Os Amigos do Velho do Litoral

Autor

Contei anteriormente sobre como descobri a existência do Velho do Litoral, e agora vou contar apenas sobre uma das muitas transas que eu tive com amigos dele. Como dizem por aí, começarei pelo começo, ou seja, a forma pela qual eu acabei conhecendo os amigos dele. Foi muito prazeroso… Eu cheguei na casa do Velho daquele jeito, ou seja, querendo dar até o cu fazer bico. Não percebi nada diferente, nada mesmo, tudo insuspeito. Cheguei, peguei no pau dele por cima da calça fazendo cara de puta, e massageei bem, o que deixou o bicho daquele jeito. Percebendo isso, tratei de libertar o bichão e comecei a mamar bem gostoso, o que deixou o Velho louco de tesão, a tal ponto que ele me pediu prá tirar a roupa e ficar de quatro na cama. Fiz melhor: tirei a roupa e deitei de bruços na cama, exigindo que ele me possuísse. Aí que o Velho endoidou de vez, e abriu minhas nádegas dando uma bela salivada no meu cu, posicionou o bichão no meu cuzinho e entrou dentro de mim com todo o tesão. Devido à excitação, nem senti dor, e sim, muito prazer e tesão quando senti estar sendo invadido pelo cacetão gostoso do Velho. O Velho passou os braços por baixo dos meus, e começou a meter com tesão, vontade e desejo, me beijando o pescoço enquanto me comia. As estocadas do pau dele eram tão fortes, que quando ele estocava, jogava meu corpo prá frente e prá trás de maneira vigorosa. Eu delirava de tesão, dizendo palavras desconexas e curtindo a foda, foi quando percebi um homem parado perto da porta com o pau na mão e se masturbando. Aliás, que pau era aquele!!! O do Velho era enorme e grosso, e mesmo assim perdia prá aquele mastro grosso que o cara punhetava… Devia ter uns 20 cms por 6 cms mais ou menos, o famoso pau GGG(grande, grosso e gostoso). Mesmo vendo o cara ali se punhetando, continuei a dar meu cu sem problemas, mais excitado ainda fiquei de estar sendo observado. O que eu não sabia é que a foda estava sendo filmada, já que o cara que estava se punhetando, era dono de equipamento de filmagem. Nisso, continuei ali, levando rola no meu cuzinho, gemendo e pedindo mais e mais rola. O Velho então, acelerou ainda mais os movimentos de vai-vem da pica no meu cu, soltou um urro e gozou litros e litros no meu cuzinho faminto de pica. Ele se levantou, e o que estava se punhetando tomou o lugar dele, me penetrando bem gostoso, aproveitando a gala que o Velho deixou no meu cu. Ao perceber que tinha entrado todo, o cara começou a me foder bem gostoso, num entra e sai cadenciado daquele mastro dentro do meu cu. Eu delirava de prazer por estar sendo tão gostosamente fodido, gemia, pedia mais pica. O cara, então, resolveu com delicadeza, mas firme, puxar os meus cabelos, e eu fui acompanhando, ficando sentado no colo dele, o que me fez rebolar no seu cacetão. Isso deixou ele excitado, a ponto dele começar a beijar meu pescoço enquanto eu rebolava naquele rolão gostoso. Comecei então, a cavalgar como uma amazona no cio, enquanto ele continuava a beijar meu pescoço me chamando de tesãozinho, putinha, delícia. De repente, notei outro cara parado na porta: um negro de mais ou menos 43 anos, pica GGG, punhetando-se e olhando prá mim com desejo. Decidi continuar dando gostoso, mais excitado ainda por saber que logo, outro macho me comeria. Até que o cara disse no meu ouvido que ia gozar e me inundou o rabo com jatos quentes de porra. Ele me deu um beijinho na boca, e disse prá eu levantar-me. Levantei-me do colo dele, olhei pro negrão que estava com o pau na mão e falei prá ele se ele só ia ficar olhando ou se ia tomar posse do que ia ser dele. O negão riu e veio, me posicionei de quatro, e senti quando o negão posicionou o cacetão e começou a me penetrar. Aquilo foi ma-ra-vi-lho-so!!! Sentir aquele mastro negro de apossando do meu rabo foi incrível. Ele colocou as mãos em minha cintura, e começou a meter gostoso, com vontade, num ritmo bem rápido, me levando à loucura. Em dado momento, ele se debruçou sobre meu corpo, e começou a bombar com mais força e vontade o meu cuzinho arrombado. O negão gemia, me chamando de branquinha tesuda, dizendo que ia ser meu macho, meu dono, ia foder meu cu todos os dias… Eu delirava e gemia de puro tesão e desejo, sentindo o picão foder com gosto o meu cuzinho. O negão beijava meu pescoço e fodia com vontade, até que me disse no ouvido que ia gozar. Ele cravou com tudo o picão no meu cu, invadindo-me com jatos e mais jatos de porra quente. Deitou-se sobre mim, beijando-me o pescoço com sofreguidão, culminando em um belo beijo de língua, enquanto voltava a socar meu cuzinho. Ainda assim, dez minutos depois, gozou novamente no meu rabo. Saiu de dentro de mim, e foi se limpar. Foi aí que o Velho me contou do equipamento de filmagem e dos amigos. Depois disso, dei várias vezes pros três juntos, outras, fui especialmente na casa do Fábio(o primeiro picudão) e do Chico(o negro), ou o Velho. Foram fodas maravilhosas com os três. Inclusive com filmagem. Saudades desses tempos que não voltam atrás…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,27 de 11 votos)
Loading...