O acampamento 2ª parte

Há 5 meses Por 1 ★ 4.73

O Acampamento 2ª parte
Amanheceu a sexta feira e ainda estávamos dormindo quando ouvimos um carro parar perto de nossa barraca e chamar pelo nome de Rosana, levantamos assustados, nos vestimos e saímos para ver quem era. Era a nossa amiga Vanessa que havia chegado e trazia na mão um saquinho com pães e frios para o café da manhã o que fiz rapidinho e enquanto estava fazendo Rosana subiu com Vanessa para tomar banho, eu fui logo em seguida e para minha surpresa quando entrei no banheiro masculino que era no mesmo local que o feminino, separado somente por uma parede e dava para ouvir tudo que as pessoas falavam eu ouvi Rosana contando a amiga como havia sido nosso dia e tudo que havia acontecido. Dizia ela: “Ah amiga a Ana precisou ir embora e rolou um clima entre nós e como eu não conhecia outro homem a não ser meu marido tomei umas caipirinhas e deixei a coisa acontecer e não me arrependo amiga o Thoreko é uma delícia de homem, tem um cassete enorme e mete muito mais mete com carinho e faz a gente ir as nuvens. Fez serviço completo em mim, to toda ardida e arregaçada o pau dele além de grande é grosso pra caralho. Para você ter uma ideia dormimos de conchinha e com o pau dele dentro da minha buceta a noite toda. ”
Percebi que Vanessa havia ficado interessada em trepar também pois fez muitas perguntas e então Rosana falou para ela aproveitar também pois a Ana só retornaria no domingo mais ela disse que não tinha tanta intimidade comigo e que era tímida demais para me provocar, nesse momento liguei o chuveiro e a conversa entre elas parou. Banho tomado, tomamos também nosso café e as meninas saíram para fazer uma caminhada dentro do camping e ir a piscina, eu fiquei para ajeitar o acampamento e já começar a fazer o almoço. Não demorou muito e as meninas voltaram, agora estavam somente de biquíni.
Eu conhecia a Vanessa com roupa de trabalho, uma linda loirinha com rostinho angelical, alta, magrinha e com aquela calça do uniforme sempre pareceu que tinha pernas longas porem bem finas e nada de bunda e aparentava ter uns 25 anos. Quando ela apareceu ali com um biquíni minúsculo mostrando seios fartos, acredito que eram de silicone, e uma bundinha saliente e redondinha e com as coxas finas sim mas roliças e mostrava que embaixo daquele biquíni havia um bucetão, pois, a racha era grande e bem pacotão.
Rosana então pediu para eu fazer uma caipirinha o que atendi de imediato e já fui imaginando qual era a intenção delas e com essas ideias passando pela mente meu pau começou a dar sinal de vida e o volume começou a crescer. E la foi a primeira caipirinha e não demorou para pedir a segunda, o som já estava ligado num modão sertanejo e quando chegou na terceira percebi que elas já estavam bem relaxadas e então era hora de eu que não havia bebido nada entrar em ação. Endireitei o cassete pra ele ficar reto pra cima e encoxei a Vanessa por traz encaixando meu pau bem no seu rego e começamos a dançar daquela maneira e como ela aceitou de boa meu pau foi crescendo ali no meio daquela bundinha, ela deu uma olhada por sobre o ombro e abriu um sorriso como que consentindo e passou a rebolar de uma maneira mais frenética, Rosana só observava e vez ou outra eu a via ou mordendo os lábios ou passando a mão nos peitinhos ou xoxota e não demorou ela veio de encontro a nós e fizemos um “sanduiche” da Vanessa, Eu atrás e Rosana na frente e quando eu menos esperava as duas se pegaram num beijo muito louco, sai então de lado e as deixei a vontade. E foi uma passando a mão na outra até que Rosana se livrou da parte de cima do biquíni da Vanessa e saltaram um lindo par de seios, grandes, redondos e duros, Rosana passou a chupar aqueles peitos mais ela queria mais e rapidamente desceu para a xoxota, soltou os lacinhos do biquíni e se livrou deles, Vanessa por sua vez colocou um pé sobre o banquinho deixando a perna aberta pra Rosana cair de boca e foi o que aconteceu. Rosana meteu a língua naquela bucetona como se fosse uma expert no assunto e com as mãos abriu a bundinha da Vanessa como me convidando para se juntar a elas, tirei minha sunga e encaixei mau pau entre aquelas pernas longas e metade dele saiu lá na boca da Rosana que chupava ora meu pau ora a buceta da Vanessa.
Percebendo que Vanessa já estava no ponto pra ser penetrada Rosana se levantou, tirou seu biquíni e sentou sobre a mesa abrindo a perna e oferecendo a buceta pra Vanessa retribuir a bela chupada que havia ganhado e enquanto Vanessa se debruçou me encaixei por trás dela, pincelei meu pau para deixar bem lubrificado e fui penetrando aquela bucetona que não teve dificuldade em receber meu cassete logo de início entrou tudo com facilidade e então comecei a meter gostoso levando Vanessa as alturas com um cassete na buceta e uma buceta na boca, conforme eu metia ela rebolava forçando pra trás pra que entrasse tudo até o fim e com uma das mãos Vanessa alisava o próprio grelo e quando percebi que ela já estava pronta pra gozar me apressei e aumentei o ritmo dando estocadas firmes e profundas, Rosana também percebeu e se enfiou embaixo de nós e passou a lamber o grelo da amiga e meu saco cada vez que enterrava tudo levando Vanessa a um gozo que eu nunca havia presenciado, ela esguichava e gritava, não era gemido era um grito mesmo e em seguida ela desfaleceu debruçando sobre a mesa então Rosana passou a me chupar e a enfiar dois dedos na buceta da amiga e tirava da buceta colocava no cuzinho, então entendi que estava lubrificando o cuzinho da amiga pra receber meu cassete e da mesma maneira que eu havia feito com ela, ela fez com Vanessa e quando colocou três dedos me puxou para perto e encaminhou meu pau pra aquele cuzinho que acredito já havida levado muita rola, já estava mais aberto e como a buceta não teve dificuldade em ser penetrado, Rosana por sua vez encostou atrás de mim me forçando a enfiar tudo de uma vez levando a Vanessa a dar um forte grito. Como já estava tudo dentro esperei por um segundo e quando ela deu uma reboladinha percebi que já estava pronta para eu meter então a segurei pela cintura e fui metendo e aumentando a velocidade, tirando e pondo enquanto Vanessa dizia: “Para caralho ta doendo”, Para não mete mais forte, arromba meu cu”, Vai seu fdp me enche de porra”, “mete mais mete com força mete tudo”. Rosana veio ao nosso lado e passou a dar tapas com uma das mãos naquela bundinha branquinha e com a outra passou a alisar o grelo da amiga e não demorou para sentir Vanessa contraindo o cuzinho, dando sinal que queria gozar, acelerei minhas estocadas a segurando bem firme pela cintura e metendo bem fundo e então foi minha vez de fazer jorrar uma quantidade enorme de porra naquele cuzinho, tão grande foi que quando tirei o pau de dentro esguichou porra para fora. As duas meninas se abraçaram e se uniram num longo beijo e nesse momento ouvimos um barulho e só então demos conta de que estávamos fora da barraca e a “tia da limpeza” tinha observado tudo e estava com a mão enfiada dentro da calça batendo uma siririca e ao ver que havia despertado nossa atenção saiu rapidinho nos fazendo cair numa só gargalhada. Todo mundo para o banheiro para se lavar e lá no banheiro ouvi Vanessa dizer: “Amiga você tinha razão, que homem gostoso e que cassete ele tem”. Voltamos para o acampamento, fizemos nossa refeição e passamos a tarde descansando.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,73 de 11 votos)
Loading...

Por

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. 17 cm

    Quanta imaginação kkkkkk