Roberto e seus moleques (PARTE II)

Autor

Olá, novamente. Hoje, vou continuar com um conto que resultou numa investigação que parou a minha cidade.
Como informei no 1o conto, Roberto me deu seu número e não aguentei de ansiedade e 03 dias depois liguei pra ele querendo pica. Ele pediu que eu fosse à sua casa às 19h. Como marcado, eu fui. Chegando lá, eu pude prestar mais atenção na casa, era grande, bonita, confortável e Roberto, realmente, morava só. Ou seja, a putaria rolava solta. Ele ligou a TV da sala e nos sentamos no sofá. Foi nossa 1a conversa real. Ele falou onde trabalhava com riqueza de detalhes, o que fazia por lá, o que gostava, ficou uns 15min falando e eu pensando – Me come logo, caralho! – mas ele não parava de falar, até que eu pus a mão no pau dele é ele disse: Ah, eu tô falando demais e sei q tu vieste aki pra ser bem fodido, né? Apenas concordei. Ele começou me beijando gostoso como ele fazia. Chupou meus mamilos e chupei o pau dele. Ele disse que estava meio cansado e que não estava muito afim de sexo. Ele começou a perguntar sobre mim e eu fiquei num tédio só falando, até que disse o nome da minha escola e ele disse que já havia fodido muitos garotos de lá. Eu pirei com a notícia. Ele dizia os nomes e eu dizia se conhecia ou não, mas na verdade eu conhecia todos (risos), eu não tava acreditando que todos os gostosões da escola gostavam de dar o cu. Ele então disse: – Quer provar algum? Tem uns que moram aqui no bairro. Eu fiquei excitado na hora e concordei que queria todos. Ele disse que só poderia vir um porque ele não curtia suruba. Ele pegou o celular e começou a discar, nenhum atendia. Ele já tava desistindo até que um retornou a ligação. Ele acertou tudo e disse que em 10min o menino chegaria. Eu tava nervoso porque não sabia quem era. Ele disse que iria me fazer uma surpresa. Fomos pro quarto e não demorou muito e tocaram a campainha. Eu gelei. Ele foi buscar o menino e eu fiquei esperando no quarto super ansioso. Quando abre a porta e pá… era um menino que fazia educação física comigo, pois na minha escola, eles misturavam os alunos nas atividades. Ele se chamava Jessé e tinha 15 anos, eu tinha 17 e Roberto me confirmara a sua idade, 54 anos. Eu me esfrie, senti uma mistura de tesão com nervosismo.
Roberto empurrou o menino na direção da cama e disse: Vão foder!
Começamos a nos beijar, o menino era bonito, pau de uns 15cm meio grosso, corpo liso e já estava de pau duraço. Ficamos brigando pra ver quem comeria quem 1o. O Jessé disse que era só ativo e tava fazendo cu doce. Eu disse que queria meter também, mas não adiantou. Ele venceu. Fiquei de 04 e Jessé veio por trás, nem me deixou chupar o pau dele. Roberto pegou o KY e deu pro menino que lambuzou meu cu e foi metendo devagar. Suspirei gostoso. Ele começou a foder. Aí Roberto pediu pra ele me foder de frango-assado, mudamos de posição, Roberto traz o pau e põe na minha boca enquanto o menino me foder. Ele tira o pau da minha boca e põe na boca do Jessé. Ele fez um teatrinho, mas Roberto falou: chupa logo, porra, tá acostumado a foder aqui , dá e come que é uma beleza e agora tá com vergonha. Ele começou a chupar… Roberto gemia alto. Quando do nada, Roberto vai pra trás e penetra o menino, fiquei doido. Ele diz: Vocês adoram comer e serem comidos ao mesmo tempo, eu gosto porque vocês metem e nem preciso meter porque vocês rebola bastante. O tesão de vocês é tanto que o cu fica contraindo.
Jessé diz que não tá aguentando e pede pra ir ao banheiro. Ele demora. Vou atrás, ele tá no vaso cagando e disse que não tava preparando. Eu comecei a beijar ele. Melão o pau dele é sentei. Ele achava e me fodia. Roberto queria que a gente fodesse na frente dele e nos chamou de volta pro quarto. Quando voltamos, diz pro Jessé mamar Ele, e quando ele tá mamando ele faz sinal pra eu comer o menino, fui pra trás e abri o cu dele, era bem peludo e não parecia ser um cu bastante fodido, acho que ele tava começando a dar. Meti com vontade e ele gritou mas não tirou. Fodemos bastante, o cu dele era muito gostoso. Foi aí que eu disse que nunca tinha feito trenzinho, Roberto se anima e mela meu cu e me penetra. Caaaraaalhoooo! É uma das melhores sensações do mundo. Não tem como descrever… é simplesmente surreal. Eu não aguentei e gozei tudo no cu do Jessé. Como passou o tesão, pedi que o Roberto tirasse. Ele vai ao banheiro e lava o pau. Traz até à boca do Jessé e ordena que mama ele até gozar porque ele tá afim de dar leite na mamadeira pra boquinha de um bebê. Ele gozou .Jessé fez cara de nojo. – Engole essa porra toda! E ele engoliu. Ficamos deitados e conversando. Foi aí que Roberto diz: Aqui é assim, quem traz um moleque pra mim, ganha pontos, ganha moral. Perguntei como o Jessé havia parado lá e o próprio Jessé diz: Eu sabia que rolava essas ondas aqui porque alguns colegas já tinham feito e dizia que o Roberto dava grana pra quem trouxesse garotos, eles traziam e com tesão acabavam participando. Roberto acrescenta: Aqui quem come, tem que dar, então como todos, eles trazem garotos e me fazem feliz e eu retribuo. Outro dia o Jessé me trouxe um de 13 anos bem gostoso. Quando eles chegaram eu fiquei doido pelo menino, era virgem. O Jessé trouxe pra tirar o cabaço, mas quem acabou tirando fui eu. O menino agora tá com 15 anos também e vive aki fodendo. Achei aquilo muito massa. Jessé diz: É aquele menino que anda muito contigo no colégio, ele curte? NÃO! Jessé se referia ao meu melhor amigo pelo qual sou apaixonado. Fiquei com ciúme e chateado e disse que ti há que ir. Fui me arrumando. Roberto diz que vai nos deixar de carro. Ele deixa o Jessé 1o e ao me deixar, diz que preciso apresentar um novinho pra ele senão não poderei mais ir pra lá foder. Concordo e digo que vou arranjar. Eu me despeço e entro em casa e corro pro banheiro pra bater outra punhetar.
CONTINUA.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,47 de 17 votos)
Loading...