Zuleika

14-05-18 Por 0 ★ 4.55

Olá leitores. Esta história aconteceu há muito tempo, na década de 60. Tenho uma prima cinco anos mais velha que eu e quanto ela tinha 15 anos foi morar no mesmo bairro que eu morava. Para minha mãe foi ótimo pois a sobrinha adorava ir ver o primo mais novo e não se incomodava de ficar comigo quando minha mãe precisava fazer algo na rua. Minha prima era uma pessoa muito ativa e curiosa e não se furtava a brincar comigo (adolescentes normalmente não gostam de brincar com crianças) mas o que interessa começou logo que ela começou a ficar a sós comigo, com pouco tempo começou a comandar a brincadeira e dizer o que deveríamos fazer. Na primeira vez que fui tomar banho com ela em casa e sem a minha mãe (eu tomava banho sozinho) ela disse que iria tomar banho comigo, para ver se eu me lavava direito, lembro que estava muito curioso olhando para ela, que já tinha pelos no púbis e pequenos seios. Logo que me ensaboei ela disse que iria me ajudar e começou a me esfregar com as mãos, por todo o corpo. É claro que o meu pintinho já estava duro e a toda hora ela pegava nele e se demorava muito ali ao passo que com a outra mão, ficava deslizando o dedo pelo meu cuzinho, sem penetra-lo. Aquilo era muito gostoso e viciamos nessa brincadeira, indo para o chuveiro toda vez que minha mãe nos deixava em casa. Mas a nossa brincadeira não acabou por aí, ao sairmos do banho, minha prima me enxugou e me levou para o quarto, onde me colocou na cama, deitado de barriga para baixo e ficou abrindo a minha bundinha e olhando o meu cuzinho. Em dado momento ela perguntou se eu havia gostado do nosso banho e, é claro, respondi que sim, então, perguntou se eu já havia visto uma menina pela, antes, ao que respondi que não. Minha prima disse, então, que eu podia ver o que quisesse, dela e deitou na mesma posição que eu estava. Eu me sentei na cama e fiquei olhando a bunda dela e alisando com a mão. Ela logo falou que eu podia abrir e empinou um pouco. Abri então a bunda dela e fiquei olhando aquele cuzinho rosado. Dava para ver a boceta dela, também, que estava fechadinha e, por curiosidade, passei a minha mão ali também, de leve. Como já disse antes, minha prima tinha pelos no púbis mas não ali, era uma bucetinha lisinha. Ela então virou de frente e afastou um pouco as pernas, o que me permitiu ver o clitóris. Então ela propôs fazer novas coisas gostosas comigo, se eu fizesse o que ela mandasse e é claro que topei. Ela começou a alisar a buceta e pediu que eu lambesse os seus seios, o que fiz. Ela ia comandando e eu obedecendo: “passa a língua aqui; agora bota a boca e chupa mas continua passando a língua: agora, chupa o outro e fica apertando esse”, então ela me tirou do seio, sentando-se com as pernas bem afastadas e mandou-me ficar olhando aquela boceta bem de perto. Não parou de se masturbar. Como eu já estivesse curioso, toquei o seu clitóris com a ponta do meu dedo. Ela parou de se masturbar e perguntou se eu queria mexer ali. Eu nem respondi, comecei a passar o dedinho e ela se contraindo toda. Nesse momento perguntei sobre as coisas gostosas que ela me faria, ela respondeu que se eu chupasse aquela coisinha, do mesmo jeito que fiz nos seios, ela faria o que prometeu. Confesso que estava com um pouco de nojo, a boceta dela estava toda melada e eu era só uma criança mas fiz assim mesmo, botei a boca naquilo e comecei a chupar, comecei a passar a língua, também, logo, aquela babinha não me incomodava mais, estava gostando, minha prima segurou a minha cabeça contra a boceta e me apertou com as pernas, estava gozando, coisa que eu não sabia, então.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,55 de 11 votos)

Por

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos