorar, Anderson que tinha a minha idade vivia pedindo pra ficar comigo, eu nunca quis e depois que meu namoro começou ele nunca disse nada e sempre nos respeitou. Anderson foi um dos poucos que ficou do meu lado e me compreendeu, e foi ele quem me deu a triste notícia de que meu ex estava falando mal de mim pra todo mundo. Estava me chamando de vagabunda, dizendo que com certeza eu o havia traído mais vezes e que deveria estar dando pra todo mundo agora que estava solteira. Fiquei decepcionadíssima, pois desde que ele terminou comigo eu nem estava ficando com ninguém justamente pra mostrar a ele que ainda o amava e eu nunca o havia traído; meu único deslize foi exatamente quando ele me pegou transando com meu ex. Pois agora eu estava com raiva e decidi transar com Anderson, que era seu melhor amigo pois já que ele estava me chamando de vagabunda eu ia dar motivo pra isso.
Meus pais iriam viajar na Sexta-Feira e eu ficaria sozinha, então mandei mensagem para Anderson e pedi para ele ir em casa no Sábado às 15h pois eu precisava conversar com ele. No Sábado, por volta das 14h liguei pra ele e disse que estava indo tomar banho e deixaria a porta da frente aberta, caso ele tocasse a campainha e eu não atendesse, ele poderia entrar e me esperar no quarto, e claro que tudo isso fazia parte do meu plano. Estava no banho e ouvi a campainha tocar, mas não atendi de propósito e continuei o banho. A porta do banheiro estava um pouco aberta e em certo momento percebi que Anderson estava espiando, então comecei a me masturbar pois estava morrendo de tesão com a situação e além disso já fazia 01 mês que eu estava na seca. Terminei o banho, me enrolei na toalha e fui para o quarto.
Entrei no quarto e Anderson estava sentado em minha cama, com o pau duro na mão, provavelmente tocando uma punheta; me aproximei dele e parei na sua frente, sem dizer nada, apenas com cara de safada. Desamarrei a toalha e a deixei cair, ainda sem dizer nenhuma palavra. Ele entendeu o recado, levantou-se, colocou uma mão por trás da minha cintura, a outra por trás da minha nuca, me puxou e passou a me beijar. Que delícia de beijo, além do tesão pude sentir muito amor vindo dele.
Ele começou a beijar meu pescoço, depois ajoelhou-se na minha frente, colocou uma perna minha sobre seu ombro e passou a chupar minha bucetinha, enquanto eu alisava e apertava seus cabelos. Me chupou bastante, depois levantou, me pegou no colo e me deitou na cama. Ficou em pé na frente da cama e tirou sua roupa, mostrando aquele pau enorme e duro, depois deitou em cima de mim, me beijou e me lambeu toda.
Agora era hora de retribuir e o fiz deitar de barriga pra cima, para eu poder mamar gostoso naquela rola, e acho que ali eu fiz o melhor boquete do mundo pois não demorou ele gozar na minha boca. Punhetei o pau dele até ficar duro e depois sentei nele, cavalgando bem devagar e bem gostoso, me empinando toda enquanto ele acariciava meus peitos. Deitei na cama, abri as pernas e ele veio por cima, enterrando aquela pica enorme na minha buceta, fazendo com que eu gritasse de prazer e para conter meus gritos e gemidos ele beijava minha boca.
Quando ele estava prestes a gozar, eu pedi para ficar de quatro. Arrebitei a bunda e ele meteu na buceta de novo, me deixando louca pois adoro dar de quatro. E ali fomos até ele gozar, enchendo minha buceta de leite quente.
Deitamos na cama e ficamos nos beijando e conversando:
Que loucura, eu disse.
Que delícia, eu queria muito fazer amor com você, sempre te amei.
Eu sempre desconfiei disso.
Vamos ficar juntos né?
Não meu anjo, eu adorei fazer sexo com você, mas pra mim não foi amor, foi só tesão.
Nesse momento ele fez cara de triste.
Oh meu lindo não fica assim, foi muito bom o que fizemos mas não posso te enganar, aliás nunca mais vou enganar ninguém.
Eu entendo, mas te amo muito.
Olha, eu nunca fiz sexo anal, quero fazer com você agora.
Não tô afim.
Vai me deixar na vontade? Come meu cuzinho vai, você vai ser o primeiro.
Comecei a beijá-lo e logo ele entrou no clima e simplesmente arrombou meu cú.
Alguns dias depois meu ex ficou sabendo e me ligou:
Que porra é essa que você deu pro Anderson, é verdade isso?
E se for, o que você tem com isso? Não te devo satisfação da minha vida.
Nossa que decepção.
Ué, você não fala pra todo mundo que eu sou vagabunda? Agora pode falar com gosto.
Isso faz uma semana, e desde então decidi aproveitar a vida, vou dar gostoso pro maior número de caras que puder, vou ser bem vagabunda com apenas 16 anos. Meu ex me liga todo dia pedindo pra voltar, estou pensando em dar gostoso pra ele e depois meter o pé na bunda, o que acham?
Será que existe alguém capaz de me pegar de jeito e me comer gostoso igual meu ex comia???

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,31 de 13 votos)
Loading...